Em Arctic Monkeys:

Cursinho Popload! Aula de hoje: “Para gostar de ARCTIC MONKEYS”

>>

arctic_monkeys 1a

Vocês já se ligaram que, passando o ziriguidum do Carnaval, falta menos de um mês para Alex Turner no Brasil? Siiiim. Arctic Monkeys em nova fase, com novo disco e fechando a primeira noite da maratona Lollapalooza no Brasil, no dia 05 de abril.

No ano passado, um pouco antes da passagem do Radiohead por aqui, fizemos um post pensando em três tipos diferentes de leitores. Nos “especialistas” da banda, que vão um pouco além do fã tradicional, ou seja, que mergulham na discografia, sabem diferenciar fases e referências; nos fãs “intermediários”, que adoram o som, mas não se arriscam muito além dos hits; nos “iniciantes”, aqueles que acabaram de chegar, que conhecem talvez uma ou outra música e não sabem bem por onde seguir.

Criamos esta seção para que você possa se guiar na maratona de shows que teremos neste ano, começando com o super festival em Interlagos. Qual show escolher, o que ver, como se preparar, o que ouvir/estudar, etc. Didaticamente falando, é como se fosse um cursinho mesmo, dividido em três módulos, cada um com uma playlist correspondente.

*** Uma colaboração do jornalista Vinicius Felix* para a Popload. ***

Aula de hoje: ARCTIC MONKEYS

Lembra da nossa aula sobre o Radiohead? Voltamos com o nosso cursinho! E a “aula” de hoje é sobre o Arctic Monkeys, grupo liderado pelo guitarrista, cantor e compositor Alex Turner.

Vamos tentar entender um pouco mais sobre o grupo que desembarca no Brasil em abril para o Lollapalooza e já não soa (e nem se veste) mais como a banda que tocou por aqui em 2007 no auge do hype mundial dos seus dois primeiros discos ou em 2014, quando eles se tornaram enormes aqui no Brasil com o novo fôlego dado pelo sucesso do “AM”.

Embora a discografia da banda não tenha segredos, formada por seis discos que vão direto ao ponto em uma média de 40 minutos, é bom esquecermos um pouco a questão da cronologia. Nem vamos te indicar só o álbum mais fácil. Tentamos analisar o todo e fazer um bom resumo.

Entre as velozes faixas do primeiro álbum e a lentidão contemplativa do disco mais recente, o Arctic Monkeys mudou de característica muitas vezes, mas em média cada disco conseguiu produzir um material bem diverso que alterna acenos ao pop com faixas (um pouquinho mais) pesadas. Pegue aí, por exemplo, o terceiro disco deles, o Humbug. É entre as faixas mais barulhentas do grupo que está escondida a melhor e mais delicada balada deles, “Conerstone”.

Nesta pesquisa, dividimos o material da banda em três módulos: para ouvintes iniciantes, intermediários e avançados. Cada playlist tem mais ou menos uma hora e meia e tenta passar por todos os discos e lados b de singles. Mesmo com uma discografia econômica, nem tudo que eles lançaram coube nas aulas.

Sentiu falta de algo importante? Me procura lá no Twitter [@ViniciusFeIix] e a gente troca ideia. Sempre é bom lembrar que estas são dicas pra você depois se aventurar sozinho pela discografia do Arctic Monkeys.

Siga as playlists e boa aula!

Iniciante

Arctic-Monkeys 1

Para quem nunca ouviu Arctic Monkeys, a playlist iniciante te coloca perto do lado mais pop do grupo. Aqui estão todos os hits que o grupo fez desde o primeiro disco. São as músicas mais fáceis. Como estamos falando de uma banda de rock, lógico que tem peso aí também em alguns momentos. E como estamos falando de uma banda de rock inglesa, também destacamos ótimas faixas que foram parar no lado b de algum single que pouca gente se ligou.

Intermediário

arctic monkeys 2

Fala aí, você mais versado em Arctic Monkeys, que já deve ter visto um show da banda por aqui, talvez. Ou já ouviu alguns álbuns, mas nunca foi de prestar atenção em todos os discos. Eu acho que talvez você queria começar por aqui. O foco desta playlist está nas músicas que tocaram menos por aí, mas que a gente fica se perguntando a razão disso, já que algumas são até melhores que os hits ou tão viciantes quanto.

Avançado

arctic monkeys 5 K.C. Alfred

O Arctic Monkeys não é uma banda de grandes experimentalismos. Diferentemente do Radiohead, nossa aula anterior, que consegue ter 1h30 de músicas muito esquisitas, para dizer o mínimo, as músicas mais difíceis do Arctic Monkeys não são tantas e são faixas que não abandonam o formato da canção, nem os riffs grudentos ou os bons refrões. O clima aqui fica dividido entre as músicas mais pesadas da banda, as menos pop do álbum mais recente (e mais difícil) deles, alguns raros momentos de músicas mais longas da banda (que chegam até a ter falsos finais) e algumas poucas instrumentais que eles lançaram.

*Vinicius Felix é jornalista, tem obsessão por playlists e é o responsável pelo podcast Telefonemas.

>>

Matt Helders deixa o Arctic Monkeys um pouco de lado e anuncia novo projeto com Joe Carnall, com disco cheio e tudo

>>

050219_goodcop2

Sujeito que é bastante querido pelos fãs do Arctic Monkeys, o baterista Matt Helders é destes que curtem se envolver em diversos projetos.

Ele, que já tocou até com o Josh Homme na banda do Iggy Pop, agora tem um novo duo formado com Joe Carnall, do Milburn. O nome do projeto é Good Cop Bad Cop.

Puxado pelo single “Silk and Leather”, o disco de estreia anunciado hoje tem lançamento marcado para 29 de março. Logo em seguida, eles iniciam uma turnê por clubinhos do Reino Unido.

>>

Arctic Monkeys abre a temporada do programa de TV Austin City Limits tocando novas e velhinhas. Em menos de três meses, eles estarão no Brasil

>>

210119_arcticmonkeys2

Programa importante e dos mais tradicionais dos Estados Unidos, o Austin City Limits já está no ar há mais de quatro décadas e iniciou a temporada 2019 botando para tocar em seu palco nada menos que o Arctic Monkeys.

A banda inglesa fez cerca de meia hora de apresentação e tocou seis músicas, dividindo o set com três canções do álbum “Tranquility Base Hotel & Casino”, lançado ano passado, e outras três antigas, como “Crying Lightning”, que abriu a session.

Nunca é demais lembrar que Alex Turner e seus amigos virão ao Brasil em abril para tocarem no Lollapalooza, em São Paulo, e ainda um show solo no Rio de Janeiro.

SETLIST
Crying Lightning
One Point Perspective
Knee Socks
The Ultracheese
Star Treatment
R U Mine?

>>

Eba. Arctic Monkeys lança música inédita, das sessions do “Tranquility Base…”

>>

301118_arcticmonkeys2

Atração do Lollapalooza Brasil 2019, com show marcado também no Rio de Janeiro dia 3 de abril, o lindo Arctic Monkeys soltou nesta sexta uma música inédita.

“Anyways” aparece como sobra das sessions do disco “Tranquility Base Hotel & Casino”, lançado no primeiro semestre deste ano.

Além da versão digital, o single está disponível também em vinil 7″.

>>

Opa. Arctic Monkeys solo no Rio de Janeiro, nossa “tranquility base”

>>

130918_arcticmonkeys2

* Atração master do Lollapalooza Brasil do ano que vem, como a Popload havia contado, o grupo britânico Arctic Monkeys aproveita a visita para armar um show no Rio de Janeiro também, no dia 3 de abril, na Jeunesse Arena, região da Barra da Tijuca.

O grupo de Sheffield vem ao Brasil para mostrar o show do polêeeemico e bom “Tranquility Base Hotel & Casino”, disco lançado neste ano.

A venda de ingressos começa na próxima segunda-feira, 3 de dezembro, às 10h, com preços variando de R$ 160 a R$ 580. Tudo pelo site da Tickets For Fun e pontos de venda da T4F.

O show do Rio acontece na quarta-feira antes do Lollapalooza, que será realizado no fim de semana seguinte.

Vem, Alex.

preçosam

amflyer

>>