Em dosol:

POPLOAD TV, EPISÓDIO 03 – OS FESTIVAIS BRASILEIROS

>>

* Depois de uma edição histórica do Bananada em Goiânia (dá para ler como foi tudo aqui no especial da CENA) o novo episódio da Popload TV discute os festivais brasileiros. Dos independentes como o próprio Bananada, Dosol e Coquetel Molotov até os gigantes Lollapalooza e Rock in Rio, fala-se das vantagens, pontos que precisam ser melhorados e como ainda caminhamos no jardim de infância dos festivais.

Para finalizar, claro, não poderíamos deixar de falar de como surgiu e (um pouco d)o que guarda o Popload Festival deste ano, que terá a sua quinta edição. Dá uma olhada:

Festivais brasileiro:

Melhores festivais do mundo:

Primeiro festival do Lúcio:

A Popload TV é o canal da Popload no Youtube que estará cheio de histórias, sessions exclusivas, entrevistas e muito mais. Se inscreva aqui para conteúdos novos toda terça-feira e nosso #TBT indie às – adivinha! – quintas.

>>

CENA – Natal gigante. Camarones arma tour de 25 shows pela Europa com disco novo. E o DoSol, o maior festival indie do mundo, vai rolar na praia em 2017

>>

cena

* Notícias quentes lá de cima do Brasil. A bombante cena indie de Natal faz tempo que me impressiona. Mas agora está indo longe demais. Literalmente.

Em notícias de responsabilidade correlata, tempos que:

camarones

1. A banda Camarones Orquestra Guitarrística (foto acima), já chamada em lugares bons de “quarteto instrumental potiguar de surf-music alucinada com uma baixista arretada”, vai lançar em março, no dia 5, seu sexto álbum, “Feeexta”, disco que comemora os dez anos de carreira do grupo do troublemaker indie Anderson Foca. O disco sai no Brasil e na Alemanha. Tem até um documentário sobre as gravações de “Feeexta”, para você botar uma fé no disco.

Daí que, disco na rua, no exato dia de lançamento o Camarones inicia em Natal uma turnê que vai ultrapassar as 50 datas até julho, e deve incluir metade disso em apresentações europeias. Lugares como Espanha, França, Alemanha e Portugal estão fechados. Mas o giro gringo promete atingir mais países.

A série brasileira de apresentações do Camarones, pelo menos as de março, do bem Norte ao muito Sul, estão aqui embaixo:

05/03 – Natal/RN
09/03 – Maringá/PR
10/03 – Londrina/PR
11/03 – Blumenau/SC
12/03 – Curitiba/PR
14/03 – Rio do Sul/SC
15/03 – Florianópolis/SC
16/03 – Porto Alegre/RS
17/03 – Santa Maria/RS
18/03 – Caxias do Sul/ES
19/03 – Sapucaia/RS

2. O enorme e multiestadual festival DoSol, baseado em Natal, realizado e também propriedade do Foca junto com a “baixista arretada” do Camarones, que em 2016 teve 150 nomes percorrendo 14 cidades, vai ter seu epicentro na praia. O DoSol 2017 vai ser à beira-mar. Adeus à rua Chile e aos galpões da Ribeira. Os cinco palcos do DoSol vão ser colocados agora perto da praia. E a idéia é fazer, além dos trocentos shows, muita beach parties, pool parties, DJ set on the beach e coisas do tipo.

Continuo cada vez mais pasmo com Natal!

>>

CENA – O mundo que gira em torno do DoSol, do Rio Grande do Norte, talvez o maior festival indie… do mundo?

>>

cena

* Festival indie colossal brasileiro, que exprime bem o atual vigor da CENA alternativa brasileira, o grande DoSol acabou pequeno agora no domingo passado em Santa Cruz (RN), depois que sua programação total teve uns 150 nomes, alguns internacionais, e percorreu 14 cidades de cinco estados nordestinos. De origem potiguar, realizado nestes 15 anos a partir de Natal, o Festival DoSol aconteceu, além de Natal, em outras cidades do Rio Grande do Norte, Recife, três cidades da Paraíba, Aracaju, Sergipe e Fortaleza.

Tinha planejado ir ao DoSol 2016 de Natal, mas não consegui. Por isso pedi para o agitador master da cena nacional, o goiano Fabrício Nobre, dar um parecer para a Popload sobre a edição deste ano do evento potiguar-interestadual-internacional. Fabrício, organizador do também importante Bananada, de Goiás, faz parceria com o DoSol para representar a cena brasileira independente no enorme Primavera Sound, de Barcelona.

Achei que o Fabrício já tinha visto de tudo no indie nacional. E me surpreendi que até ele se espantou com o tamanho (em vários sentidos) do festival de Natal e adjacências. Não foi, Fabrício?

camarones


Você tem 20 e poucos anos e mora em Natal, ou em outra cidade do Rio Grande do Norte, ou mesmo em João Pessoa, Aracaju, ou ainda Recife e Fortaleza, e gosta de música indie brasileira. Você certamente tem uma agenda anual obrigatória para cumprir no início de novembro. Você tem que irao festival DoSol.

Depois de visitar o evento por anos seguidos, fiquei sem viajar de Goiânia para Natal de 2012 até este ano, e o que vi agora, comparecendo à edição 2016 do DoSol, me impressionou demais. A rua Chile é a mesma, os galpões malcuidados da Ribeira continuam iguais e dão um clima rocker para deixar a molecada maluca por um show bem barulhento, como sempre, há mais de uma década.

Mas o que mudou, e muito, é o nível das bandas na cena criada em torno do DOSOL (e da dupla Anderson Foca e Ana Morena, seus produtores, foto). A evolução é brutal: tem a banda deles é claro, os padrinhos Camarones Orquestra Guitarrística (foto), e tem o psicodelico pesado Koogu, os ultrapop Plutão Já Foi Planeta, os locais-internacionais Mahmed, tem rock de rockeiro dos Monster Coyote, tem performance ao vivo excelente do Kung Fu Johnny, tem o fofo Luiza e Os Alquimistas, o minimalista Fettutines, tem punks Joseph Little Drop e Five Minutes to Go, os “veteranos” Du Souto, os já experientes Talma & Gadelha e por aí segue.

Ah… e o conhecido Far From Alaska, que não estava tocando no festival, mas estava por ali, curtindo a cena e fazendo after-shows!

Todas estas bandas citadas são de Natal-RN, tocam sempre ali na Ribeira, e são do caralho. E várias delas já estão circulando o mundo todo. Isso é o que mais impressiona do DoSol. Claro que os shows ditos principais, de Tulipa Ruiz, O Terno, Felipe Cordeiro, Hellbenders, Merda, todos foram bons e tal. Mas o que faz a gente ficar intrigado e feliz é voltar ali depois de anos e poder ver o quanto a cena de música que gira em torno do DoSol está madura, pronta para receber o mundo inteiro na Ribeira ou na praia de Ponta Negra. E, também, pronta para correr mundo afora!

* A foto da home da Popload é da banda Mahmed, de Natal.

>>

CENA – Talvez o maior festival indie do mundo, o nordestino DoSol anuncia 100 bandas e 160 shows em 14 cidades de cinco estados

>>

cena

* Corrija meu título se eu estiver errado. Pode não ter a programação do americano South by Southwest ou atingir o gigantismo de outrora do brasiliense Porão do Rock, mas o negócio é que foi anunciado recentemente a nova edição do ousado (por tudo que o cerca) Festival DoSol, evento indie original de Natal, Rio Grande do Norte, que agora em 2016 completa 15 anos e que movimentará a cena nordestina em novembro acontecendo em 14 cidades de cinco estados.

Serão mais de 150 apresentações de bandas nacionais e internacionais no rolê bastante patrocinado e apoiado do DoSol, que chacoalhará entre os dias 11 e 27 de novembro a própria Natal, mais cidades da Paraíba, Sergipe, Pernambuco e Ceará.

Plutão Já Foi Planeta_Foto por Anderson Silva

“Este ano é facilmente a edição mais desafiadora que já fizemos para o Festival DoSol em toda a sua história. É um ano de muitas mudanças, com insegurança nas políticas públicas para a cultura. Navegar com um barco desse tamanho nessas águas requer muita firmeza, mas conseguimos reunir artistas maravilhosos numa mostra bastante diversa e teremos uma edição bastante contundente. É sempre uma batalha, mas estamos felizes de estar em pé mais um ano”, diz Anderson Foca, organizador do Festival.

“Queremos ampliar nossa área de atuação no Nordeste e consolidar o mês de novembro como um polo recebedor de música por toda a região. Todo mundo ganha: produtores locais, artistas e casas que recebem uma programação de qualidade e mais barata, subsidiada em parte pelo Festival DoSol e seus parceiros.”

O DoSol 2016 vai receber bandas e artistas como O Terno, Tulipa Ruis, Silva, Mombojó, Ventre, Maglore, entre muitos outros. Exemplos da armada internacional a visitar o Nordeste temos Gonzo, do Uruguai, Killimanjaro, de Portugal e The Kendolls, da Suécia. A vasta cena de Natal empresta ao DoSol nomes como Fetuttines, Luisa & os Alquimistas, Mahmed, Plutão Já Foi Planeta (foto acima) e Camarones Orquestra Guitarrística, a banda do chefe do festival.

Ah, também presente estará o Conjunto de Música Jovem Merda, do Espírito Santo.

Toda a programação e eventos do Festival DoSol 2016 estão informados nos seguintes links.

Cartaz Geral_Cidades e Bandas

O DoSol, cidade a cidade

* Natal, RN

* Paranamirim, RN

* Pium, RN

* Mossoró, RN

* Assu, RN

* Currais Novos, RN

* Caicó, RN

* Santa Cruz, RN

* Recife, PE

* João Pessoa, PB

* Campo Grande, PB
Programação em breve.

* Santa Rita, PB
Programação em breve.

* Aracaju, SE

* Fortaleza, CE

Caramba!!!!

*** A foto da banda Plutão Já Foi Planeta, deste post, é de Anderson Silva.

>>