2019 não está fácil. O mundo pop perde Scott Walker, um dos seus mais cultuados e intrigantes ícones

>>

250319_scott

E o ano de 2019 continua a desafiar nosso emocional. Ícone do pop experimental, o cantor e compositor Scott Walker nos deixou aos 76 anos de idade.

Ex-integrante do Walker Brothers, grupo que fez sucesso nos anos 1960 e 70, Scott teve uma carreira marcada por discos cultuados em sua carreira solo e também foi nome forte nas trilhas sonoras de filmes, algo que fez até recentemente, já que ele é quem assina a trilha de Vox Lux, filme que tem Natalie Portman e Jude Law.

Nascido em Ohio e crescido na Califórnia, Walker se mudou pra Londres ainda nos anos 60 e se tornou britânico por direito.

Grandes nomes da pop da nossa época, caso de Thom Yorke, lamentaram a morte de Scott. O líder do Radiohead disse que ficou muito triste ao saber da notícia. “Ele foi uma enorme influência para mim e o Radiohead, me mostrando como usar a voz e as palavras. Eu o encontrei uma vez em Meltdown. Fará muita falta”.

Marc Almond foi outro que destacou o legado deixado por Scott. “Ele me deu tanta inspiração que o usei como modelo até em meu corte de cabelo e os óculos escuros. Ele era enigmático, misterioso e, em algumas de suas últimas gravações, para mim, era enfurecedor. Um absoluto gênio musical”.

Famoso por suas composições complexas e sua voz marcante, Scott tem como pontos altos da carreira as canções “Jackie”, Lights of Cincinnatti” e “Joanna”.

Ele deixou esposa, filha e uma neta. A causa da morte não foi confirmada.

RIP.

>>