Em Banks:

Top 10 Gringo – Little Simz lançou música nova? Difícil não estar no topo. Falando de São Paulo ainda? E mais: Tyler, the Creator, Banks, Torres e Idles… e a Lorde de novo

>>

* Após algumas semanas tão movimentadas, dá para dizer que tivemos poucos lançamentos surpreendentes nesta última leva. Tanto que até mantivemos algumas coisas da semana passada no ranking por falta de novidades. E porque mereciam uma vinda mais longa no nosso ranking, talvez. O que será que anda acontecendo? Ainda assim o que separamos é ouro, lógico. Pode colar na gente para renovar sua playlist de descobertas.

littlesimzquadrado

1 – Little Simz – “Rollin Stone”
Acho que a gente combinou que todos os singles da Little Simz seriam número 1 por aqui, né? E anda dando muito certo, porque todos até aqui são impecáveis. E o que dizer de uma música que começa com os versos “Eu estava em São Paulo”? Essa primeira linha de “Rollin Stone” foi por nossa causa, porque ela veio para tocar no nosso festival. Logo temos já uma parte dentro da obra da nossa rapper britânica predileta. Se naturalmente daríamos o primeiro lugar para ela, imagina com essa motivação…

2 – Tyler, The Creator – “Lumberjack”
Após dois discos radiantes de tão pop, será que vamos ter novamente um Tyler, The Creator mais sombrio em seu próximo disco? É o que indica este single irritado com os haters de plantão e tirando uma onda com todo o reconhecimento e sucesso e grana que ele merecidamente conquistou neste ano. Bem Tyler, pois. Vamos ver o que vem nos próximos singles.

3 – Banks – “The Devil”
A californiana Banks retoma os trabalhos após o encerramento do ciclo do seu disco “III”, lançado em 2019, e começa dar as pistas do que pode ser seu novo trabalho em um single incendiário. Pelo título, pode ficar a impressão que o assunto envolve questões mais polêmicas, mas é Banks tratando sobre sua depressão e dores que sentiu após problemas no corpo e crises de ansiedade terríveis.

4 – Torres – “Hug from a Dinosaur”
Ainda neste mês teremos disco novo da TORRES, nome artístico em maiúsculas da Mackenzie Scott. Sim, ela lançou álbum no ano passado, mas já vem com o próximo. “Hug from a Dinosaur” saiu de um sonho dela e tem um clima de orgulhar Courtney Love. Ainda que seja bem mais leve que as coisas do Hole, tem uma onda ali que lembra um pouco – apesar de contar com um som doidinho de um instrumento não identificado por nós que corta a vibe roqueira da música sem deixar de fazer sentido.

5 – Idles – “Sodium”
Um barato ver o Idles um tanto quanto fora da zona de conforto, tendo que escrever baseado em uma obra de ficção de terceiros, no caso, um quadrinho, cuja música faz parte da trilha sonora – sim, parece que é uma tendência esse lance de trilhar quadrinhos _ não é a primeira vez que damos uma trilha de HQ aqui. A música é arrastada, climática, nem dá para imaginar eles tocando ela nos shows. Outro rolê mesmo. Mas bem interessante. Porque Idles.

6 – Tigercub – “Sleepwalker”
Caramba, Josh Homme se escutar isso aqui vai ficar enciumado ou bravo de tanto que lembra o Queens of the Stone Age. Para inglês ver, claro. E ouvir. Mas não é descarado a ponto de ser sacana, pela menos na nossa avaliação. Referências estão aí para serem usadas. E, para ser justo com Jamie Stephen Hall, a voz do Tigercub carrega mais no sentimento que o cínico Homme, um diferencial e tanto. Até porque o álbum todo ainda traz outros climas.

7 – Modest Mouse – “The Sun Hasn’t Left”
Dá para dizer que o Modest Mouse entrou na onda do indie mental health. A reflexão aqui é um daqueles chamados para todos tomarem um ar e observar as coisas ao redor. Sim, “o mundo anda tão complicado”, reflete a letra, mas o sol está por aí, o mar também e nossos amigos e amores não precisam se reduzir a uma tela – sim, tem a pandemia que eles se esqueceram de mencionar, mas eu sei que antes você já andava relapso quanto a isso, né? Ansiosos para esse novo álbum do Modest Mouse? Saí nesta semana.

8 – Lorde – “Solar Power”
Seguimos sem saber o que pensar da nova onda da Lorde. Aquela tese de que este single é mais um teaser do que está por vir. Uma semana de repetidas audições mantiveram a música bem cotada, em todo caso. Massa que ela resolveu dispensar CDs e vinis em nome do meio ambiente – seu novo álbum será totalmente digital, ainda que role adquirir uma versão com o download em uma embalagem caprichada, como se fosse um disco mesmo. Imaginação ecofriendly necessária, pode ser.

9/10 – Sleater-Kinney – “Complex Female Characters”. José González – “Head On”
E, já que é para repetir música da semana passada, vamos com duas logo, essas belezinhas da Sleater-Kinney e do José Gonzáles, né? Merecem uma vida mais longa por aqui. Você já sacou estes sons? São daquelas canções que ficam na cabeça por uns dias. As SK por tocar na questão de um machismo pouco debatido, que é aquele feminismo de conveniência que alguns homens adotam. E González e suas questões contra essas pessoas perto de você que atrapalha um andamento digno da humanidade. Você sabe de quem falamos. Contra todos esses, segundo o sueco, cabeça erguida.

*****

*****

* A imagem que ilustra este post é da rapper e cantora britânica Little Simz.
* Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix.

>>

Com arranjos sinfônicos, BANKS faz apresentação chique no programa do Colbert

>>

Foto: Scott Kowalchyk/CBS ©2019 CBS Broadcasting Inc. All Rights Reserved.

Foto: Scott Kowalchyk/CBS ©2019 CBS Broadcasting Inc.

A talentosa cantora Banks está de rolê pela América do Norte para divulgar seu novo disco, “III”, lançado em julho deste ano. E a mais recente ação de divulgação da moça foi no Late Show do Stephen Colbert, na noite de ontem.

No programa, ela mostrou uma versão orquestrada do single “Contaminated”, uma das principais faixas entre as 13 do disco.

Quando Banks lançou “III”, ela disse que este novo disco é bastante confidente. “O álbum documenta um grande surto de crescimento. De auto-aceitação, desapego, perdão e amor profundo. Tem sido doloroso perceber que a vida não é preta e branca. O romantismo leva a verificações ferozes da realidade, o que leva à sabedoria, a uma empatia mais profunda, que leva a um amor maior. Este álbum documenta um ciclo”.

Confira abaixo a bela performance no Colbert.

>>

Às vésperas do lançamento de seu terceiro álbum, Banks mostra a bela e sofrida “Contaminated”

>>

Há mais ou menos um mês, a talentosa Banks anunciou o lançamento de “III”, seu terceiro disco de estúdio, como o título sugere. Na ocasião, ela apareceu com o single “Look What You’re Doing”.

Agora, a menos de 24 horas do lançamento oficial do álbum todo, a cantora mostrou “Contaminated”, mais uma amostra do projeto, que é o primeiro dela em três anos, tem 13 faixas no total, e a missão de seguir o bom caminho trilhado pelo seu antecessor, “The Altar”.

Na ocasião do anúncio, ela disse que o novo disco é bastante confidente. “O álbum documenta um grande surto de crescimento. De auto-aceitação, desapego, perdão e amor profundo. Tem sido doloroso perceber que a vida não é preta e branca. O romantismo leva a verificações ferozes da realidade, o que leva à sabedoria, a uma empatia mais profunda, que leva a um amor maior. Este álbum documenta um ciclo”.

III – Tracklist
01. Till Now
02. Gimme
03. Contaminated
04. Stroke
05. Godless
06. Sawzall
07. Look What You’re Doing To Me ft. Francis and the Lights
08. Hawaiian Mazes
09. Alaska
10. Propaganda
11. The Fall
12. If We Were Made of Water
13. What About Love

>>

Banks divulga detalhes de seu terceiro disco e libera a boa “Look What You’re Doing”

>>

BANKS_AlbumCover

Uma das garotas talentosas da música indie-pop que apareceu nos últimos tempos, a gata Banks está oficialmente com suas atenções voltadas para o seu terceiro disco de estúdio, que recebeu o singelo título “III”.

O projeto, primeiro da cantora em três anos, será lançado no dia 12 de julho e tem a missão de manter a boa pegada de “The Altar”, o seu antecessor elogiado. Junto com o anúncio do título e das 13 faixas, Banks também falou um pouco do disco.

“O álbum documenta um grande surto de crescimento. De auto-aceitação, desapego, perdão e amor profundo. Tem sido doloroso perceber que a vida não é preta e branca. O romantismo leva a verificações ferozes da realidade, o que leva à sabedoria, a uma empatia mais profunda, que leva a um amor maior. Este álbum documenta um ciclo”, disse ela.

Banks também aproveitou para divulgar o single “Look What You’re Doing”, com participação de Francis and the Lights.

III – Tracklist
01. Till Now
02. Gimme
03. Contaminated
04. Stroke
05. Godless
06. Sawzall
07. Look What You’re Doing To Me ft. Francis and the Lights
08. Hawaiian Mazes
09. Alaska
10. Propaganda
11. The Fall
12. If We Were Made of Water
13. What About Love

>>

Banks grava novo som para trilha da série “Girls”. Ouça a balada “Crowded Places”

>>

030816_banks2

Uma dessas novas meninas que o indie tem oferecido com certo ar de mistério, a gata Banks, que faz um som meio complexo, já linkado a nomes como SIA e FKA twigs. Ou seja: garota nada fácil.

Ela, que tem dois bons discos no currículo, soltou uma baladaça chamada “Crowded Places”, inserida na trilha sonora da atual temporada da série “Girls”, feita em parceria com Jack Antonoff.

Banks atualmente segue com a turnê de seu mais recente disco, “The Altar”, lançado ano passado. No meio do ano ela tem uma série de shows na Ásia e Oceania para fazer. Dá para a gente acompanhar daqui. E vamos.

>>