Em Brit Awards:

Alex Turner, você (U) é (R) nosso!

>>

* A melhor banda britânica mastercard do Brit Awards foi o Arctic Monkeys, a gente aprendeu pela premiação de ontem. Haha. Alex Turner fez os melhores discursos da noite, entre a ironia e o saco cheio, um quando a banda faturou o prêmio mastercard de melhor álbum e outro com prêmio de melhor banda britânica. Desculpa a encheção, mastercard, eu uso você. Ou você me usa, haha.

Screen Shot 2014-02-20 at 9.43.55 AM

Deu uma zoada no One Direction e uma indireta ao Justin Bieber, tipo. E brilhou na filosofia zoeira do “Rock’n’Roll nunca vai morrer”.
Com recados naaada zoeiros. Mais ou menos assim:

“O rock, né? O rock nunca vai embora. Pode estar hibernando às vezes, afundado na lama musical… Acho que é a natureza cíclica do universo que faz engolir essas regras. Mas o rock está sempre ali, esperando, na esquina, prontinho para voltar como uma pedra estraçalhando um telhado de vidro, com a aparência mais bonita como nunca teve. Yeah, rock’n’roll, que parece fraquinho às vezes, mas que nunca vai morrer. E não há nada que vocês podem fazer sobre isso. Manda a conta desse microfone, se quiserem”.

E jogou o microfone no chão e saiu. Jogou, não. Só soltou. Sem raiva, só desdém.

Alex… Ele não acredita no hype, SINCE o vídeo de “I Bet You Look Good on the Dancefloor”, de 2005.

Antes dos discursos e pataquadas gerais do Brit Awards, o Arctic Monkeys abriu a premiação com a fantástica “R U Mine”, botando “fogo” no palco. Mesmo.

Tudo aí embaixo.

>>

>>

Disclosure embala (mais ou menos) a Lorde, no Brit Awards

>>

* Enfim, rolou no Brit Awards, ontem, o decantado encontro de dois dos fenômenos recentes da música pop. A apresentação em conjunto da teen Lorde e dos quase teen “salvadores da eletrônica” Disclosure. Os irmãos britânicos fizeram uma “cama sonora” para o hit “Royals”, de Lorde, deitar. Não ficou incrível, mas valeu. Era uma base devagar de “White Noise”, enquanto a neozelandesa desfilava suas dancinhas dark-candomblé e cantava seu sucesso-praga mundial. Daí, Lorde fez a “passagem” para AlunaGeorge entrar e finalizar “White Noise”. Tudo certo.

O que não está certo é o Bastille ganhar como “revelação” no ano em que o Disclosure desponta. Mas quem se importa com resultados de premiação desse tipo. A gente quer é saber de show e da festa.

lordedisclosure

* Lorde e Disclosure se apresentam no Brasil em abril, dentro do Lollapalooza. O Disclosure faz set exclusivo no Centro de SP, no Gran Metrópole, no dia 5/4, mesmo dia em que se apresenta no festival de Interlagos.

>>

Disclosure, Lorde, Noel, Beyoncé, Monkeys. Brit Awards ao vivo

>>

190214_AM

Não que a gente dê muita importância a esses prêmios da indústria da música, mas que eles sabem fazer um eventão recheado de shows legais e gente interessante, isso sabem. Acontece hoje em Londres, na gigante 02 Arena, o Brit Awards, principal premiação da música britânica. É transmitido ao vivo pelo Youtube, veja abaixo. E, salvo engano, o evento será transmitido ao vivo para o Brasil pela primeira vez (Multishow, às 19h, com cobertura da Titi Müller), então é bom dar uma olhada superesperta, já que teremos apresentações de Arctic Monkeys, Beyoncé, Pharrell Williams & Nile Rodgers, o Bastille com o Rudimental, os pops Bruno Mars e Katy Perry e a muito aguardada dobradinha Lorde e Disclosure.

Entre as concorrências nervosas por prêmios, tem os garotos prodígios Jake Bugg e James Blake medindo forças com David Bowie na categoria “Melhor Artista Masculino”. Entre as bandas, AM, Bastille, Disclosure e Rudimental vão tentar bater o One Direction. A disputa para “Melhor Grupo Internacional” mede forças entre Arcade Fire, Daft Punk, Haim, Kings of Leon e Macklemore & Ryan Lewis.

Quem entrega prêmio também é atração. Estão escalados nomes como Noel Gallagher, Prince, Kylie Minogue, Lily Allen e Cesc Fabregas (jogador do Barcelona, ex-Arsenal) para anunciar alguns dos vencedores.

A organização do evento liberou a ordem dos shows e as músicas que serão apresentadas. O Arctic Monkeys abre os serviços musicais. O encerramento, ao que tudo indica, fica com o Pharrell e o Nile Rodgers.

Multishow, a partir das 19h. Não esquece.

Mas se quiser ver ao vivo via Youtube, no canal do Brit Awards, a parada já começou:

* A lista de apresentações, na ordem:
Arctic Monkeys – “R U Mine?”
Katy Perry – “Dark Horse”
Bruno Mars – “Treasure”
Beyoncé – “XO”
Lorde & Disclosure – “Royals” / “White Noise”
Ellie Goulding – “I Need Your Love” / “Burn”
Bastille & Rudimental – “Pompeii” / “Waiting All Night”
Pharrell Williams & Nile Rodgers – “Get Lucky” / “Good Times” / “Happy”

>>

Lorde agradece fãs, ataca imprensa, canta Blake e tocará com o Disclosure

>>

300114_lordedisclosure

A menina Lorde está com tudo, mesmo. Vencedora de dois prêmios Grammy domingo passado, incluindo “canção do ano” pelo super hit “Royals”, ela voltou para sua terra natal Nova Zelândia onde fez um show na noite de ontem, em Auckland.

Em seu repertório, a premiada cantora mandou duas covers incríveis de outros nomes da nova safra da música. Ela prestou homenagem ao DJ-músico-produtor inglês James Blake e fez sua própria versão para “Retrograde”. A neozelandesa também cantou “Easy”, faixa do cantor e produtor norte-americano Ryan Lott, melhor conhecido como Son Lux.

Antes do show, Lorde publicou uma carta aos seus fãs no New Zealand Herald falando dos prêmios que ela conquistou no Grammy. A cantora, que nem 18 anos tem ainda, agradeceu o fato das pessoas dedicarem seu tempo a ela “nos últimos 14 meses”, procurando saber sobre sua carreira “pela internet, nos jornais ou nos fones de ouvido”. Em um trecho da carta, Lorde diz que, sem este apoio, não haveria um jeito de ELA um dia chegar ao Staples Center e se apresentar com seus “sapatos escolares”.
Por outro lado, a cantora reclamou em seu Twitter sobre a recepção que teve por parte da imprensa em sua chegada na cidade de Auckland. Diz ela, muitos fotógrafos agiram de maneira inconveniente, chegando a empurrar fãs dela no aeroporto. “Eu sei que o sucesso tem um preço a pagar. Mas incomoda ser recebida assim no seu país onde, outrora, se sentia segura. Há uma diferença entre a atenção que recebo dos fãs, que adoro, e aquele constante olhar lascivo ao qual estou sujeita. Estou assustada por ter que me habituar a isso”.

A carta aos fãs está destacada abaixo. Para ver em resolução melhor, basta clicar.

300114_cartalorde

* Ainda falando da Lorde, duas rápidas: (1) no Brasil, também graças ao efeito Grammy, “Royals” é a música mais baixada no iTunes nesta semana. (2) Ela vai se apresentar no Brit Awards, em fevereiro, ao lado do duo Disclosure. Deu para perceber a deixa no início do post, né?

>>

Lana virou bolsa

>>

A bolsa DEL REY

* Pensa. Um legítima “Del Rey Bag“. A bolsa da Lana “estreou” na passarela da semana de moda de Londres, no domingo, obra da marca inglesa Mulberry. O valor mínimo da laninha acima será de $1250 dólares! Opinem, meninas:

* Além de cantar na festa da marca, Lana-herself compareceu ao desfile com uma Lana-itself a tiracolo, ambas na primeira fileira, claro. =) Lana na plateia e Mini-Lanas na passarela:

* Na Inglaterra, “Born To Die” continua firme na lista de discos mais vendidos do momento. Para quem não aguentou assistir ao (sonolento) Brit Awards ontem, o vídeo da Lana Del Rey recebendo o prêmio de “revelação internacional” — e dizendo que sem o apoio do Reino Unido ela estaria perdida. Óón. Força, Lana: