Em cavalera:

A banda Ted Marengos, o lance da CavaRecords e as sessions documentando a história do indie nacional

**

Sobre bandas novas e sessions, a gente quer traçar uns paralelos para contar uma história. Porque, digamos, a gente gosta muito de ver bandas em session. Tanto que criamos uma para nós.

PlastiscinesPoploadedSession

As bonecas do Plastiscines, em session para a Popload(ed)

Não sei se você se lembra, mas as nossas Popload Sessions começaram como parte integrante do antigo programa de e-rádio Poploaded, no estúdio do portal iG e com co-apresentação do reverendo Fabio Massari. Na época (circa 2006/7), as bandas gravavam com o mesmo formato de hoje (uma música autoral e outra cover), mas com a superprodução “local”. Por lá passaram mais de CEM bandas (sim!), desde as que ainda não haviam despontado (Mallu Magalhães, Vanguart e Holger, por exemplo) como nomes grandes e já “veteranos”, como Sepultura, a banda inglesa Young Knives e o Cidadão Instigado. Com o fim da rádio, o projeto ganhou corpo no esquema “DIY” e os próprias grupos passaram a enviar seus vídeos caseiros. Nessa nova safra, já tivemos o novíssimo ALDO e até o indie old-school do Teenage Fanclub, não podemos reclamar.

Screen shot 2014-05-20 at 12.46.41 AM

Pois bem. Seguindo uma linha parecida, mas com foco inteiramente nos “novos talentos” do rock nacional, a CavaRecords, projeto novo criado pela grife Cavalera (que nasceu do rock, se desvencilhou dele e parece estar voltando a ele), tem como objetivo incial unir música à moda, lançando novas coleções com novas bandas, simultaneamente. As jam sessions, agora em sua terceira edição, acabam funcionando quase que como um editorial, mas com menos foco nas roupas e mais na trilha sonora.

1795781_598623343546771_1950944658_n

A apresentação mais recente, lançada neste mês, mostra a banda paulistana Ted Marengos (acima) tocando na própria fábrica da marca. Formada pelos irmãos Julio (guitarra e vocal), Luiz (baixo) e Thomaz Pimentel (bateria), e pelo amigo Piti Knoepfelmacher (guitarra), os “Marengos” têm dois anos de estrada e alguns pontos a favor: já se jogaram em turnê pelos EUA e por Londres e conseguiram, sabe-se lá como, que o (mestre!) Neil Young aprovasse a cover de “Ohio” feita por eles. Graças a essa “benção” de Young, a versão para a música do Crosby, Stills, Nash & Young pôde ser legalmente comercializada no primeiro CD do grupo, “Firstprints”, que está sendo lançado HOJE de maneira independente. Mais um ponto favor, creio eu: o material foi masterizado no Abbey Road Studios e passou pelas mãos de Geoff Pesche (engenheiro de show que já “cuidou” de Blur e do Gorillaz).

Para o vídeo gravado ao vivo a banda escolheu a música “Back Home Someday”, quase que uma balada à la Beatles:

As outras sessions da CavaRecords foram com as bandas Moxine (gravado durante o desfile no SPFW) e Sabonetes, que fez cover de “White Winter Hymnal”, do Fleet Foxes, que você pode ver aqui embaixo:

**

Sabe o papo do Iggor e Max produzidos pelo James Murphy à la White Stripes?

>>

* A gente publicou na Folha de S.Paulo no domingo (revista “Serafina”) e ontem aqui na Popload, “com exclusividade mundial”, que os irmãos Cavalera estão para gravar um EP com o gênio James Murphy. Seria uma nova fase do Cavalera Conspiracy, a banda dos fundadores do Sepultura, o “artigo musical” brasileiro mais conhecido no mundo, 20 milhões de discos vendidos no planeta.
Murphy quer, como condição de trabalho, que Max e Iggor gravem sozinhos, como dupla, tipo White Stripes: bateria e guitarra e nada mais. Está tudo aqui.

Apenas que o jornalaço inglês “Guardian” se interessou pela história e…

>>