Live da Billie Eilish: espetáculo visual e sonoro sobe o sarrafo dos streamings e manda a mensagem “Não existe música num planeta morto”

>>

Captura de Tela 2020-10-26 às 10.51.37 AM

* Um streaming ao vivo que parecia uma série de vídeos oficiais de última geração, um colado ao outro. Imersão estonteante com cenários digitais abusando de realidade estendida e ambiente 3D que não deixavam os fãs dispersarem como geralmente as lives deixam. A mais esperta interação com os fãs, seja na facilidade para comprar seu merchandising, na conhecida “técnica NBA” de botar público projetos para dentro da transmissão, conversa em tempo real com a galera, aplausos “reais” ouvidos e uma ação pré-streaming com vídeos em que ela respondeu pergunta da galera. E, claro, suas músicas muito boas. E seu importante posicionamento político, para quem tem 18 anos e sabe a geração que move.

Billie Eilish elevou demais a barra das transmissões em streaming que tem aliviado um pouco os fãs de música de ter contato ao vivo com seus ídolos em tempos enclausurados, depois desta “Where Do We Go? The Livestream”, seu show online que rolou sábado à noite e foi retransmitido pelo domingo inteiro para quem comprou seu ingresso de US$ 30.

Cores, recursos visuais artsy, a sempre presente aranha gigante, imagens de queimadas florestais e outros desastres ambientais tão em voga em países com desastres administrativos, estimulo ao voto americano na eleição presidencial que vem aí (“Trump é o pior de todos”) e conversas com o público. “Where Do We Go? The Livestream” foi um espetáculo de som e imagem, para quem viu na tela do celular ou em projeções em telão (tem no Youtube bastante vídeos de fãs gravando sua própria experiência ao ver o streaming da Billie Eilish). Isso sim é realidade estendida.

Abaixo, o setlist do show de uma hora. Algumas coisas vão escapar ao Youtube, outras não (por enquanto). Então aproveite enquanto dá. Se não der este, está sempre aparecendo na plataforma. Depois some. Depois volta.

Nosso hightlight: “All the Good Girls Go To Hell” embalada pelas questões ambientais e com a frase final “No Music on a Dead Planet”; o luar e as estrelas em “I Love You”; nadando com a Billie e os animais marinhos em “ilomilo”; a aranha em “You Should See Me in a Crown”; com a galera em “Everything I Wanted”; “My Future”e “Bad Guy” para encerrar.

https://youtu.be/wVbxswr3-OY

Billie Eilish Setlist Private Venue, Unknown City, USA 2020

>>