Em Elvis Costello:

Popnotas – As “semelhanças” das músicas da Olivia Rodrigo. Nandi Bushell espancando o Arctic Monkeys. Metallica reconstruído por Sam Fender e St. Vincent. E o cinematográfico álbum de estreia do Lil Nas X

>>

– Olivia Rodrigo anda recebendo umas acusações de plágio. As pessoas têm notado semelhanças visuais dela com imagens do Hole e do Pom Pom Squad, por exemplo. A própria Courtney Love tuitou dando uma alfinetada nessas (vamos continuar com esse termo) semelhanças. Nessa onda, alguém levantou no Twitter que “Brutal”, som que abre o disco “SOUR”, seria idêntica a “Pump It Up” – e é bem igual mesmo – do Elvis Costello. Ao que o próprio Elvis respondeu, meio que dando um aval, até: “É assim que o rock n’ roll funciona. Você pega os pedaços quebrados de outra emoção e constroi um brinquedo novo. Isso é o que eu fiz com ‘Subterreanean Homesick Blues’, por exemplo”. Achamos a resposta classuda. Não? Para lembrar, botamos as duas aqui embaixo. A “Brutal” da Olivia e a “Pump It Up” do Costello.

– E tem mais Nandi Bushell com Matt Helders, do Arctic Monkeys. A gente destacou ontem a dupla reconstruindo o hit monkey “I Bet You Good Look on the Dance Floor”, com ele na bateria e ela na guitarra (!!). Agora, na parte 2 desse encontro, temos a dupla atacando na bateria clássica “Brianstorm”. Destruidor. Fora que tem todo um calendário: “R U Mine” vai ser a próxima. E depois até tem uma jam dos dois, parece. Vamos reportar tudo por aqui, óbvio.

– Aos poucos começam a aparecer em vídeo, na íntegra, as versões que vão estar no disco de covers do “Black Album”, um dos caprichos da celebração de 30 anos do clássico do Metallica. As que surgiram agora são da mesma música, “Sad But True”. Uma é uma versão pianinho pelas mãos do inglês Sam Fender e a outra é uma levada modernosa e funk comandada pela St. Vincent – que descontrói o solo de guitarra da música original de um jeito bem genial.

– Em breve devemos ter o primeiro álbum do Lil Nas X, finalmente. O rapper cantor agitão americano até soltou um trailer do disco, que lembra trailers dos longas da Marvel. Uma zoeira e tanto que usa seus antigos music videos como pequenos trechos de “filmes anteriores” da série. Ainda que “7”, seu primeiro EP, tenha concorrido ao Grammy de melhor álbum do ano, esse que vai sair é nas contas do próprio Lil seu álbum de estreia. Também não temos o dia em que o disco entra em cartaz nos cinemas. Essa última info é uma graça nossa.

Elvis Costello mostra mais um registro feito na Finlândia: ouça a nova “Hetty O’Hara Confidential”

>>

Foto: Amy Sussman/Getty Images

Foto: Amy Sussman/Getty Images

Aos poucos, Elvis Costello vai dando mostras de que pode lançar um novo disco ainda este ano. Em junho, ele soltou a boa “No Flag”. Agora, o artista inglês liberou “Hetty O’Hara Confidential”.

O último álbum cheio de Costello, “Look Now”, foi lançado em 2018. Ano passado foi a vez do EP “Purse”.

Seguindo o exemplo de sua antecessora, “Hetty O’Hara Confidential” também foi gravada durante uma session de três dias no estúdio Suomenlinnan, na Finlândia. Além do par de canções, ainda tem mais uma a ser lançada em 14 de agosto, também registrada em Helsinki.

“Eu quis ir para um lugar onde ninguém me conhecia”, é a justificativa de Elvis sobre a escolha pelo trabalho na Finlândia.

>>

Elvis Costello voa longe para lançar a complexa e finlandesa “No Flag”

>>

050620_elvis2

O bom e velho Elvis Costello está de música nova, com pandemia e tudo. “No Flag” é a primeira canção do veterano músico britânico e foi gravada em um lugar inusitado: o estúdio Suomenlinnan, em Helsinki.

A justificativa de Costello foi direta: “Eu quis ir para um lugar onde ninguém me conhecia. Isso é um som de Helsinki”.

Esta é a primeira canção própria de Elvis desde o disco “Look Now”, que ele lançou com seus The Imposters.

“No Flag” é sombria e tem até elementos de música eletrônica no meio dos riffs marcantes de guitarra.

>>

Cover art. Arctic Monkeys fazendo Elvis Costello. Florence cantando Fleetwood Mac. First Aid Kit entoando Kate Bush. O pop é lindo!

>>

Foto: PA Images/Sipa USA

Foto: PA Images/Sipa USA

Uma das coisas mais legais que a gente vê por aí são bandas prestando homenagens a outras bandas/artistas, etc. E nos últimos dias apareceram ao menos três versões cover que ficaram de chorar.

O Arctic Monkeys, por exemplo, em recente show em Lyon, na França, prestou seu tributo a Elvis Costello ao cantar a clássica “Lipstick Vogue”, de 1978. O show todo, inclusive, foi dedicado ao cantor e compositor, que está se recuperando de uma operação na qual precisou extrair um “pequeno, porém agressivo” tumor.

* Já a Florence Welch está em turnê com sua banda apresentando o novo disco “High As Hope”. Em uma recente parada na deliciosa SiriusXM, uma das melhores rádios do mundo, a britânica usou sua voz potente para uma versão de “Silver Springs”, do Fleetwood Mac, em versão bem intimista que incluiu um piano, um violão e um pandeirinho.

* Tão fofas quanto, as meninas irmãs do First Aid Kit – Klara e Johanna Söderberg – gravaram uma session para a série Spotify Singles. Uma das músicas escolhidas pelas suecas foi “Running Up That Hill”, som gravado originalmente pela cantora Kate Bush, em 1985, que elas dizem ter começado a ouvir a fundo recentemente. O resultado pode ser ouvido abaixo.

>>

O Wilco continua lindo e acabou de gravar uma cover de Elvis Costello

>>

230516_wilco_slider

O espetacular Wilco, parça da Popload, é o mais novo grupo a participar da série Spotify Singles, sessions promovidas pela plataforma de streaming digital que bota bandas e artistas legais em seu estúdio, em Nova York, para cantarem uma música autoral e outra cover. Tipo Popload Session. Cóf.

A banda do distinto Jeff Tweedy, patrimônio cultura de Chicago, tocou a linda “If I Ever Was a Child” e reeditou a clássica “(What’s So Funny ‘Bout) Peace, Love, and Understanding”, canção que ficou famosa na voz de Elvis Costello, lançada em 1974.

As duas versões podem ser ouvidas abaixo.

>>