Indie BR ao vivo: O Terno, Stela Campos e Wry em SP; Aldo em Belém; Boogarins em Nova York

>>

* Os últimos dias foram bastante agitados para a cena independente nacional, no que diz respeito a performances em cima de palco. Aqui e ali. Tome tento.

** Na sexta-feira, o grupo paulistano sessentista O Terno fez no Auditório do Ibirapuera o show do seu segundo disco, chamado “O Terno”. Pelos ingressos esgotados (600) e o agito na plateia dá para perceber o grau de expectativa por esse sucessor de “66”, o elogiado álbum de estreia. Temos IBAGENS do show no Ibirapuera com cenário paulistano e tudo. Fotos de Daniela Cuchiarelli.

Ah, e “O Terno”, de O Terno, já está em free as a bird para baixar gratuitamente em seu site oficial.

3 - IMG_6945

5 - IMG_6888

**Também na sexta-feira, mas lááá em Belém do Pará, entre várias grandes atrações pequenas o Festival Se Rasgum recebeu o show da banda Aldo, de São Paulo, indie-disco-punk que é predileto da casa. Uma musiquinha do concerto sempre cheio de energia do Aldo, quase um LCD Soundsystem revisitado, pode ser vista e ouvida abaixo.

** Já no sábado, a Casa do Mancha, o incrível espaço de shows na Vila Madalena, também tinha grande público. Tudo bem que lá 30 pessoas já é um grande público. Era para ver os heróis do indie sorocabano Wry, armada classe A que habitou a música underground brasileira de 2002 a 2009 e agora volta à formação original. O Wry está para anunciar uma turnê nacional. E, abaixo, o Wry em ação tocando a bonita “Cancer”.

** No domingo, a estilosamente versátil Stela Campos, conhecida voz e guitarra da cena paulistana, fez show no Sesc da Consolação, em São Paulo. Em novembro, Stela, que já foi de banda à la Sonic Youth a homenagem a Luiz Gonzaga sem perder a ternura indie, lançou seu quinto álbum, o inspirado “Dumbo”. Em vinil também, porque Stela Campos sabe das coisas. Deste disco, temos a performance de “Be a Bad Son”, ao vivo no Consolação.

Stela Campos: Be a Bad Son @ Sesc Consolaçao from Estúdio Varanda on Vimeo.

** Semana passada, em Nova York, os internacionais de Goiânia, mais conhecidos como a banda psycho-indie ou indie-country ou psycho-country Boogarins (Popload Festival em novembro), fizeram uma coisa que não é para qualquer um, dada a sua jovem relevância na música brasileira. Tocaram em Nova York. E ainda por cima abrindo para os semideuses do Guided by Voices, veterana banda de Ohio, do grande Robert Pollard. Tudo bem que quando os Boogarins deixaram o palco do Paramount nova-iorquino depois de tocarem as musiquinhas do seu excelente disco de estreia (“As Plantas Que Curam”), o GBV subiu para tocar 50 músicas e fazer três retornos para bis. Normal. Temos só imagens do Boogarins em Nova York. Eles precisam botar alguém para filmar esses shows gringos tudo, para a gente ver daqui.

Photo by Greg Cristman | www.gregCphotography.com

Photo by Greg Cristman | www.gregCphotography.com

Photo by Greg Cristman | www.gregCphotography.com

As fotos todas do Boogarins em NYC são de Greg Cristman e saíram no blogaço Brooklyn Vegan.

>>