Em fabio massari:

As 20 melhores coisas dos 23 anos de vida da MTV Brasil (R.I.P.)

>>

* Sem querer baixar a discografia completa agora que a MTV Brasil está muerta, foi inevitável, natural, mas também muito chato ver o canal musical acabar depois de 23 anos de serviços prestados à música e à cultura jovem geral deste país. Tive a oportunidade de estar assistindo quando a Astrid Fontenelle acendeu a luz do canal lá em 1990 e vi ontem, quando ela apagou a luz, entrou um vídeo com a Rita Lee, uma tela negra e um minuto depois apareceu um programa bizarro de alguma produtora pagando para utilizar o canal 25, que, se eu não me engano, era sobre “A Mulher no Mercado de Trabalho”. God.

A MTV teve sua importância gigante, revelou gente bacana, me deu muitos amigos, pautou algumas coisas da minha carreira no jornalismo musical que começou poucos anos depois de seu surgimento, me fez rir, botou o Nirvana para a minha mãe ver e comentar, fez muitas festas a que fui na faixa. Então acho justo, neste dia de seu enterro para que outra nasça às 21h30 em outro canal e de outro jeito, fazer uma pequena elegia. Convidei uns amigos que também passaram bons anos dos últimos 23 atentos à MTV para me ajudar a fazer um apanhadão das 20 melhores coisas que vamos lembrar quando alguém perguntar “E a MTV Brasil, hein?”.

1. O Lado B, com alguns apresentadores legais, mas principalmente no comando do brother Fabio Massari, gênio. Ele apresentava com naturalidade o Flaming Lips, na época em que a banda era mais desconhecida do que o Pinkish Black é hoje. E o Massari se referia sempre à banda como “Os Lábios Flamejantes de Oklahoma”.
2. O clipe de “Crazy”, do Aerosmith, de 1994, com a Alicia Silverstone e a Liv Tyler, filha do Steve. Ambas “no auge”. Nunca curti Aerosmith, mas essa música (e o vídeo) era muito boa.
3. Gente odiando os amigos que pegava MTV Latino pela parabólica e via alguns clipes antes de estrearem na MTV Brasil
4. A Maria Paula
5. Beavis & Butthead, Garoto Enxaqueca
6. Massari dando rolês em festivais pelo mundo, do Juntatribo ao Abril Pro Rock, do Reading Festival ao Roskilde
7. A invenção do soft porn na madrugada, talvez para os indies que não pegavam ninguém (“MTV Al Dente”, “Erótica” com a Babi)
8. As vinhetas
9. Os primeiros RockGol
10. O Gás Total, do Gastão Moreira

Fábio Massari entrevistando Rodrigo Grenade Guedes, do Killing Chainsaw, de Piracicaba e da pré-história do indie brasileiro, no extrafamoso festival Juntatribo, em 1993, em Campinas. Indie que é indie esteve nesse festival

11. O 15 minutos do Marcelo Adnet
12. João Gordo inventado como apresentador entrevistando o Humberto Finatti e brigando com o Dado Dollabella
13. o Hermes & Renato
14. A uma certa altura tentou integrar axé e pagode ao alternativo, abrindo caminho para Bonde do Rolê, Banda Uó, Gaby Amarantos. Foi crucificada, mas foi visionária
15. o VMB dos Racionais e o louco do Carlinhos Brown em 1998
16. A Luísa Micheletti
17. Todos os vídeos dos Beastie Boys, principalmente o de “So What Cha Want”, um dos melhores da história. E os programas de rap da emissora, principalmente o Yo! da época do Rodrigo e do Thaíde
18. O clipe de “Smack My Bitch Up”, do Prodigy
19. O acústico do Nirvana
20. O My MTV, que juntou os hojes mais velhos VJs das antigas para lembrar seus tempos na emissora

>>