Em arthur melo:

TOP 50 DA CENA – O primeiro lugar é da Mahmundi, sim! Thunderbird entra alto, sim! Mais: as novas de Jair Naves, As Bahias, Vanguart, Aiyé, ATR, Pantera Negra

>>

* Semana passada expressamos por aqui o nosso amor explícito à CENA. Foi nossa pequena homenagem aos tantos artistas que estão em casa sem poder fazer seus shows, sem proporcionar a reunião de pessoas em torno da música, juntando velhas e novas amizades na frente de um palco, sem movimentar por trás desse palco essa importante roda da economia musical que inclui tanta gente. Mas que ainda assim estão na briga, na luta. Escrevendo, gravando, indo atrás, buscando novos meios de encarar a realidade. O tal do “novo normal” que não temos ideia ainda do que vai ser.

De alguma forma, ou de várias formas, nesta semana veio um sinal e tanto dessa turma. Mais de dez músicas ótimas novas em folha. Boas novidades. Algumas que já estão pelo top 10 e outras que se espalham pela lista. A crise se apresenta, mas ninguém se rende, não. É sobre isso.

Ouça a CENA. O mundo está difícil. mas com nossas playlists fica um pouquiiiiiiiinho mais fácil. Elas, no Deezer e Spotify, contam de um modo a história do que estamos vivendo.

3 - PHOTO-2020-06-02-19-48-34

1 – Mahmundi – “Nós De Fronte” (Estreia)
Em seu mais recente disco, Mahmundi encontra em velhos timbres um som que é totalmente novo. Seja para ela, seja para o mundo. Novo mundo. O que é o violão dessa faixa? Gravado em fita, ele transporta a gente aos anos 60, 70, enquanto todo o resto nos deixa em 2020. E bem acompanhados por Mahmundi, arrepiando em termos de voz e letra. Uau!
2 – Thunderbird – “A Obra” (Estreia)
Parece Morphine cantado por um adolescente louco. E talvez esssa afirmação seja mais literal do que parece. Afinal, estamos falando do querido Luiz Thunderbird, eterno e-VJ, já eterno agitador das várias mídias novas. Das almas mais apaixonadas por música. seja falando sobre ou aqui, em plena ação. Sabedoria e punk rock em doses corretas faz muito bem. E um disco inteiro ainda está por sair. Oba!
3 – As Bahias e a Cozinha Mineira – “Forasteira” (Estreia)
Enquanto deixa um novo disco guardado até que uma hora apropriada apareça, um EP feito nesta quarentena ilumina os dias da banda. E a bela “Forasteira” é das que mais chama atenção na boa coleção de cinco músicas.
4 – Jair Naves – “Irrompe” (Estreia)
Single de um disco que está interrompido por “motivos óbvios”, de acordo com o compositor, a faixa é uma reflexão dos novos tempos. Em um mundo zuado, qual a nossa responsabilidade com os problemas? O quanto nos permitimos ir além de um script imaginado por outras pessoas? Esta forte canção, “dramática” com todas as boas características que envolvem uma música de Jair Naves, foi feita no ano passado. Se já fazia sentido em 2019, imagina agora no meio disto tudo?
5 – Rico Dalasam – “Mudou Como?” (1)
“Mudou Como?” pode ser lida como uma música sobre um relacionamento que desandou e que ainda mexe bastante com os personagens. Quando Rico avisa que a música é sobre os “trágicos efeitos da ordem colonial”, os sentidos da letra se ampliam para muito além de um relacionamento qualquer. Precisamos ouvir e reouvir a música, uma produção de Mahal Pita pesadíssima.
6 – TARDA – “Breath” (2)
Sara Não Tem Nome, Júlia Baumfeld, Victor Galvão, Paola Rodrigues e Randolpho Lamonier formam este belo supergrupo de poucas canções lançadas, mas de ótimas canções lançadas. “Breath” é pura delicadeza e realmente serve de respiro no aperto em dias complicados. Sabe quais?
7 – ÀIYÉ – “Pulmão” (Estreia)
Velha conhecida do nosso ranking, a faixa ganhou um belíssimo vídeo. Vale ir ver. Quem ainda não ouviu o álbum de estreia da ÁIYÉ está marcando bobeira. Corre.
8 – Black Pantera – “I Can’t Breath” (Estreia)
Uma música emergencial para tempos emergenciais. A frase que marca os assassinatos de tantos jovens negros pela polícia é lembrada pela banda em um vídeo tão simples como forte. Letra seca, direta ao ponto, sob a égide do metal.
9 – Silva – “Aquele Frevo Axé” (ao vivo) (Estreia)
Em novo disco ao vivo, gravado em show de Portugal, Silva saca uma pequena joia do repertório de Caetano Veloso e Cézar Mendes, que o próprio Caetano nunca registrou em um disco de estúdio, só ao vivo. E bota ela aqui, da mesma forma. E Silva deixa a música como se fosse dele. Mas é do Caetano, imagina a “ousadia”.
10 – Vanguart – “Encontro Adiado” (Estreia)
Uma boa música que estava perdida e que casa com os tempos atuais. O Vanguart sacou essa dos tempos de “Muito Mais Que o Amor”, de 2013. Ficou de fora do disco lá, mas agora é nossa aqui.
11 – ATR – “Qué Tá Mirando?” (Estreia)
12 – Arthur Melo – “Tempo Após um Contratempo” (Estreia)
13 – Abc Love – “Catwalk” (Estreia)
14 – Sessa – “Sereia Sentimental” (3)
15 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (48)
16 – Jup do Bairro – “All You Need Is Love” (5)
17 – Gustavo Bertoni e Vivian Kuczynksi – “Louder Than Words” (6)
18 – Carne Doce – “A Caçada” (7)
19 – Tagua Tagua – “Inteiro Metade” (8)
20 – Meu Nome Não É Portugas e Apeles – “Eterno Azul” (9)
21 – Tatá Aeroplano – “Alucinações” (10)
22 – Tagore feat. Boogarins – Drama (11)
23 – Coruja BC1 – “Baby Girl” (12)
24 – Edgar – “Carro de Boy” (49)
25 – Douglas Germano – “Valhacouto” (14)
26 – Rachel Reis – “Sossego” (15)
27 – Emicida – “Who Has a Friend Has Everthing” (16)
28 – Rincon Sapiência – Quarentena (17)
29 – Ava Rocha e Los Toscos – “Lloraré Llorarás” (18)
30 – Clarice Falcão – “Só + 6” (19)
31 – YMA – “No Aquário” (20)
32 – Database – “Mandrake (Nesta onda)” (21)
33 – Mariana Degani – “Horda Mulheril” (22)
34 – Taco de Golfe – “Nó Sem Ponto II” (23)
35 – Kiko Dinucci – “Veneno” (50)
36 – Gui Hargreaves – “Praia do Futuro” (25)
37 – Clarice Falcão feat. Linn Da Quebrada (26)
38 – Duda Brack – “Pedalada” (27)
39 – Rohmanelli – “Toneaí” (44)
40 – Francisco – “Traumas” (29)
41 – Aldo – “Restless Animal” (30)
42 – Jhony MC – F.A.B. (45)
43 – Cícero – “Às Luzes” (33)
44 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (46)
45 – Djonga – “Procuro Alguém (35)
46 – Letrux – “Déjà-Vu Revival” (36)
47 – Vovô Bebê – “Êxodo” (47)
48 – Tuyo e Terno Rei – “Eu Te Avisei” (38)
49 – Troá! – “Bicho” (39)
50 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (40)

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o roqueiro Thunderbird.
*** Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix, talvez o maior estudioso da nossa CENA. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

CENA – Estilo Kevin Parker, o mineiro Arthur Melo lança a nova “Tempo Após Um Contratempo”, do disco feito todo por ele

>>

1 - cenatopo19010620_arthurmelo2

Sujeito bastante acompanhado pelo público que ajuda a formar a CENA mineira, Arthur Melo vai lançar na próxima quarta-feira seu novo e terceiro disco de estúdio. O título: “Adeus”.

O projeto é baseado na melancolia de um fim de um romance – o do próprio cantor, no caso – e aborda solidão, perdas e fantasmas do passado, tudo traduzido em um folk que às vezes beira a psicodelia.

Inspirado nas canções brasileiras dos anos 1960 e 70, mas também bebendo na fonte do folk “velho” de Bob Dylan, Joni Mitchell e Neil Young, porém também passeando no folk “novo” e freak de Devendra Banhart, Melo lança via Popload o quarto e último single antes de conhecermos o disco cheio.

“Tempo Após Um Contratempo” sucede as também boas “2012, o ano bege”, “Letargia” e “Adeus”, e está disponível no final do post.

“Adeus” tem 14 canções no total, todas compostas, arranjadas, tocadas e produzidas pelo próprio Arthur Melo, que assina até a identidade visual. A captação, mixagem e masterização também foram feitas por ele. “Ao estilo Kevin Parker”, faz questão de mencionar.

>>

CENA – Misturando Minas e ruas europeias, Arthur Melo lança seu segundo álbum, o não planejado “Metanoia”

>>

1 - cenatopo19

Arthur contou com o auxílio do músico Pedro Theodoro, ex-Young Lights, na gravação e produção do disco. Foto: Matheus Cimini

Arthur contou com o auxílio do músico Pedro Theodoro, ex-Young Lights, na gravação e produção do disco. Foto: Matheus Cimini


 

PREMIEREPOPLOAD
Nome conhecido na CENA mineira, Arthur Melo lança via Popload, em primeira mão, seu novo disco “Metanoia”, projeto que mostra um lado mais visceral do cantor e compositor de Belo Horizonte, embora o álbum não tenha sido propriamente planejado.

Gravado em praças, parques e bares de Portugal e Espanha (!), “Metanoia” conta com participação direta do músico Pedro Theodoro, percussionista e ex-baterista da também banda mineira Young Lights. A parceria surgiu a partir de uma turnê que Arthur e Pedro fizeram pela Europa em julho deste ano.

De última hora, eles resolveram levar para o rolê equipamentos de gravação e microfones para musicarem composições de Melo. Daí, simples assim, surgiu o disco.

No total são 10 canções que captaram os momentos da dupla, com participações de amigos que os dois fizeram durante a viagem, para dar um ar ainda mais despretensioso e espontâneo para o disco.

Diz o Arthur que “Metanoia”, o nome, representa a viagem como um todo, uma mudança sobre a forma de ser ver diversas coisas, entre elas a ideia de se construir um disco sem um planejamento mais complexo e convencional.

Este é o segundo álbum de Arthur Melo, que lançou ano passado o bom “Nhanderuvuçu”. A produção, mixagem e masterização ficou por conta do Pedro. E a audição em primeira mão pela Popload. Enjoy!

METANOIA – TRACKLIST
1- Tejo
2- Aroma
3- Solitude
4- Entre os Dias
5- Socorro
6- Olha o Que a Cidade Fez Comigo
7- Cambio
8- Una Canción
9- Normal
10- Albano

>>