Sangue na cara e metal zoado. Sim, Andrew WK está de volta, com novo single, vídeo, álbum

>>

AndrewWK

* O estouro do novo rock em 2001, com os Strokes e a bombação de Nova York como a capital da porra toda, trouxe à tona a malucaça figura do sujeito chamado Andrew WK, que lançava naquela onda o disco de estreia “I Get Wet”, com capa proibida na Europa por causa de uma foto de sangue escorrendo por suas narinas, passando pela boca e chegando ao pescoço, sugerindo, os europeus achavam, que as linhas cheiradas tivessem dado ruim.

No disco, no som, uma mistura de metal com o punk quase dance da época, mais um vigoroso vocal, tinha como missão incendiar a cena e pregar a cultura da balada forte, sem hora para acabar. Em todo o contexto daquela nova revolução musical, mais a o choque com o electroclash e o dance punk que sacudia o trecho Manhattan-Brooklyn, “I Get Wet” e os famosos shows exagerados de Andrew WK eram o verdadeiro “espírito da época” e tudo era incrível.

Bom, a coisa mudou muito de lá para cá, o espírito daquela época se dissipou total, o mundo deu uma girada e chegamos a 2021 pós-pandemia, com um novo lançamento de álbum do figuraça Andrew WK, ainda com a ideia fixa da balada sem limites, mas agora envolvendo Deus nela. O primeiro desde 2018. O segundo em uns 12 anos.

“God Is Partying”, o sexto álbum dele, sai dia 10 de setembro e pode ser colocado na parte heavy metal de sua prateleira de discos sem ligações com novos rocks ou dances-punks de outrora. Lembra Black Sabbath quando o vocalista era o Ronnie James Dio quando é bom, ou o Massacration quando você lembra que quem está no comando é o Andrew WK.

Para ir celebrando a chegada do novo disco, WK soltou o single “Everybody Sins”, todo mundo peca é a mensagem divina dos festeiros. Que tem um vídeo que talvez seja um resgate da vibe lá dos anos 2000 para o cantor: cenas de horror, muito sangue na cara.

Andrew WK cabe nestes novos anos 20, será?

>>