A celestial Celeste proclama, na TV, que o amor está de volta

>>

Captura de Tela 2021-04-14 às 11.08.10 AM

* A gente aqui paga um pau para a cantora inglesa-californiana Celeste, que parece ter pegado o tema do amor todinho para ela, para desenvolvê-lo em músicas classudas, como se a gente estivesse nos anos 50 e tal.

Celeste, a gente tratou disso aqui, lançou o disco lindão de estreia, o “Not Your Muse”, no comecinho deste ano, cheio de pauladas amorosas, voz celestial, arranjos que não são deste tempo. E vem nos brindando em sessions e aparições na TV desde então, com suas músicas de filme triste americano antigo, como eu já ouvi alguém dizer por aí.

Não é por acaso. “Not Your Muse”, seu primeiro álbum, chegou ao topo das paradas britânicas, quando lançado. Não é o tipo de música que costuma ir direto para cima das listas, mas este foi. O disco ainda rendeu ela três indicações para o Brit Awards, álbum do ano entre elas. FORA QUE uma de suas canções, que está no disco, a linda “Hear My Voice”, concorre ao Oscar de melhor música original, por estar incluída na trilha do espertíssimo filme “Os 7 de Chicago”, de de Aaron Sorkin, um dos fortes concorrentes a melhor filme.

Dessas aparições de TV das quais gostamos teve uma linda ontem, no programa do Jimmy Fallon. Foi performance para a absurda “Love Is Back”, que tem uma pegada meio Amy Wihehouse linda. Você merece ver isso.

Repare nas balançadinhas de cabeça e os olhares para lugar nenhum dela, que demais.

>>