Em cranberries:

Em passagem pela Irlanda, Arcade Fire presta homenagem para a cantora Dolores O’Riordan

>>

Foto: Radio Nova

Foto: Radio Nova

Banda acostumada a fazer covers em seus shows, o Arcade Fire aproveitou sua passagem por Dublin, no último final de semana, para prestar uma homenagem a Dolores O’Riordan, ex-vocalista do Cranberries, que morreu no mês de janeiro.

O grupo canadense entoou versos do sucesso “Linger”, de 1993, e emendou com trechos de “Everything Now” antes do petardo “Wake Up”, em versão emocionante as always.

Recentemente, o Cranberries anunciou que está finalizando seu último álbum com a cantora, que deixou diversas canções gravadas em estúdio. As sessions, segundo o grupo, se iniciaram no início de 2017 e estão sendo coletadas e finalizadas por eles. A intenção é que o projeto seja lançado no início de 2019, ano em que também será uma edição especial dos 25 anos de seu aclamado álbum de estreia, “Everybody Else Is Doing It, So Why Can’t We?”.

>>

Ah, não… Morre em Londres a cantora Dolores O’Riordan, do Cranberries

>>

dolores2

Notícia triste no pop. A imprensa inglesa começa a noticiar na tarde desta segunda-feira que a cantora Dolores O’Riordan, que fez fama internacional com o grupo The Cranberries, foi encontrada morta em um quarto de hotel de Londres.

Dolores, que é irlandesa, estava em Londres por estes dias para algumas sessions de gravação com o D.A.R.K, seu projeto musical paralelo com Andy Rourke (ex-Smiths) e produtor/DJ Olé Koretsk.

A assessoria da cantora confirmou a morte, mas ainda não deu detalhes. Ela tinha 46 anos. A última foto que ela postou em suas redes sociais foi com seu gato, em 4 de janeiro, com uma sugestiva legenda: “Bye bye Gio. We’re off to Ireland”.


>>

Trio D.A.R.K., que tem até um ex-Smiths, solta mais um single do disco de estreia

>>

110416_dark01

A gente sabe bem que veremos os Smiths reunidos provavelmente só em outra vida, então ex-integrantes da banda seguem dando seus pulos. Enquanto Johnny Marr e Morrissey trilham seus caminhos sozinhos, o baixista Andy Rourke está envolvido no grupo D.A.R.K.

Ele compõe o trio ao lado do produtor/DJ Olé Koretsky e da cantora Dolores O’Riordan, que fez sucesso nos anos 90 sendo a voz do The Cranberries.

O disco de estreia deles, “Science Agrees” estava previsto para ser lançado em maio, mas rolaram mudanças no meio do caminho e a nova data ainda não é conhecida.

Ainda assim, o D.A.R.K. segue fazendo a divulgação e acaba de lançar a terceira amostra do álbum. Após os singles Curvy e Loosen the Noose, já está ao nosso alcance a até então inédita “Gunfight”. No total, serão 10 músicas no disco.

>>

Real Estate viaja no mundo das covers, faz The Nerves e até Cranberries

250814_realestate

A adorada banda norte-americana de dream pop Real Estate, com passagem marcada para o Brasil em novembro, andou emprestando seus dotes musicais para canções de outros artistas por diferentes motivos recentemente.

Em uma session para o projeto “Undercover”, do canal online A.V. Club, eles prestaram uma homenagem ao grupo irlandês The Cranberries. O Real Estate tocou um dos maiores sucessos dos irlandeses, “Linger”, que fez a banda estourar nos Estados Unidos na primeira metade dos anos 90. A faixa faz parte do álbum “Everybody Else Is Doing It”.

Em outra frente, o Real Estate lança hoje pelo selo cool Domino o novo single “Had to Hear”. A b-side que acompanha a nova música de trabalho na versão vinil 7″ é “Paper Dolls”, som do trio the Nerves, que fez relativo sucesso na cena alternativa norte-americana no fim dos anos 70. O Nerves durou só três anos e lançou apenas um EP na carreira, que tinha esta “Paper Dolls” e também “Hanging On The Telephone”, que se tornou hit na mão do Blondie, que a lançou em seu álbum “Parallel Lines”.

A versão do Real Estate pode ser conferida abaixo.