Em bonifrate:

CENA – Politizado, Boogarins solta novo single com uma ajuda do Bonifrate

>>

cena

boogarins

O incrível Boogarins, banda de Goiânia que toca mais fora do Brasil do que aqui, revelou seu primeiro material inédito desde “Manual”, o discão cheio lançado ano passado, indicado ao Grammy Latino na categoria Disco de Rock em Língua Portuguesa.

O single novo é “Elogio à Instituição do Cinismo” e tem como norte a atuação situação complicada da política no país, seu cenário instável e como a população anda de saco cheio com todas as manobras, politicagens, trambiques e, atenção, golpes.

A faixa conta com a participação especial do Bonifrate, projeto musical comandado pelo Pedro Bonifrate, nome importante da cena carioca, um dos fundadores do Supercordas.

>>

Botando o chocalhinho para funcionar. Vem aí o novo disco do Supercordas

>>

Screen Shot 2015-09-16 at 15.15.45

* “Itinerarium Extaticum In Temporalibus”, “Sinédoque, Mulher”, “Espectralismo ou barbárie?”. É isso mesmo que você está pensando. A grande banda indie carioca Supercordas, do cultuado e culto Pedro Bonifrate, está de volta ao disco. O grupo, ex-quinteto-agora-quarteto, lança o álbum “Terceira Terra” em streaming no dia 2 de outubro, pelo atuante selo-corporação Balaclava Records.

“Terceira Terra” (capa abaixo) vem para dar continuidade à psicodelia floral, animal e terrena de “A Mágica Deriva dos Elefantes”, um dos discos mais elogiados da música independente nacional em 2012 e o segundo álbum da banda.

Supercordas_Terceira Terra

A lista de nomes legais das músicas do disco, que inicia este post, começa na verdade com a primeira faixa de “Terceira Terra”: “Fundação Roberto Marinho Blues & Co”. Veja o tracklist completo abaixo. O álbum contém a ótima “Sobre o Amor e Pedras”, já revelada aqui na Popload, tempos atrás, em dezembro.
single lançado há bem pouco tempo.

O grupo é formado por Bonifrate (voz, violão e guitarra), Diogo Valentino (baixo e voz), Filipe Giraknob (guitarra e percussão eletrônica) e Gabriel Ares (teclado e samplers). O baterista Santdro Rodrigues, o Digital Ameríndio, não está mais no Supercordas, embora tenha gravado o disco novo. Na foto da home da Popload, ele é reconhecidamente a figura central.

O Supercordas lança hoje ainda um teaser sobre o disco, gravado por Giuliano Gerbasi (autor da imagem do espantalho) no Estudio Canoa (Perdizes) e no lar da banda, Paraty, no Rio. Veja abaixo.

o tracklist:
Supercordas – Terceira Terra (2015)

01. Fundação Roberto Marinho Blues & Co.
02. Sobre o amor e pedras
03. Maria³
04. Colunas
05. Itinerarium Extaticum In Temporalibus
06. Primeira Terra
07. Sinédoque, mulher
08. Ipupiara
09. Espectralismo ou barbárie?
10. Segunda Terra
11. Terceira Terra

>>

Bonifrate revoluciona a arte do indie brasileiro, com novo vídeo. Mais ou menos isso

>>

premierepopload_10

* A Popload lança hoje o vídeo novo do Pedro Bonifrate, homem-banda carioca que lidera a psicodelia floral do Supercordas e tem um distinto trabalho solo quando tira o Pedro da frente e fica mais, digamos, urbano, musicalmente falando, embora ainda fale de “plantas inimigas” em letra. Em 2013 Bonifrate lançou o destacável “Museu de Arte Moderna”, disco que ganhou novo lançamento feliz por causa da versão vinil. Boa hora para corrigir o “erro” de não ter trabalhado logo essa bela “Revoluções”, em vídeo que seja, pois é uma das muitas boas canções do álbum solo. Mas daí que “Revoluções” chegou em vídeo então, montado pelo próprio cantor a partir de imagens velhas de internet. Não da velha internet, veja bem. O próprio Bonifrate explica tudo para nós, ali embaixo.

Screen Shot 2015-04-30 at 12.32.05

Ele, claro, cooptado pelo selo Balaclava, que anda fazendo só coisas boas para a movimentação indie nacional tanto pelos artistas que escolhe para lançar quanto pelos eventos que escolhe produzir. Molecada viva.

O bacaníssimo vinil do “Museu de Arte Moderna” traz a estampa da Balaclava na capa. O disco pode ainda ter download gratuito no site do Pedro himself.

E o novo vídeo velho é este aqui:

Bonifrate : Revoluções from Bonifrate on Vimeo.

** Fala, Bonifrate:

“Revoluções” foi escrita em 2012 para o álbum que veio a se chamar Museu de Arte Moderna. No mesmo ano, antes do disco ser lançado, já estava sendo tocada com a banda – é uma das que melhor funcionam no palco, e tende a ser mais pesada e guitarrada ao vivo.

Os versos são desses que permitem leituras muito diversas. Pode-se estar falando de um flerte que não deu muito certo, ou interpretada como a fala de um intelectual marxista à classe operária (o que é, alegoricamente, bem parecido com um flerte que não deu certo), isso para ficar só no que me ocorre. As pessoas sempre levantam interpretações inusitadas das minhas canções, o que é muito maneiro.

É certo que ela ganhou uma nova perspectiva depois de junho de 2013, principalmente com um refrão que é uma espécie de arenga aos pequenos revolucionários que existem em nós. “Vem, vamos correr os riscos.”

Já era tempo de fazer um clipe para ela, potencial single que é, aproveitando que o LP foi lançado há pouco em vinil pela Balaclava Records. Então montei uma narrativa não muito linear, mas um bocado figurativa, a partir de imagens de arquivo catadas na internet. Priorizei filmagens de levantes populares ou revoluções comunistas do século XX, mas couberam também alguns trechos de filmes mudos obscuros, principalmente soviéticos. Isso e mais um pouco, tudo organizado de modo a trazer uma perspectiva sobre a tremenda confusão política-ideológica em que nos encontramos agora.”

** Foto deste post: Thalita Aguiar. Imagem da home: Daniel Moura.

>>

Supercordas volta a dar as caras. Veja o belo vídeo novo, cheio de imagens antigas

>>

premierepopload_10

* O cultuado grupo indie carioca Supercordas, quinteto capitaneado por Pedro Bonifrate, arma um retorno em disco para 2015, já antecipado no áudio de uma música nova, a ótima “Sobre o Amor e Pedras”, single lançado há bem pouco tempo.

A Popload traz agora com exclusividade a “cara” dessa canção, um inspirado vídeo produzido através de uma coleção de imagens de arquivo, registro de antigos shows da banda em São Paulo, Rio e BH. O Supercordas olha o futuro revisitando o passado, o que combina muito com a pegada psicodélica toda própria do grupo.

Screen Shot 2014-12-10 at 16.23.58

O terceiro disco do Supercordas, ainda sem título, sai pela valente gravadora-produtora paulistana Balaclava Records. A banda entra em estúdio em janeiro. O álbum, sucessor de “A Mágica Deriva dos Elefantes”, elogiado disco de 2012, deve sair com a estampa da Balaclava em meados de 2015, é a previsão.

E por onde andava o Supercordas?

Vamos ver, em primeira mão, o belo vídeo de “Sobre Amor e Pedras”. Depois o Bonifrate nos conta por que o Supercordas andou sumido.

Fala, Bonifrate!

“Bom, depois do ‘A Mágica Deriva dos Elefantes’, tivemos mais uma prole de trabalhos de outros projetos em que estamos envolvidos. O Sandro montou o Digital Ameríndio & American Bigfoot Mouse Mouse Joe e lançou o disco ‘Intensos Animais Imperceptíveis’, comigo e o Gabriel Ares também integrando a banda.”

“O Diogo andou produzindo e/ou sonorizando vários artistas em São Paulo, como a Stela Campos (com quem também toca ao vivo), o Inverness, o Rumbo Reverso.”

“Eu lancei mais um disco solo como Bonifrate, o ‘Museu de Arte Moderna’, e um EP, que agora estão saindo respectivamente em vinil e fita cassete pela Balaclava Records. Também produzi um EP de Simplício Neto & Os Nefelibatas, chamado ‘Fuscas & Dirigíveis’, e também estou tocando guitarra com a banda, em que o Gabriel também toca.”

“Eu e Giraknob estamos gravando aos poucos um outro projeto nosso, meio soul, meio noise. Entao dá para dizer que estivemos bem ocupados por aí, para além do Supercordas.”

“Há um ano, como Supercordas, começamos a gravar três faixas na casa do Diogo em Perdizes. Uma delas foi a ‘Sobre o Amor e Pedras’, que finalizamos no estúdio Canoa com o Guilherme de Jesus Toledo, e agora está ganhando esse vídeo do Giuliano Gerbasi, uma obra audiovisual bem frenética e emocionante que juntou diversas imagens de arquivo da banda, desde 2004, com planos que o Giu mesmo captou pelo interior de São Paulo, e shows mais recentes em que tocamos a música.”

“É o primeiro passo para voltar ao estúdio do Gui agora no verão e gravar o resto do novo álbum, que tende a ficar bem diferente de tudo o que rolou antes. Um pouco mais direto, um bocado mais político nas letras, um tanto mais kraut-rocker, mas ainda com canções fortes e, quem sabe, até assobiáveis.”

“O método de gravação deve ser mais espontâneo que o dos outros discos. Sempre tivemos muita clareza de onde chegaríamos no fim, o que acabou engendrando processos longos de gravação, mas agora estamos curtindo a ideia de entrar no estúdio com rascunhos e ver no que vai dar.”

“Sobre o que estamos ouvindo ultimamente, posso falar por mim, com alguns pontos em comum entre todos, eu imagino. Eu escuto muito kraut-rock, cada vez mais, escuto mais Can que qualquer outra coisa. No geral, estamos curtindo muito a onda psicodélica atual, do Tame Impala aos Boogarins. Tudo tem semelhanças com o que sempre fizemos, pelas referências em comum, mas também é provável que tenhamos agregado alguns desses novos valores ao nosso som.”

** As fotos deste post e da home da Popload são de Tay Nascimento.
*** O single de “Sobre Amor e Pedras” está para download no site da Balaclava.

O Supercordas é:
Pedro Bonifrate – voz, violão, guitarra e harmônica.
Diogo Valentino – voz e baixo
Filipe Giraknob – guitarra e percussão eletrônica
Digital Ameríndio (Sandro Rodrigues) – voz e bateria
Gabriel Ares – teclados e samples

>>