Em brian wilson:

Com Brian Wilson, Grimes, Pharrell e até uma bênção do Prince, Janelle Monáe divulga o aguardado álbum “Dirty Computer”

>>

270418_janelle2

A estilosa popstar Janelle Monáe botou na praça nesta sexta seu aguardadíssimo disco novo, “Dirty Computer”, uma das principais apostas para “melhor disco de 2018”.

O projeto é o primeiro dela em cinco anos e pinta como o sucessor do também elogiado “The Electric Lady”, que fez a cantora estourar em nível mundial no ano de 2013.

O álbum, terceiro dela na carreira, conta com um time pesado de convidados, incluindo o beach boy Brian Wilson, Pharrell Williams, Grimes e ainda Zoë Kravitz.

“Dirty Computer” tem também uma leve ajuda do saudoso Prince. À época em que começou a trabalhar a ideia do disco, Janelle pegou dicas com o astro sobre os equipamentos e direcionamentos musicais que o projeto deveria ter. “Isso é tudo o que você precisa”, teria dito Prince a Janelle, revelação feita pelo produtor Chuck Lightning em entrevista para a Rolling Stone.

Com diversas variáveis sonoras, mas sempre centrado no R&B, “Dirty Computer” tem 14 faixas e uma pegada de empoderamento feminino latente, algo que Janelle tem feito questão de explicitar nos últimos tempos.

>>

Todo soltinho, Brian Wilson divulga mais uma canção inédita do disco que sai na próxima sexta

>>

No início deste mês, Mr. Brian Wilson mostrou uma música inédita e perdida em seu baú chamada “Some Sweet Day”. A faixa está em “Playback”, projeto que reunirá canções que marcaram sua trajetória solo e virá turbinado por duas faixas nunca antes lançadas, uma delas a citada. A outra é “Run James Run”, esta novinha, escrita e gravada neste ano, lançada agora.

Atualmente, Brian está por finalizar a turnê comemorativa dos 50 anos do seminal “Pet Sounds”, um dos discos essenciais da história da música. O rolê começou em janeiro do ano passado e só vai terminar no fim deste ano, na América do Norte.

“Playback”, o novo disco, chega ao mercado na próxima sexta-feira, 22 de setembro.

>>

Para embalar o feriado: Brian Wilson mostra música inédita, com som de anos 60 e perdida nos anos 90

>>

070917_brianwilson2

No próximo 22 de setembro, o veterano e cultuado Brian Wilson promoverá o lançamento de mais um disco na carreira. “Playback” reunirá canções que marcaram sua trajetória solo e virá turbinado por duas faixas nunca antes lançadas.

Uma delas é “Some Sweet Day”, gravada nos anos 90, e que aparece só agora nesta compilação. A canção foi escrita por Brian e seu fiel parceiro, Andy Paley.

Em comunicado, a mente brilhante do Beach Boys contou que escreveu a música para um filme e sempre teve em mente, na gravação, que soasse como as canções pop de bandas femininas dos anos 60. “Creio que é uma ótima música, com boa letra e uma melodia cool”, descreveu o músico.

“Some Sweet Day” pode ser ouvida abaixo.

>>

O Primavera Sound de Barcelona, visto sob a ótica de Parquet Courts e Ty Segall

>>

* Popload em Barcelona.

popload_privamerasound2016

Tem um Ty Segall no meio do povo. Foto: GETTY

Tem um Ty Segall no meio do povo. Foto: GETTY

* Mais um Primavera Sound histórico acabou na Europa, neste final de semana, com shows num centro cultural lindo de Barcelona que vendia mojitos como água e reuniu dos curitibanos Water Rats e os paulistanos Inky, O Terno e Aldo the Band, ao histórico Mudhoney e aos bagunceiros punk do Black Lips, com direito a um show surpresa do Deerhunter. Que lugar é esse?!?!?!

Antes, por quatro dias, há algumas estações de metrô dali, 20 minutos de táxi, no incrível Parc del Fòrum, por quatro dias centenas de banda se apresentaram para mais de 200 mil pessoas neste primeiro dos grandíssimos festivais do verão europeu, que agora vai ter música chacoalhando o velho continente de todo jeito, por todos os lados. A Popload vai ver se encaixa mais um no circuito, desta vez um… digamos… diferente.

Já a absurda Barcelona, uma das cidades mais legais para circular no planeta, já se prepara agora para mais uma extracool edição do vanguardista Sónar, que acontece enquanto pertinho daqui, na França, as principais seleções de futebol se digladiam na Euro 2016, aumentando os agitos locais em escala assustadora.

Daí que, então, o que queríamos dizer neste começo de semana é que o Primavera pode ser grosseiramente dividido em uns quatro blocos de shows legais. O primeiro é o do show do Radiohead, que faz parte de uma outra liga, de uma outra coisa. O segundo é aquele que juntou atrações como o fundamental LCD Soundsystem, a sempre maravilhosa PJ Harvey, a comoção saudosa do Brian Wilson tocando clássico e clássicos dos Beach Boys, a balada psicodélica para multidões do Tame Impala e mais alguns outros. O terceiro é ver o indie brasileiro fazendo a farra muita ou pouca gente no sempre movimentado palco de novíssimas tendências, enquanto o palco de novas tendências era o Pitchfork, já para um indie mais… popular. Repare nas congruentes incongruências dessa fala toda acima e você tem a medida do que é o Primavera Sound.

Agora, você tem o quarto tipo de shows legais, onde solam dois heróis atuais do indie americano: Parquet Courts e Ty Segall. Que shows maravilhosos. Molecada agitada na frente, cabeças se mexendo e crowdsurf rolando solto do primeiro ao último acorde, momentos que constroem as melhores vibes do festival. Aqui não tem contemplação, não tem divisão público e banda: é envolvimento. É o tipo de show que eu gosto de estar. Assim:



* A foto da chamada na home, com as menininhas legais, é da WARP.

** A Popload voa pela Europa a convite da KLM e Air France.

>>

Popload abre o Primavera Sound, em Barcelona

>>

Heeeeeeeeein?!?

prima1

Não é isso, mas é mais ou menos isso. Uma palestra com participação da Popload, sobre a dureza de fazer um festival na América do Sul, foi uma das atrações iniciais no primeiro dia oficial do Primavera Sound, um dos festivais mais importantes e mais lotados do mundo para a música independente.

O festival acontece de dia com palestras, conferências, encontros e inclusive concertos no CCCB, o pomposo Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona, no Raval, perto do MACBA, o lindo museu de arte atual.

Na mesa deste “panel” estava Daniel Grimbank, argentino que leva todos os shows poderosos para Buenos Aires e América Latina em geral, mais sua parceira, Florencia Juri, que montou a volta do Bue Festival de Grimbank deste ano. Pela Popload, à esquerda da foto abaixo, estava a “boss” Paola Wescher.

prima2

Mas o festival e a grande parte de suas quase 200 bandas para quase 200 mil pessoas ocupam o maravilhoso espaço do Parc Del Fòrum, uma região alta à beira do mar Mediterrâneo com tantos palcos enormes e pequenos e escondidos e dentro de tendas que eu já perdi a conta.

O Primavera Sound, totalmente esgotado de quinta a sábado, seus dias fortes, começa nesta quarta no Fòrum de modo menor e gratuito, um presente do festival a Barcelona. A veterana banda britpop Suede e a sueca doida experimental e cênica Goat abrem o Primavera oficial, puxando uma lista de atrações que não só tocam no Fòrum como se espalha por clubes da cidade. O festival espanhol, que a cada edição cresce brutalmente, é tão gigante em seu tamanho quanto os americanos tipo Coachella e Lollapalooza, mas bem mais “indie” e com um público mais interessado em bandas do que em selfies. Primeiramente um evento que atraia espanhois desta região do Mediterrâneo e franceses, hoje arrasta para Barcelona gente de todos os lugares. É inacreditável o número de brasileiros que veio ao Primavera neste ano, para ver, tocar, palestrar….

prima4

As grandes atrações do Primavera Sound 2016 são, apenas, Radiohead, LCD Soundsystem, PJ Harvey, Air (Popload Gig), Brian Wilson tocando o “Pet Sounds” de seu Beach Boys e, claro, o Tame Impala, banda escolhida para ser capa da “Time Out Barcelona” para a apresentação do festival, chamando-a de “o grupo do momento”. Esse extenso elenco se junta em Barcelona nos próximos dias ao Last Shadow Puppets, Sigur Rós, Beirut, Animal Collective, Deerhunter, Savages, Parquet Courts, Cabaret Voltaire, Daughter, Ty Segall, os nossos Aldo The Band e Inky e uma pancada de outros nomes, novos e velhos.

IMG_2684

A Popload, quase sempre presente nos principais festivais do planeta, vai acompanhar as coisas do Primavera Sound e vai soltar posts diários direto de Barcelona.

** A Popload voa pela Europa a convite da KLM e Air France.