Em absolute radio:

Weezer manda quatro clássicos em session ao vivo para rádio inglesa

>>

* No dia 16 e 17 de abril (já explico) agora a banda californiana Weezer vai fazer uma transmissão de live da absurda sala de concertos do Walt Disney em Los Angeles. A banda de Rivers Cuomo vai ser acompanhada da Los Angeles Philharmonic Orchestra e também da Youth Orchestra Los Angeles, para você sentir a dimensão da coisa.

Na performance estarão músicas do novo álbum, “OK Human”, lançado no final de janeiro, misturadas aos clássicos indies da banda. O livestreaming vai cumprir aquele padrão de três horários diferentes para acomodar a agenda de fãs do mundo todo, geopoliticamente falando.

O ticket é pago, custa 20 doletas e pode ser comprado aqui. Rcomendado para brasileiro é comprar o ingresso no horário americano da Califórnia, o primeiro, para o dia 16. O show começaria 22h no horário de Brasília.

Falando em clássicos, e para aquecer o rolê do dia 16, o Weezer mandou quatro músicas gravadas ao vivo para a rádio inglesa Absolute Radio, que tem online e no dial. E só pedradas, no nível “Say It Ain’t So”, “Undone – The Sweater Song”, “Beverly Hills” e “Island in the Sun”.

Tudo aqui embaixo:

>>

Rádio inglesa relembra o quão bom ao vivo era o Stereophonics, em postagem, na íntegra, de show de um ano atrás

>>

Captura de Tela 2021-02-17 às 11.42.24 AM

* Uma das bandas que ajudaram, no final dos anos 90, a estender o tempo de vida do movimento britpop (para o lado bom) foi a galesa Stereophonics, do carismático vocalista e guitarrista Kelly Jones.

Alguns fatores ajudaram a criar a fama do Stereophonics naquelas priscas e lindas eras. Os shows sempre pulsantes, energéticos, que deram a credibilidade que os discos talvez não tenham dado no nível que a banda merecia. Os ótimos e radiofónicos singles cantados por gargantas entusiasmadas nos pubs, quando na happy hour os bartenders davam aquela aumentadinha no volume das jukeboxes ao grupo. E o vocal de Kelly Jones, que pareciam sempre encharcado em uísque, como se brincava à época.

O tempo, o britpop e os anos dourados do Stereophonics passaram. A banda chegou a lançar discos nos anos 2010 (o último é de 2017), mas o mojo se perdeu, o público mudou, Kelly Jones e amigos ficaram vagando na música britânica tipo zumbis, embora sua pegada de “banda boa ao vivo” nunca tenha se perdido.

Por exemplo, e eis que chegamos ao assunto principal deste post. Em 2020, exatamente um ano atrás, ainda no pré-fechamento pandêmico, o Stereophonics fez um decentíssimo e emotivo show especial no O2 Forum, de Kentish Town, no norte de Londres, para 2.300 pessoas, que concorreram desesperadamente aos ingressos, dados por uma rádio.

O show era da Absolute Radio, enorme rede de emissoras do Reino Unido, a partir de uma rádio principal e um app variadíssimo. A Absolute Radio aproveitou a enorme turnê grande que o Stereophonics fazia no período, até o mundo lacrar os clubes e arenas, e realizou esse evento com o Kelly Jones como estrela.

No aniversário de um ano deste concerto, na segunda passada, a Absolute Radio postou essa apresentação do Stereophonics na íntegra. Vamos ver?

>>

Blossoms canta ao vivo canções de Natal em session para as rádios indies da Inglaterra

>>

* Uma das grandes bandas médio-novas da Inglaterra hoje, o quinteto Blossoms, de Londres, segue a tradição brit de indiepop delicioso como quase nenhuma no Reino Unido. Tendo “rivais” como 1975 e Catfish and the Bottlemen, o Blossoms navega tranquilo nas águas do pop perfeito cantarolável e radiofónico, daquelas de se alegrar quando toca em rádio, comercial de TV, lojas de roupas de playlists próprios comuns na Oxford Street e principalmente ao vivo, quando ao vivo dar para ver, porque o show do Blossoms é bem bom.

A banda, por motivos natalinos, foi na Absolute Radio, um conglomerado de rádios no Reino Unido maaaaais ou menos no estilo da NPR americana, aqui no caso com programação distribuída para várias estações pelos rincões ingleses e escoceses via digital e pelo dial.

O Blossoms tem uma música de Natal deles próprios, chamada “Christmas Eve (Soul Purpose)”, recém-lançada num vinil de 7 polegadas de fim de ano, beneficente, com o outro lado do disco contendo a canção “It’s Going to Be a Cold Winter”, outra inédita deles.

Na session da Absolut Radio, emendaram com uma outra canção de Natal, esta conhecida, “Merry Christmas Everyone”, que foi primeiro lugar das paradas britânicas em um período destes nos anos 80, composta por um cantor galês bem famoso e hitmaker chamado Shakin’ Stevens.

Mas, claro, o Blossoms iniciou a session natalina cantando um sucesso mellow deles, a deliciosa “Your Girlfriend”, música do terceiro álbum da banda, “Foolish Loving Spaces”, lançado em janeiro deste ano. Lembra janeiro?

>>

O lindo Blossoms toca Oasis em session. E tudo fica muito mais claro na música inglesa

>>

Captura de Tela 2017-04-07 às 12.35.01 PM

* A última melhor banda nova inglesa do mundo, todos sabemos, é o Blossoms, de Stockport, a “Osasco de Manchester”. O quinteto, fã de Beatles e Arctic Monkeys com a mesma voracidade. Tiveram o lindo disco de estreia lançado no final do ano passado, “Blossoms”, e chegaram no número 1 do chart inglês, na época na frente do Drake.

Fizeram no Glastonbury do ano passado um show elogiadíssimo e neste ano estão cogitados para tocar, apenas, no mitológico Pyramid Stage, acho que o palco mais desejado do mundo por uma banda. E, acabou de ser anunciado, eles tocam bem alto no terceiro dia do colossal Reading Festival, abaixo só de Muse e Liam Gallagher. Olha os moleques.

Recentemente, eles foram ao Live Lounge, programa de sessions cool da Radio One (BBC) e mandaram uma sensacional cover de “In Da Club”, do rapper treta americano 50 Cent, misturando no meio “Careless Whispers”, para fazer uma singela homenagem ao saudoso George Michael.

Agora eles cometeram, nesta semana, uma deliciosa session especialmente para emissora cool inglesa Absolute Radio, boa em várias mídias. Nela, tocaram quatro músicas de seu álbum, MAIS “Talk Tonight”, musicaça do Oasis, numa performance de chorar de boa. Que banda legal!

>>

Noel Gallagher, enquanto locutor de rádio, fala sobre sexo, Bowie e toca até Nirvana

>>

160216_noel2

Uma das figuras mais aclamadas e onipresentes da música britânica, Noel Gallagher foi convidado pela Absolute Radio para comandar um programa na emissora na noite de ontem.

Durante duas horas, Noel soltou suas pérolas e foi acompanhado pelo radialista Matt Morgan. Sempre com apego pelo passado, Noel baseou sua seleção em músicas antigas e tocou canções de David Bowie, Patti Smith e até Nirvana.

Nos intervalos, falou de tudo. Lembrou de sua indiferença com o disco “Be Here Now”, o terceiro do Oasis, segundo ele “um fracasso de 9 milhões de cópias vendidas”. Perguntando por Morgan se já havia gritado em alguma canção, Noel falou sobre a faixa “Fade In Out”. “Gritei uma vez. Eu e Liam gritamos. Não foi lá tão bom. Na verdade, estou fechando meus olhos agora e pensando que aquilo não foi legal”.

Sobre David Bowie, Noel citou o fato do cantor ter feito um ensaio fotográfico poucos dias antes de sua morte. “Ele fez aquelas fotos dias antes de morrer e parecia ótimo. Isso leva a crer que ele fez ‘Blackstar’ como um homem que estava morrendo. (…) Eu não sei se eu faria o mesmo neste tipo de situação, mas fico orgulhoso que ele tenha feito”.

Em outro papo nada a ver, o líder do High Flying Birds disse que nunca fez sexo a três. “Não gosto de público”, justificou. O ex-Oasis vem ao Brasil mês que vem, para o Lollapalooza.

O programa especial na Absolute Radio, que terá outros do tipo com Brett Anderson (Suede) e Bobby Gillespie (Primal Scream) como apresentadores, pode ser ouvido abaixo.

>>