Em chemical brothers:

Top 10 Gringo – Little Simz cresceu e quis o topo. Sports Team está de volta e exigiu o pódio. E a Pom Pom Squad não cabe em menos que no terceiro lugar

>>

* Semana de belos lançamentos na gringa. Dá até vontade de pegar este Top 10 e fechar um Popload Festival só com essa turma. Pensa: The Weeknd encerrando a noite que começou com um show fofo do Kero Kero Bonito, logo após um nostálgico Weezer, que pegou o fôlego de duas apresentações incríveis do Sports Yeam e do Pom Pom Squad – ou você abrindo mão de tudo isso para pilhar em um Chemical Brothers fritando por horas em um palco eletrônico alternativo. Já que sonhar é de graça, né?

littlesimzquadrada

1 – Little Simz – “Introvert”
Little Simz está de volta e não de qualquer jeito. Esta faixa talvez seja um de seus sons mais ambiciosos na carreira. São seis minutos com toques orquestrais e letra quilométrica em um tratado sobre conflitos internos em tempos sombrios. Pesadíssimo. Este single estará em “Sometimes I Might Be Introvert”, seu novo disco, que saí lá por setembro. A pequena Little Simz cresceu.

2 – Sports Team – “Happy (God’s Own Country)”
Pensa nisso, a banda inglesa Sports Team não só produz um pós-punk inglês amalucado para quem é britânico e um tanto quanto distante do que outras bandas da mesma onda da ilha produzem como também são uma banda de rock com popularidade acima da média nos dias atuais. Tudo bem que por hora isso é um fenômeno inglês, mas vamos importar essa onda? A gente topa ajudar.

3 – Pom Pom Squad – “Head Cheerleader”
Não se engane por um certo ar de diva pop que a vocalista Mia Berrin carrega no vídeo de “Head Cheerleader”. A banda nova-iorquina é a clássica soma de rock indie cru de guitarras estouradas e vocal feminino legal. E vale acrescentar que a letra deste som tem elementos que se encaixam na categoria indie mental health. Ou seja, material suficiente para cravar que vai ser um sucesso o disco de estreia deles.

4 – The Weeknd e Ariana Grande – “Save Your Tears”
Um dos chicletes mais irresistíveis (e populares) de “After Yours”, a ultranostálgica “Save Your Tears” ganhou um remix que não altera lá muito o seu clima, mas traz a presença de ninguém mais ninguém menos que Ariana Grande. Agora temos um hit duplicado.

5 – Dinosaur Jr. – “Take It Back”
J. Mascis é um senhor guitarrista. E esbanja seu talento por aqui. Repare em quantas guitarras diferentes ele consegue criar dentro da mesma música – especialmente a absurda segunda parte, quando com a guitarra solo ele cria uma segunda melodia que destoa da melodia vocal. Trabalhinho engenhoso. Desde o comecinho dos anos 90, diga-se. Então surpresa zero. Só admiração.

6 – Chemical Brothers – “The Darkness that You Fear”
Tem um toque noventista tão leve neste novo single do duo britânico Chemical Brothers que é até difícil de colocar em palavras. O vídeo do som conseguiu traduzir talvez melhor a sensação de estar de novo em alguma reedição de um verão do amor.

7 – Wolf Alice – “Smile”
Após uma balada bonitaça, Wolf Alice senta a mão no peso em mais um single de seu novo disco, “Blue Weekend” que só chega em junho. Não recomendamos que você assista ao vídeo, gravado em pub lotadaço. É um gatilho e tanto neste tempos pandêmicos.

8 – Weezer – “I Need Some of That”
Saí o Weezer orquestra, entra o Weezer farofeiro. “I Need Some of That” é parte do álbum onde a banda homenageia a sonoridade do rock/metal dos anos 80. Louco só pensar que a versão original desta música está em um álbum em japonês que o vocalista Rivers Cuomo produziu ao lado do músico Scott Murphy – com timbres e uma letra completamente diferente. Weezer é bem doido.

9 – Kero Kero Bonito – “21/04/20”
Doidinha e deliciosa a brisa dessa banda inglesa que parece ter sido criada para trilhar algum jogo obscuro da Nintendo que só teve 150 cópias lançadas no Japão.

10 – Alanis Morissette – “I Miss the Band”
Alanis está com saudade da banda. Efeitos da quarentena traduzidos em uma emocionante música com objetivo de arrecadar fundos para as pessoas que trabalham nos bastidores da música. Nos versos, uma série de saudade – piadas internas, as viagens, as risadas. Até quem nunca fez uma turnê fica com os olhos marejados. Fora que é a Alanis, no fim das costas.

*****

*****

* A imagem que ilustra este post é da rapper inglesa Little Simz.
* Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix.

>>

Viva Portugal! Alguns momentos lindos do NOS Alive, estrelando “Creep”

>>

tame

* O final de semana que passou foi mágico para os portugueses. Primeiro que os patrícios sediaram o ótimo NOS Alive, em Oeiras, região de Lisboa, um festival com Radiohead, Tame Impala (foto acima), Courtney Barnett, Arcade Fire, Chemical Brothers, Father John Misty e graaaaaaande elenco. Depois, os caras ganharam seu principal título no futebol, surpreendendo a França na Euro 2016. Que temporada boa para ser português.

Preparamos algumas passagens distintas de bandas queridas no festival idem. Curta aí, Cristiano, que a gente sabe que você perdeu esta. Para ganhar outra coisa.

>>

Chemical Brothers e o vídeo da menina aberta

>>

* Outra coisa que apareceu ontem, nos chapou, mas como estávamos vagabundeando no feriado paulistano deixamos para hoje, haha.

Screen Shot 2016-01-26 at 12.35.37

* Banda que capricha nas imagens incríveis tanto quanto na música idem, a dupla inglesa Chemical Brothers aparece nesta semana com o vídeo de “Wide Open”, outra música de seu grande novo álbum, “Born in Echoes”, lançado no ano passado. “Wide Open”, que tem em seu áudio o vocal do americano Beck, apresenta em seu vídeo uma menina dançando. Mas, como é um trabalho dos Chemical Brothers, a coisa não é tão simples assim.

>>

Chemical Brothers no Sónar: fluiu

>>

Screen Shot 2015-11-30 at 18.19.39

* Não bastasse ter algumas das músicas mais importantes da história da eletrônica, o que torna qualquer show seu sempre uma delícia ainda que nostálgica, a instituição Chemical Brothers produz um espetáculo visual acoplado aos seus block rockin’ beats e capaz de hipnotizar qualquer ser humano com luzes e desenhos. Uma verdadeira Disney clubber, sempre. É o que aconteceu sábado no Sónar SP. Luzes e sons entrando direto em olhos e ouvidos, atingindo em cheio o sistema nervoso central. Sim, Chemical Brothers é psicodelia, como foram os Beatles em algum momento, como é o Tame Impala hoje. Psicodelia de botões. Dá para tomar MD, ácido ou até fumar maconha para ver Chemical Brothers num clima assim. Mas dá também para conseguir o mesmo efeito sem usar nada, apenas não pensar e deixar fluir, como eles mesmo recomendam.

O duo mixou clássicos e as músicas novas (do “Born in Echoes deste ano), que na mescla ao vivo combinam que é uma beleza aos hits de todas as eras. Devo levar algum tempo para me recuperar do que foram os momentos que emendaram “Do It Again”, a sensacional nova “Go” e “Swoon”.

Por todos os efeitos colaterais, um show indicado para a medicina. Desde meados dos anos 90.

* Fotos (deste post e da home) de Eduardo Magalhães, do Sónar.

>>

Slaves bota seu punk louco a serviço dos… Chemical Brothers

>>

Screen Shot 2015-09-09 at 10.20.25

* Partying like it’s 1977. O duo inglês Slaves, Laurie e Isaac, reencarnação do punk 80% Sex Pistols 20% The Clash, uma das melhores coisas sonoras a partir da Inglaterra nos últimos meses, compareceu para session no programa Live Lounge, da Radio 1, importantíssima emissora da BBC de taaaantos serviços prestados à nova música desde sempre. O guitarrista Laurie Vincent vestia uma camiseta do Eminem, apenas. A dupla, dona do energético álbum de estreia “Are You Satisfied?”, que saiu em junho, deu entrevista, homenageou o Gerald, o peixinho deles que morreu aos 5 anos de idade (veja imagem abaixo), respondeu perguntas de Twitter da galera e tocou a debulhante “Socket”, um dos singles de seu disco. Na parte da cover, porque o Live Lounge demanda isso, eles pegaram o novo hit dos Chemical Brothers, “Go”, e a travestiram de punk rock. Se funcionou?

Screen Shot 2015-09-09 at 10.23.07

>>