Em Crazy Horse:

Começando “um novo e lindo capítulo”, Neil Young e a Crazy Horse se reúnem após quatro anos

>>

Foto: Tom Hambleton

Foto: Tom Hambleton

“Pela primeira vez em um bom tempo, ao vivo no palco. Sem ensaios”. Foi assim que Neil Young anunciou, semana passada, a volta aos palcos dele com a Crazy Horse, após um hiato de quatro anos.

A série de três apresentações em Fresno, Estados Unidos, se iniciou na noite de ontem e foi recheada de novidades. Primeiro, foi sentida a ausência não explicada do guitarrista Frank “Poncho” Sampedro. Por outro lado, estiveram no palco com Young o baterista Ralph Molina, o baixista Billy Talbot e o guitarrista Nils Lofgren, que faz parte da E Street Band, de Bruce Springsteen, e que foi membro da Crazy Horse mais ou menos em 1971.

O show foi aberto com “Big Time”, canção que eles não tocavam desde 2001. No total, foram 16 músicas no setlist, incluindo clássicas como “Cinnamon Girl”.

A Crazy Horse fará ainda mais dois shows em Fresno, hoje e amanhã, além de outras duas apresentações em Bakersfield, Califórnia. Enigmático, Neil Young disse no palco que este “é apenas o começo de um novo e lindo capítulo”.

Setlist
Big Time (first time since 2001)
Country Home
Don’t Cry No Tears
Winterlong (Neil Young cover)
World on a String (Neil Young cover)
Scattered (Let’s Think About Livin’) (first time since 1996)
Fuckin’ Up
Too Far Gone (Neil Young cover)
Only Love Can Break Your Heart (Neil Young cover)
Cinnamon Girl
Cortez the Killer
Walk On (Neil Young cover)
Like a Hurricane (Neil Young cover)
Mansion on the Hill

Encore:
Roll Another Number (For the Road) (Neil Young cover)
Greensleeves

>>

De surpresa e sem ensaios, Neil Young anuncia primeiros shows com a Crazy Horse em quatro anos

>>

250418_neilyoung2

O lendário Neil Young, que não cansa de fazer shows, lançar discos e tentar salvar o mundo, anunciou para a semana que vem, de surpresa, dois shows com a Crazy Horse, algo que eles não fazem desde 2014.

As apresentações serão na cidade de Fresno, na Califórnia, dias 1º e 2 de maio. “Pela primeira vez em um bom tempo, ao vivo no palco. Sem ensaios”, escreveu o canadense em seu site oficial.

O último show de Neil Young com a Crazy Horse aconteceu em Colmar, na França, em 8 de agosto 2014. Ainda não se sabe qual será a formação do grupo nos shows na Califórnia semana que vem. O último disco lançado por eles é “Psychedelic Pill”, de 2012.

>>

Show "chato" ontem em Nova York: Neil Young com abertura da Patti Smith

>>

* Hey hey, my my.

* Aconteceu ontem no Brooklyn, em Nova York, mais um show da The Alchemy Tour, a turnê do músico canadense Neil Young. A abertura do show coube apenas à outra lenda viva do rock: Patti Smith.

Lenda vivas, ambos, claro, porque senão os shows de ontem não rolariam, a não ser em holograma. Bom deixar claro.
E adoro os horários das apresentações nos EUA. Em plena segunda-feira nova-iorquina, a Patti Smith começou a tocar 19h30. Neil Young, a atração principal, começou às 21h. Pensa esses horários no Brasil…

Essa de ontem foi a sétima apresentação seguida da dobradinha. Patti Smith mesclou seu set de abertura com clássicas como “Dance Barefoot” e “April Fool”. Houve espaço para homenagear Neil com a cover de “It’s a Dream”.

Já Neil Young, na estrada com a formação original da Crazy Horse pela primeira vez em 15 anos, tocou por cerca de duas horas, bombando a divulgação de seu mais recente álbum, “The Psychedelic Pill”. O canadense tem só mais dois compromissos para fechar a agenda de 2012 nas cidades de Bridgeport e Atlantic City. Depois, só volta a tocar na Austrália, em março.

No final do show de ontem, no Brooklyn, Neil mandou um abraço para o Jay-Z. “Thank you Jay-Z… Crazy Horse!”.

Onda psicodélica. O novo vídeo do Neil Young

>>

O que essa galera anda fumando? Mas, no caso do Neil Young, não é onda nova. É só um revival. O músico ícone canadense lançou mais um vídeo para divulgar “Psychedelic Pill”, seu novo disco ao lado da lendária Crazy Horse, primeira reunião da formação original da banda em 15 anos.

O álbum, que foi lançado há duas semanas, chegou às lojas em disco duplo e com uma versão blu-ray com um vídeo para cada faixa. Tem também a versão “visual” que pode ser baixada pelo iTunes, em qualidade menor.

O vídeo-viagem da vez é para a canção “Driftin’ Back” e reúne mais uma vez imagens vintage de Neil e da banda, mescladas com outros registros aleatórios e efeitos psicodélicos em um caleidoscópio. Tudo normal se a duração não fosse de 28 MINUTOS!

Vai encarar a viagem do Neil?

Neil Young lança novo disco e vai para o Twitter zoar o Bono e dizer que gosta de Jack White e Radiohead

>>

Neil Young lendo “O Melhor do Twitter” da Popload

Patrimônio histórico da música, o incrível Neil Young mostra que ainda tem muito gás mesmo beirando a casa dos 70 anos de idade. Na próxima semana, o canadense bota na praça o aguardado “Psychedelic Pill”, seu novo disco de estúdio com a lendária Crazy Horse. Este será o segundo lançamento de Neil este ano. Em junho, com a mesma banda, ele jogou no mercado o álbum “Americana”, que consiste basicamente em versões para clássicos das músicas regionais da América do Norte. A grande notícia além de todas essas grandes notícias é que a formação original da Crazy Horse se reuniu pela primeira vez em mais de 15 anos. Estão com Neil seus chapas Ralph Molina, Frank “Poncho” Sampedro e Billy Talbot.

Faltando uma semana para o lançamento físico de “Psychedelic Pill” – que terá uma versão Blu-ray incluindo vídeos para todas as canções em alta definição e outra que pode ser comprada pelo iTunes, em resolução menor – o cantor e guitarrista resolveu disponibilizar o disco na íntegra em seu site oficial. Para ouvir, é preciso baixar um plug-in específico e atualizar a página.


Para bombar a audição do álbum, Neil Young foi ao Twitter na tarde-noite de ontem para participar do #AskNeil, quando respondeu diversas perguntas dos fãs, desde as mais sérias às mais bizarras.

A que mais chamou a atenção foi quando um fã perguntou o que ele achava do Foster The People (atração de um evento beneficente dele no fim de semana passado), uma vez que o “Bono disse gostar”. Foi aí que Neil surpreendeu e deu uma zoada básica, respondendo: “Who is Bono?”. A respostinha besta, lógico, correu o mundo.

Neil zoou sobre trabalhar com Axl Rose, falou do fim do mundo, de onde vêm os bebês, como é ter fãs de diversas gerações, disse que gosta do Jack White, do Radiohead e que vai gravar alguma coisa com o Dave Grohl. Gênio.

>>