Em band of horses:

Top 10 Gringo – Guitarra de Jack White vai direta ao topo. Self Esteem volta ao destaque. The Horrors apavora o pódio

>>

* Uma turma que estava com saudade de músicas novas resolveu aparecer esta semana. Jack White voltou. Adele voltou. Band of Horses também. Até os Beatles andavam lançando mais músicas que esses caras. E, sim, tem Beatles no ranking porque a reedição de “Let It Be” é uma novidade, como não?

jackwhitetopquadrada

1 – Jack White – “Taking Me Back”
Saudade do Jack White? Tinha um tempo em que ele não lançava nada, mas “Taking Me Back” é um senhor retorno com altas e deliciosas guitarras (muitas guitarras, aliás) recortadas e ultradistorcidas – ele chega até ter um momento quase Van Halen no solo. A faixa é trilha de uma game e vê-la em um trailer entre tiros e explosões pode cortar toda a vibe. Escuta ela sozinha que rende mais. E ainda tem uma versão suave dela no “lado B” – e não é só uma versão violão e voz, não. Se liga.

2 – Self Esteem – “Moody”
A gente já contou por aqui que “Self Esteem”, a persona solo de Rebecca Lucy Taylor, tem na afiada letra ácida de “Moody” versos como: “Mandar nudes para você no meio de uns papos de saúde mental parece contraproducente/ Beber uma garrafa toda em vez de uma taça é um clássico meu”. Esse texto sem medo ganha novo sentido agora no vídeo da música que nos lembrou “Cenas de um Casamento”, a versão da HBO Max para a série clássica do Bergman, ainda que a própria Rebecca alegue que sua referência é “We Found Love”, da Rihanna. Tudo certo nas refs. E tudo certo botar essa música num lugar mais alto agora do nosso Top top.

3 – The Horrors – “Against The Blade”
Outro dos sumidos que voltaram. Mais no começo do ano, a banda inglesa soltou um EP de três músicas e agora vem com mais um EP nos mesmos moldes. A onda é aquela de uma psicodelia para lá de bizarra e pesadona. No Twitter, a banda pediu que os fãs dissequem, devore e destrua o novo single. Combinado.

4 – Remi Wolf – “Street You Live on”
Saiu o tão esperado “Juno”, da super Remi Wolf. A gente fala, na verdade, nossa amiga Dora Guerra fala, desde março que a Remi ia bombar com seu caos colorido e na contramão do pop melancólico que domina as paradas. Até aqui a missão segue firme. Agora é esperar os hits serem reconhecidos pela multidão. Questão de tempo.

5 – Adele – “Easy on Me”
Adele é Adele. Quando faz aquilo que a gente já conhece dela é nota dez. E esse é o caso de “Easy on Me”, que não apresenta grandes inovações enquanto som, mas é uma baita letra de uma Adele mais madura, lidando com sofrimentos do passado e do presente, mas numa boa, pegando leve consigo e sabendo seu lugar. Especialmente no pedido dela de que as pessoas ao seu redor entendam isso.

6 – Band of Horses – “Crutch”
E, na turma do retorno, mais de cinco anos sem nada do Band of Horses foram recompensados com uma belíssima novidade. Tem algo do Shins nessa canção que é difícil explicar – ou mesmo uma vibe do indie do começo da década passada. Podemos estar viajando nessa sensação, mas é isso. Será que teremos um novo álbum do Band of Horses mergulhado em nostalgia? “Things Are Great”, nome do disco, indica algo alegre. Não?

7 – Jeff Tweedy – “C’mon America”
A coleção Sub Pop Singles Club, clube de assinatura da gravadora, é um marco histórico. É nela que temos o primeiro single do Nirvana pela gravadora, um pouco antes da estreia em álbum – atualmente raríssimo já que só mil cópias foram prensadas. Entre idas e vindas, o clube voltou para uma sexta etapa de lançamentos e nada mais nada menos que Jeff Tweedy, líder do Wilco, resolveu contribuir com duas musiquinhas. Seria digno de nota até se elas fossem ruins, mas não é o caso.

8 – Hinds – “De la Monarquía a la Criptocracia”
“De la Monarquía a la Criptocracia” é um som da banda galega Triángulo de Amor Bizarro – reconhece de onde eles pegaram o nome? As meninas do Hinds releram a música de maneira brilhante para uma coletânea que celebra os 20 anos da gravadora espanholha Mushroom Pillow.

9 – Snail Mail – “Ben Franklin”
Seguem interessantes as amostras que Lindsey Jordan, a Snail Mail, dá de seu próximo álbum. Em “Ben Franklin” ela demonstra que o novo disco, seu segundo, terá muito mais que as guitarras do primeiro. Será um trabalho encarando o desafio de não se repetir e de mostrar quem ela é. As letras seguem sinceras, o papo de rehab é real. Ela encarou essa no ano passado.

10 – The Beatles – “Gimme Some Truth”/”All Things Must Pass”
“Gimme Some Truth”, um petardado lançado em “Imagine”, poderia ter sido do Beatles. Ela foi testada nas sessões de “Let It Be”. “All Things Must Pass”, de George Harrison, também foi encarada nessas sessões. Pensa. Se a banda não acaba, o próximo álbum seria uma mistura provavelmente acertada dos melhores pedaços de “Imagine”/”All Thing Must Pass”/”McCartney I”. Na real, eles poderiam abandonar tudo que funciona meio torto em “Let It Be” e ter feito esse disco superespecial ali. Não rolou. Mas beleza, também.

***

***

* A imagem que ilustra este post é do superinquieto Jack White.
* Este ranking é formulado pelo duo Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix.

>>

Band of Horses resolveu aparecer. Com disco novo depois de cinco anos e música sobre relacionamentos acabados

>>

* A gente não sabia que a saudade estava tão grande até a banda indie americana Band of Horses, de Seattle, ter lançado ontem sua primeira música em anos, a grudenta “Crutch”, que vai puxar o novo álbum, “Things Are Great”, o primeiro disco deles depois de mais de meia década de sumiço do estúdio. Mas o sexto álbum da banda de Ben Bridwell só sai em 21 de janeiro de 2022.

O novo gás da Band of Horses já vai fazer o grupo sair em turnê agora em outubro quando no dia 18 começa uma residência de três noites no Brooklyn Made, em Nova York. São dez datas ao vivo marcadas, até meio de novembro. São dez faixas novas que vão estar em “Things Are Great”, que a gente acredita ser um lindo nome de disco agora que a pandemia parece estar mais controlada toc.toc.toc.

O papo em “Crutch” é delicado. E Bridwell disse que é sobre a vida real dele. “Crutch”, em inglês, é muleta. No caso da música, relacionamentos que funcionam só como muleta para a vida. “Eu sinto que todo mundo tem tido seu momento em que nada parece estar certo, mas mesmo assim continua. Acho que essa música pode pegar em você mesmo se você nao saiba muito bem o que por quê.”

Então tá.

>>

Banquete indie reúne Band of Horses, Franz Ferdinand, Grandaddy, Midlake e Travis. Hein??

>>

300117_bnqt

Mais ou menos no fim de 2015, surgiu uma notícia que apontava para a formação de uma nova superbanda indie, que consistia em uma mistura do Midlake com Band of Horses, Franz Ferdinand, Grandaddy e Travis. Pois bem, rolou.

Os vocalistas Ben Bridwell (Band of Horses), Alex Kapranos (Franz Ferdinand), Jason Lytle (Grandaddy) e Fran Healy (Travis) pegaram o Midlake como “banda base” a texana Midlake e formaram o BNQT, abreviação para Banquet. Tudo foi montado por Eric Pulido, líder da banda de Austin.

Eles não apenas divulgaram para 28 de abril o lançamento do disco de estreia, “Volume 1”, com 10 faixas inéditas, como também liberaram o single “Restart”, que abre o álbum.

Ainda não há informações mais detalhadas de como funcionará a variedade de vozes do grupo e se eles sairão em turnê, mas “Restart” já dá uma ideia do que vem por aí.

BNQT – “Volume 1” – Tracklist
01 Restart
02 Unlikely Force
03 100 Million Miles
04 Mind Of A Man
05 Hey Banana
06 Real Love
07 Failing at Feeling
08 L.A. On My Mind
09 Tara
10 Fighting The World

>>

Tudo o que você precisa é de uma session cool, acústica e em preto e branco da Band of Horses

>>

091116_bandofhorses2

Sempre uma boa pedida, a Band of Horses, liderada pelo distinto Ben Bridwell, continua na estrada divulgando seu quinto e mais recente álbum, “Why Are You Ok”, lançado neste ano.

Em passagem pelo Canadá, a banda de Seattle fez uma parada no programa Collective Arts Black Box Sessions, da rádio Indie88, de Toronto, para um bate-papo e uma session intimista que incluiu o single “Casual Party”, do último disco, e a antiga “The Great Salt Lake”, do álbum de estreia deles, lá de 2006.

Os registros foram feitos também em vídeos lindos e podem ser conferidos em seguida.

>>

Mais uma session cool da Band of Horses. Agora em Nova York

>>

2306162_bandofhorses2

Quando uma banda lança um disco novo é assim. As ações promocionais em cima da divulgação de um álbum não param e é comum semanalmente vermos sessions “repetidas” por aí. É o que vem acontecendo com a norte-americana Band of Horses.

O grupo que mistura rock, folk e às vezes country em suas canções lançou neste mês o disco “Why Are You OK”, que tem feito eles caírem na estrada.

Uma das recentes paradas deles foi na rádio WFUV, localizada nos arredores de Nova York. Por lá, mostraram três canções em versões acústicas: “Whatever, Wherever”, “Casual Party” e “Hag”.

“Why Are You OK” é o primeiro álbum deles em quatro anos, tem 12 faixas e produção assinada por Jason Lytle, do Grandaddy.

>>