Em don’t think i’m crazy:

CENA – Dancinhas, aliens e guitarras. Mas não ache que Erick Endres está maluco

>>

popload_cena_pq

* Depois de lançar seu disco “Mystic Love” há algumas semanas e ser escalado para abrir o show do famoso guitarrista americano Steve Vai em Porto Alegre recentemente, o músico gaúcho Erick Endres divulga hoje, com exclusividade pelo Popload, o vídeo para uma das faixas de seu novo disco, a dançante “Don’t Think I’m Crazy”.

Para quem ainda não conhece, Erick, um veterano da cena gaúcha que tem apenas 20 anos de idade, é filho do músico e agitador Fredi Chernobyl, mas há muito tempo já consegue se destacar através dos seus próprios feitos, longe da sombra do pai famoso. Prodígio, ele já tem no currículo apresentações no Lollapalooza, já abriu para o Foo Fighters e o citado Steve Vai, além de ter lançado dois EPs e um disco solo.

Em seu álbum mais recente, “Mystic Love”, ele apresenta uma fase mais experimental, explorando sintetizadores, grooves e arranjos que não mantêm 100% do foco nas guitarras, seu forte. Uma pitada de Unknown Mortal Orchestra que se encontra com Red Hot Chili Peppers é uma definição que quaaaaaase consegue explicar o que ele apresenta no lançamento e que, na faixa que escolheu transformar em vídeo, sintetiza de uma forma ainda melhor essa associação.

Erick_01

“Don’t Think I’m Crazy” tira Endres do posto de apenas um ótimo guitarrista de pouca idade para um instrumentista capaz de amarrar muito bem referências e influências sem perder a oportunidade de deixar a sua marca. Na simplicidade do vídeo e na psicodelia da montagem, se entende a proposta artesanal e crua da viagem que ele traz em “Mystic Love”.

Segundo o rapaz, “a ideia era ser simples, cru, brincar na pós”. Essa simplicidade com cara de câmera amadora abre espaço para uma série de efeitos e brincadeiras de Ricardo Di Carli, responsável pela direção, montagem e fotografia do vídeo. “Foi tudo feito em uma manhã numa sala comercial vazia, eu e o Ricardo (diretor). Depois eu dei algumas referências (Vulfpeck e Thundercat) para ele e o deixei pirar na montagem.”

Para conferir o resultado do dia de gravações de Erick e Danilo, você pode assistir “Don’t Think I’m Crazy” clicando no vídeo logo abaixo. Quem se interessou pelo disco pode ouvi-lo na íntegra através das plataformas digitais.

* Erick Endres faz show HOJE em Porto Alegre, outra apresentação de lançamento do álbum pela capital gaúcha, que acontece no Espaço Cultural 512. O evento inicia a partir das 19 horas com ingressos disponíveis para compra na hora, a R$ 15.

>>

Popload Session e CENA apresentam… ERICK ENDRES

>>

É CENA e Popload Session, dois em um.

image (2)

cena

Eu queria escrever como o Erick Endres toca guitarra. O menino, 19 anos, gaúcho com relações francesas, é íntimo do nobre instrumento roqueiro há 15 anos. Leia direito: não é que ele toca desde os 15. Aos 4 o pai dele já o botava para fazer barulho em guitarras. Saber quem é o pai dele explica muito dessa educação infantil: Fredi Chernobyl, produtor, DJ e guitarrista da banda-entidade gaúcha Comunidade Nin-Jitsu.

As muitas histórias de Endres a gente já deu aqui na Popload desde o começo da década. Um google rápido revela isso. Mas não cansamos de repetir, por admiração. Erick tem uma carreira que, mesmo com a pouca idade, é de roqueiro velho. Já foi indie, já foi da Sony, voltou a ser indie. Já tocou em Lollapalooza, já abriu para o Foo Fighters. Canta em inglês, francês e português. E o escambau. De novo: 19 anos.

Captura de Tela 2016-10-17 às 5.30.33 PM

Enfim. O prolífico Endres tem como meta lançar três EPs neste ano. O primeiro, “Falling”, saiu em agosto, via Loop Discos. O segundo, a vir à tona no dia 11 de novembro, 11/11 para os íntimos, se chamará “[IN]” e tem, entre suas quatro músicas, essas duas da session que o guitarrista entrega em performance ao vivo para a Popload: “Blinded Eyes”e “Don’t Think I’m Crazy”. Ambas muito boas.

Depois virá o terceiro EP. Depois o álbum, que será a soma dos três EPs mais uma inédita.

Captura de Tela 2016-10-17 às 5.11.39 PM

É reducionismo, contudo, quando o EP novo estiver na mão, chamar Erick Endres de “guitarrista”. No disco, ele toca todos os instrumentos. Mas, na session e em shows, ele está acompanhado por Lorenzo Flach (guitarra), Pedro Petracco (teclado e voz), Naum Gallo (baixo) e Bruno Bernardo (bateria e voz).

Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

Senhoras e senhores, com vocês… o impressionante ERICK ENDRES.

** Ficha técnica dos vídeos: captação e mixagem de áudio, Gilberto Ribeiro Jr. (estúdio Mubemol); captação de vídeo, Cecília Saraiva e Victoria Venturella; montagem, Victoria Venturella.

***** A Popload Session é apresentada pela Heineken. Se beber, ouça música alto.

>>