Em boss in drama:

CENA – Circadélica “sextou” em noite não-normal no Asteroid, com Boss in Drama, FingerFingerrr, The Shorts e mais

>>

popload_cena_pq

* Popload em Sorocaba. Já vi o Palmeiras ganhar uma e empatar outra com o São Bento, aqui. Tô invicto na cidade!

IMG_4521

Ontem, no clube Asteroid, foi a última noitada pré-festival no picadeiro. Dos que o #MQN20 me deixou ver, a banda paulistana fez um show truncado mas efetivo, trabalhando os silêncios e paradinhas (e falta de luz) com punk rock desgraceira, fazendo a molecada bater cabeça no clube do Wry. Antes, The Shorts, de Curitiba, fez um show estranho no melhor dos sentidos. A banda às vezes não combina: a vocalista parece a Debbie Harry testando o alcance da voz o tempo todo. A dança (o balanço) dela não combina com a música que está sendo tocada e isso vira charme. A baterista parece que está tocando no Nirvana, enquanto as guitarras e o baixo estão levando o som para um indie mais Pavement, trabalhadinho, menos grunge. Nada combina, tudo combina. Depois de tudo, o charmoso Boss in Drama fez a pista dançar com o bum bum tam tam até o chão eletrizando MC Fioti. Isso numa noite que começou com a poesia punk experimental sorocabana do Her (o termo não é meu) e seguiu com o Herod (SP) kraftwerkizando o Asteroid. Não foi uma noite simples. Os manos da versão pista do Trabalho Sujo fecharam a bagaça.

her2

Her

herod

Herod

shorts1

The Shorts

pericles

Boss in Drama

noites trabalho sujo

Noites Trabalho Sujo

* As fotos deste post e a do FingerFingerrr na home são de Fabrício Vianna.

>>

CENA – Sorocaba urgente!! Teve Circadélica Festival ontem. Vai ter hoje. Mas começa amanhã

>>

popload_cena_pq

* Popload em Sorocaba.

IMG_4521

Erramos. O Circadélica 2017 não começa amanhã, como afirma o post anterior, haha. ELE JÁ COMEÇOU ONTEM. E tem hoje ainda.

Em caráter de pré-festival, ou de festas de lançamento do festival, Sorocaba assiste no bacaníssimo clube Asteroid, um dos principais palcos indies fora de São Paulo, as noitadas de abertura do Circadélica.

IMG_4488

Ontem, no Asteroid, a ótima banda local The Name abriu a noite, a Popload DJ set continuou a festa com sons instigantes (rá!) e a carioca Mahmundi suingou linda no final. A prova está aqui embaixo.

_FAB9591

_FAB9654

* Hoje o heavy-opening do Circadélica segue intenso no Asteroid. A balada forte tem shows dos curitibanos Boss in Drama e The Shorts, o punk sujo-imundo hip hópico do paulistano FingerFingerrr, o local Her (Henrique Ravelli) e o pós-rock do Herod (SP). O parça Noites Trabalho Sujo (Alexandre Matias) mete um som na night.

Vamos estar lá para ver o que vai acontecer.

** As fotos da minha pessoa linda e da linda Marcela Mahmundi são de autoria do circadélico, poploader e local Fabrício Vianna.

>>

You wanted a hit: Boss in Drama mistura Lady Gaga com Molejo e cria um funk eletrônico

>>

140916_gagadrama_slider

DJ, produtor e cantor glam-pop, Péricles Martins, melhor conhecido como Boss in Drama, não poderia deixar passar batido o novo single da Lady Gaga, “Perfect Illusion”, lançado semana passada, com envolvimento de nomes como Kevin Parker, Josh Homme e Mark Ronson na gravação original.

A remix feita pelo agitador disco de Curitiba faz Lady Gaga cair no pancadão carioca, numa espécie de funk eletrônico. A cereja do bolo é a inserção da clássica “Cilada”, da banda de pagode Molejo. Pensa!!!

O link entre as canções de Gaga e Molejo parte do refrão de cada uma. Enquanto a faixa da cantora norte-americana possui linhas como “Não era amor / Não era amor / Foi uma ilusão perfeita”, a do grupo brasileiro tem as marcantes “Não era amor ô ô / Não era / Não era amor / era Cilada”. A internet, claro, não perdoou. A “semelhança” fez a canção do Molejo ter seu número de reproduções aumentar em 102% no Spotify. O single da Gaga está na casa das 7 milhões de audições. Imagina agora com a remix.

A versão, que vai bombar fácil nas pistas de dança indies pelo país, pode ser ouvida abaixo.

130916_gagamolejo2

>>

Encontros notáveis: Boss in Drama e… Mr. Catra

>>

* Acaba de sair o novo single do produtor, DJ e cantor glam-pop Boss in Drama, persona de Péricles Martins, agitador disco de Curitiba. Talvez o lado mais luxo e colorido da “séria” cena dos Novos Curitibanos.

Screen Shot 2014-04-01 at 8.28.38

A música se chama “Tropa de Elite” e vai estar no segundo álbum de Boss in Drama, que está sendo finalizado e terá várias participações especiais.

Em “Tropa de Elite”, batidão eletrônico lascado, quem bota vocal na música de Péricles in Drama é ninguém menos que o cantor carioca Mr. Catra, o macho-alpha do funk nacional.

“Tropa de elite”, no caso, é a tropa de mulherada de Mr. Catra viajando pelo mundo, de Barcelona a Dubai, com muita ostentação.

bosscap

Catra, que, acredite, já foi guitarrista de banda de rock, canta até em inglês em “Tropa de Elite”.

Novo Boss in Drama chega a ser viciante. Vai pegar um, vai pegar geral.

>>

A ceninha vai muito bem, obrigado. Estrelando Me & the Plant, Holger, Karol Conká vs. Boss in Drama e o incrível ALDO

>>

O exército de Branc… quer dizer, os valentes do som independente nacional andam trabalhando a todo vapor. E os resultados começam a aparecer na forma de vídeos, colaborações, remixes, álbuns… Nesta semana, a Popload estabeleceu contato com:

* O vídeo novo do Me & the Plant.
A bem boa banda indie carioca algo experimental, algo Velvet Underground chefiada pela dupla Vitor Patalano e a planta, que ainda conta com participações em disco e ao vivo de gente como o músico Kassin, fez um delicioso vídeo para a música “Cordillera Girl”, com imagens tiradas de uma trip que Vitor e o amigo gringo Juan Pablo Gariglio fizeram a Ushuaia, a cidade argentina que fica no fim do mundo. Literalmente. “Cordillera Girl”, aqui uma vibe belle&sebastiana, está no primeiro álbum do Me & The Plant, “The Romantic Jorneys of Pollen”, lançado em 2011.

Cordillera ::: Girl from Me & The Plant on Vimeo.

* O vídeo novo do Holger.
O grupo paulistano indie-tropicalista Holger, a maior banda de Axé fora da Bahia, lançou vídeo para a música “Se Você Soubesse”, que mostra todos da banda cantando tudo, tocando tudo e sensualizando. A canção é do álbum “Ilhabela”. Funciona muito mais ao vivo, mas é até bacana também na versão do disco. Falando em “Ilhabela”, o Holger, uma das boas atrações nacionais do Lollapalooza, continua com shows de lançamento para este segundo disco, que saiu no ano passado mas ganha apresentação “definitiva” dia 11 de abril agora no Sesc Pompeia, cheio de convidados.


* O encontro musical de Karol Conká vs. Boss in Drama

Ah, Curitiba… União da disco curitibana com o funk curitibano, um tapa na cara da sociedade brasileira. “Toda Doida” é o interessante encontro de Péricles in Drama dando remelexo ao funk duro de Karol Conká e resgatando uma brasilidade recorrente no som nacional que vai do som à figura da mulher “doida”. Tão tropical que se o Holger fizesse uma cover dessa música, com guitarras e botando a Laura do Bonde do Rolê ser a “Doida”, faria total sentido. Delicinha xuxu beleza.
E atenção: Karol Conká lança seu primeiro disco oficial na semana que vem. “Batuk Freak” vai dar o que falar, pelo papo que já provoca no bastidor musical brasileiro.

* O primeiro disco da banda ALDO
Excelente surpresa da cena paulistana é o disco do ALDO, banda-projeto dos irmãos Murilo e André Faria. O nome Aldo é homenagem ao tio dos Faria, Aldo, segundo eles “um doidão dos anos 80, que os fez homens antes da hora”. Murilo é o DJ Mura, conhecido da noite paulistana, que domina sintatizadores e teclados do Aldo, enquanto o irmão André toma conta do baixo e da guitarra. Os dois cantam, André é o principal. Daniel Setti empresta a bateria. Tudo funciona de modo impressionante: vocais, batidas, variedade sonora faixa a faixa. De difícil classificação, porque o ritmo no Aldo não é estático, mas “indie-eletrônico” quase disco, quase Cut Copy, quase Blue Orange, não é forçar a barra. Corre ouvir inteiro. Uma melhor que a outra.

>>