Em Blog:

CENA – Com lambada indie e o insólito duo promissor 2DE1, festival de música e arte CRIA acontece em SP em setembro

>>

popload_cena_pq

2de1

* Já teve em seu palco o ótimo grupo goiano Carne Doce, recebe anualmente feiras e negócios locais de São Paulo e em sua quinta edição vai contar com mais uma porção de  shows incríveis de tão diferentes entre si, fiel retrato da produção indie atual, atirando para todos os lados. Dia 24 de setembro, em São Paulo, o atuante selo multitarefas Freak arma mais uma realização do Festival CRIA, tendo como destaques, entre várias atrações confirmadas, dois duos insólitos: o festeiro alagoano Figueroas e o talentosíssimo paullista 2DE1 (foto acima).

Num misto de evento cultural e festival de música, a junção de conceitos do Freak, o CRIA, abreviação CRIAtiva (hummm) de Coletivo de Realização e Criação Artística, chega novamente à Casa das Caldeiras e, entre feira gastronômica, feira de discos, exposições, workshops e oficinas, faz rolar ainda shows da nova cena indie para ficar de olho. Raça, Garotas Suecas, Mel Azul, Marcia Novo, 2DE1 e Figueroas estão fechados para atuarem na parte musical da tarde de domingo.

Das bandas, fica um destaque especial para a dupla 2DE1. Formado em Santos, o duo de MPB com toques R&B e uma pitada de eletrônico lançou seu primeiro álbum em 2017 e já chamou atenção não só pela pinta diferentona que tem nos vídeos e ao vivo, mas também pelas ótimas músicas e arranjos. Outro ponto para destacar é que a 2DE1 é formada por irmãos gêmeos, Fernando e Felipe, um hétero e outro gay, que decidiram usar a música para quebrar, com muita classe, o normativismo do que a maioria das pessoas entende por amor.

De Alagoas, Figueroas é outra atração para bagunçar conceitos na nova música. Com dois discos lançados, sua lambada quente fez até indie dançar e fã de hardcore bater o pé. Descoberto pelo famoso selo capixaba Laja Records, a dupla formada por Givly Simons e Dinho Zampier lançou seu primeiro disco em 2015 com o título de “Lambada Quente”, em 2016 divulgou um EP em espanhol e, mais recentemente, um novo álbum, o animado “Swing Veneno”.

Meio com a cara de mini-Picnik (o famoso festival do Distrito Federal), o Cria vem misturando mais uma vez um pouco dos braços do mercado criativo local, da música até os menores e mais artesanais negócios de viés independente. Como dizem eles, uma junção de crias, criadores e criaturas.

Mais informações sobre o festival podem ser encontradas em seu evento oficial no Facebook. Um vídeo com um pouco da edição passada pode ser conferido logo abaixo também:

>>

Novo vídeo do Queens of the Stone Age faz Josh Homme dançar. E também passar por uma cirurgia DE VERDADE!

>>

210817_qotsa2

Apesar de estar entre nós há algumas semanas, “Villains”, sétimo e novo disco do Queens of the Stone Age, será lançado de forma oficial na próxima sexta-feira, 25 de agosto. Do álbum, também oficialmente, saiu o vídeo de “The Way You Used to Do”, que tem o Josh Homme dançando, mas está desde o final de semana restrito apenas para usuários da plataforma Apple Music.

Os passos dançantes renderam a Josh Homme, além do vídeo cool para uma música linda, uma… cirurgia. Em entrevista publicada pelo New York Times e replicada pelo jornal inglês Independent no fim da tarde desta segunda-feira, o vocalista do grupo, de 44 anos, começou falando: “eu deveria estar na cama”.

Foi aí que ele contou que precisou passar por uma cirurgia de menisco no joelho direito, fruto das cerca de 16 horas nas quais fez esforços nas dancinhas do tal vídeo, tentando evocar o Cab Calloway, segundo o próprio Josh. Agora está explicado o “due to injury” evasivo que a banda utilizou para “explicar” o cancelamento do show no festival Outside Lands, no início do mês. Antes, Josh havia aparecido utilizando uma bengala, evitando jogar o peso do corpo sobre a perna afetada.

210817_joshbengala

As coreografias e o direcionamento mais dançante são obras do produtor inglês Mark Ronson. Para o vídeo, foi convocado o diretor Jonas Åkerlund, que já fez vídeos com Beyoncé, Lady Gaga e Madonna. Olha o naipe.

Na mesma entrevista, Josh contou que esse revigorada no som potente do QOTSA foi intencional. “O plano era deixar de lado as coisas que fazíamos, como as reverberações sujas, e direcionar para as guitarras tocadas diretamente na mesa de mixagem. Quando os vocais somem, entram os teclados. O Ronson é focado no ritmo e nós queremos ver as pessoas dançarem. Vamos deixar as coisas acontecerem sem razão. Porque não ter razão é a razão perfeita”.

O Queens of the Stone Age vai retomar os shows no início do mês que vem, nos Estados Unidos. A Popload contou que em fevereiro do ano que vem Josh e sua turma deverão vir ao Brasil para excursionar com o Foo Fighters.

A preview do vídeo que está na Apple Music pode ser conferida abaixo.

>>

Opa, opa. O “revolucionário” Chance the Rapper está no Lolla-maravilha, parece. Jornal afirma que a Lana Del Rey também

>>

* O que está acontecendo com esse Lolla-BR 2018, hein? Que beleza de line-up, esse que circula extra-oficialmente e a gente vem dividindo por aqui.

130717_lanadelrey_slider

A Popload teve a info agora que o incrível Chance the Rapper, ma man predileto depois do Kendrick Lamar (ok, tem o Drake), vai compor esse belo elenco de atrações que vai de Killers a LCD Soundsystem, de Metronomy a… Chance the Rapper!! e Lana Del Rey!!!

Na semana passada, o jornal “Destak” divulgou que a musa Lana Del Rey vem ao Lola-BR, em informação de José Norberto Flesch. Nossa diva favorita está na estrada para divulgar seu mais recente disco, “Lust For Life”, lançado no fim de julho. O projeto tem 16 músicas novinhas e ainda convidados especiais da linha de The Weeknd, Stevie Nicks, Sean Lennon e A$AP Rocky. Nesta semana, Lana faz shows em Liverpool e Glasgow.

210817_chance_slider

Já o Chance the Rapper é personagem digno de reflexão. Ano passado, ele lançou sua terceira mixtape na carreira, “Coloring Book”, e foi parar na primeira posição da Billboard só com os números de streaming, tipo de divulgação que aparece nas paradas americanas, com aferições científicas através de Apple Music, Youtube e Spotify desde o final de 2014. Ele foi o primeiro artista a conseguir o feito e, claro, deu um nó na cabeça de todo mundo sobre o jeito de se fazer música nos tempos modernos. Ou no futuro.

Esse tipo de medição de “audiência” de música ainda causa um pouco de polêmica, mas o X da questão é que esse “Coloring Book” não podia ser baixado em nenhum lugar, porque o Chance the Rapper fez tudo sem um auxílio de gravadora, corroborando com um pensamento de uns anos atrás em que o próprio explanou para a Rolling Stone, dizendo que não tinha sentido algum ter vínculo com alguma gravadora, justificando que só porque ele não vou venderia, não significaria que não se tratava de um lançamento oficial.

O Lollapalooza 2018 terá três dias de duração e acontecerá no fim de semana dos dias 23, 24 e 25 de março, em Interlagos.

>>

St. Vincent entrega títulos de algumas músicas novas e toca a inédita “LA” no Japão. Temos “New York” também

>>

Foto: @ciscoswank

Foto: @ciscoswank

Aos poucos, o mundo indie volta a sentir o cheirinho delicioso da música de Annie Clark, aka St. Vincent, uma das divas indies que mais amamos.

A cantora, que retomou os shows recentemente, contou em entrevista ao jornal britânico “The Guardian” que seu novo disco está em fase de finalização, mas não informou o nome nem a data de lançamento. De novidade, a cantora contou que as canções “Hang on Me”, “Smoking Section”, “Sugarboy”, “Pills” e “LA” estarão no projeto.

Perguntada se um dos temas do álbum seria a sua relação com a ex, a atriz Cara Delevingne, St. Vincent foi algo evasiva, mas deu a entender que sim. “Não posso deixar de viver e também registrar o que está acontecendo, sempre tentando transformar isso em música. E isso não significa que haja verdade literal em cada letra que escrevo. Mas, só posso escrever sobre minha vida e ela foi uma grande parte da minha vida. Eu não ultrapassaria os limites, até porque as pessoas interpretariam do jeito delas, e o que elas pensarem, podem classificar como algo certo. Mas, ao mesmo tempo, poderia ser tudo errado”, contou. Detalhe fofoquístico, Cara Delevingne estava vendo a ex presente futura Annie Clark, a St. Vincent, láááá no Japão.

Uma das músicas citadas por Annie, “LA”, foi mostrada pela primeira vez neste final de semana durante o festival japonês Summer Sonic. O registro pode ser conferido a seguir. Na sequência tem o “outro lado” dessa música nova, que é o single recente “New York”, gravado pela correspondente argentina da Popload em Tóquio, a Daniela Swidrak. St. Vincent, pelo menos no Japão, tocou sozinha. Apenas acompanhada de sua guitarra. Ela se apresentou na madrugada, na versão noturna do festival japonês. O vídeo de “New York”está embaçadinho, por problema no envio de celular. Mas o áudio está lindo que é uma beleza.

Então, primeiro “LA”, depois “New York”.

https://konakonami10.tumblr.com/post/164393702498/im-crying

>>

Radiohead versão duo toca raridades na Itália. E, ainda, o show completo da banda toda no Lollapalooza de 2016

>>

Foto: ellysisland

Foto: ellysisland

O Radiohead fez um show em rara versão duo na noite de ontem, na Itália. Thom Yorke e Jonny Greenwood tocaram em um evento beneficente em Macerata, em suporte para a região de Le Marche, que foi atingida por um grande terremoto ano passado e é local afetada constantemente pelos abalos.

Na apresentação, transmitida ao vivo por um fã pela internet, Thom e Jonny aproveitaram a ocasião especialíssima para tocarem músicas que são pouco usuais nos setlists do Radiohed, tiop “Faust Arp”, “A Wolf at the Door”, que não era tocada desde 2012, e ainda “Follow Me Around”, que nunca foi lançada oficialmente.

Em outra frente, a banda inglesa liberou em seu canal no YouTube mais uma apresentação (não tão) recente, do show realizado no Lollapalooza Chicago do ano passado.

As duas apresentações podem ser conferidas abaixo.