CENA – Black Alien lança um hip hop sobre o rock, com guitarra e tudo

1 - cenatopo19

* Dono de um dos discos mais legais de 2019 da CENA nacional, o “Abaixo de Zero: Hello Hell”, o veterano e versátil rapper Black Alien, que um dia integrou o Planet Hemp, fez parcerias díspares como Paralamas, Sabotage e Dead Fish e já teve banda de reggae, estreou em 2020 faltando três semanas para o ano acabar. Mas estreou apontando o futuro.

Captura de Tela 2020-12-09 às 6.01.57 PM

O rapper não só fez ontem uma live ontem em seu canal de Youtube, desfilando a força de suas rimas, como lançou um novo single, a sensacional “Chuck Berry”, sobre várias coisas, mas inclusive sobre isso mesmo: rock.

O vídeo de “Chuck Berry” é demais. Tem parede de boombox, carrão e ela, a guitarra. Na letra da música, feita com o parceiro Papatinho, diz, em nome de Little Richard, Berry e de um protagonismo do povo preto, que não é Elvis o rei do rock.

Sobrou para o machismo também. “Deus é Mãe, e Ela é justa meu bem. O tempo é rei, mas Ela que ajusta também”, está no refrão.

A música, para Black Alien, é uma terapia avançada. “Sou eu remoendo meu lixo, limpando meu jardim interno e andando para frente.” Em “Chuck Berry” ele segue se autoanalisando: “Eu e meu Karma, qual dos dois é o mais cretino, enfim?

A gente tem discutido aqui essa história de um resgate do protagonismo da guitarra, principalmente em outros gêneros, principalmente ainda no hip hop. A bombada rapper americana Megan Thee Stallion se apresentou recentemente em premiação americana, ao vivo, botando guitarra em seu principal hit. O instrumento aparece de “pele e osso” aqui no vídeo de Black Alien, que veste camiseta da banda metal Exodus em cena. Só olhar abaixo.

***

* Na grande estreia na semana passada, aqui na Popload, da parceria de alma indie pop com a newsletter “Semibreve”, da brilhante mineira Dora Guerra, o novo futuro da guitarra foi o grande destaque. Na “SEMILOAD”, seção que se pretende fixa às sextas-feiras neste espaço, Dora ponderava que, para alguém de sua geração (ela tem 22), “de tanto ouvir riff de guitarra em mp3 ilegal, o ouvido cansa. E não é à toa que, poucos anos depois, a guitarra rocker foi sumindo, muito por conta de fenômenos como kpop, jpop etc. Até que, em 2020, pandemia e tudo, o instrumento parece voltar. Leia a análise aqui, para entender mais o que a Dora e a Popload acham. Mas, principalmente, saque o instrumento ali, no vídeo e como tema do novo single de um cara do quilate de Black Alien. Tem coisa séria nisso aí.

>>