Em coquetel molotov:

Popnotas CENA – A alma da Yma, o festival POC, o zine-arte-virtual do Coquetel Molotov e o Wry ao vivo

>>

– Hoje, às 20h, a cantora Yma finalmente lança o vídeo para seu mais recente single solitário solito “White Peacock”, lançado no ano passado, mais de um ano depois de seu disco de estreia e a alguns passos de seu próximo álbum, assim esperamos. E que vídeo! Yma (foto na home da Popload) não é necessariamente uma pessoa “retilínea” em sua produção, seja nas músicas, seja nos vídeos. O último trabalho visual dela, pelo que me lembro, ainda que não exatamente para uma música de sua autoria, mostrava a alma dos peixes-palhaços, mortos por anêmonas. As almas que “White Peacock” mostram agora são outras. Da própria Yma. “Aqui. Em casa. Pensando nas cortinas, nas telas, nos relógios girando no mesmo eixo há incontáveis dias. aqui. de dentro da minha sala o mundo está distante. cansada dos movimentos engessados do corpo e da automação do pensamento. quando, de súbito, um som desprende meu corpo. não sei se é um grito ou saxofone. mas estou dançando. Livre”, tenta explicar a bela cantora. Sem mais spoilers, 20h o vídeo estará rolando aqui embaixo.

– A forte noite underground paulista, que não existe mais mas uma hora vai voltar a existir, estará muito bem representada no Festival POC, armado pelo coletivo Bicuda, responsável por muitos agitos na cidade de Campinas, aqui “do lado” de SP. A sigla que sustenta o POC é legal: Projetos Organizacionais Culturais. E a idéia é reunir, nos dias 3, 10 e 17 de abril, três sábados a partir deste próximo, artistas, bandas, coletivos de festas, criativos em geral, empreendedores e influentes que movimentam à noite em toda sua diversidade de acontecimentos. Todo mundo dando valiosos pitacos sobre música, produção de eventos, moda, tudo para criar e fazer renascer bem essa economia criativa para quando o mundo voltar a funcionar. Porque um dia vai. Nomes a participar? Pois não: Bandas Rakta e NoPor, DJs Cashu (Mamba Negra) e Gezender (Sangra Muta), a multiartista CARNEOSSO (Mamba Negra, Teto Preto) e o artista multimídia Alma Negrot, os produtores Thiago Roberto (Dando) e Mafalda (Batekoo), as cantoras Saskia e Potyguara Bardo, entre muitos outros, num total de 40 atrações distribuídas em mesas de debate, oficinas, shows e DJ sets. O evento é obviamente online, gratuito e acontece no site da Bicuda, onde você pode ver a programação completa e se inscrever.

– O veterano grupo sorocabano Wry, ainda nos agitos de seu disco bilíngue lançado no ano passado, o bom “Noites Infinitas”, resolveu mostrar o álbum todo tocado ao vivo, na íntegra. Eles se deslocaram, mascarados (menos o vocalista Mario Bross, também guitarrista), até o famoso estúdio Deaf Haus, em Sorocaba mesmo, para a performance de pouco mais de meia hora. Wry ao vivo é responsa.

– Foi lançada a revista digital do Coquetel Molotov.EXE, como se fosse um zine digital bem construído, do tamanho da importância para a CENA brasileiro do famoso festival indie de Recife. Tem vídeos instalações, muita arte visual, oficinas e, claro, sessions. E ocupa o site do Coquetel Molotov. Uma session de destaque é o encontro de Benke (Boogarins) com Tagore (foto abaixo, Tagore à esq.), que rendeu músicas inéditas. Estão à disposição na revista. Psicodelia goiano-texana vs. Psicodelia pernambucana. O caldo é saboroso, vá à revista conferir. A extensão .EXE do Coquetel Molotov é um projeto criado pela inquieta Ana Garcia para mover seu evento de forma virtual pandêmica. E a revista é uma saudável fuga das lives. Além da parceria de Benke/Tagore, a revista ( traz ainda um vídeo Urias com participação de João Arraes, um filme musical de Vitor Araújo realizado pelo cineasta pernambucano Pedro Maia de Brito e uma performance ao vivo do pernambucano Jáder, entre outras coisas. O conteúdo é rico.

2 - Benkes et Tagoretinga 2

>>

Encontro Boogarins e Ava Rocha encerra hoje o hiperreal Coquetel Molotov. Popload adianta 5 minutos da performance “crua” do show

1 - cenatopo19

ava1sld

* Acaba hoje, com um show conjunto da banda goiana Boogarins e da incrível cantora carioca Ava Rocha, a longa edição virtal do tradicionalíssimo festival recifense Coquetel Molotov. O CQTL MLTV 2021 representou a 17ª edição do evento pernambucano, um dos mais longevos da CENA brasileira, que sempre foi importante e caprichado desde que o indie brasileiro era uma matagal intransponível.

O festival começou no dia 11 e trouxe um agito online que incluiu paineis de discussão, mentorias, oficinas e workshops, mas que teve seu auge ontem e vai ter hoje com a série de shows conceitual no Youtube do festival como se fosse um filme experimental único para abrigar atrações musicais, em duas partes.

São performances gravadas em estúdio em Recife (Criatório) e São Paulo (Fauhaus) transportadas em 3D para um cenário desenhado especialmente para o “cinema” que o Coquetel Molotov propõe como linguagem para aliviar o cansaço das lives comuns que inundaram o mundo virtual na pandemia.

De Alessandra Leão (PE) a Derek (SP), de Tuyo (PR) a Jup do Bairro (SP), o line-up do CQTL MLTV 2021 trouxe 20 nomes, grande parte dele da nova cena pernambucana. Essa última atração citada, a bombástica trans paulistana Jup do Bairro, é uma das boas atrações de hoje no Youtube do Coquetel.

O principal da noite e que fecha o festival é o grande encontro de Boogarins e Ava Rocha, do qual trazemos, ainda sem a aplicação do cenário, uns bons 5 minutos que trazem o pouco o clima desse encontro. Veja abaixo cru e confira mais tarde em cinema, no Coquetel Molotov, o show dos goianos com a musa indie carioca.

Depois, veja a parte 1 do filme musical do Coquetel Molotov, mostrado ontem no canal do festival.

>>

As incríveis Hinds, atração do Coquetel Molotov de Recife, tocam em SP dia 20 de outubro

>>

Captura de Tela 2017-09-29 às 10.53.37 AM

* Trazido pelos braços bonitos do festival pernambucano No Ar Coquetel Molotov agora em outubro, o quarteto feminino espanhol The Hinds, que já se chamou Deers, faz show solo em estreia brasileira no próximo dia 20/10, no Sesc Pompeia, em São Paulo. No dia seguinte, elas, uma mistura charmosa de Strokes com Black Lips, se apresentam no evento de Recife, há muito um dos principais festivais do calendário indie brasileiro.

A banda, quatro garotas de Madrid que cantam em inglês e têm excelente trânsito na cena alternativa britânica, francesa e americana e de passagens elogiadas em festivais do naipe do South by Southwest e Reading Festival, vem com o show do disco de estreia “Leave Me Alone”, do ano passado. Recentemente, elas lançaram o delicioso single “Caribbean Moon”, que obviamente toca na Popload Radio.

Os ingressos para o show de São Paulo já estão a venda. A inteira custa R$ 30.

* COQUETEL MOLOTOV – A ser realizado no dia 21 de outubro, o festival de Recife anunciou há poucos dias sua programação sempre boa e neste ano vai ter como destaques, além do Hinds e do especialíssimo Arnaldo Baptista, a banda americana DIIV, a festa-show paulistana Mamba Negra, o absurdo NoPorn (SP), além de nomes como Rincon Sapiência (SP), Linn da Quebrada (SP), Kiko Dinucci (SP), Kalouv (PE), E a Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante (SP), Alessandra Leão (PE), Luiza Lian (SP), Attooxxa (BA), AfroBapho (BA).

A programação completa e o agito todo do obrigatório No Ar Coquetel Molotov, com prévias, palcos, kombis, cinema, yoga, bikes e tals, você encontra aqui:

>>

POPLOAD TV, EPISÓDIO 03 – OS FESTIVAIS BRASILEIROS

>>

* Depois de uma edição histórica do Bananada em Goiânia (dá para ler como foi tudo aqui no especial da CENA) o novo episódio da Popload TV discute os festivais brasileiros. Dos independentes como o próprio Bananada, Dosol e Coquetel Molotov até os gigantes Lollapalooza e Rock in Rio, fala-se das vantagens, pontos que precisam ser melhorados e como ainda caminhamos no jardim de infância dos festivais.

Para finalizar, claro, não poderíamos deixar de falar de como surgiu e (um pouco d)o que guarda o Popload Festival deste ano, que terá a sua quinta edição. Dá uma olhada:

Festivais brasileiro:

Melhores festivais do mundo:

Primeiro festival do Lúcio:

A Popload TV é o canal da Popload no Youtube que estará cheio de histórias, sessions exclusivas, entrevistas e muito mais. Se inscreva aqui para conteúdos novos toda terça-feira e nosso #TBT indie às – adivinha! – quintas.

>>

Synth-poppers, uni-vos. Dupla francesa Juveniles toca em São Paulo nesta quinta

>>

Untitled-7

* Está cansado de shows internacionais no Brasil? Então segura mais um. O duo francês electropop Juveniles passa por aqui em uma correria de apresentações no país, a começar nesta quinta-feira em São Paulo, no Sesc Vila Mariana. A banda, trazida pelo festival pernambucano de novas tendências No Ar Coquetel Molotov, tem concertos marcados ainda no Festival MADA, de Natal, na sexta-feira, e depois encerra sua participação ao vivo no sábado, em Recife, no Coquetel.

Duo de synth-poppers com um pé no cast do selo francês Kitsuné e outro no Depeche Mode dos anos 80, o Juveniles é de Rennes e flerta com uma certa new wave francesa desde 2011, quando causaram um certo barulho na cena electro europeia com o single “We Are Young”. Tudo jovem, muito juveniles.

Queridinhos da espertíssima revista de música “Les Inrockuptibles”, o Juveniles veio a soltar seu primeiro álbum em 2013, homônimo, produzido pelo Yuksek, bem conhecido da agitada cena eletrônica francesa. Deste álbum destacamos o vídeo “quase libidinal” e bem francês de “Fantasy”, um dos pequenos hits do Juveniles.

O Juveniles prepara o segundo álbum ainda para este ano, começo do próximo, desta vez com produção de outra figurinha carimbada das baladas à francesa, o ótimo DJ e produtor Joakim. A dupla deve tocar canções novas em São Paulo, Natal e Recife nesta semana, usando os ouvidos dance brasileiros como cobaia do novo trabalho.

12004032_10153212160238543_7398130489845728642_n

>>