Popnotas – Lá vem a Lizzo com música bombástica nova. O Macaco Bong, o “Bacurau” e a master chef. E já sobre o Coachella 2023

>>

* Sdd da Lizzo? Pois a cantora americana, rapper e flautista também, chega no dia 13 aos nossos ouvidos provavelmente mais uma vez com uma de suas músicas arrasa-quarteirão. Chama “Rumors”, tem aquela coisa do pré-save disponível e é o primeiro som dela neste ano, já apontando para o histórico show que ela fará no dia 4 de setembro no enorme festival Bonnaroo. Histórico porque vai ser a primeira vez que uma mulher vai ser headliner do evento de Manchester. Manchester, Tennessee, claro. Será o começo de muitos rolês de Lizzo (foto na home) em 2021. Vamos estar aqui de olho nela.

* O bombadaço rapper, cantor e uns outros atributos importantes Frank Ocean vai ser o headliner do Coachella 2023, vai ser anunciado em breve. Segundo o jornal californiano “Los Angeles Times”, o artista vai pular a edição do ano que vem do festivalzão do deserto, marcada para acontecer em abril. Ocean ia encabeçar um dos dias do Coachella de 2020, que nunca rolou você sabe por quê. Os outros que estavam no topo do line-up do ano passado, a banda Rage against the Machine e o rapper Travis Scott, estão mantidos para 2022. Um novo headliner, para o lugar de Frank Ocean, também vai ser anunciado nesta pacoteira coachelliana de avisos importantes.

* CENA – Depois de três anos sem dar as caras, o trio Macaco Bong, instituição instrumental do rock brasileiro desde 2004, quando foi formada pelo guitarrista Bruno Kayapy na quente (mesmo) Cuiabá da época, acaba de lançar um single inédito. A faixa chama “Hacker de Sol” e vai estar no próximo álbum do grupo, “Mondo Verbero”, que sai ainda em 2021, sem data certa ainda (via selo ForMusic Records). Hoje o Macaco Bong traz Kayapy como membro original ainda Eder Noleto na bateria e Igor Carvalho no baixo, os dois de Cuiabá, embora o fundador da banda já tenha fincado o pé em São Paulo. “Hacker de Sol” é inspirada no filmaço “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. “O filme me trouxe uma narrativa que eu estava justamente buscando na sonoridade deste álbum. A vibe do sertão nordestino com um estilo de psicodelia que mistura o jazz, blues, desert rock com dub, R&B, música brega, forró e frevo recheada de melodias polifônicas e sequências de acordes e riffs mântrico através de uma linha de som mais minimalista”, explica Kayapy. A arte do single e a do álbum novo é da premiada chef, estrela de TV e roqueira Helena Rizzo, mulher de Kayapy.

>>