Em Blur:

Damon Albarn por todo lugar: na TV, no rádio, com disco novo, tocando Blur, fazendo cover…

>>

* Damon Albarn é o cara. Lançou seu lindaço segundo álbum solo na última sexta-feira, o “The Nearer the Fountain, More Pure the Stream Flows”, vai vir com tudo para shows na América do Sul no ano que vem com o Gorillaz e anda tocando Blur em sessions e apresentações recentes. Olha o repertório de boas músicas que ele acumula!!!

Do dia que saiu o disco para cá, a gente juntou algums momentos de Damon Albarn nos últimos dias espalhando sua música em rádio britânica, TV americana e até fazendo cover incrível de banda absurda.

Resumindo, abaixo temos Albarn mandando uma performance da absurda “Dakrness to Light”, do disco novo, para o programa do Jimmy Fallon, tocando o superhit “Don’t You Want Me”, do Human League, na Radio 2 (programa da maravilhosa Jo Whiley), e encerrando seus shows no Pryzm Kingston, no sul de Londres, e na loja Rough Trade, no East, com a clássica “Beetlebum”, do Blur, ao piano.

>>

Damon Albarn mostra ao piano seu single novo, e mais uma do Blur, no Jools Holland

>>

* No último sábado, na TV inglesa e com extensão ao Youtube, passou uma especialíssima de bonita session do multitalentos-multibandas Damon Albarn, o cara do Blur, o cara do Gorillaz e também, quando novembro chegar, o cara que também sabe levar sozinho sua carreira, se apresentou no famoso programa do músico e apresentador britânico Jools Holland.

Albarn, que se firma solo em pouco mais de um mês com o segundo álbum que leva seu nome, o “The Nearer the Fountain, More Pure the Stream Flows”, tocou, voz e piano, duas músicas para o Jools.

Foram “No Distance Left to Run”, do Blur, e a novinha “Royal Morning Blue”, o quarto single mostrado desse seu futuro novo disco solo, que já nos tinha dado “Polaris”, “Particles” e a faixa-título.

Além das belas músicas na voz incrível de Albarn, foi bom ver que ele cortou aquele mullet esquisito (para não dizer feio) que ele vinha sustentando. Mas enfim:

>>

Damon Albarn e seu mullet lançam música nova. Ouça a bela “Polaris”, que também ganhou vídeo ao vivo

>>

Captura de Tela 2021-07-06 às 3.08.36 PM

* Mister Damon Albarn, o cara do Gorillaz e O CARA do Blur, entre outras bagunças sonoras variadas em que se mete, vem aí com seu segundo disco solo, “The Nearer The Fountain, More Pure The Stream Flows”, que vai ser lançado no dia 12 de novembro apenas.

Originalmente concebido como uma peça orquestrada inspirada nas paisagens da Islândia”, palavras dele, o disco solitário, apenas ele e esse mullet zoado que tem ostentado, vai trazer conversas sonoras sobre fragilidade, perda, emergência e renascimento. O primeiro disco solo de Damon Albarn, “Everyday Robots”, é de lááá de 2014, e o moço aproveitou a solidão do lockdown a que fomos submetidos para, enfim, trabalhar sozinho.

Então, como vemos os temas abordados são apropriados, achamos. Já pudemos sentir o que é isso com o belo primeiro single, faixa que leva o mesmo nome do álbum. E hoje temos o segundo exemplar da empreitada rumo à introspecção de Albarn, a ainda mais bela “Polaris”.

A música foi ao streaming e também veio em forma de performance ao vivo, tirada do filme que vai acompanhar todo o novo álbum, o “The Nearer The Fountain, More Pure The Stream Flows”.

“Polaris”, ao que consta, é uma evocação à estrela-guia que possa conduzir aqueles que perderam o rumo com esta situação anormal que entramos com o vírus, desde o ano passado.

Esse filme preto e branco ao vivo faz parte da série “Sublime Boulevards – Performance Films”, que traz Albarn acompanhado de uma bandaça ao vivo, incluindo um quarteto de cordas.

Ele pode ser visto aqui embaixo, em toda a sua grandiosidade. Na sequência, o tracklist de “The Nearer The Fountain, More Pure the Stream Flows”, algumas delas tendo aparecido na performance de Albarn na recente edição online do Glastonbury, e a lista de shows futuros dele no Reino Unido e Europa, em 2022. Porque, obviamente, vamos acompanhar tudo daqui.

*****

** O tracklist do disco:
1. The Nearer The Fountain, More Pure the Stream Flows
2. The Cormorant
3. Royal Morning Blue
4. Combustion
5. Daft Wader
6. Darkness to Light
7. Esja
8. The Tower of Montevideo
9. Giraffe Trumpet Sea
10. Polaris
11. Particles

** As datas da turnê 2022
21 e 22 Fevereiro – London (Barbican)
23 e 24 Fevereiro – Dublin (National Concert Hall)
26 Fevereiro – Luxembourg (Philharmonie)
28 Fevereiro – Brussels (Bozar)
1 Março – Brussels (Bozar)
2 Março – Eindhoven (Muziekgebouw)
4 e 5 Março – Paris (Philharmonie)
6 Março – Lyon (Auditorium)
7 Março – Hamburg (ElbPhilharmonie)
9 Março – Copenhagen (KB Hallen)
11 Março – Reykjavik (Harpa)

>>

Top 10 Gringo – Black Midi no topo com “baladinha”. As Bachelor na segundona. Girl in Red cata o terceiro posto. Tem para todo mundo

>>

* Semana com músicas para todos os gostos aqui no nosso Top 10. Tem aquele indie rock que é a preferência da casa, mas também trazemos lances experimentais, rap, R&B introspectivo… Até uma faixa de spoken word a gente incluiu, galera. E tem provocação para os Gallaghers, uma prática que a gente mantém sempre que temos a chance. Mas é amor. Ah, e como tudo fica lindo na nossa playlist. Leia a ouvindo. Ou ouça nos lendo. Você manda.

top10blackmidiquadrado

1 – Black Midi – “Marlene Dietrich”
De tantas músicas intensas do novo álbum do Black Midi, vamos com a que começa com um violãozinho inesperado, ainda mais após a barulheira da faixa de abertura. Quem leu a nossa entrevista com Geordie Greep, o vocalista banda, aqui na Popload, descobriu que eles manjam de Egberto Gismonti e João Bosco. Repertório, gente.

2 – Bachelor – “Stay in the Car”
Ellen Kempner (Palehound) e Melina Mae Duterte (Jay Som) são duas garotas com uma boa estrada no mundo indie, com suas respectivas bandas. No Bachelor a dupla se reúne para um poderoso mix. É até complicado categorizar o som da dupla: tem guitarra, tem momentos mais climáticos, quase lo-fi, mas nem tanto assim. Sem dúvida uns dos discos mais interessantes da semana.

3 – Girl in Red – “Midnight Love”
Voltamos a este bom momento do álbum de estreia da norueguesa Girl In Red por conta de uma session dela na emissora americana Sirius XM, ao piano, que dá uma outra cara a essa música. Já era uma balada (ainda que com um certo groove) na versão do disco, mas que ainda mais em uma versão seca, só piano e voz.

4 – Sleater-Kinney – “High in the Grass”
Uma música que, se entendemos bem, é uma grande ode à curtição, aproveitar os momentos mesmo. E mais uma prova de que esse disco da dupla americana Sleater-Kinney que vem por aí, “Path of Wellness”, já é um sério concorrente na sua lista de favoritos do ano.

5 – Cola Boyy – “Don’t Forget Your Neighborhood”
A gente costuma olhar meio feio para o algoritmo do Spotify, mas temos que confessar que eles nos deram um presente nesst semana. Por seguirmos os australianos do Avalanches, a plataforma recomendou a participação deles neste som deste jovem multiinstrumentista californiano. E que vibe esse Cola Boyy é capaz de criar. Atenção nele. Já colamos no Cola.

6 – Nayana Iz – “Breaking Point”
Ouvidos no som dessa indiana que cresceu em Londres. Presença constante em lista de nomes que prometem, ela lançou ano passado um bom EP e chega a 2021 com um single bem interessante alternando seu talento para rimar em um flow irresistível e conduzir um refrão com sua voz doce. Do clubinho lindo da Little Simz e da Arlo Parks.

7 – Smino – “Rice & Gravy”
A gente deixou passar este bom single do rapper americano Smino, mas a bela session dele no COLOURS fez a gente se tocar que estava perdendo um musicão. Talvez seja um primeiro sinal do seu terceiro álbum, que ia rolar em 2020, mas ficou no ar para este ano.

8 – The Wombats – “Method to the Madness”
Queridinho grupo indie da década passada e relativamente sumidos mesmo quando andaram lançando disco (você nos entende…), o trio de Liberpool retomou bem os trabalhos com uma bela balada que anuncia a chegada de seu quinto álbum, o primeiro em três anos, ainda sem mais detalhes.

9 – Nick Cave – “Letter to Cynthia”
Spoken word pode? Do Nick Cave pode. De um carta que ele escreveu para um fã, a faixa traz uma ambiência musical para um texto poderoso do músico sobre conversarmos com as pessoas que perdemos. No pensamento de Cave, que admite conversar com seu filho, ele ressalta que ainda que seu filho não esteja lá, a ideia de sua presença é uma força humana que todos têm de cuidar. Ele aconselha: “Crie seus espíritos. Ligue para eles. Eles estarão vivos. Fale com eles”. Por enquanto só no Youtube. Mas está lá, profunda.

10 – Blur – “Out oF Time”
Na disputa futeboleira entre Chelsea e City, que remete ao duelo clássico do britpop Blur x Oasis, deu Chelsea. E por isso homenageamos aqui o ilustre torcedor da equipe de Londres com uma música do Blur que Damon Albarn resgatou em sua apresentação no Glastonbury virtual de uns dias atrás. Uma belezinha do álbum “Think Tank”, lá de 2003, que envelheceu magistralmente.

****

****

* A imagem que ilustra este post é do agora trio inglês Black Midi.
* Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix.

>>

Blur ganha outra batalha contra o Oasis, desta vez no futebol. Chelsea, campeão da Champions League e time do Damon Albarn, zoa rival com as letras dos Gallagher

>>

* A cultura pop britânica é maravilhosa. Ainda mais associada ao futebol. A final do maior torneio de clubes do planeta, a europeia UEFA Champions League, aconteceu sábado passado com dois times ingleses como protagonistas: o Chelsea e o Manchester City.

Captura de Tela 2021-05-31 às 11.00.52 AM

Assim que os dois finalistas foram conhecidos, apressadamente os britânicos já polarizaram a disputa, trazendo para o campo musical. Virou o time do Oasis contra o time do Blur. O Manchester City é o notório time dos irmãos Gallagher, Noel e Liam, que se odeiam mas são unidos pelo amor declarado constantemente pelo mesmo clube. Do lado do Blur, o vocalista Damon Albarn, que também é do Gorillaz, é um famoso torcedor do Chelsea.

No ano passado, os rivais do britpop Blur e Oasis comemoraram 25 anos da famooooosa batalha que aconteceu em agosto de 1995, quando as bandas, no auge de suas popularidades e da popularidade do movimento, lançaram um single no mesmo dia: “Roll with It”, no caso do Oasis, “Country House”, pelo Blur. Está tudo contado aqui.

Mas o negócio é que foi algo que dois grupos de porte grande dificilmente fazia: botar nas lojas singles e álbum no mesmo dia que o outro. Aí virou guerra. Das bandas, dos fãs, das vendagens. E, neste caso específico, o Blur ganhou.

E ganhou de novo no último sábado, desta vez no futebol, 26 anos depois então da batalha do britpop.

A partida decisiva entre Man City x Chelsea, do sábado, foi disputada em jogo único no Porto, em Portugal. E o mais-ou-menos azarão Chelsea fez 1 x 0 no timaço do supertécnico Guardiola.

DETALHE: como você pode ver aí embaixo, tanto Noel e Liam Gallagher como Damon Albarn viajaram a Portugal para ver a finalíssima da Champions League. No caso dos irmãos do Oasis, foram separados, claro.

Captura de Tela 2021-05-31 às 2.26.46 PM

***

DETALHE 2: O Man City do Guardiola e do Noel/Liam vem ganhando títulos ultimamente e toda vez as canções do Oasis são cantadas no vestiário. Principalmente “Wonderwall”. Na última conquista da poderosa liga inglesa, faz uns dez dias, Guardiola fez um vídeo cantando o hino “Don’t Look Back in Anger” todo felizão e talvez um pouquinho alcoolizado haha. Quando Pep Guardiola chegou do Bayern de Munique para assumir o Manchester City em 2016, o time inglês preparou uma grande apresentação em que, para os jornalistas, Noel Gallagher recepcionou o treinador, com uma grande entrevista aberta.

DETALHE 3: Um dos times de Londres mais odiados pelos ingleses por conta de ser de um bairro rico, “de playboy”, o Chelsea é também um dos mais queridos por conta de seu passado musical. Foi o berço do punk inglês nos anos 70, quando nasceu dentro da loja da estilista Vivienne Westwood, a “loja dos Sex Pistols”, e era a banda dos integrantes do mitológico The Clash, que fizeram o seminal disco “London Calling” num estúdio numa das ruas perto do estádio do Chelsea.
Essa coisa playboy x galera da classe trabalhadora alimentou muito o britpop, porque o Blur foi montado em escola de arte e o Oasis, por moleques de rua de Manchester.

Enfim, o Chelsea ganhou a finalzaça da Champions League do City. Ou seja, o Blur ganhou mais essa do Oasis. E a zoeira da conta do Chelsea nas redes com memes que trazem letras da banda rival rolou forte. E maravilhosa.

Captura de Tela 2021-05-31 às 10.44.04 AM

Captura de Tela 2021-05-31 às 10.43.43 AM

Captura de Tela 2021-05-31 às 10.43.16 AM

Captura de Tela 2021-05-31 às 10.43.34 AM

Captura de Tela 2021-05-31 às 10.44.34 AM

>>