Em chemical brothers:

Viva Portugal! Alguns momentos lindos do NOS Alive, estrelando “Creep”

>>

tame

* O final de semana que passou foi mágico para os portugueses. Primeiro que os patrícios sediaram o ótimo NOS Alive, em Oeiras, região de Lisboa, um festival com Radiohead, Tame Impala (foto acima), Courtney Barnett, Arcade Fire, Chemical Brothers, Father John Misty e graaaaaaande elenco. Depois, os caras ganharam seu principal título no futebol, surpreendendo a França na Euro 2016. Que temporada boa para ser português.

Preparamos algumas passagens distintas de bandas queridas no festival idem. Curta aí, Cristiano, que a gente sabe que você perdeu esta. Para ganhar outra coisa.

>>

Chemical Brothers e o vídeo da menina aberta

>>

* Outra coisa que apareceu ontem, nos chapou, mas como estávamos vagabundeando no feriado paulistano deixamos para hoje, haha.

Screen Shot 2016-01-26 at 12.35.37

* Banda que capricha nas imagens incríveis tanto quanto na música idem, a dupla inglesa Chemical Brothers aparece nesta semana com o vídeo de “Wide Open”, outra música de seu grande novo álbum, “Born in Echoes”, lançado no ano passado. “Wide Open”, que tem em seu áudio o vocal do americano Beck, apresenta em seu vídeo uma menina dançando. Mas, como é um trabalho dos Chemical Brothers, a coisa não é tão simples assim.

>>

Chemical Brothers no Sónar: fluiu

>>

Screen Shot 2015-11-30 at 18.19.39

* Não bastasse ter algumas das músicas mais importantes da história da eletrônica, o que torna qualquer show seu sempre uma delícia ainda que nostálgica, a instituição Chemical Brothers produz um espetáculo visual acoplado aos seus block rockin’ beats e capaz de hipnotizar qualquer ser humano com luzes e desenhos. Uma verdadeira Disney clubber, sempre. É o que aconteceu sábado no Sónar SP. Luzes e sons entrando direto em olhos e ouvidos, atingindo em cheio o sistema nervoso central. Sim, Chemical Brothers é psicodelia, como foram os Beatles em algum momento, como é o Tame Impala hoje. Psicodelia de botões. Dá para tomar MD, ácido ou até fumar maconha para ver Chemical Brothers num clima assim. Mas dá também para conseguir o mesmo efeito sem usar nada, apenas não pensar e deixar fluir, como eles mesmo recomendam.

O duo mixou clássicos e as músicas novas (do “Born in Echoes deste ano), que na mescla ao vivo combinam que é uma beleza aos hits de todas as eras. Devo levar algum tempo para me recuperar do que foram os momentos que emendaram “Do It Again”, a sensacional nova “Go” e “Swoon”.

Por todos os efeitos colaterais, um show indicado para a medicina. Desde meados dos anos 90.

* Fotos (deste post e da home) de Eduardo Magalhães, do Sónar.

>>

Slaves bota seu punk louco a serviço dos… Chemical Brothers

>>

Screen Shot 2015-09-09 at 10.20.25

* Partying like it’s 1977. O duo inglês Slaves, Laurie e Isaac, reencarnação do punk 80% Sex Pistols 20% The Clash, uma das melhores coisas sonoras a partir da Inglaterra nos últimos meses, compareceu para session no programa Live Lounge, da Radio 1, importantíssima emissora da BBC de taaaantos serviços prestados à nova música desde sempre. O guitarrista Laurie Vincent vestia uma camiseta do Eminem, apenas. A dupla, dona do energético álbum de estreia “Are You Satisfied?”, que saiu em junho, deu entrevista, homenageou o Gerald, o peixinho deles que morreu aos 5 anos de idade (veja imagem abaixo), respondeu perguntas de Twitter da galera e tocou a debulhante “Socket”, um dos singles de seu disco. Na parte da cover, porque o Live Lounge demanda isso, eles pegaram o novo hit dos Chemical Brothers, “Go”, e a travestiram de punk rock. Se funcionou?

Screen Shot 2015-09-09 at 10.23.07

>>

Go!! Chemical Brothers ao vivo em Paris

>>

Screen Shot 2015-09-02 at 11.36.20

* No final de semana passado, enquanto o Reading e o Leeds Festival balançavam a Inglaterra, do outro lado do Canal da Mancha o Rock en Seine, evento realizado num parque gostoso de Paris à beira do rio Sena e onde vendem vinho “da casa” e queijo de cabra em quiosques cool, batia seu recorde de público: 120 mil pessoas por dia. A escalação do festival francês não era fraca: Tame Impala, Alt-J, Hot Chip, Jungle, My Morning Jacket, Libertines, Natalie PoploadFestival Prass, Kasabian, Jamie XX, Shamir, Mark Lanegan, Parquet Courts, Run the Jewels, Wolf Alice e peeeeeencas de outros.

Mas talvez a atração principal, para a francesada, tinha sido o duo eletrônico Chemical Brothers, que fechou o Rock en Seine no domingão. Explosão de som e luz, os Brothers começaram seu set com uma longa introdução viajante e logo mandaram “Hey Boy Hey Girl”, de cara. Essa música nunca acaba, não?

Atração do festival Sónar brasileiro mais para o final do ano, em novembro, os Chemical Brothers foi meio Chemical Cousins, porque o fundador da dupla, Ed Simons, não tem participado das apresentações ao vivo do grupo. Quem acompanha o “original” Tom Rownlands nos sets é Adam Smith, colaborador da dupla e responsável pela cenografia dos shows.

Enfim, dá para ver os Chemical Brothers em ação em Paris, a nova formação, “Hey Boy Hey Girl”, loucurinhas, “Do It Again” e “Go”, o hit do novo álbum, “Born in the Echoes”, recém-lançado, nesses dois vídeos abaixos, juntos.

>>