Em casa do mancha:

Popnotas – A vida do Mancha após o fim da Casa do Mancha. A session do Middle Kids no ar daqui a pouco. O Anderson …Pack reimaginando o Paul McCartney. E o single-cover do Black Keys

>>

– Uma das notícias mais terríveis do cenário independente brasileiro na pandemia foi o fechamento da importantíssima Casa do Mancha, meses atrás. Lar (mesmo) da nova música da CENA, o clubinho da Vila Madalena, em SP, não conseguiu mais ser mantido de pé por seu criador, Danilo Leonel, o Mancha. A boa nova que acaba de ser anunciada foi que Leonel foi convidado oficialmente para ser o novo coordenador de Centros Culturais e Teatros de SP, pelo secretário municipal da Cultura de SP, Alê Youssef, ex-dono de outro templo importantíssimo para a CENA, o há tempos extinto Studio SP, do Baixo Augusta. A história é que o Mancha vai ajudar também a pensar o circuito cultural paulistano na retomada do setor quando tudo isso acabar.

– Daqui umas horinhas (acompanhe a contagem regressiva no vídeo abaixo) entra no ar uma session de três músicas que o trio australiano Middle Kids fez para a The Current, rádio indie esperta de Minneapolis, Minnesota, que a gente gosta bem. A banda de Sydney vai tocar “Stacking Chairs”, “R U 4 Me?” e “Questions”, músicas de seu recém-lançado segundo álbum, “Today We’re the Greatest”. Recomendamos.

– Enfim saiu hoje “McCartney III Imagined”, o álbum “III” de Paul McCartney construído com remixes e covers de todas as músicas do disco original, lançado no ano passado. Tem versões mccartianas de Josh Homme (Queens of the Stone Age), Ed O’Brien (Radiohead), Beck, St. Vincent e Damon Albarn (Blur e Gorillaz), entre outros. Abaixo, a esperta interferida que o músico americano Anderson .Paak deu em “When Winter Comes”, levando o Paul para um ooooooutro lugar.

– No dia 14 de maio sai o novo disco do duo americano The Black Keys (foto na home), banda de Ohio que até já foi headliner do Lolla Brasil uma vez, num certo dia de 2013. “Delta Kream” é o álbum, que foi feito numa “sentada” de dez horas de estúdio com o objetivo de honrar as tradições do hill country blues do Mississippi, de onde o duo parece beber mesmo com seu indie-country. Hoje foi lançado o primeiro single de “Delta Kream”, a música “Crawling Kingsnake”, que na real é uma cover de John Lee Hooker.

>>

CENA – Boogarins se reúne hoje para live em São Paulo, direto da Casa do Mancha

1 - cenatopo19

* A internacional banda goiana Boogarins, predileta da casa e da Casa do Mancha, faz show hoje no mítico e minúsculo lar da CENA brasileira às 21h. Para seus olhos na internet, apenas.

Vai ser a primeira reunião sonora da banda, completa, em cinco meses. E vai ser a primeira aparição em imagens da “nova Casa do Mancha”. O espaço foi reformado recentemente.

A apresentação desta noite vai ser transmitida com exclusividade pelo novo aplicativo de shows e conexões #BeApp.

Captura de Tela 2020-08-05 às 9.40.18 AM

***

* Na foto da home, do Instagram da banda, montagem do set do show já na Casa do Mancha, com a galera da banda mascarada.

>>

CENA – 13 bandas, três pistas. Festival Fora da Casinha sai do Mancha para a 4ª edição

>>

1 - cenatopo19

image (1)

* Um dos lugares mais importantes para a música nova do Brasil, a Casa do Mancha, um lar literal do indie onde a banda toca no quarto e as pessoas ou vêem da sala ou pela janela do quintal, fecha a porta da garagem e sai para sua versão festival anual, pela quarta vez.

Acontece no dia 6 de outubro agora, em outra casa, a Casa Híbrida (Sumaré), o Fora da Casinha, evento que junta turma boa na linha Molho Negro e Strobo (ambos de Belém), Terno Rei e Garotas Suecas (ambos de SP), Dingo Bells (RS), entre outros. E vai ter como padrinho o veterano músico Maurício Pereira, pai do Tim e do Chico Bernardes.

fora1

BORA PRA CASONA – O Goldenloki (acima), de três guitarras, e a trip japonesa dos paulistanos Ozu (abaixo) são duas das boas novas atrações do Fora da Casinha, festival que acontece agora dia 6/10

fora2

Os ingressos em lote promocional para esse dia-longo de música independente já está à venda online e custa R$ 50 pratas. Os shows começam a partir das 15h.

Mancha Leonel, o proprietário da Casa e do Casinha, acha que nesta edição seu festival muda de patamar. “Neste ano buscamos consolidar a principal característica do Fora da Casinha: apontar a direção que a música independente está percorrendo. Acredito que hoje o festival começa a sair da situação de iniciante e entrar na de intermediário, encontrando sua identidade e com isso, vai traçando seu caminho de maneira mais coesa”, diz.

Confira a escalação completa de bandas e DJs do Fora da Casinha 2018.

Captura de Tela 2018-09-25 às 11.43.46 AM

***

* Na home da Popload, na chamada para este post, foto de Maurício Pereira, o paraninfo do Fora da Casinha, em crédito de Rui Mendes. Aqui no post em si, a imagem do Goldenloki é de Yasmin Kalaf. E a do OZU foi clicada pela Mariana Harder. O cartaz do festival é da Sefora Rios.

>>

SP – MONSTRO AMIGO E QUARTO ÁCIDO

>>

MONSTRO

Monstro Amigo e Quarto Ácido (RS) na Casa do Mancha
Data: 29 de março às 21:00
Line Up: Monstro Amigo e Quarto Ácido (RS)
Local: Casa do Mancha – Rua Felipe de Alcaçova – São Paulo/SP
Ingressos: R$20,00
Link: https://www.facebook.com/events/1957922854425255/

>>

CENA – Casa do Mancha invade BH para mini-festival em parceria com a local Shake Shake

>>

cena
090217_shakemancha2

A “casinha” tem ido cada vez mais longe, está ficando cada vez maior… Ninguém segura a Casa do Mancha, berço de grande parte da #CENA e um dos principais (se não o principal) ‘palcos’ para as bandas independentes em São Paulo hoje. Palco entre aspas porque a casa do Mancha, você sabe, é tipo uma casa-estúdio mesmo. E é ali, na salinha despretensiosa de Mancha Leonel, na Vila Madalena, que os melhores novos artistas nacionais se apresentam hoje.

Depois do festival próprio “Fora da Casinha”, chegando em sua terceira edição, a “casa” estabeleceu tentáculos em outros festivais independentes em outras regiões do país, como um palco no Festival Bananada, em Goiânia, e no Festival Dosol, em Natal. E agora chegou a vez de Belo Horizonte, com um mini-festival em parceria com a Shake Shake, projeto que tem por objetivo “chacoalhar” a cena mineira valorizando a produção autoral e alternativa do estado. É o… SHAKE MANCHA.

O evento será realizado em dois dias, neste fim de semana, e em duas casas diferentes: A Autêntica e A Obra Bar Dançante, com uma apresentação especial do Carne Doce, banda goiana que aproveita para divulgar o novo disco “Princesa”, e com shows de Kill Moves, Sci-Fi, novo projeto do Bruno Faleiro (ex-Câmera), Young Lights e Sara Não Tem Nome. No fim do post você vê a programação completa. Para o serviço completo, clique aqui.

SHAKE MANCHA

10/2 | sexta-feira | 22:00 às 2:00
Shows: Carne Doce (Goiânia) | Young Lights | Sara Não Tem Nome

DJ Nest, Fabrício Nobre
Local: A Autêntica

11/2 | sábado | 21:00 às 5:00
Shows: Kill Moves | Sci-Fi

DJs Mancha, Fabrício Nobre, JP Cardoso, Gentil (Young Lights)
e Guto (Dead Lover’s Twisted Heart)
Local: A Obra Bar Dançante

080816_carnedoce_sliderCarne Doce

251116_scifi_sliderSci-Fi

>>