Em baxter dury:

Príncipe das lágrimas, o insólito Baxter Dury faz show luxo para os franceses (e semana que vem para os… argentinos)

>>

Captura de Tela 2017-12-07 às 7.43.12 AM

* Com um forte senso de humor, um sotaque britânico de arrepiar e uma carreira tardia, Baxter Dury, o dândi inglês de cantos falados, um dos artistas esquisitos prediletos desta casa, se apresentou nesta semana em Paris, no Le Trianon, com registro na íntegra para a TV francesa.

O show faz parte da atual turnê do disco “Prince of Tears”, lançado em outubro deste ano, e que deve trazer o cantor nas próximas semanas para terras vizinhas, no incrível BUE Festival, na Argentina. Esta será sua única passagem por terras “americanas”, já que atualmente ele só está excursionando pela Europa. O festival também conta com Gorillaz, Arcade Fire e Cigarettes After Sex no line-up, estes sim escalados para vir ao Brasil proximamente. Baxter, infelizmente, só vai passar aqui em nosso espaço aéreo.

Sempre com aquele ar meio Serge Gainsbourg, meio Jarvis Cocker, acompanhado de um coro feminino lindo, mister Dury até arrisca umas dancinhas, mas faz um show com muita classe envolvida. As emoções por aqui são muitas, será que não vamos visitar os hermanos?

Eis uma hora e meia de mister Dury, o filho do Ian, ao vivo para os franceses (porque para os brasileiros…)

>>

Agora está tudo bem. O incrível Baxter Dury voltou, com “Miami”, sua nova música predileta

>>

Captura de Tela 2017-09-04 às 7.34.34 AM

* Uma das vozes mais legais do indie pop atual, muito por causa do sotaque britânico absurdo, o inglêsíssimo Baxter Dury está de volta com música inédita, “Miami”, que abre caminho para o álbum novo. A canção vai estar em “Prince of Tears”, seu quinto disco, a sair dia 27 de outubro.

De carreira bem errante, Baxter Dury lançou quatro álbum apenas em 15 anos, o último deles em 2014, o incrível “It’s a Pleasure”, disco que o botou de vez na música e em shows etc. Tanto que o disco renderá uma apresentação em dezembro no Bue Festival, de Buenos Aires, aparentemente sem espirrar em solo brasileiro.

Baxter é filho, gosto sempre de lembrar, de uma das mais conhecidas figuras da história punk, o músico e ator Ian Dury, morto em 2010. À custa do pai, já apareceu em capa de disco no punk, quando criança, e foi interpretado em filmes etc.

Seu jeito de cantar, meio cafajeste, meio romanticão, acompanhado sempre de um coro feminino, suas roupas de dândi, tudo lembra uma versão inglesa atualizada e Serge Gainsbourg, mais ou menos.

Olha que maravilha essa “Miami”, o vídeo com fundo preto e branco, a música em si, o pop classudo, o sotaque, as caras de Baxter Dury. Certeza que não vamos à Argentina vê-lo cantar?

>>

Alô, Brasil! Bue Festival, de Buenos Aires, confirma Gorillaz, Arcade Fire, Major Lazer e outras maravilhas

>>

arcade

* Ainda estamos esperando a confirmação dos shows do grupo canadense Arcade Fire (foto) aqui no Brasil, em dezembro (SP é certeza), info adiantada pela Popload no começo da semana. E a banda-desenho inglesa Gorillaz, infelizmente, deve vir para cá só para o Lollapalooza de Interlagos, em 2018, outra notícia que demos.

Mas a confirmação agora há pouco do line-up do BUE FESTIVAL de Buenos Aires, que acontece nos dias 15 e 16 de dezembro no “Anhembi deles”, o Tecnópolis, deixa não só o evento argentino muuuuuuito convidativo para um rolê de fim de semana por lá, como pode desdobrar para cá uns outros showzinhos bacanas.

O grupo-bagunça Major Lazer, do Diplo, o lindo cantor inglês Baxter Dury, os absurdos Parquet Courts em palco mais apropriado, o rapper bamba californiano Vince Staples, entre outros, torna o BUE obrigatório, pela proximidade.

Confira o vídeo de apresentação das atrações do festival argentino. E vamos ficar de olho nessa galera que faz show no Brasil, para ver o que sobra aqui para nós além do Arcade Fire. Conhece alguém?

>>

Popload, agora, em Barcelona. Festival Primavera Sound tem de Baxter Dury a Einstürzende Neubauten

>>

* Popload na Espanha. Na cidade do Neymar. E nove horas de fuso depois do Sasquatch Festival americano.

Screen Shot 2015-05-28 at 8.40.55

* O Primavera Sounds, que nos últimos anos virou um dos principais festivais da Europa e praticamente já está rolando desde segunda-feira, mas faz o bicho pegar mesmo de hoje a domingo no belíssimo Parc del Fòrum e no Macba (Museu de Arte Contemporânea de Barcelona), vai sim ter o incrível inglês Baxter Dury e a armada barulhenta experimental alemã, rediviva, Einstürzende Neubauten. Mas no meio tem também Strokes, Belle & Sebastian, Caribou, Patti Smith, Underworld, Black Keys, Panda Bear, Ride, Alt-J, Interpol, The Church, Foxygen, James Blake, Health, Tori Amos, Mac DeMarco, Syvan Esso, Run the Jewels, Spiritualized, Tyler the Creator, Strand of Oaks. Swans, Replacements, Thurston Moore e dezenas de outras.

* Fora a “nobre” esquadra brasileira, representada na Espanha por Câmera, Jaloo, Camarones, Do Amor, Terno Rei e Wry, trazida em parte pelas agitadoras Connstrutora Musical de Goiânia e a Balaclava de São Paulo.

* A Popload tem ainda para descarregar aqui toda a carga informativa do paradisíaco Sasquatch Festival, das cercanias de Seattle. O que vai começar a acontecer amanhã, misturado com as primeiras movimentações do Primavera. A correria de viagem impediu o adianto do material do Sasquatch. Não está fácil para ninguém, view!!!

>>

O inglês Baxter Dury enquanto rei do indie francês

>>

110315_baxter1

Baxter-fucking-Dury. Um britânico de 42 anos, quatro discos em 12 de carreira, até pouco tempo atrás conhecido apenas como o filho do Ian Dury, nome forte do punk e da new wave. Ele, Baxter, lançou um dos melhores discos do ano passado, “It’s a Pleasure”, carregado de músicas doces, letras incríveis, cantadas (ou quase faladas) em um sotaque britânico de matar. Essas canções são quase em jogral com uma ou duas garotas que cantam, “com voz de garotas”, mesmo.

Uma das particularidades de Baxter Dury é que, talvez por este som mais sensível, ele foi tipo absorvido pelo indie francês. Desde quando lançou o álbum, em outubro, o britânico tem passado mais tempo em Paris do que em Londres. Quase uma nova versão indie do Jarvis Cocker, guardadas as devidas proporções.

Nos últimos quatro ou cinco meses, para se ter ideia, ele fez session classe para o gigante jornal francês “Le Figaro”, tocou em umas três ou quatro oportunidades em Paris, incluindo uma festa cool da revista supercool “Les Inrockuptibles”. Tocou mês passado no luxuoso teatro Olympia. Suas canções estão nas rádios a todo momento. Tem shows em cidades pequenas de hoje até sábado. E fez outra session.

No programa Monte Le Son, Baxter Dury mostrou o pequeno hit “Pleasure”, em apresentação intensa de um technopop 80’s vindo de 2030. Não?

Ele é um dos grandes nomes escalados para o festival espanhol Primavera Sound, em maio.

>>