Em bandas que quase ninguém conhece ainda:

(Quase) Ninguém Conhece (Ainda) – parte #5. Banda de hoje: BIG JOANIE

>>

Big-Joanie

BIG JOANIE em foto de Ellie Smith

Vá ouvir agora: Big Joanie

Em um mundo onde todo mundo opina e faz sua própria curadoria é bom termos alguns curadores de conteúdo de confiança. Se o assunto é música, você deve confiar no Iggy Pop e no que ele toca em seu programa de rádio para a BBC Radio 6.

Então, foi muito legal quando descobrimos uma paixão em comum com o (nosso) mestre! Estamos falando da banda inglesa Big Joanie, que há um tempo já rola na nossa playlist “(Quase) ninguém conhece (ainda)” e que rola direto no programa do Iggy.

Como toda banda esperta, é delas a melhor definição do próprio som: “The Ronettes filtrado através do DIY dos anos 80 e do riot grrrl com uma pitada de dashikis”, a camiseta colorida do oeste africano que virou símbolo de resistência para os afro americanos. Em suas influências também citam Nirvana, Breeders e um tal de Jesus and Mary Chain, já ouviram falar?

Big-Joanie-3

Apesar de Stephanie Phillips, Estella Adeyeri e Chardine Taylor-Stone estarem por aí desde 2013, foi no ano passado que elas começaram a chamar mais atenção com seu primeiro disco, ‘Sistahs’, que saiu pelo selo independente The Daydream Library Series, que tem entre os donos Thurston Moore, eterno Sonic Youth.

Vale muito ouvir o álbum e dar uma olhada nos vídeos delas ao vivo. São apresentações que ganham intensidade por as três tocarem próximas uma das outras, já que a bateria não fica atrás do palco, mas na linha de frente junto com o baixo e bateria. Escolhemos este pocket show para a rádio KEXP para ilustrar (atenção especial à música “Used to Be Friends”, uma das nossas preferidas, que entra no 05:55):

Também vale prestar atenção ao que elas falam e fazem foram do palco. A baterista Chardine Taylor Stone, por exemplo, tem projetos sociais de inclusão para mulheres negras e de combate ao racismo dentro da comunidade LGBTQ+, além de sempre compartilhar reflexões importantes sobre suas experiências, como o machismo que encontram do próprio público ou sobre a dificuldade de serem reconhecidas como artistas com influência punk. “Eles vêem três mulheres negras no palco e acham que estamos fazendo R&B”, contou em uma entrevista para a Notion.

Em abril, Big Joanie abriu para a banda clássica americana Bikini Kill, representante do punk-rock anos 90 e liderada por Kathleen Hanna. Neste mês, vão sair em turnê pela Europa com a Beth Ditto e seu Gossip! Go Girrrls!

Abaixo, o disco Sistahs, lançado em dezembro:

Quer ouvir outras bandas que (quase) ninguém conhece (ainda)? Acompanhe a nossa playlist!

>>

Aquelas bandas que (quase) ninguém conhece (ainda)! Parte #4

>>

Big-Joanie

Big Joanie, trio “punk feminista” de Londres

Depois de uma breve folga sem atualizações, retomamos a playlist que é uma de nossas preferidas: aquela dedicada a descobrir novas bandas e novos artistas por aí.

Todos têm músicas boas, lógico, no máximo um álbum lançado e menos de 100 mil ouvintes mensais no Spotify quando foram escolhidos. A ideia é apresentar esses novos sons e acompanhar a trajetória desses artistas ao longo do tempo.

Semana a semana são adicionadas novas músicas e atualizamos o andamento da carreira desses artistas escolhidos a partir do número de ouvintes mensais de cada um deles no Spotify.

Na quarta edição da coluna, duas artistas conseguiram passar a marca de 100 mil ouvintes mensais! Dois nomes para a gente prestar bastante atenção: as norueguesas iris e Amanda Tenfjord.

iris_Kenny-McCracken

iris, da Noruega

SOBE

Quem subiu de patamar no número de ouvintes mensais desde a coluna anterior:

1. Art School Girlfriend, Margate, Inglaterra – 80 mil ouvintes mensais
2. Just Mustard, Dundalk, Irlanda – 10 mil ouvintes mensais
3. iris, Bergen, Noruega – 140 mil ouvintes mensais
4. Nana Adjoa, Amsterdã, Holanda – 60 mil ouvintes mensais
5. Tempesst, Londres, Inglaterra – 60 mil ouvintes mensais
6. Casi & The Blind Harpist, Eryri, País de Gales – 2 mil ouvintes mensais
7. Amanda Tenfjord, Trondheim, Noruega – 160 mil ouvintes mensais
8. Shavone, Los Angeles, Estados Unidos – 40 mil ouvintes mensais
9. Madison Paris, Inglaterra – 20 mil ouvintes mensais
10. Lowly, Dinamarca – 40 mil ouvintes mensais
11. August Eve, Los Angeles, Estados Unidos – 30 mil ouvintes mensais
12. POZI, Londres, Inglaterra – 9 mil ouvintes mensais
13. Big Bend, Ohio, Estados Unidos – 148 ouvintes mensais

Pinky Pinky

Pinky Pinky, de Los Angeles/EUA

FICA

Quem manteve o mesmo patamar de ouvintes mensais:

1. Kississippi, Filadélfia, EUA – 90 mil ouvintes mensais
2. Weakened Friends, Portland/Boston, EUA – 10 mil ouvintes mensais
3. Jetty Bones, Urbana, EUA – 20 mil ouvintes mensais
4. illuminati hotties, Los Angeles, EUA – 50 mil ouvintes mensais
5. Black Belt Eagles, Portland, EUA – 50 mil ouvintes mensais
6. Wyldest, Londres, Inglaterra – 10 mil ouvintes mensais
7. Cafuné, Nova York, Estados Unidos – 10 mil ouvintes mensais
8. Rose Droll, São Francisco, Estados Unidos – 20 mil ouvintes mensais
9. Abisha, Londres, Inglaterra – 2 mil ouvintes mensais
10. Pinky Pinky, Los Angeles, Estados Unidos – 10 mil ouvintes mensais
11. Partner, Sackville, Canadá – 10 mil ouvintes mensais

Dreamwife

Dream Wife, de Londres

DESCE

Quem caiu no patamar de ouvintes mensais:

1. Pip Blom, Amsterdã, Holanda – 60 mil ouvintes mensais
2. Dream Wife, Londres, Inglaterra – 60 mil ouvintes mensais
3. EUT, Amsterdã, Holanda – 30 mil ouvintes mensais
4. Skinny Pelembe, Joanesburgo, África do Sul – 80 mil ouvintes mensais
5. Another Sky, Londres, Inglaterra – 40 mil ouvintes mensais
6. Eyesore & The Jinx, Liverpool, Inglaterra – 782 ouvintes mensais

bartees-strange-press-2019-cr-Joshua-Priestley-billboard-1548

Bartees Strange, de Washington/EUA

ENTRA

Quem chegou agora:

1.Isabeau Waia’u Walker, cantora indie-pop de Portland, Estados Unidos – 125 ouvintes mensais

2. Alidade, cantora de Nova York, Estados Unidos – 52 ouvintes mensais

3. Oh He Dead, soul rock de Washington, Estados Unidos – 1 mil ouvintes mensais

4. Katie Toupin, cantora indie-rock de Los Angeles, Estados Unidos – 10 mil ouvintes mensais

5. Dead Bars, banda indie de Seattle, Estados Unidos – 6 mil ouvintes mensais

6. Bartees Strange, cantor de Washington, Estados Unidos – 190 ouvintes mensais

7. Big Joanie, “punk feminista” de Londres, Inglaterra – 8 mil ouvintes mensais

8. Amy Studt, cantora pop de Londres, Inglaterra – 20 mil ouvintes mensais

9. Penelope Isles, banda indie de Brighton, Inglaterra – 10 mil ouvintes mensais

10. Otobokebeaver, banda punk de Kyoto, Japão – 30 mil ouvintes mensais

VAMOS ACOMPANHAR?

*** Uma colaboração de Vinicius Felix para a Popload! Vinicius é jornalista, tem obsessão por playlists e é o responsável pelo podcast Telefonemas. ***

>>