A música em “Ted Lasso”: como a série mais legal atualmente envolve Mumford and Sons, Wilco, Pistols, Blur, Queen, Elastica, Lizzo e… “Hello”

>>

* Precisamos falar sobre “Ted Lasso”, a genial série “feel-good” e ~inofensiva~ da Apple TV+ que está na fase final de sua segunda temporada e varreu a cerimônia do Emmy Awards 2021 ontem à noite com sete premiações.

A história é muito boa. Num papo raso sobre a trama, uma mulher assume a presidência de um time de futebol capenga da Inglaterra das mãos do ex-marido e, para se vingar dele, quer afundar o clube, xodó do sujeito. Tem uma idéia ótima para isso: para comandar o time, importa dos EUA um técnico de… futebol americano.

Ted Lasso, esse técnico ianque gentil e fofo que cai no covil de cobras futebolísticas da Inglaterra, é vivido pelo comediante Jason Sudeikis, ator e roteirista de longo tempo em papeis de alcance relativo em filmes e séries. Até que ajudou a criar e está estrelando a sitcom.

Cheio de tretas da bola e de amor, com personagens engraçados e até surfando na onda de questões de mental health, “Ted Lasso” também é muito boa na parte musical, que é o que nos interessa aqui (mentira: todo o resto nos interessa, principalmente o futebol haha).

A trilha sonora original incidental das duas temporadas da série foi produzida por Marcus Mumford, o vocalista, instrumentista e líder da banda folk inglesa Mumford & Sons. Incluindo a música-tema, fofa.

A Apple acaba de lançar, obviamente apenas em sua plataforma, o soundtrack da segunda temporada, toda ela construída por Marcus Mumford, mas que tem um outro sujeito da música comandando o tema do Ted Lasso: Jeff Tweedy, do Wilco, fanzoca assumido da série.

Graças aos poderes da Apple, os episódios de “Ted Lasso” são embalados por pinceladas de muita música boa, de Sex Pistols a Lizzo, de A Tribe Called Quest e Run DMC a Blur e Oasis, de Queen a Arctic Monkeys.

Daí que no mais recente episódio, que subiu na plataforma na última sexta-feira (sobe um por semana; faltam mais três para fechar a temporada), o técnico auxiliar de Lasso na trama, o Beard, chateadão com uma derrota importante do Richmond (o clube inglês que eles comandam) e com uma situação mal resolvida com a ex-não-ex, não suporta ficar na bad em casa e resolve cair na noite, para acabar numa jornada noturna descontrol daquelas que Londres sabe bem oferecer, muito vista em vários filmes e séries.

O rolê de Beard, nessa hora no clube, desencava o ótimo hit de 2010 do DJ e produtor francês Martin Solveig, com uma necessária ajuda vocal da banda canadense Dragonette. A música estourou loucamente nas pistas de todo o mundo na época e entrou em trilha sonora de games, séries e filmes de modo avassalador, mas que ultimamente andava quietinha.

“Ted Lasso” foi lá e fez isso com o antigo hit de Solveig.

>>