Em cine joia:

King Gizzard & The Lizard Wizard lança vídeo ao vivo poucos dias depois de cancelar os ao vivo de São Paulo

>>

* Um dos “furões” do Lollapalooza deste ano, tadinhos, a banda indie australiana King Gizzard & The Lizard Wizard, para variar, anda produzindo e lançando sem parar, desta vez um vídeo ao vivo (sacanagem!) para o single “Magenta Mountain“.

A música pertence ao próximo trabalho do enorme grupo de Melbourne, “Omnium Gatherum“, que sai agora em 22 de abril, é um álbum duplo e representa o 20º disco do sexteto psicodélico.

“Sabe quando você tem um sonho esquisito daqueles bem reais e recorrentes? Um dia o Stu [Mackenzie, vocalista, guitarrista, tecladista, flautista] resolveu musicar um destes, sobre este paraíso que ele criou em sonho chamado Magenta Mountain. Desde então, ele fica tentando convencer a gente que esse lugar é real. Vai ver que é mesmo”, disse um comunicado da banda, mais ou menos assim traduzido.

O novo vídeo-sonho ao vivo do KG&LW, para “Magenta Mountain”, está abaixo. A banda, além de ser uma atração que não acabou vingando do Lolla-BR do fim de semana, iria fazer um show solo esgotado no Cine Joia, na quarta passada. Acabaram cancelando por motivos de covid-19. O grupo americano Turnstile acabou se apresentando no lugar.

Nos resta segurar este gatilho frustrado aqui:

>>

Doideira! King Gizzard & The Lizard Wizard faz show solo no Cine Joia em março. Ingressos já estão à venda

>>

* Este tem cheiro daqueles shows históricos. A banda australiana King Gizzard & the Lizard Wizard, algazarra psicodélica de Melbourne, vai fazer uma apresentação exclusiva no Cine Joia no mês que vem, dia 23 de março, uma quarta-feira, três dias antes de sua participação no elenco do Lollapalooza Brasil, no dia 26, sábado, em Interlagos.

King Gizzard & the Lizard Wizard no Cine Joia é a primeira das Lolla Parties anunciada para a edição deste ano do festival, que terá nobres nomes indies internacionais como Strokes, Idles, Turnstile e Remi Wolf, além de Foo Fighters, Miley Cyrus e Doja Cat como algumas de suas atrações principais. As Lolla Parties são os tradicionais shows do Lolla BR nos clubes da cidade de SP.

Os ingressos já estão à venda aqui. O preço em primeiro lote sai por R$150,00. Corre!!!

O sexteto de malucos que levam ao palco duas baterias, três guitarras (às vezes quatro) e uma flauta e lançam discos como se o mundo fosse acabar amanhã (eles acumulam 18 álbuns oficiais desde que formaram a banda, em 2011, fora os discos de remixes, os bootlegs ao vivo, as compilações) chega ao Brasil com a turnê de “Butterfly 3000”, lançado em junho do ano passado, um dos dois discos que o King Lizard soltou em 2021.

KG_LPKV

>>

CENA – Jovem Dionísio sai do aconchego da internet e dá as caras ao vivo pela primeira vez em São Paulo. E gosta da experiência

1 - cenatopo19

* O estilosamente versátil quinteto curitibano Jovem Dionísio é a banda apropriada para estes tempos. Seu “bedroom pop” alto astral é considerado um alento nessa nova leva de apresentações ao vivo em meio à ainda capenga retomada de shows. Sentimento de “feel good” passando do palco para a galera, da galera para o palco.

Para ver isso de perto, a poploader Lina Andreosi foi ao Cine Joia ontem sentir “a energia”. E sentiu!

IMG_0690

Neste último domingo, a banda curitibana Jovem Dionísio fez sua estréia nos palcos de São Paulo, mais especificamente no do recém-reformado Cine Joia.

Formada em abril de 2019, a junção dos amigos de infância vem trazendo grandes resultados que podem ser explicados por uma união positiva de dois fatores: parcerias estratégicas que amplificaram sua audiência desde o início (hoje a banda tem mais de 1.4 mi de ouvintes mensais no Spotify) e o fato de que eles parecem saber muito bem o que estão fazendo, lançando singles pontuais que entregam tudo que a geração Z quer (músicas bem construídas, com batidas imersivas e refrões quase tão cativantes quanto os da americana Olivia Rodrigo, por exemplo).

Apesar de não terem gravado um álbum completo ainda, desde 2020 a Jovem Dionísio – cujo nome é herdado do bar onde os amigos se encontravam – já lançou mais de 15 músicas. E entre elas encontramos desde um remix do Vintage Culture (hit entre as festas de música eletrônica) até uma colaboração com a banda Gilsons, o que deixa claro que os curitibanos não têm interesse em se prender a um só gênero musical.

Com essa “breve” introdução podemos entrar na parte que me traz aqui: o show.

Todas as informações acima levariam um leigo a crer que uma banda que passou a maior parte de sua existência numa pandemia não estaria tão acostumada com a energia dos palcos. Bom, essa suposição estaria completamente errada. Tal como a execução brilhante de todos os lançamentos de singles, o show foi claramente muito bem ensaiado para entregar ao público a melhor experiência dionisíaca.

Claro, não dá para negar que os rostos dos cinco jovens passaram boa parte da apresentação maravilhados com a audiência de mais de 900 pessoas que entoavam as músicas de volta para eles em tons ensurdecedores.

Mas o que realmente encantou foi o controle de palco da banda, como poucas da CENA hoje parecem ter, para tomar para si uma casa como o Joia e engajar a audiência do jeito que visto ontem, sendo ainda, bom repetir aqui, logo na primeira apresentação em São Paulo.

Uma das dúvidas que tinha como ouvinte da banda nos streamings era como as músicas escritas por Gabriel “Mendão” – aka o agroboy indie favorito da nação – se traduziriam ao vivo, principalmente quando levamos em questão que estamos falando de um grupo que tem um guitarrista só e músicas que geralmente usam muito bem recursos externos e eletrônicos para completar suas melodias.

Bom, com a guitarra você não precisa se preocupar, porque a destreza de Rafael Mendes brilha absurdamente, o que, combinado ao fato de que eles conseguiram traduzir as backtracks para o palco, ela deixa ainda espaço para que Ber Hey e Gustavo Karam amarrem as músicas perfeitamente.

Toda essa capacidade instrumental de nada serviria se o frontman não fosse Ber Pasquali. Esse é um cara que consegue concentrar a atenção de todos no local. Ele canta suave e com um jeitão despojado, e no domingo se preocupou em sempre deixar clara a alegria de estar em frente às pessoas finalmente.

Um dos destaques da noite foi a participação de Ana Caetano, do duo AnaVitoria, com quem a banda gravou a música “Aguei”, e que levou a jovem plateia à loucura.

Showzão, enfim.

***

* As fotos usadas aqui e na chamada da home da Popload são da Lina Andreosi.

>>

POPNOTAS CENA – O Do Sol volta hoje. Letrux está sozinha junto com todo mundo. Sophia Chablau e Jadsa no Blue Noite. Maglore no Cine Joia. O “Menino” do RRocha

>>

– O gigantesco festival independente brasileiro Do Sol, que acontece desde Natal, RN, um dos mais tradicionais do calendário de eventos brasileiro, volta a ser presencial a partir de hoje e em duas etapas: uma agora em dezembro, que vai desta noite até domingo e é considerado um “aquecimento”. E o festival mesmo em janeiro, chamado Jardim do Sol, que rola nos sábados 15, 22 e 29 e terá como destaques os baianos do Àttooxxá, a mineira hype Marina Sena e o duo Ferve e Bixarte, entre outros. O Do Sol warm-up de agora será na Casa da Ribeira e o Do Solzão de janeiro é na Capitania das Artes. Toda a info de programação e ingresso aqui.

Cartaz-FESTDOSOL21_FINAL

***

– A cantora carioca Letrux soltou novo single, de nome ótimo (em inglês e strokiano). “We’re All Alone Together” chegou hoje aos streamings gerais, mas foi composta em 2013, para quem acha que é uma canção pandêmica. Recentemente Letrux soltou quatro singles que estavam “guardados” há algum tempo, para aproveitar a temporada forçosamente parada. O lançado hoje mais “I’m Trying To Quit” (de 2013), “Isso Aqui é um Campo Minado” (de 2008) e “Sai da Minha Cabeça” (2007). A melhor parte desta ótima “We’re All Alone Together” é quando ela vem com seus textos em português, recitados. Recentemente, Letrux ainda divulgou o vídeo para “Cuidado, Paixão”, de seu segundo disco, “Letrux aos Prantos”, lançado na virada do mundo para a pandemia, em março de 2020. Mas agora vêm os shows do disco. Letrux se apresenta nesta sexta, sábado e domingo no Sesc Pompéia, em SP. Hummmmm.

***

– Dobradinha muito esperta de shows indies acontece neste domingo, 12, no aconchegante palco do Blue Note, na Avenida Paulista. A ótima banda paulistana Sophia Chablau e uma Enorme Perda de Tempo e a não menos ótima guitarrista baiana Jadsa se apresentam dentro do projeto On Stage Talks – O Futuro é Agora, promovido pela conhecida On Stage Lab. Sophia e sua linda gangue toca músicas de seu recente primeiro álbum homônimo (selo Risco) às 19h30. Uma hora depois, é a vez de Jadsa (foto abaio) mostrar ao vivo as canções de seu elogiadíssimo álbum “Olho de Vidro” (selo Balaclava), um dos melhores discos deste ano tanto quanto o da Sophia. Ingressos, em mesa, como bem funciona o Blue Note, podem ser comprados aqui.

jadsa

***

– O gaúcho RRocha, nome artístico de Rafael Rocha, ex-Wannabe Jalva, lançou em agosto um livro e um filme que também era um disco, o EP “Conterrâneos Estrangeiros” (selo Bananada), seu primeiro trabalho solo inteiro, digamos. Hoje, ele revela o vídeo da faixa “Menino”, deste EP. Diferentemente de outros vídeos, cujo foco eram de imagens gaúchas, desta vez RRocha traz uma obra visual que mostra a comunidade do Vidigal, no Rio de Janeiro. A faixa traz a participação especial do rapper carioca Ramonzin.

***

– A banda baiana Maglore, do guitarrista e vocalista Teago Oliveira, é atração desta sexta-feira no Cine Joia, na Liberdade. É o reencontro do quarteto com o público em quase dois anos. O show será especialíssimo para os maglores grupo estará acompanhado de um trio de metais, apresentando clássicos dos 12 anos de carreira. Podemos adiantar que, pelo que já vendeu de ingresso, o Joia vai estar bem bonito para o rolê do Maglore. Ingressos aqui.

Captura de Tela 2021-12-09 às 5.42.40 PM

>>

Cine Joia completa 10 anos de shows, hoje. Casa de SP reabre no dia 26 com grande programação: de Tropkillaz a Marina Senna, de Boogarins a Alcione

>>

* Hoje, às 11h11 da noite deste dia 11/21, o Cine Joia, ex-cinema e igreja evangélica da Liberdade que virou um tradicional lugar de shows e festas, completa 10 anos de idade.

Desde que James Murphy largou o LCD Soundsystem lá em NYC para dar um pulo em São Paulo às 11h11 da noite daquele dia 11/11 e inaugurar o Cine Joia, muitas bandas incríveis passaram por aquele palco. Dos novinhos Tame Impala ao lendário Lee Scratchy Perry, puxando uma fila de notáveis que inclui Elza Soares, Busta Rhymes, Pabllo Vittar, You La Tengo, Criolo, Thurston Moore, Thundercat, Bixiga 70, Feist e vai embora de tanto nome bom.

No Cine Joia teve o melhor show da vida da importantíssima banda dance-punk nova-iorquina The Rapture e também o pior show da vida do também nova-iorquino Julian Casasablancas fora dos Strokes.

O clube-cinema ainda teve por anos, até março de 2020, alguma das mais bombadas festas da cidade, de Glow in the Dark a Baile das Marinheiras, de Batekoo a Pardieiro, só para citar algumas de muitas.

cine joia 10 anos-01

Esta festa de aniversário de hoje, comemorada de modo privado, é muito mais do que apenas, isso, uma festa de aniversário, depois de o Cine Joia ficar 20 meses fechado por causa da pandemia. Representa o fim de um ciclo. E o começo de outro.

O Cine Joia faz sua abertura oficial ao público no próximo dia 26 deste novembro, com programação praticamente definida até o final de março, para shows e festas. No exato dia 26, pratas-da-casa como a banda Boogarins e o rapper versátil multiformas Edgar se apresentam conjuntamente para inaugurar a nova era.

Daí até os primeiros meses de 2022, nomes como a grande Alcione, Tropkillaz, Marina Sena, Maju, Maglore e festas como VHS, Funfarra e vários outras farão o Novo Cine Joia renascer. Vários ingressos já estão sendo vendidos, através do site
https://cinejoia.byinti.com/.

poster-cine joia-vector

Quando a porta do lugar se abrir, no dia 26, vai se mostrar reformado, mais moderno, transformado. Um novo bar, um novo piso e novos sistemas de iluminação, sonorização e acústica vão dar a cara que o Cine Joia vai ter pelos próximos dez anos pelo menos. Tudo assinado pelo escritório de arquitetura Futura Estudio, de Larissa Burke.

O Cine Joia, hoje, apaga sua vela dos 10 anos e se apaga nesta noite. Esse lugar foi lindo, mas já era. Viva o Novo Cine Joia.

***

* Na chamada da home da Popload para este post, a fachada do Cine Joia quando ele era mesmo um cinema, em novembro de 1952. Abaixo, uma das marcantes apresentações da então casa de show, esta de 2013, quando a banda australiana Tame Impala se apresentou no Cine Joia numa segunda visita.

>>