Em cat power:

Um ano após a morte de Philippe Zdar, Cat Power presta homenagem ao amigo e faz cover do Cassius

>>

180718_catpower2

Há exatamente um ano, o mundo pop ficou chocado com a morte de Philippe Zdar, pioneiro da house francesa, DJ, produtor e um dos sujeitos mais aclamados no mundo da eletrônica.

E uma das artistas que trabalhou bastante com Zdar, principalmente através do duo Cassius, é Cat Power. A ligação era tanta que ela resolver fazer uma cover de “Toop Toop” neste triste aniversário de morte do seu amigo.

Produtor Philippe Zdar, do Cassius, que morreu em junho de 2019, após cair de um prédio em Paris

Produtor Philippe Zdar, do Cassius, que morreu em junho de 2019, após cair de um prédio em Paris

A faixa foi lançada originalmente pelo Cassius no ano de 2006. Cat Power cantou três músicas no disco “Ibifornia”, da dupla francesa, lançado em 2016.

A tristeza pela morte de Zdar foi ainda maior pelo seu motivo: ele, que tinha 52 anos, caiu acidentalmente de um prédio na cidade de Paris, em uma ocorrência que no fim das contas nunca foi bem explicada. Enfim…

Ficam as homenagens.

>>

México gostoso, parte 2 – Confira shows completos de Billie Eilish, Years & Years e Cat Power no festival Corona Capital

>>

Foto: Mediocampo

Foto: Mediocampo

Nesta segunda parte, divulgamos por aqui outros shows realizados no festival Corona Capital, no último final de semana, na cidade do México.

Entre as apresentações que estão disponíveis para se ver e ouvir, destaque para a menina fenômeno Billie Eilish, a menina fofura Cat Power, e ainda o incrível Years & Years.

Na parte 1 deste post destacamos shows de Strokes, Raconteurs e Interpol. Tem rock, tem pop, tem indie, tem tudo. Direto do México.

BILLIE EILISH

YEARS & YEARS

CAT POWER

>>

Do jeito que a gente gosta, Cat Power coloca sua voz doce em arranjos intimistas em session para a NPR

>>

040219_catpower1

A lindeza Chan Marshall, melhor conhecida como Cat Power, foi mais uma a visitar o escritório cool da NPR para uma session arrebatadora, do jeitinho que melhor combina com a voz dela.

Chan cantou em pegada intimista as faixas “Woman”, do mais recente disco dela, “Wanderer”, e também “The Moon”, esta presente no álbum “The Greatest”, lançado em 2006. A apresentação foi meio que um aquecimento para o início da turnê que ela começa neste mês, com algumas datas ao lado do Mumford & Sons.

“Wanderer”, o disco lançado ano passado, tem 11 músicas e até a participação de Lana Del Rey. Sucessor de “Sun”, o projeto foi escrito em Miami e Los Angeles, todo produzido pela própria Chan Marshall.

>>

Cat Power mostra que o mundo precisa dela cantando uma canção do Burt Bacharach

>>

051018_catpower

A lindeza Cat Power liberou pra geral uma cover de “What the World Needs Now”, da parceria de Burt Bacharach com Hal David, de 1965. A faixa até então estava presente apenas em uma versão deluxe em vinil de seu mais recente disco, “Wanderer”.

“Wanderer” quebrou um intervalo de seis anos sem Chan Marshall soltar um disco cheio. No álbum, estão canções como “Woman”, feita em parceria com Lana Del Rey, e ainda outra cover, de “Stay”, da Rihanna.

Sucessor do ótimo “Sun”, o disco foi escrito em Miami e Los Angeles, todo produzido pela própria Chan. Quando anunciou lançamento do álbum, no meio deste ano, ela contou que o projeto fala sobre sua trajetória de pular de cidade em cidade com seu violão, e reverencia artistas do folk e do blues que ela sempre ouviu.

>>

Cat Power quebra hiato de seis anos e lança o novo álbum “Wanderer”

>>

051018_catpower

Já está entre nós o aguardado novo álbum da musa indie Chan Marshall, melhor conhecida como Cat Power. “Wanderer” quebra um intervalo de seis anos sem lançamento da cantora norte-americana nascida em Atlanta, e tem no total 11 canções novinhas, uma delas o single “Woman”, que conta com a participação de Lana Del Rey.

“Wanderer” é o sucessor do ótimo “Sun”, e foi escrito em Miami e Los Angeles, todo produzido pela própria Chan Marshall. Quando anunciou o disco, há mais ou menos dois meses, ela contou que o projeto fala sobre sua trajetória de pular de cidade em cidade com seu violão, e reverencia artistas do folk e do blues que ela sempre ouviu.

Abaixo, o álbum todinho para ouvir, cortesia do Spotify.

>>