Em CENA:

CENA – Cada vez mais maduro e incrível, Young Lights solta na Popload a inédita “Pills”

>>

1 - cenatopo19Foto: Mauro Figa

PREMIEREPOPLOAD
Uma das bandas de maior representatividade na prolífica e talentosa CENA de Minas Gerais, a Young Lights oferece via Popload, em primeira mão, a audição do quarto single do disco de inéditas que sairá neste ano.

“Pills” estará em “Somewhere Between Here and Now”, álbum que foi produzido pela dupla Bruno Giorgi e Gabriel Ventura.

De acordo com a banda, o som apresenta uma narrativa que perpassa a ansiedade e a dor até sua superação, e é pautado pelos riffs e efeitos de guitarra marcantes conhecido pelos fãs, ao mesmo tempo em que mira em uma sonoridade ainda mais madura.

Falando em fãs, a fidelidade do público mineiro (especialmente) é tão grande com o Young Lights que “Somewhere Between Here and Now” foi viabilizado através de um crowdfunding ano passado. Programado para ser lançado neste primeiro semestre, o lançamento do álbum foi jogado mais para frente por causa da pandemia.

“Pills”, em primeira mão, pode ser ouvida abaixo.

>>

CENA – Ex-Mineiros da Lua, Haroldo Bontempo troca a guitarra pelo violão em seu primeiro disco solo

>>

1 - cenatopo19

Foto: Elias Sadala

Foto: Elias Sadala

Jovem compositor mineiro que é figurinha carimbada na CENA de Belo Horizonte, o cruzeirense Haroldo Bontempo lançou seu primeiro disco solo.

Chamado “Músicas para Travessia”, o projeto traz o ex-guitarrista do ótimo Mineiros da Lua fazendo uma homenagem a outro instrumento: o violão brasileiro.

O disco foi gravado na Ilha do Corvo, estúdio que é familiar para Haroldo, que por lá gravou registros como “Turbulência”, disco lançado pelos Mineiros da Lua em 2017, e “Nhanderuvuçu”, de seu parceiro Arthur Melo, que saiu um ano depois.

“Músicas para Travessia” dura quase meia hora ao longo de suas 14 faixas e explora a estética musical da Bossa Nova e da MPB, enquanto as composições passeiam por movimentos do barroco mineiro, da vanguarda paulista e do samba. As inspirações partem de nomes da CENA atual brasileira, como Cícero, Ana Frango Elétrico e Rubel.

O resultado pode ser conferido abaixo.

>>

A CENA mineira (e convidados) contra o coronavírus: começa hoje o Festival Solitude

>>

1 - cenatopo19 24-2200

Começa hoje e vai até o dia 31 de março o Solitude, festival armado por uma galera atuante na CENA mineira, entre bandas, cantores e produtores, encabeçados pela Erika Ziller, direto de Lisboa.

O festival, como falamos aqui na Popload semana passada, tem o objetivo de entreter quem está em casa e também de conscientizar cada vez mais pessoas sobre a importância de seguir as orientações dos órgãos de saúde em relação à proliferação do coronavírus.

No total, serão 48 shows em oito dias, cada um durando 25 minutos, dando um intervalo de 5 minutos para a “troca de palco”. Tudo começa hoje, a partir das 20h (programação completa no final do post).

Antes, às 15h, o chapa Rodrigo James (Esquema Novo) bate um papo com o Arthur Melo, uma das atrações do home festival, no canal oficial do @festivalsolitude no Instagram. Diariamente, um dos envolvidos nos shows serão convidados para um papo às tardes.

Os shows serão transmitidos na página oficial de cada artista/banda. O caminho para conferir tudo, claro, é através do instagram.com/festivalsolitude e no fb.com/festivalsolitude.

A programação de hoje, na ordem, e as atrações por dia.

Lineup---24 (1) 240320_solitudefestival

>>

CENA – Na contramão de tempos obscuros, Carne Doce aparece com um sopro de luz e paz na nova “Passarin”

>>

1 - cenatopo19

* A banda goiana Carne Doce, um dos principais nomes desta nossa CENA cheia de nomes principais, segue seu plano de lançar alguns singles até seu disco novo chegar em junho, se o mundo deixar.

210320_carnedoce2

Depois de soltar a linda “Temporal” em janeiro, agora o grupo de Macloys e Salma vem com “Passarin”, outra faixa que vai compor o próximo e quarto álbum da banda, o sucessor de “Tônus”, disco de 2018. E promete agora que, até junho, vai botar para audição um por mês.

“Passarin”, a música, se não é a melhor canção que o Carne Doce já fez, tem um lado muito louvável: não combina em nada com os dias malucos em que vivemos, hoje. Traz uma paz, um sossego, às vezes um silêncio, uma desaceleração de guitarras, uma suavidade confortante saindo da voz de Salma. Neste tempo de esperas, a letra fala da espera de um amor. Tipo assim:

O Carne Doce soltou ainda a capa do novo disco, bem típica. Da região deles. Uma imagem macro do interior de um pequi, fruto nativo do Cerrado goiano. A capa do single “Passarin” é um outro corte do pequi. Seguem as duas, respectivamente.

capa do disco_carnedoce

capa do single passarin web

** As fotos deste post e a da home da Popload são de autoria de Rogério Watanabe.

>>

A CENA contra o coronavírus: produtores e artistas mineiros se mobilizam e criam o Festival Solitude, com quase 50 shows via internet em uma semana

>>

** “Company’s okay / Solitude is bliss”, diria o Kevin Parker…

1 - cenatopo19 190320_solitude_slider
 


O momento de incerteza e preocupação pelo qual o mundo atravessa tem tido seus desdobramentos na música. Como já falamos bastante por aqui nos últimos dias, cada vez mais artistas estão se engajando com seus fãs através de shows caseiros, transmitidos via internet. Claro, uma hora isso iria chegar à nossa CENA. E chegou chegando!

Produtora mineira que vive em Lisboa, Erika Ziller iniciou uma movimentação fantástica nos bastidores especialmente da CENA de Minas Gerais e está armando para a semana que vem, com o apoio de muita gente legal que milita em prol da boa música, o FESTIVAL SOLITUDE.

No total, serão 48 shows em oito dias, cada um durando 25 minutos, dando um intervalo de 5 minutos para a “troca de palco”. O objetivo é, além de entreter quem está em casa, conscientizar cada vez mais pessoas sobre a importância de seguir as orientações dos órgãos de saúde em relação à proliferação do coronavírus.

A própria Erika conta como surgiu a ideia.

“Atualmente moro em Lisboa. O evento que eu estava produzindo aqui foi cancelado dia 10/3. Tudo do entretenimento da cidade acabou na sequência. Zero possibilidades de trabalho. Aqui já entendemos o problema real do coronavírus e acho que a ficha do brasileiro vai demorar mais a cair. Desde 14/3 estou dentro de casa, dando um jeito de ativar a criatividade! No dia 16/3 vi o festival online de Lisboa, o #FestivalEuFicoEmCasa, só com artistas portugueses. Achei maravilhosa essa iniciativa e postei no meu Facebook. A Thais, esposa do Rodolfo Krieger (ex-Cachorro Grande) viu e me mandou uma mensagem dizendo que, se eu soubesse de outros festivais como esse, era para avisá-la, pois ele vai lançar um disco e tem interesse em tocar. Foi aí que eu sugeri para ele fazer um show em casa também, pois o mundo todo estava fazendo isso, e que ele poderia chamar os outros artistas brasileiros que moram em Lisboa, para fazerem parte (cada um da sua casa). Imediatamente veio a ideia de se fazer um festival com os artistas autorais e independentes mineiros, pois eu já fazia isso em BH com a minha produtora – Arreda Produções – e inserir alguns artistas brasileiros que moram em Lisboa e que ficaram de fora do festival daqui”, conta.

Erika então procurou outros nomes ativos da CENA de BH, como o grande Nest (Quente), Léo e Bernardo Dias (A Autêntica), Rodrigo James (Esquema Novo) e Fernanda Azevedo (ex-Motormusic), para que, unidos, pudessem bolar algo sólido junto às bandas e artistas de BH.

“Em dois dias fechamos todo o line-up. Todos os artistas receberam o convite de braços abertos e estão adorando a ideia. Queremos, com isso, conscientizar as pessoas do real problema mundial. É urgente combatermos a proliferação do vírus, ficarmos em casa, cada um cuidando de si e do outro. Temos que entender que quanto mais rápido nos distanciarmos, mais rápido tudo isso passará. A cultura não é dispensável. É preciso o isolamento, mas não o afastamento. Todos os dias eu entendo que o coronavírus está aqui para nos unir. Então vamos nessa, vamos fazer isso juntos, com pessoas que se importam com o próximo e com a cena local e independente de BH. Cada artista da sua casa, levando boa música autoral para as pessoas, no sofá da casa de cada uma delas”.

Os shows acontecerão entre os dias 24 e 31 de março, sempre das 20h às 23h, horário de Brasília, com cada um em sua casa e transmitindo o show no Instagram pessoal/da banda. As informações de programação estarão centralizadas no instagram.com/festivalsolitude e no fb.com/festivalsolitude.

* Segue abaixo a lista de artistas e bandas confirmados. As artes são assinadas pelo designer João Paulo Pesce.

ALÉM DE TUDO: COMPARTILHE A INICIATIVA EM SUAS REDES!

190320_solitudecartaz

FESTIVAL SOLITUDE – LINE-UP
ACAPTCHA (MASTERplano e A-MIG ) + LA ZA (A_MIG) – Live Set
Anderson Noise
Arthur Melo
Bernardo Bauer
Chico e o Mar
Tulio Panzera e Matheus Lopes (Churrus)
João Ferreria e Juliano Alvarenga (Daparte)
Luis Couto (Devise)
Débora Ventura (Dolores 602)
João Vitor Rocha e Max Teixeira (Dom Pepo)
Elisa de Sena
Érika Machado
Fabiano Fonseca (Amateuur Live Set)
Flávio Renegado
Zé Emílio (Folsoms)
Gui Hargreaves
Gustavo Drummond
Haroldo Bontempo
Heberte Almeida
Irene Bertachini
Isa Leles
Josi Lopes
Julia Branco
Lamparina e A Primavera
Leo Marques
Leo Moraes
Lucas Avelar
Luiz Rocha
Luiza Brina
Marcelo Tofani
Marina Sena
Matheus Fleming
Mineiros da Lua
Momo
André Travassos (Moons)
Mordomo
Nath Rodrigues
Pedro Morais
Persiano
Pri Glenda e Dragão
Rafael Martini
Rod Krieger
Roger Deff
Teach me Tiger
Thiago Correa
Thiago Delegado
Alessandro Travassos (Valv)
Jay Horsth (Young Lights)

*** A PLAYLIST IMPERDÍVEL!

>>