Drake bota Jay-Z e Lil Wayne, conecta com as artes plásticas e desenterra “I’m Too Sexy” em “Certified Love Boy”, disco lançado hoje

>>

* De cara, uma das melhores músicas do discão que o rapper canadense Drake soltou hoje, é “Way 2 Sexy”, com peso pesados na participação especial como Future e Young Thug. Ela está no já famoso “Certified Love Boy”, da capa artística polêmica para estes dias, sexto álbum do Drake, outro da linha anunciado-adiado-anunciado-adiado, que finalmente saiu.

“Way 2 Sexy (with Future & Young Thug)” é baseada e ainda traz sample no começo de “I’m Too Sexy”, sucesso pop monumental do duo de brothers ingleses Right Said Fred, do comecinho dos anos 90, com letra e vídeo musical tão bom e pop quanto divertido.

Claro que Drake leva o hit do Right Said Fred para um outro lugar, mas essa desencavada do canadense para “I’m Too Sexy” é muito oportuna para lembrarmos o tamanho de uma boa canção despojada num mundo zoado.

“I’m too sexy for my shirt/ Too sexy for my shirt/ So sexy it hurts” é uma das frases marcantes da música dos irmãos ingleses, que em 1991 foi número 1 na Inglaterra, nos EUA e no Japão. Para você sentir o tamanho da música, que andava adormecida, o Right Said Fred foi a primeira banda inglesa a botar uma canção no topo da “Billboard” americana desde os Beatles. A canção fez parte de trilha de 40 filmes e seriados de TV, como os “Simpsons” no auge.

Com Drake, “I’m Too Sexy” ganha tratamento hip hop marrento e uma daquelas batidas grave fortes típica do rapper, para virar “Way 2 Sexy”.

“I’m too sexy for this chain
Too sexy for your gang
Too sexy for this fame, yeah, yeah
I’m too sexy for the trap
Too sexy for that cap
Too sexy for that jack, yeah, yeah”

“Certified Love Boy”, este novo do “amigão” do Kanye West, tem ainda nas colaborações as presenças de Travis Scott (“Fair Trade”), Jay-Z (“Love All”) mais 21 Savage, Lil Baby, Lil Wayne, Ty Dolla $ign e Kid Cudi entre outros. Coisa muito séria.

Na quarta passada, dois dias atrás, apareceram enormes cartazes de Drake em muitas cidades dos EUA, Canadá e até na Nigéria, anunciando quem eram os convidados de “Certified Love Boy”. Em Nova York, um luminoso gigante na iluminadaça Times Square dizia “The Goat”, um dos apelidos de Jay-Z.

Unknown

A capa de “Certified Love Boy”, a dos 12 emojis de mulheres grávidas, causou muito buchicho nas redes, quando mostrada no começo desta semana. Quando apresentada, sem muitas explicações, a capa sugeria ser um desenho do polêmico artista plástico inglês e colecionador milionário Damien Hirst. A capa veio com um aviso “1 de 2 por Damien Hirst” e induz uma parceria entre os artistas cananadense e inglês, com uma outra obra vindo por aí.

drake

Entre os babados do disco novo do Drake está a música “No Friends in Industry”, que diiiiiiiiizem ser direcionada ao desafeto Kanye West.

No friends in the industry/ My brothers been my brothers, man, you n‘s ain’t no kin to me, a fact (Woah)/ … / I had to draw the line between my brothers and my enemies, a fact N‘s love to start the beef, don’t wanna keep it rap/ Yeah, he hit us up and now we owe you something back”. “Beef”, termo no hip hop popularizado pelo grande 50 Cent anos atrás para designar treta, talvez nossa “bifa”, é o apelido da guerrinha travada por Kanye West com Drake.

>>