Em dev hynes:

Trilha da polêmica série “We Are Who We Are” já saiu em dois discos e tem de Radiohead a Drake, de Blood Orange a… “Emilia Paranoica”.

>>

we are who 2

* Talvez a atual série de TV mais falada, “We Are Who We Are”, dirigida pelo italiano Luca Guadagnino, é facilmente a que tem a melhor trilha sonora de série desde a britânica “Peaky Blinders”. E graças ao músico americano Dev Hynes, o Blood Orange, responsável por conduzir a sonoridade que embala uma das mais insólitas histórias de seriado dos últimos tempos.

“We Are Who We Are”, do mesmo diretor de “Me Chame pelo Seu Nome, e produzida pela HBO, se passa numa base militar americana na Itália, numa praia perto de Veneza. Tem Chloe Sevigny e Alice Braga como as mães do complicado adolescente Jack Dylan Grazer, que chegam à base para Chloe assumir o posto de nova comandante do lugar. O rapper Kid Cudi também está no elenco.

A série, exibida há um mês, é sobre o amadurecimento teen, o famoso “coming of age”, descobertas de sexualidade ou das sexualidades e desenvolvimento de amizade e tals, num ciclo bem próximo de brancos e negros, americanos e europeus, de famílias civis e militares, reunidas num pedacinho dos EUA na Itália. As confusões de sempre, amplificada pelas modernidades de comportamento. E confusões não só dos adolescentes.

A música tem dois aspectos em “We Are Who We Are”. Primeiro a composta pelo Dev Hynes especialmente para o seriado. E também a variação de banda que a gente gosta, formando a trilha sonora geral, escolhida pelo próprio Guadagnino, que vai de Smiths a Radiohead, de Drake a Post Malone, tem Prince, Bowie e Stones. Mas também tem o próprio Blood Orange, Neil Young e 21 Savages.

Isso porque estamos no episódio 4 (de oito). O mais novo saiu ontem à noite, não assistido ainda.

Exatamente esses dois aspectos musicais de “We Are Who We Are” acabam de sair em discos oficiais: o das músicas originais feitas para a série (Dev Hynes) e outro com as canções conhecidas, antigas e novas, espalhadas pelo diretor na trama.

Um dos destaques do segundo álbum é um resgate pessoal de Guadagnino para sua série. Trata-se de “Emilia Paranoica”, famoso hino punk italiano dos anos 80, da banda CCCP – Fedeli Alla Linea, grupo formado em Berlim por uma galera italiana que morava na tensa cidade alemã da época.

A música, de quase 8 min de duração, embala uma marcante festinha dos teens da série num casarão abandonado de uma vila russa “sem os russos” no episódio 4.

É esta aqui:

>>

The Avalanches convoca o genial Dev Hynes para dobradinha imperdível em “We Will Always Love You”

>>

avalanches2

O coletivo australiano de música eletrônica (e afins) The Avalanches ficou tipo 16 anos sem lançar um disco, entre 2000 e 2016 mesmo. Agora, a espera pelo terceiro álbum do grupo será bem menor.

Após quatro anos do lançamento de “Wildflower”, os líderes da trupe Robbie Chater e Tony Di Blasi devem liberar em breve o disco sucessor, mais ou menos apresentado com a nova “We Will Always Love You”.

A nova faixa tem participação luxuosa de Dev Hynes, a mente brilhante por trás do Blood Orange, mostrando que o Avalanches, além de vanguarda, é também bastante moderninho.

130818_bloodorange2

O que se sabe deste terceiro disco do Avalanches é que o projeto estava em fase final de mixagem no fim do ano passado. Ao que tudo indica, nomes como JPEGMAFIA e Dhani Harrison serão outros convidados especiais.

>>

Beck olha para o próprio passado em vídeo incrível dirigido pelo Dev Hynes

>>

Semana passada, o herói indie Beck Hansen fez do mundo um lugar mais feliz ao anunciar para o mês que vem seu novo disco, Hyperspace, divulgado com duas músicas.

Uma delas, Uneventful Days, acaba de ganhar um vídeo incrível dirigido por Dev Hynes, também conhecido como Blood Orange. Dev convocou nomes pesados como Tessa Thompson, Evan Rachel Wood e Alis Shawkat, que aparecem em momentos distintos com figurinos diferentes, todos fazendo referências a diversas passagens da carreira do artista norte-americano, como nos clipes de “Loser” e “Devil’s Haircut”.

Hyperspace estará no mercado dia 22 de novembro e é tem produção de Pharrell Williams. Também estão no disco como convidados o vocalista do Coldplay, Chris Martin, que faz backing vocals em “Stratosphere”, e ainda a cantora Sky Ferreira, em “Die Waiting”.

O novo álbum é o 14º da carreira de Beck e sucede o incrível “Colors”, vencedor do Grammy 2017 na categoria Melhor Disco de Música Alternativa.

O vídeo para “Uneventful Days” pode ser conferido abaixo.

>>

Dev Hynes não para e lança mais uma mixtape enquanto Blood Orange, com participações de Toro Y Moi, Arca, JOBA e muito mais

>>

240818_bloodorange_2

O gênio e incansável Dev Hynes, melhor conhecido como Blood Orange, lançou nesta sexta-feira uma nova mixtape, recheada de músicas e convidados bons. “Angel’s Pulse” aparece tipo um ano depois do disco “Negro Swan”.

Diz o Dev que este novo projeto é uma espécie de epílogo em relação ao álbum que saiu em 2018. Entre os convidados especiais de “Angel’s Pulse” estão nomes como Toro Y Moi, Arca, Kelsey Lu, Porches, entre outros.

Quem também colaborou como mentor do projeto foi o JOBA, cantor/rapper/compositor da banda norte-americana BROCKHAMPTON. O Hynes definiu que ele, JOBA, foi a grande influência da mixtape.

Ao todo são 14 faixas que podem ser ouvidas nas principais plataformas de streaming, entre elas a DEEZER, player oficial da Popload.

>>

Depois de tocar Neil Young no Coachella, Blood Orange lança duas músicas novas na TV

>>

Foto: NYTimes

Foto: NYTimes

O gênio Dev Hynes, que a gente melhor conhece pelo seu nome de palco Blood Orange, lançou de cara no programa do James Corden duas novas canções, as primeiras desde o disco “Negro Swan”, lançado ano passado.

As novas faixas se chamam “Something to Do” e “Dark & Handsome” e podem ser conferidas no final do post.

No último final de semana, Dev chamou a atenção no Coachella quando fez uma cover incrível de “Heart Of Gold”, de Neil Young.

>>