Em erick endres:

Popload Session e CENA apresentam… ERICK ENDRES

>>

É CENA e Popload Session, dois em um.

image (2)

cena

Eu queria escrever como o Erick Endres toca guitarra. O menino, 19 anos, gaúcho com relações francesas, é íntimo do nobre instrumento roqueiro há 15 anos. Leia direito: não é que ele toca desde os 15. Aos 4 o pai dele já o botava para fazer barulho em guitarras. Saber quem é o pai dele explica muito dessa educação infantil: Fredi Chernobyl, produtor, DJ e guitarrista da banda-entidade gaúcha Comunidade Nin-Jitsu.

As muitas histórias de Endres a gente já deu aqui na Popload desde o começo da década. Um google rápido revela isso. Mas não cansamos de repetir, por admiração. Erick tem uma carreira que, mesmo com a pouca idade, é de roqueiro velho. Já foi indie, já foi da Sony, voltou a ser indie. Já tocou em Lollapalooza, já abriu para o Foo Fighters. Canta em inglês, francês e português. E o escambau. De novo: 19 anos.

Captura de Tela 2016-10-17 às 5.30.33 PM

Enfim. O prolífico Endres tem como meta lançar três EPs neste ano. O primeiro, “Falling”, saiu em agosto, via Loop Discos. O segundo, a vir à tona no dia 11 de novembro, 11/11 para os íntimos, se chamará “[IN]” e tem, entre suas quatro músicas, essas duas da session que o guitarrista entrega em performance ao vivo para a Popload: “Blinded Eyes”e “Don’t Think I’m Crazy”. Ambas muito boas.

Depois virá o terceiro EP. Depois o álbum, que será a soma dos três EPs mais uma inédita.

Captura de Tela 2016-10-17 às 5.11.39 PM

É reducionismo, contudo, quando o EP novo estiver na mão, chamar Erick Endres de “guitarrista”. No disco, ele toca todos os instrumentos. Mas, na session e em shows, ele está acompanhado por Lorenzo Flach (guitarra), Pedro Petracco (teclado e voz), Naum Gallo (baixo) e Bruno Bernardo (bateria e voz).

Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

Senhoras e senhores, com vocês… o impressionante ERICK ENDRES.

** Ficha técnica dos vídeos: captação e mixagem de áudio, Gilberto Ribeiro Jr. (estúdio Mubemol); captação de vídeo, Cecília Saraiva e Victoria Venturella; montagem, Victoria Venturella.

***** A Popload Session é apresentada pela Heineken. Se beber, ouça música alto.

>>

CENA: Erick Endres, 19, desbunda em vídeo-artsy

>>

Captura de Tela 2016-09-12 às 3.40.08 PM

* Eu fico imaginando como vai ser a vida do rapaz franco-gaúcho Erick Endres, de Porto Alegre, quando ele completar, sei lá, 22 anos. Hoje com 19, ele toca guitarra há 15 anos, já tocou no Lollapalooza, já abriu para o Foo Fighters, é frequentador da Popload desde 2012, quando tinha 15.

Filho do persona Fredi Chernobyl (com todas as propriedades que isso carrega), Endres recém-lançou o EP “[falling]”, EP de quatro músicas em três línguas.

Hoje, ele soltou um vídeo para a quarta canção do disquinho, “She Looks Like Art”. Tudo lindo, canção e imagens. Dizem que essa é a nova fase do Erick. Quero estar perto dele quando ele estiver nas outras fases, também.

** A direção do vídeo é do premiado Rodrigo Pesavento, da poderosa O2 filmes. O EP está a venda na Apple Store e tem streaming no Spotify. Sente a CENA?

>>

MECA Festival: o teaser e o Aldo The Band confirmado

>>

* O primeiro festival brasileiro a acontecer em 2015, o ótimo MECA Festival gaúcho, que tem braços em São Paulo e Rio, divulga hoje um teaser da turma gringa que estrela o evento neste ano.

A diva indie La Roux, o duo Aluna George, o quinteto Citizens! e o trio eletrônico Years&Years são as atrações internacionais do MECA 2015, que acontece no hotel-fazenda de Maquiné (Rio Grande do Sul), no próximo dia 17, no dia seguinte na Estação Leopoldina, no Rio, e depois dia 24, no Hangar 001 (Campo de Marte), em São Paulo.

ALDO by JOSÉ DE HOLANDA-0160(1)

A boa esquadra brasileira tem as seguintes atrações nacionais confirmadas:

Maquiné: Eric Endres e Wannabe Jalva
Rio de Janeiro: Pearl Negras, Glass n´Glue e Mahmundi
São Paulo: Aldo the Band (foto acima), Wannabe Jalva e Glass n´Glue

Eric Endres é um verdadeiro guitar hero brasileiro. Tem 17 anos. O Wannabe Jalva, hoje, é a mais americana das bandas brasileiras. Carreira americana, quero dizer. O Pearls Negras é um impressionante trio de hip hop do Morro do Vidigal, no Rio, três garotas novinhas mais conhecidas na Inglaterra que em São Paulo, por exemplo. O Glass n’Glue é um talentoso grupo indie de gente bonita também do Rio. Outra atração carioca é o Mahmundi, bem interessante projeto electropop de Marcela Vale. E agora se junta à turma os caras do Aldo, prediletos da casa, uma das melhores bandas indie-eletrônicas do Brasil, ao vivo ou em disco. Aliás, o segundo disco do Aldo deve sair em março, então algumas músicas novas podem aparecer no show de SP, pelo MECA.

O teaser do festival ficou assim:

** Fotos do Aldo do post e da home da Popload são de José de Holanda.

*** Info de ingressos para o show de São Paulo, aqui.
>>

Deu pra ti? Guitar hero aos 17 anos, Erick Endres lança em Porto Alegre vídeo lindo de música linda

>>

* Um dos melhores guitarristas que eu vi em tempos recentes, e o cara acabou de fazer 17 anos, o prodígio Erick Andres lançou hoje um vídeo de uma música que fala de solidão e passado. Solidão e passado aos 17!!! E com uma sonoridade que, se você fechasse os olhos, poderia imaginar estar ouvido as dedilhadas de um cara como John Frusciante, ex-Chili Peppers, se ele estivesse em um raro momento tranquilo.

A música, “loneliness and Past”, problemas pessoais de um garoto que até umas semanas atrás tinha 16 anos, está no primeiro disco solo de Endres, lançado há pouco tempo, porque até há este pouco tempo ele tinha uma banda, a bem boa Dis Moi, que entre outras façanhas tocou no Lollapalooza de São Paulo, no MECA Festival gaúcho e fez até session para a Popload, tipo em 2012, quando o rapaz tinha 15.

“Loneliness and Past”, o vídeo, foi gravado no centro de Porto Alegre, entre prédios históricos e esquinas famosas, em filme que aparece a skatista e modelo Ana Ostrosky. Erick Endres não só é cria do rock gaúcho como também é cria do DJ e produtor Fredi Chernobyl, que entre outras coisas toca na Comunidade Nin-Jitsu e produziu um “early” Bonde do Rolê, dado que é a zoeiras bailefunk electronoise metal. Endres cresceu nesse meio.

O “álbum solo” de Erick Endres saiu no final do ano passado, se chama “Erick” e está a venda no iTunes. Ele toca todos os instrumentos do disco e ainda o produziu. Quer mais? Parece que este “Erick” é apenas um dos TRÊS discos que ele gravou, numa tacada só. Hahaha.

Se quiser ouvir “Erick” no Soundcloud dele, é altamente recomendável.

Sobre o lançamento de hoje, olha que música deliciosa, que vídeo fofo. O clima parece Seattle 1992, filme “Singles”.

Veja o vídeo, ouça o som e fique imaginando se uma guitarrinha assim pode ter saído de um menino de 17 anos. Ele é de 1997. Nasceu quase ao som de Strokes e White Stripes. Pensa ele tocando aos 23, se ele não se perder por aí. Mas isso o Fredi não deve deixar…

>>

Popload Session apresenta… Erick Endres e a banda DIS MOI

>>

* Olha que beleza. O Brasil já tem seu Jack White. Ele tem 15 anos de idade e é incrível. Sobre a idade, deixa eu frisar: ele acabou de fazer 15, está longe dos 16. O nome do menino: Erick Endres. É de Porto Alegre, os gaúchos com razão já o consideram um guitar hero. Ou bem a caminho disso. Erick tem uma banda chamada DIS MOI, com uma amiguinha chamada Bela. Bela é amiguinha mesmo. Tem 13 anos! O pai do jovem roqueiro Erick Endres, para continuar a bizarrice boa da notícia, é o mestre do bailefunk electronoise arruaceiro metal Fredi Chernobyl, DJ, integrante da Comunidade Nin-Jitsu, produtor do Bonde do Rolê, ex-Brollies & Apples entre outras estripulias.

Erick Endres começou a tocar guitarra com 6 anos. Aos 7, subiu no palco do gigante festival Planeta Atlântida (RS) para participar de um show da Comunidade Nin-Jitsu. Repare nisso: fã do Jack White mesmo, The Kills e Angus Young. Fera.

O DIS MOI é a banda de Erick com a amiga Bela Leindecker, por sua vez filha de integrante de banda, a Cidadão Quem, famosa banda do rock gaúcho dos anos 90 (principalmente), dos irmãos Leindecker. Há muito tempo Bela já compõe suas próprias músicas. Muito tempo que eu digo é uns três anos, desde os 9.
O DIS MOI, além da dupla, tem Lourenço Marques no baixo e Adriano Becker, bateria. O nome da banda é em francês, traduzindo fica “diz pra mim”. Sim, Erick também canta uns blues em francês, haha.
The KIDS are alright!!

Enfim, o DIS MOI, Erick e Bela, estão aqui na Popload, em session. As gravações, produzidas pelo grande Fredi Chernobyl, demoraram um pouco porque Erick se complicou na escola, por causa de… bom, você sabe. Na session exclusiva para este blog, eles tocam “Forget”, seu primeiro single como banda, e ainda uma cover de “Level”, do Raconteurs, onde Erick é possuído pelo espírito de Jack White. Veja para crer.

Ladies & gentlemen, com vocês… DIS MOI.

* A foto que abre o post é de Tiago Andrade. A outra, de Erick e Bela, é divulgação.

>>