Em fake plastic trees:

Phoebe Bridgers e Arlo Parks juntas. E cantando Radiohead ainda por cima

>>

Captura de Tela 2020-09-07 às 9.55.58 AM

* Dona de um dos discos do ano, a cantora americana Phoebe Bridgers chamou a cantora inglesa Arlo Parks, uma das revelações do ano, para uma session especialíssima para um programa da Radio One, da BBC britânica. E desempenharam, juntas, uma das covers do ano.

Phoebe e Parks tocaram o hino melancólico “Fake Plastic Trees”, do Radiohead, numa igreja abandonada em Londres, com a californiana cantando em seu traje esquelético e a londrina ao piano, vestindo um moletom incrível do artista, pintor e grafiteiro Basquiat, que também foi produtor musical.

A session teve também “Kyoto”, do mais recente disco de Phoebe Bridgers, o lindo “Punisher”, ainda com Arlo Parks tocando piano. “Punisher” foi lançado em junho.

A incrível Parks é obcecada por Radiohead. Recentemente tocou “House of Cards” para uma session da revista francesa “Les Inrockuptibles” e gravou “Creep”, esta também para um programa de rádio da BBC, mas da 6Music. “Fake Plastic Trees” é do segundo álbum da banda de Thom Yorke e no Brasil ficou bastante conhecida por ser trilha sonora de um comercial de campanha sobre síndrome de down, nos anos 90.

Phoebe Bridgers disse que convidou Arlo Parks por ser fã da inglesa. Estava em Londres, entrou em contato com ela e gravaram na igreja que foi o primeiro lugar que Bridgers se apresentou na capital inglesa, para apenas 100 pessoas, antes da fama.

>>

De volta à Austrália. Vance Joy fazendo cover ao vivo “daquela” do Radiohead

>>

Screen Shot 2015-04-06 at 11.12.54

* De novo a rádio Triple J, baseada em Sidney, cujo app para celular é ótimo e traz a Austrália até você numa dedada. A emissora agitou uma performance especial do muso indie-folk local, Vance Joy, 26 anos, fazendo uma cover para “Fake Plastic Trees”, a música mais conhecida da cultuada banda inglesa Radiohead, assim, para um espectro de gosto médio.

No Brasil, “Fake Plastic Trees”, do disco “The Bands”, de 1995, bombou depois que virou, três anos depois, uma propaganda de TV sobre o menino Carlinhos, que tinha Síndrome de Down e se divertia num carrossel. Era uma ação de marketing contra o preconceito que a doença tinha e tem.

Na Austrália, não sei qual o apelo que esta canção tem para o país, mas a própria Triple J, a principal rádio Down Under, colocou a música entre os TOP 30 de “principais canções de TODOS OS TEMPOS”. Coisa séria por lá também.

Vance Joy, garoto de Melbourne tanto quanto Courtney Barnett e Chet Faker, fazendo Radiohead para chorar, aconteceu ao vivo sexta-feira passada durante apresentação dele no atual festival internacional de comédia no Melb Town Hall. Bonito!