Em CENA:

CENA – Com referências que vão de Death Cab For Cutie a Guilherme Arantes, Acidental lança seu quarto EP. Ouça “Pronto / Partido”

>>

1 - cenatopo19031018_acidental_2018_02

Nascido em Blumenau, Santa Catarina, mas cidadão paulista há um bom tempo, Alexandre Machado milita pela CENA há cerca de 10 anos, transitando entre suas bandas e o selo do qual faz parte, a Hearts Bleed Blue. Entre seus projetos próprios está a Acidental, que lança hoje via Popload seu quarto EP, “Pronto / Partido”. O trabalho encerra um período de autoconhecimento de Alexandre e abre caminho para o seu primeiro disco, prometido desde 2013. Falamos com o músico para entender melhor esse lançamento e também seus próximos planos.

Fundada em 2013, a Acidental é um projeto solo e experimental de Alexandre, o qual tem como principal conceito, lançar duplas de singles com temas próprios para cada par de canções. Junto dessas características e de um projeto gráfico pensado para cada EP, o projeto segue empilhando peculiaridades não somente pelo visual e formato, mas também pela forma de distribuição, já que usou as fitas K7 para divulgar seus últimos 3 singles lançados.

Ultrapassando o campo do saudosismo, os materiais do projeto distribuídos pela HBB em K7 ajudaram a manter viva a produção do formato adotado pelo selo. A partir desses experimentos com a Acidental, outras bandas do catálogo pegaram carona e hoje nomes clássicos como Autoramas, os goianos do Hellbengers e os veteranos do Water Rats também ganharam cassetes de seus discos mais recentes através da Hearts Bleed Blue.

Além de ser um projeto solo de uma figura da CENA independente nacional e laboratório de testes de seu selo, a Acidental serviu por muitos anos como uma válvula de escape para Alexandre se conhecer musicalmente. Com diversos discos lançados por suas bandas Mundo Alto e Parachamas, foi através dos três EPs, agora quatro, divulgados de 2013 até aqui, que ele enxergou as referências musicais que sempre buscou.

“Acredito que o mais importante seja justamente ter encontrado a direção musical que tanto procurei. Sempre ouvi muita coisa nacional, desde rock alternativo até o samba canção do Cartola, e acredito que finalmente eu esteja conseguindo identificar isso quando ouço as músicas novas do Acidental”

031018_acidental_slider

Em meio a esse (re)encontro de Alexandre, a Acidental consegue criar uma mistura sonora balanceada entre o rock introspectivo de nomes como Death Cab For Cutie e Darwin Deez, com referências e sonoridades que lembram um indie rock um pouco mais abrasileirado. Na conversa, Guilherme Arantes e 14Bis são creditados pelo vocalista do projeto como os culpados por essa referência mais nacional nas canções.

Atualmente formada por Alexandre gravando e compondo todo os sons, com ajuda do produtor Paulo Senoni e as artes do companheiro de selo, Antonio Augusto, a Acidental lança o último EP de um ciclo de experimentações do músico. “Pronto / Partido” segue a tradição dos lançamentos anteriores e carrega duas canções inéditas, ambas trazendo todas as características já citadas, mesclando sintetizadores com ritmos mais introspectivos.

Segundo Alexandre, a dupla de singles, além de pontapé para o primeiro disco (ainda sem data), serve também de impulso para uma turnê que passa por Fortaleza, Campina Grande, Recife, João Pessoa e Natal, incluindo o festival DoSol como um dos compromissos. As datas trarão a versão “ao vivo” da Acidental, com Antonio (Taunting Glaciers) no baixo e o amigo Luiz Alves na bateria, além de Alexandre nos vocais, sintetizadores e guitarra. Junto da turnê, o projeto ainda deve divulgar um compilado em formato de CD físico contendo todos os 4 EP’s e B-sides disponíveis apenas nos shows e um videoclipe para uma das faixas do último registro.

O novo EP da Acidental será lançado na sexta-feira pela HBB, mas você pode conferir logo abaixo as duas faixas na íntegra com exclusividade pela Popload.

>>

CENA – Ouça “Estrela Mágica”, o disco de estreia do duo gringo-brasileiro Winter & Triptides

>>

1 - cenatopo19270918_winter2

Indie tropicalista, o duo Winter & Triptides é uma mistura de Brasil com Estados Unidos. Formado pela brasileira Samira Winter e pelo norte-americano Glenn Brigman, dupla lança com exclusividade hoje, na Popload, seu disco de estreia.

Samira já é conhecida da CENA verde e amarela, graças ao seu trabalho com a banda Winter. Com referências a movimentos como a bossa nova e o flower power, “Estrela Mágica”, o disco, bebe bastante na fonte dos sons tropicalistas.

O projeto será distribuído simultaneamente no Brasil e nos Estados Unidos pelo selo OAR (em vinil e CD), o mesmo que cuida dos Boogarins na gringa. A Burger Records prepara a distribuição cool em cassete.

Novo e ao mesmo tempo antigo, “Estrela Mágica” demorou dois anos para ser produzido e foi todo captado por um clássico Tascam, gravador de fita de Glenn, que imprimiu à sonoridade do disco uma atmosfera nostálgica. É a união de dois fãs de música brasileira, que resolveram fazer seu próprio som brasileiro, com pegada gringa. Ou o contrário.

“Acho que esse álbum tem muito da conexão com um mundo sonhador, belo e até inocente. Eu e o Glenn nos conectamos muito com o nosso amor pela música brasileira, então realmente nos divertimos gravando. Estávamos em Los Angeles, mas sonhando com o Brasil”, explica Samira, que assina as letras.

TRACKLIST
Tempo
Amiga
Desaperecidos
Doce Violeta
Raio de Sol
Ele Dorme
Quero Te Levar
Ontem
I Just Wanna Be With You

>>

CENA – Um drama sobre quase não suportar o amor: conheça “Viu”, o primeiro single do novo disco do trio gaúcho Musa Híbrida

>>

1 - cenatopo19

Fotos: Eduarda Gaeta

Fotos: Eduarda Gaeta

Trio que produz um som orgânico e eletrônico, vindo da cidade de Pelotas, o Musa Híbrida prepara para este mês o lançamento de seu quarto disco de estúdio, “Piscinas Vazias Iluminadas em Pé” (PVIP). E o pontapé inicial do projeto é aqui na Popload, com a apresentação do single “Viu”, que ganhou até um vídeo animado em rotoscopia, com produção da vocalista Camila Cuqui.

010818_musahibrida_slider

“Criei diversas camadas no Illustrator e animei os ‘png’ precariamente no Premiere. Uma mistureba de softwares de animadora de segunda viagem. O resultado é essa colagem de gifs, prints de tela com chroma key, de nós musos tomando uma água ou caindo os globos oculares dos orifícios. As imagens vão se desmembrando e repetindo, instrumentos, dedos, braços, pads, as cordas não seguem as tensões físicas comuns do planeta Terra”, disserta a Camila sobre o vídeo. “Um drama sobre quase não suportar o amor e a descoberta do funcionamento do olho, e assim controlá-lo, ignorando a emoção”.

Principal aposta para canção de trabalho, “Viu” foi a primeira música trabalhada para o disco. “O arranjo bruto dela tá ali. E ela consegue condensar bem o que é a Musa nesse novo disco”, conta Alércio PJ. Vini Albernaz é quem fecha a formação do trio.

Confira, em primeira mão, o vídeo de “Viu”.

>>

CENA – Ouça “Desdobramento”, primeiro single do novo disco do carioca Lê Almeida

>>

1 - cenatopo19LEALMEIDA2Foto: João Luiz

Depois de dois anos sem lançamentos com seu projeto próprio, o carioca Lê Almeida divulga hoje, com exclusividade pelo Popload, o primeiro single do seu novo álbum, a faixa “Desdobramento”. A música faz parte das outras 24 que integram “Amenidades”, o novo disco de Lê, com data de lançamento para o dia 10 de agosto via Transfusão Noise Records

“Amenidades” é o sucessor de “Todas As Brisas”, de 2016, e também conta com faixas que ficaram de fora do registro lançado há quase dois anos atrás. Além da ligação com o disco anterior, o registro deve apresentar músicas que sobraram de quase todos os discos de Lê, mesclando diversos momentos da sua carreira em um único trabalho de 25 faixas e pouco menos de uma hora.

Segundo o artista, o álbum carrega lembranças de todo o seu crescimento dentro da música, desde as primeiras gravações, até abrir seu próprio selo. Junto com essas lembranças, para o cantor e produtor, esses sons revisitam momentos que passeiam por toda a sua relação com sua família e também com seu pai, dono do comércio onde trabalhava e passava a maioria do seu tempo.

O single “Desdobramento” traz características clássicas dos primeiros álbuns de Lê, com guitarras altas, vocais quase inaudíveis e riffs bem marcantes. Além disso, a faixa mostra também algumas mudanças em relação a produção, com timbres menos lo-fi e acabamentos mais refinados nos efeitos. A nova música, lançamento 97 da Transfusão Noise Records, pode ser ouvida logo abaixo. Em breve, mais singles serão divulgados antes do disco completo.

>>

CENA – João Salazar e o primeiro lançamento da Tronco, novo e já importante selo de Porto Alegre

>>

1 - cenatopo19250718_joaosalazar2

Grande parte da nova cena que nasceu em Porto Alegre de 2013 até agora, está ao redor de um grupo de engenheiros de som e produtores que, desde muito antes disso, vem gravando, produzindo e lançando algumas das principais bandas da nova safra. Em 2018, esse coletivo resolveu se estabelecer como um selo, dando início a “Tronco”. Entre seus primeiros lançamentos, oficializando o selo, está João Salazar que divulga hoje, com exclusividade pela Popload, o segundo single do seu primeiro disco, a faixa “Algum Desatino”.

João, assim como Supervão, Soundlights, Akeem e muitas outras bandas já faladas na Popload, sempre gravou suas músicas ao lado de Bernard, Garbini e Messi, os três principais produtores por trás da parte musical da Tronco. O trio, junto de uma série de músicos e artistas, sempre gravaram e auxiliaram na finalização de discos importantes para a nova cena do estado, seja gravando instrumentos onde faltavam músicos ou arranjando e mixando. Antes da Tronco, eles eram conhecidos pela “Casinha”, um antigo sobrado e galeria de arte em Porto Alegre onde seu estúdio estava montado.

Após terem que desocupar o espaço onde trabalhavam, migraram para outro sobrado, dessa vez muito maior e amplo para experimentarem o potencial sonoro da casa. Instalados na “Casona” (nome dado ao novo local), iniciaram as gravações do primeiro disco de João. As captações do álbum contaram com o auxílio de diversos músicos que estão ao redor da Tronco, mas, em sua grande maioria, foi tocado por Bruno Neves na bateria, Caio Mendonça Mello no baixo e Lorenzo Flach na guitarra.

250718_cenaestudio

Antes do primeiro disco, João já havia se apresentado em algumas casas da capital do estado com uma banda de configuração semelhante, apresentando músicas do seu primeiro EP, “Entrópico”. As composições antigas, se apoiavam no folk e na MPB, já em seu próximo lançamento, o disco “Lugar Afora”, as experimentações e as sonoridades mais progressivas tomam conta.

No single “Algum Desatino”, João e toda equipe de produção gravaram os instrumentos ao vivo e preencheram todos os espaços vazios por sons vindos da própria casa onde tudo foi captado. Eles gravaram reverberações naturais da enorme casa onde o estúdio fica, além de sons de objetos e espaços vazios que o local possui, processando tudo isso de forma analógica, com ajuda de pedais de efeitos e moduladores.

O resultado final do primeiro lançamento do selo Tronco, é uma das faixas mais experimentais e ousadas do primeiro disco completo de João Salazar. “Algum Desatino” é torta do início ao fim e traz um pouco da atmosfera de produção de um dos celeiros da produção independente em Porto Alegre.

Confira logo abaixo, com exclusividade pelo Popload, o single “Algum Desatino”:

>>