Em bob dylan:

Viva Bowie: Covers inéditos do inglês para músicas de John Lennon e Bob Dylan são lançados hoje

>>

Captura de Tela 2021-01-08 às 4.43.25 PM

Já conversamos um pouco sobre o aniversário de Bowie hoje, mas estamos aqui para falar mais novidades à cerca de um dos seres humanos mais ilustres que já viveram neste plan(o)eta. No caso, dois covers inéditos para canções de Bob Dylan e John Lennon lançadas nesta sexta-feira nos streamings.

A cover de Bob Dylan é da faixa “Trying to Get Heaven”, um som do (excelente) álbum “Time Out of Mind”, de 1997. A gravação de Bowie data de 1998, na época em que mixava seu disco ao vivo “LiveAndWell.com”. Já o Lennon selecionado é das mais sentidas do músico: “Mother” da estreia solo do ex-beatle, “John Lennon/Plastic Ono Band”, de 1970. A versão de Bowie também é de 1998 e foi pensada para um coletânea que não deu certo.

As faixas estão em todas as plataformas de streaming e saíram também em vinil. Os compactos numerados e limitados já estão esgotados, lógico. Raridades.

Parecem escolhas aleatórias, mas é Bowie gravando seus ídolos. Quando a gente considera que a estreia dele saiu em 1967, perto de grandes lançamentos dos Beatles e Bob Dylan, é comum associá-lo a esse período – mesmo que sua carreira tenha virado mais nos anos 70 e dado mil voltas nos anos seguintes.

Acontece que aquele garoto nascido em 8 de janeiro de 1947 tinha só 15 anos quando esses seus ídolos se tornaram fenômenos pop. Acho que isso dá um significado especial em ver Bowie interpretando canções de Dylan e Lennon.

Ainda que neste olhar daqui de 2021. Pensa: David Bowie interpretando Bob Dylan e John Lennon. Olha a dimensão disso.

>>

Hanukkah Sessions: Dave Grohl vai ao Bob Dylan na cover do dia

>>

Captura de Tela 2020-12-15 às 12.05.14 PM

* No projeto de covers judaicas diárias para a comemoração da festa Hanukkah, o alucinado por projetos Dave Grohl, na função baterista, que nem é judeu, se juntou ao parceiro Greg Durstin, produtorzaço, compositor grande e ele sim judeu, para juntos fazer uma versão de clássicos do rock, ou indies, ou pop, para cada um dos dias da festividade.

São nove dias. Desde o dia 10 até sexta que vem, dia 18.

E Grohl e Durstin já aprontaram cinco covers: Beastie Boys, Drake, Mountain, Peaches e, ontem à noite, subiram no canal do Foo Fighters a versão de “Rainy Day Women #12 & 35”, famoooosa e polêmica música do lendário Bob Dylan, que abriu lá atrás o álbum “Blonde on Blonde”, de 1966, e foi banida das rádios depois de inicialmente muito tocada porque “perceberam” o que estava bem na cara depois de um tempinho: que a canção fazia muitas menções à chapação por drogas.

Essas covers de Dave e Greg estão muito massas: o ex-Nirvana na bateria e cantando e o produtor tocando o que for preciso para a música em forma de homenagem sair quase perfeita. Tipo esta, em que botaram até um filtro “1966” no vídeo:

https://youtu.be/iNRptxKHDGM

*****

** Amanhã tem mais!

>>

Com quase 80 anos de idade, gigante Bob Dylan solta seu primeiro disco de inéditas desde 2012

>>

190620_dylan2

A sexta-feira amanheceu especialíssima, já que o senhor Bob Dylan soltou “Rough and Rowdy Ways”, seu primeiro disco em oito anos. Ele, Dylan, completou 79 de idade recentemente.

O álbum, que aborda temas como morte, imortalidade e preocupação com o mundo, é puxado por canções mais extensas, entre elas os singles “Murder Most Foul”, que tem 17 minutos de duração e fala sobre o assassinato de John F. Kennedy, e ainda “False Prophet”, que ultrapassa a marca de seis minutos.

Apesar de ter sido um sujeito que trabalhou bastante com coletâneas nos últimos anos, incluindo o lançamento de um disco de sessions com Johnny Cash, Bob Dylan tem como último trabalho original o álbum “Tempest”, de 2012. Este novo disco tem 10 faixas, dispostas em um álbum duplo.

>>

Bob Dylan sacode a poeira, mostra ótimo single e anuncia primeiro disco de inéditas em oito anos

>>

301014_dylan2

Perto de completar 79 anos de idade no próximo dia 24, o histórico Bob Dylan está armando para 19 de junho o lançamento de “Rough and Rowdy Ways”, seu primeiro disco inteiramente de inéditas em oito anos.

Nos últimos meses, o lendário cantor e compositor norte-americano andou dando pistas de que estava trabalhando em um novo projeto. Primeiro, ele soltou “Murder Most Foul”, uma canção de 17 minutos sobre o assassinato de John F. Kennedy. Em seguida, divulgou “I Contain Multitudes”, título extraído de um poema de Walt Whitman.

Nesta sexta, Dylan chegou com um anúncio mais robusto. Além de confirmar o nome e data de lançamento do álbum, ele também lançou o single “False Prophet”, que dura seis minutos e tem uma capa um tanto desconfortante.

Apesar de ter sido um sujeito que trabalhou bastante com coletâneas nos últimos anos, incluindo o lançamento de um disco de sessions com Johnny Cash, Bob Dylan tem como último trabalho original o álbum “Tempest”, de 2012. Este novo disco terá 10 faixas e será lançado em disco duplo.

>>

Em campanha por Bernie Sanders, Jack White toca White Stripes e Bob Dylan em Detroit

>>

Foto: JEFF KOWALSKY/AFP via Getty Images

Foto: JEFF KOWALSKY/AFP via Getty Images

Com as malas quase prontas para embarcar no Brasil com o incrível The Raconteurs, naquele show especialíssimo oferecido pelo Popload Festival, Jack White andou fazendo campanha eleitoral em Detroit na noite de ontem.

Apoiando o candidato à presidência dos EUA pelos democratas, Bernie Sanders, Jack tocou por quase meia hora na Cass Techinal High School, em set que tocou canções em versões acústicas como “Icky Thump” e “Seven Nation Army”, do White Stripes, e ainda uma cover de “License to Kill”, de Bob Dylan.

Depois da performance, Jack discursou e falou a razão pela qual apoia Bernie. “Eu não me associo particularmente a nenhum partido. Eu apenas ouço as coisas, quem está mentindo para mim e em quem eu posso confiar. Bernie Sanders está dizendo a verdade e é alguém em quem confio”.

A apresentação pode ser conferida na primeira meia hora do vídeo abaixo. O Raconteurs se apresenta no Popload Festival dia 15 de novembro, no Memorial da América Latina, em SP, ao lado de Patti Smith, Hot Chip, CSS e muito mais.

>>