Em dreamland:

Glass Animals lança o vídeo bizarro mais legal do ano. Veja “Space Ghost Coast to Coast”

>>

Captura de Tela 2021-05-14 às 10.47.35 AM

* Quanto talento tem na cabecinha do menino inglês Dave Bayley, não?. O dono do Glass Animals, banda que a gente não cansa de adorar por aqui, sacou uma música de seu espertíssimo álbum do ano passado, o “Dreamland”, disco da primeira leva mental da pandemia, para transformar em single e vídeo espetacular. Então tome aí “Space Ghost Coast to Coast”, vídeo que a recomendação é só “veja”, porque não dá para descrever de tão legal.

“Space Ghost Coast to Coast” já é legal porque tem uns cantos de Londres ao fundo, parque, metrô. E, percebe-se, é tão genial e plástico quanto simples. “Todo vídeo que a gente tem feito deste disco foi realizado no pico do lockdown. Então precisava ser criativo”, explica o explicável Bayley. Criativo e com talento.

O vídeo nasceu de uma ideia inicial do diretor Max Siedentopf, em filmar Bayley dançando na rua, da janela do apartamento. A piração surreal do resultado final veio da cabeça do glass animal.

Space Ghost Coast to Coast, no sentido em si, é um antigo desenho do incrível fantasma super-herói Space Ghost quando ele foi levado a fazer um programa de entrevistas, paródia dos muitos late shows americanos, que passava no Cartoon Network no final dos 90, começo dos anos 2000. Tinha esse nome, “Space Ghost Coast to Coast”.

O programa animado Deve ter alguma relação com a infância de Dave Bayley quando sua família morava no Texas, em relação a um amiguinho que ele nunca mais viu depois de voltar para Londres, aos 13 anos, sem ter notícias. Recentemente, Bayley descobriu que aquele amigo, depois de crescido, fez “uma coisa realmente terrível”.

“Space Ghost Coast to Coast”, o vídeo do Glass Animals, está aqui embaixo. Maravilhe-se. Até porque a música é bem boa, também.

>>

Atenção, festivais e bandas. Glass Animals vai ao James Corden contar como vai fazer a “live diferente” em show a distância de outubro

>>

Captura de Tela 2020-09-24 às 1.37.53 PM

* Achei uma janela aberta aqui das 70 que eu abro no meu computador de uma parada que eu esqueci de pautar, mas que posto agora porque é muito boa. A participação do grupo inglês Glass Animals no programa do esperto James Corden, dia destes na TV americana.

Glass Animals é a banda do talentosíssimo Dave Bayley, um dos caras mais proativos da pandemia, ao abrir câmera em seu apartamento/estúdio em Londres para quebrar a monotonia do distanciamento social interagindo com fãs, produzir ele mesmo vídeos incríveis, fazer uma série de covers legais e ter lançado em agosto um bom álbum, o terceiro de seu projeto, chamado “Dreamland”.

Primeiro Corden abriu uma janela para conversar com Bayley sobre a experiência única que promete ser um live show em streaming que o Glass Animals vai fazer no dia 16 de outubro, chamado “Live in the Internet”, exatamente uma “experiência audiovisual”, um apanhado de tudo que ele fez neste 2020 pandêmico.

Captura de Tela 2020-09-24 às 1.17.34 PM

Glass Animals e a internet são conectados há muitos anos. E o que eles anunciam, com venda de ingressos a partir de amanhã e quatro transmissões diferente para atender convenientemente a todas regiões do mundo, é um misto de show (do “Dreamland” todo), performances virtuais, convidados especiais e interação com os fãs. Bem Glass Animals mesmo.

No Corden, o grupo de Bayley tocou “Tangerine”, single esperto do novo disco, em uma performance gravada no habitat deles, num cenário bolado por eles e truquinhos de edição com a cara de Bayley. Que banda!

Dá uma olhada.

>>

Glass Animals adia disco novo, mas em compensação nos entrega single e vídeo incríveis

>>

* Uma pessoa que está usando muito bem a difícil quarentena a seu favor é o rapas Dave Bayley, dono o lindo projeto indie-eletrônico inglês Glass Animals. Bayley tem aberto sua casa-estúdio em Londres para a galera, arrisca umas covers legais, sem que nada atrapalhe o andamento de “Dreamland”, seu terceiro álbum, agora previsto para ser lançado no comecinho de agosto.

O Glass Animals, na figura de Bayley, tem criado seus próprios vídeos que contam eles próprios a história do mundo em que a gente vive hoje, lançado singles legais, fazendo a roda Glass Animals girar. Como hoje, que surge o bacaníssimo single “Heat Waves”, com vídeo idem.

“Dreamland”, o disco, iria sair em julho, mas Bayley empurrou a data para 7 de agosto “em respeito e apoio ao corrente movimento Black Lives Matter”, segundo o menino.

Deste novo álbum, já estavam conhecidos os singles “Tokyo Drifting” e “Dreamland”, a música que dá nome ao disco.

Essa “Heat Wave” tem uma batidinha pop bem cadenciada e deliciosa, dessas de grudar na mente e não sair mais, pela levada nos graves, quase a aproximando do hip hop. Mas o vídeo é o lance.

Nele Bayley sai empurrando um carrinho de mão cheio de TVs de válvula por umas ruas vazias de Londres. No trajeto, moradores quarentenados vão filmando ele da janela das casas.

Até que ele chega a um clube fechado e se apresenta sozinho no palco. Mais ou menos sozinho na verdade. O resto do quarteto do Glass Animals está no palco com ele, mas projetados na TV que ele carregou. Muita simbologia cool haha.

No final, num travelling para fora do clube que vai cerrar de novo as portas, aparece um pôster de tour do Glass Animals com um aviso de sold out numa apresentação. Glass Animals viu o futuro? Bayley é muito bom, sério.

>>

Glass Animals e a quarentena criativa. Covers legais, recomeços e um vídeo novo que vai explicar o mundo

>>

* Mais um para a turma que resolveu inventar algo novo durante a quarentena, o simpático quarteto de indie-eletrônico inglês Glass Animals, na verdade seu líder, Dave Baylay, tem aproveitado seu confinamento em estúdio, em Londres, para arriscar algumas covers bem… bem… caseiras, por falta de uma palavra mais precisa. E não deixam de ser ótimas.

Em mensagem no canal de Youtube da banda, e nos próprios vídeos das covers, Bayley diz que está aceitando ideias e sugestões de covers.

Captura de Tela 2020-05-06 às 9.17.20 AM

O primeiro “episódio” dessas versões começou lá em março com a icônica “Heart-Shaped Box”, do Nirvana. Na sequência já rolaram “Young & Beautiful”, da young and beautiful cantora americana Lana del Rey, entre outras. Até mais recentemente teve a dançante-sexy “Hotline Bling”, do rapper canadense Drake, postado uns dias atrás e com uma convidada na linha “live de Stories”, dividindo a tela: a cantora-revelação britânica Arlo Parks.

Os vídeos são bem despretensiosos e bacanas de ver, como se você fosse amigo de Bayley e estivesse ali na casa dele. A primeira das covers, a do Nirvana, começou com o celular gravando em vertical, depois passou a horizontal, ocupando a tela cheia, porque alguém deve ter dado um toque nele que assim ficaria mais legal. Mas por algum motivo ele voltou a gravar na horizontal, haha.

Há todo um preparatório nas sessões até o músico do Glass Animals chegar às músicas em si. Um papinho, uma passagem de som, um teste aqui e ali, outro papinho. Fofo.

O grupo de Oxford se prepara para o lançamento do seu terceiro álbum, “Dreamland”, previsto para julho deste ano. Também recentemente, e no meio das covers todas, Bayley usou esse mesmo estúdio, mas com assessoria distante de uma produtora, para gravar o novo vídeo do Glass Animals, para a faixa-título “Dreamland”. Música e vídeo bem bons.

Tal qual os vídeos simplões das covers, mas no fim excelentemente bem produzido com os recursos que se tinha na hora, o lado visual e oficial de “Dreamland” mostra a preparação para a gravação, um verdadeiro making of bem divertido. No final, aparecem os créditos das filmagens, da ideia, concepção, direção, decorador, operador de câmera, elenco e tudo o mais. Todas as funções técnicas trazem um nome só: Dave Bayley. Daqui uns anos, esse vídeo do Glass Animals vai poder explicar o mundo, sob um certo ângulo.

O Glass Animals já estava em turnê antes da pandemia e fazia parte do line-up do cool “All Points East”, festival de Londres, que obviamente foi cancelado. A tour + lançamento do disco novo, que haviam começado em fevereiro antes de o mundo parar, marcaram a volta do baterista Joe Seaward à banda, ele que se feriu gravemente em 2018 em um acidente de bicicleta na Irlanda. Seaward passou por duas cirurgias complicadas na cabeça, como resultado do desastre, além da perna com fraturas expostas. Ele teve que aprender a falar, ler e andar novamente. E tocar, claro.

O Glass Animals, as covers e o incrível vídeo de “Dreamland”:

>>

Lana Del Rey 2013

>>

* Aqui estamos nós para estrear os “boletins del rey” do ano que se inicia. He-he.

* Nem é para falar do zunzunzum que estou ouvindo, nada sério (ainda), que miss Del Rey vem ao Brasil no final do ano, para estrelar o Rock in Rio.

* É que pintou essa foto hoje da Lana Del Rey no Facebook e logo virou febre de repliques. Fui ver, parece ter partido do Flickr da irmã, Chuck. Foto lindona, Lana lindona, a imagem tinha uma assinatura e um título: “Dreamland”, by Chuck Grant. Chuck Grant é a irmã de Lizzy Grant, mais conhecida como… Lana Del Rey. Dreamland, no caso, é um parque de Coney Island, Brooklyn. Era um parque. Funcionou como tal de 1904 a 1911 em Nova York, concebido primeiramente para ser um lugar de diversão luxuoso para a classe alta e virou um antro de freak shows legais e outras esquisitices. Até que um incêndio destruiu tudo. É ou foi muito citado na literatura e um pouco na música. E agora aparece mencionado pelas irmãs Del Rey. Ou melhor, irmãs Grant.

Fui tentar saber se é só uma foto ou uma exposição ou filme ou vídeo ou o quê. Na procura não achei muita coisa. Parei de cavar quando caí num blog de fãs de Lana Del Rey com a notícia, de abril de 2012, cujo título era assim: “Chuck Grant confirma ser ela nas fotos de Lana beijando uma loira, e não Jennifer Lawrence”.

Jennifer Lawrence, nova darling de Hollywood, capa de todos os lugares e grandes badalos destes tempos pré-Oscar, é a piveta heroína de “Hunger Games – Jogos Vorazes” e está bombando agora pela repercussão de seu papel de “não-muito-piveta” louquinha em “Silver Linings Playbook”, comédia-romântica bem esperta com gosto de “filme antigo” que estreia em fevereiro no Brasil, com o nome de “O Lado Bom da Vida”.

Vi as fotos, não consegui opinar se era a J-Law ou a Chuck beijando a Lana e resolvi abandonar a procura sobre “Dreamland, by Chuck”, me dando por satisfeito. Se alguém souber do que se trata o tal “Dreamland”, me avise.

* Já que estamos com a Lana aqui, em destaque e tals, andei vendo a lista de shows que a moça fará em 2013 e fiquei um pouco impressionado com a turnê europeia dela. Del Rey volta aos palcos em Hamburgo, na Alemanha, dia 6 de abril. Em menos de dois meses, até o show de Varsóvia na Polônia, em lugares grandes até, serão 30 shows. Bote nesta conta dois no l’Olympia (Paris), dois em Birmingham, dois em Glasgow, dois em Londres, dois em Manchester, dois em Dublin. Destes 30 programados, só três, hoje, não estão esgotados. Sendo que do trio, o de Roma é em um lugar com 11.200 lugares.

>>