Em daft punk:

Daft Punk entra para o lado negro da força em novo vídeo sombrio do The Weeknd

>>

100317_weeknd1

Depois da apresentação no Grammy, o grande e complexo duo francês Daft Punk apareceu agora no novo vídeo do bombado The Weeknd, para o single “I Feel It Coming”.

Seguindo a identidade visual vista na premiação, Thomas Bangalter e Guy-Manuel de Homem Christo aparecem novamente em visual dark, com capas pretas que remetem ao Darth Vader. Também como visto no palco do Grammy, as vestimentas dos “robôs” pareceu fazer referência a algum planeta coberto de gelo, o que está fazendo os fãs evidenciarem um link claro a Star Wars.

O vídeo começa com Abel Tesfaye cantando em um lugar desconhecido, com ambiente sombrio. No fim, aparece o Daft Punk com sua pose climão parecendo ter descoberto algo. A música faz parte do disco “Starboy”, o mais recente do canadense, que vem ao Brasil estrelar o Lollapalooza, em São Paulo.

100317_weeknd_daftpunk_slider

Longe dos palcos desde 2007, há um papo que dá conta que o Daft Punk volta com turnês neste ano, dez anos após a “Alive Tour”, que inclusive veio ao país para uma memorável apresentação no Tim Festival de Rio e São Paulo, onde o duo tocou no Tom Brasil na na mesma noite com as bandas Yeah Yeah Yeahs, TV On The Radio e Thievery Corporation. Isso que é um planeta a parte.

100317_weeknd2

>>

CENA – Quem consegue parar o Bertazi? O pagode do Daft Punk e o encontro de Beyoncé e Daniela Mercury

>>

* Psiu, psiu!

cena

Depois do Tchanz Ferdinand, o mágico produtor paulista Raphael Bertazi volta à Popload com mais dois extraordinários mashups, um encharcando de pagode o mitológico duo francês Daft Punk e outro promovendo o encontro de duas supermulheres, cada uma na sua cena: a grávida Beyoncé e a baianaça Daniela Mercury.

O resultado sonoro é, para variar, genial. As capas são de lascar de boas. O lance do Daft Punk featuring Companhia do Pagode se chama “Robozinho Empinadinho” e o da Bey vs. Dani é “O Boy Mais Belo dos Belos”.

Vote Bertazi para presidente do Brasil!

>>

Daft Punk volta aos palcos no Grammy, ao lado do The Weeknd. E abre “lojinha” cool em Los Angeles

>>

130217_daftpunk2

Após três anos, o incrível duo Daft Punk se apresentou novamente em um palco, no Grammy. Os franceses fizeram aparição especial ao lado do bombado The Weeknd e mandaram, juntos, a boa “I Feel It Coming”, canção que está no último disco do canadense, “Starboy”.

Thomas Bangalter e Guy-Manuel de Homem Christo apareceram em visual dark, com capas pretas que remetem ao Darth Vader. O visual, no palco, pareceu fazer referência a algum planeta coberto de gelo, o que está fazendo os fãs evidenciarem essa teoria de Star Wars.

Longe dos palcos desde 2007, há um papo que dá conta que o Daft Punk volta com turnês neste ano, dez anos após a “Alive Tour”, que inclusive veio ao Brasil para uma memorável apresentação no Tim Festival de Rio e São Paulo (o extinto evento enfiou no Tom Brasil, em SP, na mesma noite e além do Daft Punk, as bandas Yeah Yeah Yeahs, TV On The Radio e Thievery Corporation).

Na última sexta, o duo abriu sua pop-up store na Melrose Ave., na West Hollywood, em Los Angeles, comercializando produtos oficiais e deixando em exposição alguns itens raros da carreira da dupla e até objetos pessoais, o que, claro, está enlouquecendo os fãs.

A pop-up, que fica aberta até o próximo dia 19, teve em sua abertura apresentação ao vivo de DJs, incluindo o Skrillex.

130217_daftpunk3

>>

“Homework”, do Daft Punk, completa 20 anos hoje. Ouça um show do duo em um clubinho de Glasgow, direto de 1997

>>

Foi em 20 de janeiro de 1997 que o mundo conheceu o estrondo musical chamado Daft Punk. Duo francês formado por Thomas Bangalter e Guy-Manuel de Homem-Christo, eles lançaram naquela data seu disco de estreia, “Homework”, hoje completando exatos 20 anos.

Puxado por hits como “Da Funk” e “Around the World”, o álbum inicialmente teve uma tiragem modesta de 50 mil cópias. Óbvio, semanas depois a conta precisou ser recalculada e logo nos meses seguintes já haviam sido vendidos cerca de 2 milhões de exemplares.

“Homework” tem 16 faixas e apareceu na lista dos mais vendidos em 35 países. “Around the World”, principal hit da obra e ainda atualíssimo nas pistas de dança nos dias de hoje alcançou o primeiro lugar da Billboard na categoria Hot Dance.

Considerado uma mistura de techno, acid, house e funk, claro, com uma pitada charmosa da vibe francesa, “Homework” está listado no livro “1001 Albums You Must Hear Before You Die”. Na análise, o crítico Alex Rayner diz que o disco serviu como ponte entre os mais estabelecidos estilos de eletrônica e o crescente ecletismo de big beat. Bingo.

110814_daftpunk

A Popload resolveu vasculhar registros diferentes da época e esbarrou em um live set do duo, que ainda nem usava capacetes, em uma festinha que eles mesmos armaram pós-show de lançamento do álbum, em 24 de janeiro, na cidade de Glasgow.

Depois do show no famoso Barrowlands, Thomas e Guy-Manuel reuniram amigos e alguns seguidores para uma afterparty no clubinho The Arches e lá tocaram, além de canções do “Homework”, faixas de outros artistas, tipo Cassius, Giorgio Moroder e Prince.

200117_daftpunk_slider

Showzinho delícia para relembrar este disco clássico, também reproduzido no final do post para quem estiver com saudades de ouvir.

Daft Punk – afterparty The Arches – Glasgow – 24/1/1997
[00:00] Daft Punk – Daftendirekt
[03:00] Daft Punk – WDPK 83.7 FM
[05:00] DJ Funk – Work It
[07:00] Barbara Tucker – I Get Lifted (Duck Beats)
[08:15] Kenlou – What A Sensation (Sensational Beats)
[08:55] Cassius – Foxxy Lady
[12:20] St Germain – Alabama Blues (Todd Edwards Dub Mix)
[15:00] Debo – In The House!
[18:25] Chubby Chunks – Testament One
[19:45] Tyree – Git It Right
[21:55] Stevie Wonder – All I Do
[27:20] Giorgio Moroder – What A Night
[30:15] + Armand Van Helden – The Funk Phenomena
[33:00] Kenlou – What A Sensation (Sensational Beats) + The S.O.U.L. S.Y.S.T.E.M. – It’s Gonna Be A Lovely Day (Acapella)
[35:50] Gusto – Disco’s Revenge (Mole Hole Dirty Mix)
[40:15] Daft Punk – Rollin’ & Scratchin’
[41:00] Daft Punk – Musique
[41:30] Robert Hood – The Pace
[42:50] Dirty House Crew – Groovin’
[47:30] Ruffneck Featuring Yavahn – Everybody Be Somebody
[49:40] Green Velvet – Untitled (Fake And Phoney)
[51:40] D.J. Funk #1 – Video Clash
[55:15] Jack Da Ripper – Da Jacker
[55:55] + Prince And The Revolution – Raspberry Beret
[59:40] Thomas Bangalter – Ventura
[62:50] Nicole – Runnin’ Away (Todd Edwards Remix)
[64:45] Jammin Gerald – Move It
[67:50] Lil’ Louis – French Kiss
[70:05] Machine – There But For The Grace Of God Go I
[71:30] + Kenlou – What A Sensation (Sensational Beats)
[73:10] A Lil’ Louis Painting: Black Magic – Freedom (Make It Funky) + (Freedompella)

>>

Opa, opa. Daft Punk vai sair em turnê em 2017. Pareeeeeeeeece

>>

Captura de Tela 2017-01-12 às 11.08.29 AM

* Nunca dá para cravar nada a ferro e fogo, quando se trata do misterioso duo francês Daft Punk, uma das instituições musicais mais, digamos, “diferentes” do nosso tempo. Mas ainda assim, vamos lá.

Longe dos palcos desde 2007, com a turnê “Alive”, que inclusive veio ao Brasil um ano antes para uma memorável apresentação no Tim Festival de Rio e São Paulo (o extinto evento enfiou no Tom Brasil, em SP, na mesma noite e além do Daft Punk, as bandas Yeah Yeah Yeahs, TV On The Radio e Thievery Corporation), a dupla formada por Guy-Manuel de Homem-Christo e Thomas Bangalter pode estar voltando aos palcos dez anos depois, finalmente.

Um vídeo-teaser vindo de algum lugar muito “deep” da web sugere a volta do Daft Punk aos shows em 2017, dez anos depois. O Daft Punk lançou o estrondoso “Random Access Memories” em 2013 e nunca botou o pé na estrada para divulgá-lo. Faria bem sentido uma turnê Alive 2017, para virar o disco assim como o Alive 1997 e o Alive 2007.

Mas vai saber. Do Daft Punk pode-se esperar tudo. Ou nada. Uma vez, anos 90 ainda, fui ao interior da França ver um festival em que o duo estava escalado para fechar o evento (que entre outros tinha Beastie Boys, Garbage no auge) com um DJ set. Botaram uma mesa no palco com o logo dos caras, um pano de fundo com os capacetes e daí o som começou a rolar. Estava incrível, mas não tinha ninguém no palco tocando. E ficou assim por uma hora e meia.

Dizem que eles estavam tocando dos bastidores do festival. Dizem que eles passaram o Réveillon agora, de novo, comendo pizza em Caraíva, na Bahia. Dizem que vai ter Alive 2017.

>>