Em asteroid:

CENA – Circadélica “sextou” em noite não-normal no Asteroid, com Boss in Drama, FingerFingerrr, The Shorts e mais

>>

popload_cena_pq

* Popload em Sorocaba. Já vi o Palmeiras ganhar uma e empatar outra com o São Bento, aqui. Tô invicto na cidade!

IMG_4521

Ontem, no clube Asteroid, foi a última noitada pré-festival no picadeiro. Dos que o #MQN20 me deixou ver, a banda paulistana fez um show truncado mas efetivo, trabalhando os silêncios e paradinhas (e falta de luz) com punk rock desgraceira, fazendo a molecada bater cabeça no clube do Wry. Antes, The Shorts, de Curitiba, fez um show estranho no melhor dos sentidos. A banda às vezes não combina: a vocalista parece a Debbie Harry testando o alcance da voz o tempo todo. A dança (o balanço) dela não combina com a música que está sendo tocada e isso vira charme. A baterista parece que está tocando no Nirvana, enquanto as guitarras e o baixo estão levando o som para um indie mais Pavement, trabalhadinho, menos grunge. Nada combina, tudo combina. Depois de tudo, o charmoso Boss in Drama fez a pista dançar com o bum bum tam tam até o chão eletrizando MC Fioti. Isso numa noite que começou com a poesia punk experimental sorocabana do Her (o termo não é meu) e seguiu com o Herod (SP) kraftwerkizando o Asteroid. Não foi uma noite simples. Os manos da versão pista do Trabalho Sujo fecharam a bagaça.

her2

Her

herod

Herod

shorts1

The Shorts

pericles

Boss in Drama

noites trabalho sujo

Noites Trabalho Sujo

* As fotos deste post e a do FingerFingerrr na home são de Fabrício Vianna.

>>

CENA – Sorocaba urgente!! Teve Circadélica Festival ontem. Vai ter hoje. Mas começa amanhã

>>

popload_cena_pq

* Popload em Sorocaba.

IMG_4521

Erramos. O Circadélica 2017 não começa amanhã, como afirma o post anterior, haha. ELE JÁ COMEÇOU ONTEM. E tem hoje ainda.

Em caráter de pré-festival, ou de festas de lançamento do festival, Sorocaba assiste no bacaníssimo clube Asteroid, um dos principais palcos indies fora de São Paulo, as noitadas de abertura do Circadélica.

IMG_4488

Ontem, no Asteroid, a ótima banda local The Name abriu a noite, a Popload DJ set continuou a festa com sons instigantes (rá!) e a carioca Mahmundi suingou linda no final. A prova está aqui embaixo.

_FAB9591

_FAB9654

* Hoje o heavy-opening do Circadélica segue intenso no Asteroid. A balada forte tem shows dos curitibanos Boss in Drama e The Shorts, o punk sujo-imundo hip hópico do paulistano FingerFingerrr, o local Her (Henrique Ravelli) e o pós-rock do Herod (SP). O parça Noites Trabalho Sujo (Alexandre Matias) mete um som na night.

Vamos estar lá para ver o que vai acontecer.

** As fotos da minha pessoa linda e da linda Marcela Mahmundi são de autoria do circadélico, poploader e local Fabrício Vianna.

>>

Medo e delírio em Sorocaba. A volta do Wry

**

Para uma certa população indie da cidade de Sorocaba, interior de São Paulo, a “Manchester brasileira”, foi tipo a volta dos Smiths ou do Oasis (para ficar no assunto em Manchester).
A banda indie brasileira Wry, que já viveu sua aventura londrina, voltou à ativa, e em definitivo, no último sábado, em show no tradicional clube sorocabano Asteroid, que por sinal pertence à metade da banda. Havia quatro anos o Wry não tocava, porque o grupo acabou e virou clube. E porque alguns integrantes resolveram não morar mais em Sorocaba.

FAB_7326

Teve de tudo, foi o que nos contaram de lá do Asteroid, no sábado: faixa inédita, participações especiais e canções da antiga e “nova” fase banda. Contando com todos os integrantes que passaram oficialmente pelo grupo (Mario Bross, Lou Marcello, Chokito, Renato Bizar e André Barbosa), o Wry tocou ao todo 20 músicas, um repertório de quase duas horas, de uma banda que foi de 2002 a 2009, se aproximou de caras como Tim Wheeler (da banda Ash) e Gordon Raphael (produtor do primeiro disco dos Strokes) e teve festa fixa em Londres.

O relato ouvido da galera de Sorocaba foi nada menos que “nostalgia e euforia” da banda e do público. Chegaram a dizer que: “Demorou algum tempo até cair a ficha e todos entenderem que estavam diante ali de uma das bandas mais influentes do cenário underground nacional. O público, tímido no começo, se soltava e ia ao delírio a cada nova introdução”.

Olha o Wry aí!

FAB_7297

**

Eles estão aqui: Os Yugoslavos

>>

* Duas coisas me fizeram gostar de cara desse CDzinho da banda Yugoslavos que eu recebi no final de 2012, logo depois que os caras estrearam uma POPLOAD SESSION, em outubro. Uma delas é que, num primeiro momento, a faixa 1 parecia o Supla cantando em cima de uma música dos Strokes. Hehe.

O quinteto Yugoslavos é de Sorocaba, a “Maaaaaaaanchester brasileira”, e lançaram recentemente o primeiro EP, de três músicas, chamado “They Are Bad, Ugly and They Are Here”. Além da trinca de músicas boas do EP, os Yugoslavos mostram uma coisa meio difícil de ver numa pós-produção de disco de banda indie brasileira: um controle bom de vocal em relação às guitarras. Daria para tocar na 89FM, a rrrrrádio rrrrrrock, fácil.

O disco foi produzido pelo Mario Bross, ex-Wry, e são figurinhas carimbadas do clube Asteroid, da terra natal deles no interior paulista. Tudo em casa. Já disse aqui, a banda só divulga o primeiro nome dos seus integrantes porque os sobrenomes são de difícil pronúncia servo-croata-macedônico. Melhor chamá-los de Felipe (vocal), Julio (guitarra), Marcus (guitarra), Murilo (baixo) e Silvio (bateria).

O ‘hit” do EP, “It’s Not The Same Way”, mais as outras duas “Cigars and Confusion” e “No Handcuff” estão aqui, no Facebook deles. Aproveita para ouvir “She Was a Whore”, que está lá, ao vivo, de bônus. Na Session da Popload, tem vídeo deles fazendo “Damaged Goods”, do Gang of Four. Abaixo, o vídeo de “No Handcuff”, que abre o disco.

Continuando, o outro motivo que me fez gostar de cara do disco foi o adesivo que eles mandaram junto do EP. Haha.

>>

Hoje tem show da banda The Name. O último

>>

* O indie nacional perde hoje uma de suas grandes bandas. Sorocaba agora vai bombar um pouco menos a partir desta noite, quando o grupo The Name faz seu último show no Asteroid Bar, último show na cidade, o último show mesmo. O Name, por decisão de seus integrantes, vai acabar. A banda, com um extenso currículo de shows pelo Brasil, incluindo Planeta Terra e Popload Gig, já tocou até no incrível South by Southwest, no Texas. Foi indicada a prêmio do VMB da MTV, como revolução, em 2010.
Abaixo, alguns dos bons momentos do Name em fotos. Todas elas do Fabricio Vianna, com exceção da indicada na legenda.

Banda The Name em ação no Sxsw, em Austin, em 2010. Popload estava lá

 

O Name abrindo o palco indie do Planeta Terra, agora em novembro

 

A banda se apresentando no Popload Gig, no dia do Miike Snow, no Estúdio Emme. Foto de Diego Sapia Maia

 

O Name tocando “em casa”, no Asteroid Bar, em Sorocaba, interior paulista

>>