Em bananada 2017:

CENA – Bananada, 2 de 7 – O barulho girlie do Brvnks e a pós-banda de Caxias do Sul

>>

popload_cena_pq

* Popload ainda em Goiânia. God bless Bananada Festival. Porque em julho vem aí o Villa Mix Festival Goiânia.

poploadbananada2017

A terça-feira de um dos principais festivais indie do Brasil movimentou seis locais e acabou com a polícia brecando um Popload DJ set bem na hora em que um Soulwax com Iggor Cavalera estourando na bateria estremecia o Rock. Alegaram barulho, as autoridades, imagine. Mas o importante da segunda noite do Bananada foi que…

Mais cedo, no simpático Complexo, bar-estúdio-laje=clubinho no centro da cidade, de propriedade dos caras do Hellbenders, heróis locais, rolou um showcase do selo sulino Honey Bomb, de Caxias do Sul. Duas bandas e uma pós-banda do selo se apresentaram, explico.

Na abertura da noite, que ainda teria shows da banda Supervão e My Magical Glowing Lens, teve um show de abertura genial. Ok, mais na sua ideia do que na execução, mas ainda sim. Três membros da Honey Bomb Records montaram uma banda, aliás chamada de pós-banda, que consiste em um “mestre de cerimônias”, um baterista e um cara operando um sintetizador interferindo em remixes de músicas de bandas do próprio selo. Entendeu? É uma espécie diferente de apresentar o selo, as bandas do selo e ainda produzir um caldo musical disso. Um pós-caldo, melhor dizendo.

Em outro canto da cidade, no misto de bar, casa de show e galeria de arte, o Rock, a noite começou com a neopsicodelia local dos Peixefante, o grupo da foto abaixo. Em matéria de psicodelia, Goiânia parece saber sobre o que está falando (ou tocando).

Captura de Tela 2017-05-10 às 4.49.59 PM

Depois, o bom grupo local Brvnks fez seu vigoroso show num volume em que, parecia, a casa não estava preparada. Som agridoce tipo Throwing Muses anos 90, quando doce já mostrava toda a ferocidade pós-teen incontrolável da guitarrista e cantora Bruna, ela-mesma a Brvnks. Quando agri, a maçaroca sonora grunge vinha tão violenta que, acho, balançava os quadros e obras expostos na ala artsy do Rock.

Do Brvnks, consegui pegar um momento “tranquilo” em vídeo.

Daí a noite do Rock acabou com a polícia…

>>

CENA – Bananada dia 1 de 7 – A delicadeza de Sarah Abdala, a fúria rock do Mellow Buzzards

>>

popload_cena_pq

* Popload em Goiânia. Bananada 2017 começou!

poploadbananada2017

O primeiro dia do Bananada 2017 botou muita gente para circular pela noite goiana atrás de boa música, praticamente recheando cinco casas, clubes, bares, estúdios só com artistas locais. Em plena segunda-feira. O primeiro lugar que a Popload visitou, o Rum, bar-estúdio que antigamente era o República, ponto de ensaio por boa parte do rock goiano de anos atrás, escalou três bandas para sua noite, que abriu com a novíssima banda velha Mellow Buzzards, grupo de rrrrrrrock reativo no mais puro sentido da cena goiana. Para as cerca de 50-60 pessoas que circularam dentro daquele estúdio, no momento em que a porta que vedava o som era fechada, não havia concessão. Era porrada.

IMG_7940

O Mellow Buzzards, nova cara do rock goiano, em ação no Rum, abrindo o Bananada 2017

Mais tarde, no Rock, bar-clube-cervejaria-galeria de arte no centro da cidade, a guitarrista Sarah Abdala, goiana que atualmente mora no Rio de Janeiro, foi a atração do primeiro dia do Bananada mostrando ao vivo algumas músicas de seu segundo disco, “Oeste”, recém-lançado. Sarah se apresenta em trio, o som sai de sua guitarra e de dois sintetizadores, e a atmosfera é a mais intimista possível.

IMG_7956

A frente do Rock, ontem, na primeira noite do festival goiano

Delicadeza, a palavra do título deste post, é a que mais chega perto de definir o som da garota, que dedilha sua guitarra de um modo não-comum no indie brasileiro, com um som algo especial que chega a lembrar a guitarra das bandas inglesas Felt e Durutti Column, fato que, acho, no caso dela, tem mais a ver com o lugar onde nasceu do que com o em que mora hoje.

Abaixo, Sarah em performance da música “Cavalgada”, o segundo single do álbum novo, que tem a estampa do selo Rock It!, de Dado Villa-Lobos (Legião Urbana), e foi produzido por ela e por Eduardo Manso (guitarrista da grande Ava Rocha)

* Na foto da home da Popload, que destaca este post, uma das paredes do Rum, com pôsteres que contam um pouco a história da cena goiana.

>>

CENA – Bananada 2017 rola nesta semana em Goiânia. Popload monta QG no festival

>>

popload_cena_pq

* Popload em Goiânia, terra de Fabríco Nobre. A partir de hoje e por toda a semana, até domingo, vamos ter a…

poploadbananada2017

Começa “pequeno” hoje, às 20h, em cinco lugares espalhados por Goiânia, Centro Oeste do Brasilzão, o 19º festival Bananada, um dos mais importantes festivais independentes do Brasil em uma de suas mais importantes edições. Até domingo, a cidade, prosaicamente conhecida como a terra do sertanejo, vai ser inundada por rock, eletrônico e nova-MPB e hip hop dos bons, até soul e funk, conduzidos por um line-up de respeito que terá do clássico Os Mutantes até os sanguinhos novos Rakta e Plutão Já Foi Planeta, de Selvagem a Barro, de Mano Brown e Karol Conka a Ventre e FingerFingerrr. Céu, Liniker, Hierofante Púrpura, Luiza Lian e Terno Rei. Maria Gadú, JP Cardoso, DJ Patife, Tulipa Ruiz, Far from Alaska e Forgotten Boys. Tem a esquadra goiana jogando em casa: Boogarins, Carne Doce, Black Drawing Chalks, Brvnks, Hellbenders e Overfuzz. E tem muito mais.

mutantes

As principais atrações farão suas performances em palcos espalhados no epicentro do festival, o suntuoso Centro Cultural Oscar Niemeyer.

A programação desta noite de estreia do Bananada está assim disposta:

Captura de Tela 2017-05-08 às 6.01.32 PM

Além da música, o Bananada montou programação que inclui artes visuais, ação de moda, cultura urbana (encontro de skate e tattoo) e um circuito gastronômico (Goiânia Rock City) que já está em sua quinta edição e conta com 30 espaços gastronômicos alimentando os locais e os visitantes que vieram à cidade para o Bananada.

A Popload já está instalada no centro nervoso da inteligência do Bananada, no espaço cultural Centopéia, em Goiânia, para cobrir o festival. E a batelada de shows começa daqui a pouco.

Ingressos para o Bananada, que vai crescer dia-a-dia no número de shows e tamanho das atrações, são encontrados no site do festival, que ainda traz todas as informações sobre esta 19ª edição. Acompanhe o Bananada pelo Instagram do festival.

>>

CENA – De Mano Brown a Boogarins, Bananada anuncia programação completa

>>

cena
manobrown

Um dos festivais mais robustos, importantes e consolidados do país, o incrível Bananada anunciou, no fim da manhã desta terça, seu line-up completo para a edição #19 do evento, que acontece entre os dias 8 e 14 de maio, em Goiânia.

O evento deste ano terá dezenas de atrações incríveis puxadas por Mano Brown, Os Mutantes, Céu, Boogarins, Karol Conka, Baiana System, Liniker e os Caramelows, Carne Doce e muito mais.

O Bananada contribui com a história de Goiânia e do Brasil desde 1999. Ao longo de 18 edições, o festival fomentou e incentivou a produção da música independente, destacando as novas tendências que surgem localmente e levando para a capital goiana novos artistas nacionais e internacionais.

Ano passado, o Bananada atingiu a marca de 25 mil espectadores, público que cresceu mais de 300% por ano. Desde a sua 12ª edição o festival inova e reinventa a sua estrutura. Atualmente, o intuito é o de ocupar a capital goiana durante 7 dias, nos mais diversos locais da cidade.

A venda de ingressos e outras informações sobre o festival podem ser encontradas no site oficial do Bananada.

Confira, abaixo, o line-up.

>>

CENA – Festival Coquetel Molotov, de Recife, anuncia edição em Salvador; Festival Bananada, de Goiânia, vai vender ingressos no estilo “blind”

>>

cena

* Quando eu digo que a cena brasileira anda abusada, eu quero dizer isso aqui: no mesmo período em que o Coquetel Molotov pernambucano anuncia uma pomposa edição para janeiro de 2017 em Salvador, em sua clara expansão de domínio nacional, outro dos mais bacanas festivais indies do país, localizado numa improvável área para esse tipo de música e de gente e de lugares e de manifestações artísticas alterativas, no caso o festival Bananada e a cena goiana, já pedem espaço obrigatório em sua agenda para o ano que vem. O Bananada vai começar a vender ingressos “às cegas”, prática comum aos grandes festivais gringos e também nos gigantes brasileiros tipo Rock in Rio e Lollapalooza. Estilo “blind”, sem anunciar atrações. Confiando em seu taco como um evento que atrai não só pelas bandas que tocam.

Anote aí.

** Festival No Ar Coquetel Molotov Salvador. Dia 14 de janeiro de 2017, no Museu du Ritmo.

Atrações confirmadas: A incrível Ava Rocha, os internacionais Boogarins, de Goiânia, e OQuatro, volumosa banda “local”, de Ilhéus, coquetel sonoro apimentado de hip hop e dub, quase rara de se ver ao vivo até na Bahia. Vai ter ainda parecido com uma feira-desfile da transgressora marca de roupas (e casa, ateliê, selo, experiência e processos multilinguísticos) recifense ACRE, do estilista Cassio Bomfim.

Untitled-1

*

** Festival Bananada 2017. De 8 a 14 de maio. Goiânia, Goiás, Brasil. Ingressos à venda a partir desta quinta-feira, dia 8, às 10h.

O site do festival, na hora, vai entrar com o pôster da edição 2017 e a liberação dos ingressos.

PS: O Bananada, nesta semana de lançamento, está em São Paulo com seu “corpo diretivo” participando do SIM – Semana Internacional de Música, com showcases sonoros acontecendo em SP. Mas para isso teremos outro post em breve.

Captura de Tela 2016-12-06 às 4.19.06 PM

** Na home da Popload, foto da galera no Bananada 2016, em click do I Hate Flash. Acima, imagem de showcase do Bananada no Primavera Festival, em Barcelona.

>>