Em alexandra palace:

A velha ordem do New Order ainda funciona. Banda lança disco ao vivo em 2021 de show em Londres

>>

Captura de Tela 2020-11-10 às 1.14.49 PM

* Em múltiplos formatos, em abril de 2021, a histórica banda New Order vai lançar em disco um de seus mais famosos últimos shows. O grupo de Manchester, que deu sequência colorida ao sombrio Joy Division e pavimentou nos anos 80 uma estrada conjunta do indie com a dance music, anunciou hoje que transformará em produtos sonoros-visuais a apresentação esgotada de 2018 no gigante Alexandra Palace, em Londres.

Este show em particular fez ontem exatos dois anos. Aconteceu em 9 de novembro e foi a única apresentação ao vivo do New Order naquele ano. A expectativa estava bem alta. E o suntuoso Ally Pally, que já foi residência de outono da família real ao Norte de Londres e foi dado ao povo no fim de 1800, tem capacidade para 10 mil pessoas e também é museu, galeria de arte, com gramado enorme para lazer e palco de eventos esportivos.

Desse cenário, desse show, e para esquentar o anúncio de seu lançamento, o New Order saca a performance da magnífica “Sub-Culture”, um de seus hinos, de 1985, no fantástico álbum “Low Life”.

Tipo assim:

>>

E o show espetacular do Nick Cave sozinho no Alexandra Palace, você já viu? Então…

>>

* Corre. Porque já já o link cai…

270720_nickcave2

Na última semana, o gênio Nick Cave transmitiu para o mundo, de graça, um show inédito que ele fez durante a quarentena. A apresentação, só ele e seu piano, foi registrada no Alexandra Palace, em Londres. A casa, que cabe umas 8 mil pessoas, estava completamente vazia.

A Popload conseguiu um credenciamento de imprensa e viu o show, na hora. Mas pela exibição via Los Angeles, que municiava a América Latina com o streaming ao vivo. Um show que é de Londres visto do Brasil comandado pela logística de Los Angeles. São os novos tempos do consumo de shows no mundo.

A apresentação recebeu o título “Idiot Prayer” e não está disponível no canal oficial do astro australiano. Mas a internet está aí para ser bacana às vezes e um fã postou a apresentação de uma hora e meia na íntegra. Se o link vai durar, não sabemos. Por isso é bom conferir logo.

Segundo o próprio Nick, “Idiot Prayer: Nick Cave Alone At Alexandra Palace” foi inspirado em seu projeto “Conversations With…”, um espetáculo intimista no qual o cantor interage bastante com o público, contando bastidores de sua carreira e interpretando suas canções (e também de outros artistas) na base do improviso e através de pedidos.

A apresentação do Alexandra Palace contou com belas versões de canções como Palaces of Montezuma, The Mercy Seat e, claro, Jubilee Street.

SETLIST
0:00 Spinning Song
2:35 Idiot Prayer
5:40 Sad Waters
9:33 Brompton Oratory
12:45 Palaces of Montezuma
16:32 Girl in Amber
21:18 Man in the Moon
24:27 Nobody’s Baby Now
28:32 (Are You) The One That I’ve Been Waiting For?
33:00 Waiting for You
36:10 The Mercy Seat
41:13 Euthanasia
44:11 Jubilee Street
48:56 Far From Me
53:10 He Wants You
56:04 Higgs Boson Blues
1:03:02 Stranger Than Kindness
1:06:31 Into My Arms
1:11:38 The Ship Song
1:14:49 Papa Won’t Leave You, Henry
1:19:22 Black Hair
1:22:30 Galleon Ship

>>

Show do ano? Nick Cave vai mostrar para o mundo a apresentação registrada no Alexandra Palace vazio. Só ele e o piano. Pensa…

>>

130720_nickcave2

Dia 23 de julho agora, o mundo vai parar para assistir a um show especialíssimo do gênio Nick Cave. Intitulado “Idiot Prayer: Nick Cave Alone At Alexandra Palace” registra o astro australiano sozinho com seu piano para uma performance forever alone em uma das principais casas de shows da Inglaterra.

O evento, diz o Nick, surgiu inspirado em seu projeto “Conversations With…”, um espetáculo intimista no qual Cave interage bastante com o público contando bastidores de sua carreira e interpretando suas canções (e também de outros artistas) na base do improviso.

Para dar uma aguçada neste show que tem tudo para ser fenomenal, Nick soltou um trailer de aproximadamente dois minutos, mostrando qual será a pegada do show no Alexandra Palace.

Show do ano?

>>

Popload UK Tour – BLACK KEYS ao vivo em Londres

>>

* Popload (enquanto) em Londres.

* Foi meu primeiro show na neve. Não teve neve DENTRO do lugar do show, claro. Mas sim na saída do metrô, no caminho para a casa de shows, na FILA PARA ENTRAR. Sério. Neve na cabeça, sem dó.

Visão “bonita” da fila exatamente na minha frente, esperando a conferência de ingressos dos seguranças para entrada no Alexandra Palace, em Londres, para o show do Black Keys

* Em texto meu que saiu na Ilustrada da “Folha de S.Paulo”, hoje, tentei reproduzir o que foi o primeiro dos três shows seguidos esgotadaços da dupla americana Black Keys (Akron, Ohio) em Londres. O momento dos caras no rock atual. E o que acontece com eles quando, no momento em que estão mais bombando, caem nas mãos dos ingleses. Histórico.
O texto saiu mais ou menos assim, em versão não-editada.

* Black Keys, sexta passada, Alexandra Palace, em Londres (abertura: Band of Skulls) *

Sem parecer ainda não estar entendendo muito bem o que está acontecendo, a dupla americana The Black Keys subiu sexta-passada ao palco do Alexandra Palace, em Londres, e logo começou a tocar, sem falar nada.
O lugar é um ex-palácio real transformado em casa(rão) de shows, em que cabem 10 mil pessoas. E, para ver o Black Keys, os ingleses sumiram com os ingressos há tempos, para três shows seguidos.
Sempre considerada uma espécie de antibanda, o Black Keys, dois garotos tímidos de Ohio, meio avessos ao sucesso e que usavam barbas imensas até há poucos anos, chegou para a tour inglesa saudado pela imprensa como “salvadores do rock”. Foram essas as palavras.

Duo guitarra-bateria tocando punk blues, sempre tiveram uma carreira respeitável na cena indie. Mas, depois do álbum de 2010, e principalmente agora com o sétimo, o ótimo “El Camino”, de antibanda o Black Keys virou superbanda. E isso parece estar assustando a dupla.
“Olá, nós somos o Black Keys, de Akron, Ohio”, disse o guitarrista Dan Auerbach, depois de já terem despejado umas três canções de guitarra alta e bateria vibrante na cabeça dos ingleses. “Este é meu parceiro Pat Carney, na bateria”, anunciou, como se a banda, a essa altura, precisasse ser introduzida depois de dez anos de carreira e recentes passagens por talk-shows americanos, capa da “Rolling Stone”, número 2 da parada “normal” da “Billboard”, atração top do Coachella 2012 e show em março no Madison Square Garden (NYC), com entradas esgotadas em 15 minutos.

Com uns músicos de apoio para engrossar o som ao vivo, agora para “as massas”, o Black Keys agitou o palácio inglês e provocou saltos sincronizados da platéia com blues, acredite.
Braços levantados com o punho cerrado, air guitar ocasionais, o Black Keys está numa fase de comunhão com a sua galera em que tudo está permitido.
Segundo li em algum lugar, o som da banda é perfeito em sua máxima energia, com o mínimo de extravagância.
A banda parece não estar entendendo muito bem o que está acontecendo. Mas seus fãs sabem direitinho o que é.

* Black Keys no Alexandra Palace, em Londres – Vídeos *
Vou pegar os do dia que eu vi, 9, e alguns do dia 10, porque alguém gravou em qualidade incrível. Foi tudo mais ou menos igual nos dois dias, pelo que eu li. Até a roupa deles, disseram.

>>