Em destaque:

Vem aí mais um disco do Guided by Voices, o de número 108 (!) da carreira do Robert Pollard

>>

230318_guidedbyvoices2

Lá vem o Robert Pollard de novo, um dos sujeitos que mais tem discos na história da música, contando todos os seus projetos. São 107 no total (e contando) e vem aí o de número 108: o novo com o lindo Guided by Voices.

O grupo norte-americano, adorado pelos indies de vanguarda, vai colocar nas lojas no dia 21 de agosto o álbum “Mirrored Aztec”, que chega apresentado pelo bom single “Haircut Sphinx”.

Além do disco, o GbV também anunciou para o dia 17 de julho uma live, que vai receber o nome “World Tour 2020”. Haha. A apresentação será em uma casa de shows vazia, na cidade de Dayton, nos EUA.

Só para constar: “Mirrored Aztec” será o quinto álbum do Pollard em um ano e meio. Como não ser fã?

>>

O dia em que o Gogol Bordello encheu de punk cigano o escritorinho da Tiny Desk

>>

Captura de Tela 2020-07-07 às 11.10.28 AM

* Uma das “entidades musicais” mais legais do planeta, junto com Blogoteque, sessions da Triple J e KCRW, radio BBC 6 Music e todos os braços da Popload (cóf.), é a série Tiny Desk Concerts, do conglomerado de rádios americanas NPR, de Washington DC.

Há mais de dez anos os caras botam banda para tocar numa sala de escritório apertada, entre mesas de computadores e estantes de livros e discos. E não importa o ritmo e o tamanho da banda. Para a série Tiny Desk, muito grupo louvável se aperta para performances históricas.

Pois bem, como tem sido difícil apertar pessoas numa sala ultimamente, a Tiny Desk Concerts está revivendo grandes apresentações do passado. E a desta semana merece destaque.

Desencavaram uma apresentação do doidaço grupo cigano Gogol Bordello, que é de Nova York mas na real pertence ao mundo. Pensa “aprisionar” num escritório uma banda loka fazendo punk com violino e acordeon liderado por um tipo ucraniano indomável como o bigodudo Eugene Hutz, ótimo.

O Gogol Bordello, que já se apresentou no Brasil, foi bastante ativo no cenário independente do fim dos anos 90 até a década passada. Chegou a lançar um disco em 2017, depois de anos pausado. Mas sua existência, principalmente suas performances ao vivo, marcaram época no indie dos anos 2000.

O que a Tiny Desk botou para rodar novamente nesta semana, em seu canal de Youtube, foi a session que foi ao ar em junho de 2010, poucos meses depois de o Gogol Bordello lançar seu quinto disco, “Trans-Continental Hustle”.

Seguindo a máxima do “recordar é viver”, ou “manter-se vivo”, olha que algazarra foi esse Tiny Desk com o Gogol Bordello de dez anos atrás.

>>

“É o fim do Kasabian?”, parte 2 – No tribunal, Tom Meighan confessa ter agredido a ex-noiva, mas escapa da prisão

>>

Fotos: PA

Fotos: PA

Notícia que ganhou o mundo indie ontem, a saída de Tom Meighan do Kasabian já teve seus desdobramentos.

Depois da banda deixar no ar brecha para diversas especulações, colocando que Tom precisa focar em resolver seus problemas pessoais, tornou-se público um problema envolvendo o cantor e sua ex-noiva, Vikki Ager.

Tom foi acusado de agredir sua ex-companheira em 9 de abril. Presente em um tribunal hoje, ele se declarou culpado.

O jornal britânico The Guardian trouxe em reportagem que a denúncia partiu de uma criança, que viu a cena e acionou as autoridades, em pânico. No momento da ligação, era possível ouvir a vítima ao fundo tentando se defender.

De acordo com informações no tribunal, Meighan não estaria sóbrio naquele momento, estava agressivo, e não cooperou com as autoridades.

Já o Daily Mirror detalha que câmeras de segurança da residência de Tom comprovam que, além de agredir a ex-noiva, Tom a arrastou pelos pés até o jardim da casa.

Apesar da confissão de Tom e da comprovação em vídeos, ele se livrou da prisão e foi condenado a prestar 200 horas de trabalhos comunitários…

>>

Fontaines DC mostra a Irlanda e single novo em estreia no Jools Holland

>>

fontaines

* Por não poder reunir uma penca de bandas tudo ao mesmo tempo no seu palco redondo, como faz há 28 anos, o grande apresentador inglês e músico Jools Holland segue com sua série noturna “Later with… Jools Holland”, da BBC Two, mas num formato-confinamento, digamos.

Holland, de seu estúdio caseiro no sul de Londres, chama uma personagem musical para uma entrevista a distância, apresenta algo de seus preciosos arquivos sonoros e traz alguma banda da hora para fazer alguma performance… da hora.

Eis que tivemos, na última sexta-feira, a banda irlandesa Fontaines DC estrelando a quinta e penúltima edição desse “Later…” especial com uma apresentação única e separada de “A Hero’s Death”, a música que dá nome ao segundo álbum da banda, ainda a sair em 31 de julho.

Nesta que foi a estreia do Fontaines nas mãos de Jools Holland, cada integrante da banda estava em um pico irlandês diferente.
Bem bom…

>>

Com a Greta Thunberg, FKA twigs, Phoebe Bridgers e até o pai do Matty Healy, The 1975 solta novo disco para mostrar que é grande

>>

250719_1975

Quem muito fala, tem que provar. E é com isso que a banda britânica 1975, de Manchester (hmmm…) tem que lidar a partir de hoje, já que eles acabaram de lançar o esperado quarto álbum “Notes on a Conditional Form”, tratado pelo próprio grupo como o melhor da carreira até agora, que elevará os britânicos ao status de “banda grande”.

Apresentado por singles fortes como “People” e “Frail State of Mind”, que têm tocado bastante nas rádios gringas nos últimos meses, o projeto inclui também a inusitada faixa “The 1975”, que abre o disco, e é baseado no discurso da ativista sueca Greta Thunberg, feita no World Economic Forum, no início de 2019, gravado em Estocolmo.

Durante a quarentena, o vocalista doidinho Matty Healy lançou uma série de podcasts em parceria com a revista inglesa The Face. Como parte de um “take over” do magazine, Matty faz uma série de bate-papos legais com seus heróis musicais. E já passaram por lá gente pouco conhecida, tipo Bobbie Gillespie (Primal Scream), Kim Gordon (Sonic Youth), Stevie Nicks (Fleetwood Mac), Conor Oberst (Bright Eyes) e Brian Eno, entre outros.

“Notes on a Conditional Form” é o sucessor do badalado A Brief Inquiry Into Online Relationships, que saiu em 2018. FKA Twigs, Phoebe Bridgers e até do pai de Matty, o ator Timothy Healy, estão entre os convidados.

>>