Em david bowie:

Depeche Mode evoca Bowie e emociona com cover de “Heroes”, agora liberada em qualidade profissional

>>

220917_depechemode2j

Olha só o Depeche Mode querendo nos emocionar. Fã confesso de David Bowie, Dave Gahan botou seu coração em uma versão linda para “Heroes”, canção do inesquecível astro britânico que o DM tem tocado em seus shows na turnê atual. A versão publicada pelos ingleses foi devidamente registrada com qualidade profissional e está disponível nas redes.

O grupo atualmente está em turnê pela América do Norte com o Warpaint enquanto atração de abertura. Neste rolê, a banda inglesa vai bater o recorde de apresentações de um mesmo artista no famoso Hollywood Bowl, em Los Angeles, com quatro apresentações em outubro.

A “Global Spirit Tour” em novembro voltará para a Europa e estará no Brasil em show único em São Paulo, no lindo estádio do Palmeiras, no dia 27 de março do ano que vem.

>>

Episódio normal de “Twin Peaks”. Até David Bowie apareceu atuando

>>

140817_bowie2

Ressurreição talvez seja uma boa palavra para se relacionar a “Twin Peaks”. A série, do gênio David Lynch, doida e famosa nos anos 90, mais doida ainda na versão de hoje, foi retomada para os dias atuais e, além da trama imaginativa, tem tido uma surpresinha a cada episódio, e praticamente uma banda por semana mostrando uma música nova (ou velha).

Mas a grande sacada do episódio 14 desta temporada, que vai ao ar às segundas na Netflix do Brasil e, no caso deste específico, entrou hoje para nós, foi a aparição de David Bowie, que teve singelamente o capítulo dedicado à sua memória.

Morto em janeiro de 2016, Bowie apareceu vivinho para valer no novo EP, no qual foi resgatado seu papel como Philip Jeffries, um agente do FBI, do filme absurdo “Twin Peaks: Fire Walk with Me”, que foi parar nos cinemas e não na TV, com imagens recuperadas dos arquivos e mescladas dentro do contexto da trama atual, em um sonho de Gordon Cole (David Lynch).

140817_bowie5

Pouco antes de morrer, Bowie chegou a dizer que havia conversado com Lynch sobre a possibilidade de voltar a ter um papel na série. Bowie realmente voltou, pena que de um jeito que a gente não gostaria de imaginar um dia.

Musicalmente falando, já passaram por essa nova fase de “Twin Peaks”, mas tocando no palco do Bang Bang Bar, nomes como Nine Inch Nails, Moby, Chromatics, Au Revoir Simone e a “nossa” Sharon Van Etten. Até a loirinha Sky Ferreira apareceu, mas atuando, não tocando. E, desta vez, o gênio saudoso David Bowie.

>>

De herói para herói: nova coletânea do Motörhead tem Lemmy cantando Bowie em uma de suas últimas gravações

>>

Grafite feito em Venice, Los Angeles, homenageando as duas lendas

Grafite feito em Venice, Los Angeles, homenageando as duas lendas

No primeiro dia de setembro chegará ao mercado um novo disco do eterno Motörhead. A banda liderada pelo distinto Lemmy Kilmister lançará um disco de covers que eles fizeram durante a carreira.

Entre os homenageados em “Under Cöver” estão grupos como Sex Pistols, Rolling Stones e Ramones. Algumas versões são antigas, tipo a para “Hellraiser”, de Ozzy Osbourne, datada de 1992.

Mas o grande charme do álbum é uma reedição para o clássico “Heroes”, de David Bowie, que acabou sendo uma das últimas gravações deixadas por Lemmy, que morreu na última semana de dezembro de 2015, vítima de câncer. O curioso é que Bowie também nos deixou cerca de duas semanas depois, em decorrência da mesma doença.

O choque de duas estrelas em forma de música pesada pode ser visto e ouvido abaixo, em vídeo que mostra alguns dos últimos registros de Lemmy em vida.

“Under Cöver” – Tracklist
1. Breaking the Law (Judas Priest) 2008
2. God Save the Queen (The Sex Pistols) 2000
3. Heroes (David Bowie) 2015
4. Starstruck (Rainbow) 2014
5. Cat Scratch Fever (Ted Nugent) 1992
6. Jumpin’ Jack Flash (The Rolling Stones) 2001
7. Sympathy for the Devil (The Rolling Stones) 2015
8. Hellraiser (Ozzy Osbourne) 1992
9. Rockaway Beach (Ramones) 2002
10. Shoot ‘Em Down (Twisted Sister) 2001
11. Whiplash (Metallica) 2005

>>

Nine Inch Nails libera novo EP e a versão de estúdio para a cover do Bowie

>>

130717_nin2

Sexta-feira é dia de grandes lançamentos e, na fila, está “ADD VIOLENCE”, o segundo EP da trilogia do Nine Inch Nails, prometida pelo seu mentor Trent Reznor ano passado.

“ADD VIOLENCE” tem cinco faixas, e sucede o ótimo “Not the Actual Events”, que saiu em dezembro de 2016. Reznor comentou que tem optado por produzir discos mais rápidos do que os álbuns cheios convencionais, para que eles sejam, também, lançados de forma gradativa e em intervalos de tempo menores.

Além do EP, o grupo também divulgou a versão de estúdio remixada para “I Can’t Give Everything Away”, faixa de “Blackstar”, derradeiro álbum lançado por David Bowie em vida. A canção foi mostrada em show nesta semana, na cidade de BAkersfield, na Califórnia.

Nine Inch Nails volta aos shows na Califórnia. E David Bowie canta numa música…

>>

Captura de Tela 2017-07-20 às 8.15.44 AM

* O grupo americano Nine Inch Nails, de Trent Reznor, está de volta aos palcos para valer, se não levarmos em conta a aparição deles no Bang Bang Records, o bar da série televisiva “Twin Peaks”. A performance aconteceu ontem à noite na Rabobank Arena, em Bakersfield, na Califórnia, e serviu como esquenta para o realmente primeiro grande show que a banda fará desde 2014, domingo que vem, no FYF 2017, o outrora Fuck Yeah Festival, de Los Angeles (que cresceu tanto que teve que camuflar o “fuck” do nome.

O concerto na Califórnia marcou o início da turnê. I Can’t Seem to Wake Up 2017, que tem mais três gigs especiais e espaçadas marcadas, além da aparição como headliner no último dia do FYF. No fim do mês no Panorama Music Festival em Nova York, depois 15 de setembro em Chicago (Riot Fest) e por fim em 21 de outubro novamente na Califórnia, em Sacramento (Aftershock Fest).

ninrabobank

“Esta é nosso primeiro show em três anos, eu acho. Estivemos escondidos numa caverna durante esse tempo, fazendo discos e trilhas. O que aconteceu no mundo exterior nesses anos, está todo mundo bem? Não vou falar sobre o fucking Trump, eu prometo”, disse Reznor, ao microfone, assim que a banda entrou em cena.

A banda tocou pela primeira vez uma cover de David Bowie, para a música “I Can’t Give Everything Away”, uma das últimas canções feitas pelo astro inglês em vida e lançada postumamente como single em abril do ano passado, três meses depois de sua morte.

A homemagem de Trent Reznor a Bowie, que eram amigos, já havia sido gravada em estúdio tempos depois da morte do cantor, mas nunca lançada nem tocada ao vivo pela banda. No show de ontem, David Bowie “apareceu” no show do NIN através de sua voz sampleada, na cover.

“No começo do ano passado perdemos alguém que era muito importante para a banda, e para mim pessoalmente, David Bowie. Nós estávamos em estúdio meio que testando coisas e sentindo que a gente precisava fazer alguma coisa para processar a notícia da perda de Bowie, então trabalhamos nessa música, que botou nossos pés no chão. Foi confortante para nós, nunca lançamos ela, mas agora vamos tocá-las para vocês”, falou o líder do NIN ontem, momentos antes de mandar “I Can’t Give Everything Away” ao vivo.

Abaixo, em dois ângulos diferentes:

Recentemente o Nine Inch Nails soltou duas músicas novas, “Less Than” e “This Isn’t the Place”, que estará no novo EP, “Add Violence”, a ser lançado amanhã digitalmente. Quem comprou o disco em pré-venda já o recebeu. O EP sai em CD e vinil em setembro. “Add Violence” é a segunda parte de uma trilogia, iniciada com “Not the Actual Events”, lançado em dezembro passado. Nada se falou ainda do terceiro e final EP, mas parece que sai no final deste ano.

No show de ontem, na Califórnia, temos o NIN tocando a nova “Less Than”.

>>