Em balaclava:

CENA – Kill Moves aproxima (mais) Belo Horizonte da Inglaterra com novo single

1 - cenatopo19

Captura de Tela 2020-09-07 às 5.30.31 PM

* É engraçado como parte da CENA indie mineira tem uma obsessão com o britpop ou o shoegaze do comecinho dos anos 90. Isso não é um problema, veja bem.

Não à toa a melhor banda de cover do Oasis do mundo é de BH. O grupo Devise é de BH. Samuel Rosa, do Skank, pode olhar uma live destes tempos aqui na Popload, passa britpop para seu filho, da Daparte. O Lava Divers, de Araguari, cidade iluminada do Triângulo Mineiro, é muito shoegaze.

E tem o quarteto Kill Moves, que acabou de lançar a bela “Timeless Visions”, nome sugestivíssimo para seu novo single, que saiu com um vídeo gastro-lisérgico e a assinatura da Balaclava Records.

Hoje em dia mais dream pop que o Ride, mais shoegaze que os sorocabanos do Wry sempre foram e já não são mais tanto, porque até em português andam cantando, o Kill Moves nos faz pensar com suas visões atemporais, eternas.

Porque se uma pegada sonora tão própria de um período e de uma região é feita assim, em 2020, tão naturalmente, ela, sim, já virou “timeless”.

Boa viagem!

***

* “Timeless Visions” é o segundo single do Kill Moves neste ano. A banda, que tem dois EPS e um single lançados entre 2016 e 2018, revelou “Colorful Noises”, agora em 2020. Vem álbum por aí?

>>

Texas e Brasil juntos e misturados! …And You Will Know Us by the Trail of Dead ganha disco ao vivo do showzaço feito no Sesc Pompeia, em 2019

>>

Fotos: Renato Abreu

Fotos: Renan Abreu

Uma das bandas mais viscerais que o Texas já presenteou para os indies, e olha que a lista é grande, o sensacional grupo …And You Will Know Us by the Trail of Dead lança nesta quarta-feira, 20 de maio, seu segundo disco ao vivo na carreira. E esse lançamento tem um tempero brasileiro.

Através da plataforma Sesc Digital, estão ao nosso alcance registros feitos no primeiro de dois shows da banda norte-americana no Sesc Pompeia, realizados em 12 e 13 de julho de 2019, em comemoração aos 25 anos de trajetória dos texanos e também ao Dia Mundial do Rock.

Os concertos, especialíssimos, foram os primeiros do Trail of Dead no Brasil desde as históricas apresentações por aqui de 2001, e conta com canções dos álbuns “…And You Will Know Us by the Trail of Dead”, “Madonna” e “Source Tags & Codes”, os três primeiros da banda texano. O lançamento está envelopado no projeto Sessões Selo Sesc #9. No total, são 17 músicas que compõem o projeto.

As apresentações mais recentes e agora registradas para a eternidade foram promovidas pelo selo espertíssimo Balaclava. “Trazer o Trail of Dead para o Brasil nessa turnê comemorativa foi um privilégio e marcou a história da Balaclava. A fama dos shows realizados por aqui, em 2001, era tão forte e perdurou tanto que precisávamos dar um jeito de fazer isso acontecer novamente. Você sai inspirado após presenciar uma performance como a deles”, comenta Fernando Dotta, um dos donos do selo.

“É revigorante ver músicos lendários da cena de Austin, que já rodaram o mundo, tocando canções que marcaram nossas formações no rock alternativo, em um show tão intenso e liderado por integrantes que beiram os 50 anos de idade”, completa, fazendo referência ao quinteto hoje formado por Conrad Keely, Jason Reece, Alec Padron, Autry Fulbright e Aaron Blount.

O registro ficará disponível de forma exclusiva na sesc.digital até o dia 27 de maio (CLIQUE AQUI), quando o álbum será distribuído nas demais plataformas de streaming.

Confira abaixo, também, um registro em vídeo da incrível faixa “Marc David Chapman”.

TRACKLIST
1. And You Will Know Them…
2. Mistakes and Regrets
3. Totally Natural
4. Blight Takes All
5. Claire de Lune
6. Flood of Red
7. Marc David Chapman
8. Aged Dolls/A Perfect Teenhood
9. Sigh Your Children
10. It Was There That I Saw
11. Another Morning Stoner
12. Homage
13. Relative Ways
14. Caterwaul
15. Will You Smile Again For Me
16. How Near, How Far
17. Richter Scale Madness

trailofdead_capa

>>

CENA – Indie nacional também flerta. Banda misteriosa ABC Love lança o single… “Flertes”. Com as divinas Gab Ferreira e Yma

1 - cenatopo19

* Há quase dois anos, junho de 2017, quando a “entidade musical” na época chamada A Band Called Love lançou seu primeiro álbum, de nome “ABC Love e o Álbum do Prazer”, o título da Popload para post da estreia do projeto foi “Indie Nacional Também Transa. Conheça os Prazeres da Misteriosa A Band Called Love”.

O “entidade musical” era por conta de o ABC Love (esqueça agora o A Band Called) ser o projeto de um cantor mascarado, que não só não revelava sua identidade como trazia um belo primeiro single, “Carne Viva”, com frases na linha “Só quero um gozo intenso” e “Libere sua libido mais sombria”, em vocal de um tal Gevard Dulove descrito aqui no site como “quase inaudível, meio sussurrado do mal, como se fosse um Serge Gainsbourg das trevas”.

3 - divulga FLERTE UNO

Pois bem, o tempo passou e o ABC Love parece que sossegou seu facho de estreia e agora só quer flertar. A persona Dulove abre espaço para duas incríveis figuras femininas da cena atual, Gab Ferreira e Yma, para “conversarem” nos vocais do primeiro single de seu segundo disco, que vai ser lançado amanhã nas plataformas pelo selo Balaclava Records.

A deliciosa “Flertes”, o single, vai estar em “Back to Love”, o disco, a ser lançado pelo selo paulistano ainda neste ano. Se em 2017 o fogo da ABC Love retratava uma fogosa atmosfera de pegação paulistana, “Flerte” recria o lance de joguinhos amorosos de verão carioca dos anos 80. Se o Kid Abelha, a Marina Lima ou as meninas da Blitz fossem lançar uma música boa neste 2020 peculiar, seria algo como “Flerte”.

O vídeo que acompanha o single, que não dá para parar de ver, traz bem esse clima, de festinha casual e poser, dancinhas e “azarações”, para fixarmos o sentido anos 80 empregado. Tudo bem que parece bailinho gringo, mas não seria o nosso Johnny Luxo no segundo 46 do vídeo? Enfim..

A ideia do ABC Love, com o novo disco, é retomar o “alfabeto do amor” com o novo álbum e enchê-lo de convidados especiais.

“Era só um desejo. Corpo e pele não duram o verão, Ahhhh, ahhhhhhhh”, discutem o boy-caído-mas-com-algum-potencial as amigas Yma e Gab Ferreira em jogral fofo.

Se a CENA não produzir música melhor que “Flertes”, de agora até semana que vem, desconfio que sei qual vai ser o primeiro lugar do próximo Top 50 da Popload.

>>

Popload Live: hoje, 17h, no Stories da @poploadmusic, com Popoto, da banda Raça

* O convidado de hoje da Popload Live, em conversa musical ou música conversada às 17 horas no Stories da @poploadmusic, é o vocalista e guitarrista Popoto Martins, da banda paulistana Raça, um dos bons nomes do indie nacional e um dos shows mais intensos também.

O papo com a Popload, ao vivo, calha de acontecer bem no momento em que o terceiro, melhor e mais sólido álbum do grupo, “Saúde”, completa 1 ano de seu lançamento.

Popoto vai falar das vísceras expostas nas composições do disco aniversariante, das evoluções do Raça como banda até chegar em seu melhor momento, de seu lado artístico (é tatuador, designer gráfico, pinta quadros), para onde vai o Raça agora e em que o Charlie Brown Jr. influenciou o grupo do selo Balaclava Records. Oi?

2 - IMG_9435

A live da Popload foi criada para proporcionar, em tempos de clausura, papo e performance com pessoas legais da nossa música. Inclusive… tocando música.

Já rolou por aqui conversa e som com Flavio FingerFingerrr, André Aldo, Eduardo Apeles, Vivian Kuczynski, Lucas Fresno, Rita Papisa Oliva e Ale Sater, do Terno Rei, Bianca e Rodrigo do Leela, Lucas da Glue Trip, Fefel do Boogarins, Duda Brack, Clarice Falcão, Gabriela Deptuski, do My Magical Glowing Lens, Jay Horsth, do Young Lights, Salma & Macloys, do Carne Doce, a trinca Naíra, Érica e Caro, do sexteto Mulamba, e João Erbetta, do Los Pirata. Tudo regado a som ao vivo, adaptado, rearranjado, diferente, tecnicamente perdoadíssimo.

Já teve até DJ set, do ótimo Willian Mexicano, na semana passada, com a digníssima diva pop Pabllo Vittar participando animada. Já teve conversa sobre a história da CENA brasileira com um dos personagens principais dela desde sempre, o agitador Fabrício Nobre. Já teve papo de jornalismo musical com Pedro Antunes, editor da “Rolling Stone”, porém mais conhecido como o inventor do programa “Tem um Gato na Minha Vitrola”.

A ideia da live é que ela, diária, de segunda a sexta no período de quarentena, não necessariamente tenha um horário padrão para rolar, mas até que tem acontecido bastante às 17h. A gente avisa aqui e nas redes o horário certo do dia. Ou, melhor, reforça o aviso quando NÃO for às 5 da tarde.

Então, hoje, às 17h, daqui a pouquinho, no Stories do @poploadmusic, Popoto, da Raça. Som e música.

E sempre lembrando que a Live fica disponível nos Stories por 24 horas, a partir de seu fim ao vivo.

>>

Com Pabllo Vittar no pôster oficial, banda inglesa Black Midi tem shows anunciados no Brasil

>>

midi

* Agora é para valer. O grupo britânico de rock (digamos assim) Black Midi, uma das novas instituições sonoras mais brilhantes que a Inglaterra nos deu recentemente, foi anunciado oficialmente para os dois shows no país. Ambos em São Paulo.

O quarteto de Londres, dono de uma música indie-jazzística experimental (digamos assim), se apresenta nos dias 27 e 28 de março no Sesc Belenzinho, na ZL paulistana.

A “culpa” é do selo produtor Balaclava Records. O Black Midi, que já tinha entregado as datas por uma “falha de comunicação” semanas atrás, traz ao Brasil o show de seu álbum de estreia “Schlagenheim”, lançado em junho do ano passado, que rendeu à banda rasgados elogios por sua performance ao vivo. É considerado uma “jam session” levada a sério, digamos assim, uma apresentação sempre diferente da outra, embora as músicas todas estejam ali. Mistura sintetizadores, banjo e a bateria mais matematicamente estraçalhada do planeta hoje.

Bom, tudo no lugar, anuncio oficial regularizado e vamos ao pôster da turnê brasileira, que a banda postou em seu instagram. O cartaz do Black Midi traz uma imagem da musa drag disco pop brasileira Pabllo Vittar. Este aqui abaixo.

blacki

***

* O Black Midi é Geordie Greep (voz e guitarra), Matt Kelvin (voz e guitarra), Cameron Picton (voz, baixo e sintetizadores) e Morgan Simpson (bateria).

** Os ingressos para os dois shows estarão à venda online daqui um mês: 17 de março, a partir das 12h. A entrada custará R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia entrada) e R $9 (credencial plena). Mais infos aqui.

Vem, Black Midi!

>>