Em Febem:

TOP 50 DA CENA – Calma, nada. O jeito é ser estranho. Negro Leo, Thiago Nassif, Jup do Bairro, Tuyo… Que cena legal e fora da curva a gente tem

1 - cenatopo19

* Na nossa mutante CENA independente musical brasileira, nesta semana sai a calmaria e entra a esquisitice, a estranheza. Ou, vai, o experimentalismo.
E, óbvio, isso vem da cena carioca. Ou dos agregados ao Rio de Janeiro musical. Que momento!
E essa representatividade toda de Negro Leo e Thiago Nassif, no caso, quando junta variações incríveis e diferentes entre si como Jup do Bairro, Gustavo Bertoni, Tuyo, Nevilton, Francisco, entre outros, dá um preciso recorte do que pode esta CENA.
Faz todo o sentido ler sobre isso abaixo. Mas faz mais ainda ESCUTAR tudo isso, na nossa playlist. Porque, não cansamos de repetir, no fim, este “ranking” é só e somente só sobre essa playlist.

3 - PHOTO-2020-07-22-09-25-10

1 – Negro Leo – “Tudo Foi Feito pra Gente Lacrar” (Estreia)
Destacar uma música do novo álbum do Negro Leo é só uma formalidade para avisar: ouça este disco todo. Uma obra experimental que versa sobre o lacre, uma espécie de praga dos nossos tempos com enormes consequências políticas, sociais, sentimentais. Como essa forma de lidarmos com nós mesmos e com o mundo se conecta com as coisas mais zoadas que estão por aí? E achamos um barato que as músicas mais pop do disco são as instrumentais… Não que isso signifique algo – ou será que significa? Essa cena do Rio…
2 – Thiago Nassif – “Voz Única Foto Sem Calcinha” (Estreia)
Thiago Nassif é mais Rio de Janeiro na lista. Mais Negro Leo, que participa do disco, ao lado de nomes como Ana Frango Elétrico, Arto Lindsay, Vinicius Cantuária. Essa que escolhemos lembra os discos do Caetano com a banda Cê? Thiago parece pegar aquela vibe onde Caetano deixou. E aproveitamos e matamos a saudade da voz da Ana Frango em uma inédita. Essa cena do Rio…
3 – Jup do Bairro – Pelo Amor de Deize (3)
Aí vem a Jup e joga a CENA para o alto. Esta roqueira parceria de Jup do Bairro e Deize Tigrona, que descobrimos ser (também) uma grande roqueira, estremece. Além da pancada sonora, ela pega firme em mostrar a profunda amizade de Jup e Deize, que ultrapassa os momentos complicados, como o da depressão de Deize. Ou da propria Jup. Vai, levanta!
4 – Tuyo – “Sem Mentir” (Estreia)
Quem associa o Tuyo ao fofo folk neo pop brasileiro ou algo assim vai se surpreender com essa balada pop eletrônica apocalíptica. O velho mundo acabou, vida longa ao novo mundo.
5 – Francisco – “Vitória-Rege” (Estreia)
Produção pop e acertadíssima da young Vivian Kuczynski, aqui em um dos som mais legais do álbum do Francisco, um de seus melhores amigos. O refrão “Você me fodeu/ Mas se esqueceu/ Que eu queimei as rosas/ Que você nunca me deu” é bom demais e a quebra de expectativa que rola no final da música é coisa de quem sabe muito bem o que quer do próprio som. Demais.
6 – Nevilton – “Irradiar” (1)
Uma delicada canção sobre amor e sobre o agora. Nevilton pega os sentimentos da quarentena e lança essas sensações e mensagens em uma fineza de música. Esse sabe o melhor caminho de criar belezas com seis cordas.
7 – Gustavo Bertoni – “Sit Down, Let’s Talk” (2)
Doeu tirar do ranking a música anterior do scaleno Gustavo, a bela “Waves”, para botar outra mais bela ainda, essa que propõe dar uma sentadinha, respirar, para então conversar. Os tempos estão tão loucos que esse sussurrado pedido de auto-reflexão, acompanhado por um violão bem dedilhado e um sotaque (inglês) bonito vem bem a calhar.
8 – Wado – “Arcos” (Estreia)
Quais são suas lembranças da infância? O que muda nessas lembranças ao longo do tempo? Wado aborda essa questão das memórias e nossa relação com elas ao longo do tempo em uma faixa ao violão. Bonito demais. Esta aqui entra na nossa playlist massa na quinta-feira, quando a música sair às plataformas.
9 – Amen Jr. – “Ladeira Abaixo” (Estreia)
Para variar, puro suco de anos 80 esse single do sempre bom Amen Jr., quarteto de Brasília. Mais que anos 80: soa São Paulo vanguarda da época esse som. Embarque na nostalgia, às vezes do que nem viveu, que acho que é o caso do Amen Jr. Que idade eles têm?
10 – Vella – “Delírio Besta” (Estreia)
Interessante o novo projeto de Felipe Vellozo, ser indie onipresente por trabalhos no Bilhão, Século Apaixonado, Duda Beat, Mahmundi. E agora, enfim, só. Assumindo suas decisões, como diz. “Delírio Besta” tem a letra valorizada pelo arranjo delicado, mas cheio de pequenos detalhes. Ela é tão curtinha e boa que pede uma repetição. E a cada audição novos detalhes aparecem. Coisa de quem sabe fazer, hein.
11 – Jay Horsth – “Você” (Estreia)
12 – Karol Conka – “Tempos Insanos” (4)
13 – Jadsa – “Quietacalada” (5)
14 – Hiran – “Gosto de Quero Mais” (6)
15 – Vitreaux – “Meia Luz” (7)
16 – Giovanna Moraes – “Sai por Inteira” (13)
17 – Fresno – “Broken Dreams” (9)
18 – 1LUM3 – “Extremo” (10)
19 – The Baggios – “Quareterna Serigy” (11)
20 – ATR e Luedji Luna – “Batom” (12)
21 – JP – “Chorei Dendê” (8)
22 – Antiprisma – “Lunação” (14)
23 – Nelson D. – “A Grande Revolta” (15)
24 – Tássia Reis – “Me Diga” (16)
25 – Supervão – “Depois do Fim do Mundo” (17)
26 – Rohmanelli – “Do Jeito Que o Mundo Está” (18)
27 – Marcelo Perdido – “Não Tô Aqui pra Te Influenciar” (19)
28 – Kunumí MC – “Xondaro Ka’aguy Reguá (Guerreiro da Floresta)” – (20)
29 – Duda Brack – “Contragolpe” (21)
30 – Compositor Fantasma – “Não Sabendo Que Era Impossível” (22)
31 – Don L – “Kelefeeling” (25)
32 – Mahmundi – “Nós De Fronte” (28)
33 – Giovani Cidreira e Mahal Pita – “Mago de Mim Mesmo” (30)
34 – Rico Dalasam – “Mudou Como?” (31)
35 – TARDA – “Breath” (33)
36 – ÀIYÉ – “Pulmão” (34)
37 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (36)
38 – Coruja BC1 – “Baby Girl” (37)
39 – Edgar – “Carro de Boy” (38)
40 – Douglas Germano – “Valhacouto” (39)
41 – Taco de Golfe – “Nó Sem Ponto II” (40)
42 – Kiko Dinucci – “Veneno” (41)
43 – Ava Rocha e Los Toscos – “Lloraré Llorarás” (42)
44 – Jhony MC – F.A.B. (43)
45 – Cícero – “Às Luzes” (44)
46 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (45)
47 – Djonga – “Procuro Alguém (46)
48 – Letrux – “Déjà-Vu Revival” (47)
49 – Vovô Bebê – “Êxodo” (48)
50 – Troá! – “Bicho” (50)

***

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o cantor e compositor maranho-carioca Negro Leo.
*** Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix, talvez o maior estudioso da nossa CENA. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

TOP 50 DA CENA – O que está acontecendo? Outro índio entra em primeiro. Agora temos dois músicos indígenas, um compositor fantasma e um mascarado no topo. E a Karen Jonz

1 - cenatopo19

* Que coisa mais incrível é a CENA brasileira atual. Na semana passada, um rapper indígena saindo de uma tribo da periferia de São Paulo chapou o primeiro lugar do nosso ranking com um hip hop emocionante versado em tupi-guarani.
Nesta semana, um outro índio brasileiro com uma trajetória bem diferente pega para ele o topo deste Top 50, com um admirável som de base eletrônica em direção a uma redescoberta de sua origem. Ou do que fazer de bom com a musicalidade dela.
Quem me avisou desse disco peculiar de um tribal de Manaus que foi adotado por italianos, teve educação artística europeia e volta ao Brasil para trabalhar nos últimos anos suas ancestralidades sonoras foi ninguém menos que Iggor Cavalera, lá de Londres, que em áureos tempos de Sepultura já se envolveu com indígenas para fazer o melhor disco de sua famosa ex-banda.
Olha as voltas que esta CENA dá.
E, veja, a semana está especialmente incrível e temática por aqui, se jogarmos uma luz apenas nos dez primeiros deste ranking. Tem dois índios, tem compositor fantasma, tem cantor mascarado, tem um músico que de perdido só tem o nome, tem a estreia da Karen Jonz no nosso Top 10.
E, claro, tem ela, a razão de tudo. Uma linda playlist com as 50 músicas da semana escolhidas por nós, na humildade. E na diversidade.

2 - PHOTO-2020-06-16-18-01-11

1 – Nelson D. – “A Grande Revolta” (Estreia)
Nelson D é DJ e produtor de certa rodagem já, mas de pouco tempo para cá quis assumir um protagonismo musical como cantor. A base sonora é o que aprendeu na Europa, onde viveu e estudou. A alma sonora é a que nasceu: a de índio. Soltou agora em maio seu primeiro álbum, “Em Sua Própria Terra”, disco que propõe o que ele chama de Futurismo Indígena. David Bowie ficaria feliz ouvindo “A Grande Revolta”.
2 – Kunumí MC – “Xondaro Ka’aguy Reguá (Forest Warrior)” – (1)
Kunumi MC é o nome artístico de Werá Jeguaka Mirim, índio de uma aldeia em Parelheiros, zona sul de São Paulo, a Krukutu. Ele é o primeiro rapper solo indígena do Brasil. Sua nova música fala sobre um guerreiro que nascerá das águas e “levará o seu povo a uma nova existência” após os anos de tanta exploração dos homens brancos. E, para além dos conceitos oportunos, que música emocionante!
3 – Compositor Fantasma – “Não Sabendo Que Era Impossível” (Estreia)
O alter-ego do produtor musical Gabriel Serapicos revive as músicas de “um compositor que desapareceu deixando para trás incontáveis letras e partituras”. Tem poucos dias que ele lançou a ótima “Não Sabendo Que Era Impossível”. Vale reparar no trecho: “Você se convenceu das melhores intenções de um canibal”.
4 – ABC Love – “Flertes” (Re-estreia)
A deliciosa “Flertes” retorna a nossa parada por ser um dos destaques do EP “Back to Love”, lançado na semana passada. É a fase de Gevard du Love que agora quer recriar o lance de joguinhos amorosos de verão carioca dos anos 80, aqui com vocais emprestados de Gab Ferreira e Yma. Bom ter você de volta, Flertes.
5 – Marcelo Perdido – “Não Tô Aqui pra Te Influenciar” (Estreia)
Perdido e seu single “Não Tô Aqui pra Te Influenciar” adiantam o primeiro lançamento de um tal de selo CENA. Será que é isso que você pensou? Leia mais a Popload, se estiver em dúvida. Por enquanto, olho nessa canção bem bonita com um vídeo “premonitório” idem. Na playlist, ela entra sexta-feira, quando será lançada.
6 – Karen Jonz – “O Grande Excesso” (Estreia)
O EP solo de Karen Jonz que sai na sexta-feira é uma mixtape e tanto. Quase dez minutos de músicas bem conectadas, escritas durante sua quarentena. Fiquemos com “O Grande Excesso”. Na playlist, entra sexta-feira, quando será lançada.
7 – Jup do Bairro – “All You Need Is Love” (24)
Olha quem também voltou às dez mais, à luz do lançamento do álbum cheio. Uma das nossas favoritas, é a união de Jup do Bairro, Rico Dalasam e Linn Da Quebrada, que vem a ser o tipo de feat que queríamos que fosse mais de uma música. E os versos “Vou colocar uma música/ espero que não se importe/Vamo ouvir Sampa Crew/ talvez Bjork?” já estão na história.
8 – Don L – “Kelefeeling” (2)
Don L não quer só mudança. Esqueça o abstrato. Ele propõe a mudança. É a mudança. A vida é a obra, certo? Em um verso livre, opta em não repetir vícios até na forma de organizar a letra no Rap Genius, na escolha dos produtores, de quem faz o vídeo. O novo jogo não pode contar com as velhas regras, talvez nem ser chamado de jogo. No limite da contradição, ele deve estar certo. Kelefeeling de volta.
9 – Thunderbird – “A Obra” (3)
Parece Morphine cantado por um adolescente louco. E talvez esssa afirmação seja mais literal do que parece. Afinal, estamos falando do querido Luiz Thunderbird, eterno ex-VJ, já eterno agitador das várias mídias novas. Das almas mais apaixonadas por música. seja falando sobre ou aqui, em plena ação. Sabedoria e punk rock em doses corretas faz muito bem. E um disco inteiro ainda está por sair. Oba!
10 – Mahmundi – “Nós De Fronte” (4)
Em seu mais recente disco, Marcela Mahmundi encontra em velhos timbres um som que é totalmente novo. Seja para ela, seja para o mundo. Novo mundo. O que é o violão dessa faixa? Gravado em fita, ele transporta a gente aos anos 60, 70, enquanto todo o resto nos deixa em 2020. E bem acompanhados por Mahmundi, arrepiando em termos de voz e letra. Uau!
11 – Sessa – “Sereia Sentimental” (22)
12 – Mulungu – “No Ar” (5)
13 – Giovani Cidreira e Mahal Pita – “Mago de Mim Mesmo” (6)
14 – Jair Naves – “Irrompe” (7)
15 – Rico Dalasam – “Mudou Como?” (8)
16 – Black Pantera – “I Can’t Breath” (9)
17 – Paulo Nazareth e Nic Medeiros – “A Volta Que o Mundo Deu” (Estreia)
18 – TARDA – “Breath” (10)
19 – ÀIYÉ – “Pulmão” (11)
20 – Silva – “Aquele Frevo Axé” (ao vivo) (12)
21 – Vanguart – “Encontro Adiado” (13)
22 – As Bahias e a Cozinha Mineira – “Forasteira” (14)
23 – Wado – “Nina” (15)
24 – The Raulis – “Distante Desejo” (16)
25 – Lila – “Lunação” (17)
26 – Arthur Melo – “Tempo Após um Contratempo” (20)
27 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (23)
28 – Gustavo Bertoni e Vivian Kuczynksi – “Louder Than Words” (25)
29 – Carne Doce – “A Caçada” (26)
30 – Tagua Tagua – “Inteiro Metade” (27)
31 – Tatá Aeroplano – “Alucinações” (29)
32 – Tagore feat. Boogarins – “Drama” (30)
33 – Coruja BC1 – “Baby Girl” (31)
34 – Edgar – “Carro de Boy” (32)
35 – Douglas Germano – “Valhacouto” (33)
36 – Taco de Golfe – “Nó Sem Ponto II” (37)
37 – Kiko Dinucci – “Veneno” (38)
38 – Clarice Falcão feat. Linn Da Quebrada (39)
39 – Duda Brack – “Pedalada” (40)
40 – Ava Rocha e Los Toscos – “Lloraré Llorarás” (35)
41 – Rohmanelli – “Toneaí” (41)
42 – Jhony MC – F.A.B. (42)
43 – Cícero – “Às Luzes” (43)
44 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (44)
45 – Djonga – “Procuro Alguém (45)
46 – Letrux – “Déjà-Vu Revival” (46)
47 – Vovô Bebê – “Êxodo” (47)
48 – Tuyo e Terno Rei – “Eu Te Avisei” (48)
49 – Troá! – “Bicho” (49)
50 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (50)

***

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o músico e produtor indígena Nelson D.
*** Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix, talvez o maior estudioso da nossa CENA. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

TOP 50 DA CENA – O primeiro lugar é da Mahmundi, sim! Thunderbird entra alto, sim! Mais: as novas de Jair Naves, As Bahias, Vanguart, Aiyé, ATR, Pantera Negra

>>

* Semana passada expressamos por aqui o nosso amor explícito à CENA. Foi nossa pequena homenagem aos tantos artistas que estão em casa sem poder fazer seus shows, sem proporcionar a reunião de pessoas em torno da música, juntando velhas e novas amizades na frente de um palco, sem movimentar por trás desse palco essa importante roda da economia musical que inclui tanta gente. Mas que ainda assim estão na briga, na luta. Escrevendo, gravando, indo atrás, buscando novos meios de encarar a realidade. O tal do “novo normal” que não temos ideia ainda do que vai ser.

De alguma forma, ou de várias formas, nesta semana veio um sinal e tanto dessa turma. Mais de dez músicas ótimas novas em folha. Boas novidades. Algumas que já estão pelo top 10 e outras que se espalham pela lista. A crise se apresenta, mas ninguém se rende, não. É sobre isso.

Ouça a CENA. O mundo está difícil. mas com nossas playlists fica um pouquiiiiiiiinho mais fácil. Elas, no Deezer e Spotify, contam de um modo a história do que estamos vivendo.

3 - PHOTO-2020-06-02-19-48-34

1 – Mahmundi – “Nós De Fronte” (Estreia)
Em seu mais recente disco, Mahmundi encontra em velhos timbres um som que é totalmente novo. Seja para ela, seja para o mundo. Novo mundo. O que é o violão dessa faixa? Gravado em fita, ele transporta a gente aos anos 60, 70, enquanto todo o resto nos deixa em 2020. E bem acompanhados por Mahmundi, arrepiando em termos de voz e letra. Uau!
2 – Thunderbird – “A Obra” (Estreia)
Parece Morphine cantado por um adolescente louco. E talvez esssa afirmação seja mais literal do que parece. Afinal, estamos falando do querido Luiz Thunderbird, eterno e-VJ, já eterno agitador das várias mídias novas. Das almas mais apaixonadas por música. seja falando sobre ou aqui, em plena ação. Sabedoria e punk rock em doses corretas faz muito bem. E um disco inteiro ainda está por sair. Oba!
3 – As Bahias e a Cozinha Mineira – “Forasteira” (Estreia)
Enquanto deixa um novo disco guardado até que uma hora apropriada apareça, um EP feito nesta quarentena ilumina os dias da banda. E a bela “Forasteira” é das que mais chama atenção na boa coleção de cinco músicas.
4 – Jair Naves – “Irrompe” (Estreia)
Single de um disco que está interrompido por “motivos óbvios”, de acordo com o compositor, a faixa é uma reflexão dos novos tempos. Em um mundo zuado, qual a nossa responsabilidade com os problemas? O quanto nos permitimos ir além de um script imaginado por outras pessoas? Esta forte canção, “dramática” com todas as boas características que envolvem uma música de Jair Naves, foi feita no ano passado. Se já fazia sentido em 2019, imagina agora no meio disto tudo?
5 – Rico Dalasam – “Mudou Como?” (1)
“Mudou Como?” pode ser lida como uma música sobre um relacionamento que desandou e que ainda mexe bastante com os personagens. Quando Rico avisa que a música é sobre os “trágicos efeitos da ordem colonial”, os sentidos da letra se ampliam para muito além de um relacionamento qualquer. Precisamos ouvir e reouvir a música, uma produção de Mahal Pita pesadíssima.
6 – TARDA – “Breath” (2)
Sara Não Tem Nome, Júlia Baumfeld, Victor Galvão, Paola Rodrigues e Randolpho Lamonier formam este belo supergrupo de poucas canções lançadas, mas de ótimas canções lançadas. “Breath” é pura delicadeza e realmente serve de respiro no aperto em dias complicados. Sabe quais?
7 – ÀIYÉ – “Pulmão” (Estreia)
Velha conhecida do nosso ranking, a faixa ganhou um belíssimo vídeo. Vale ir ver. Quem ainda não ouviu o álbum de estreia da ÁIYÉ está marcando bobeira. Corre.
8 – Black Pantera – “I Can’t Breath” (Estreia)
Uma música emergencial para tempos emergenciais. A frase que marca os assassinatos de tantos jovens negros pela polícia é lembrada pela banda em um vídeo tão simples como forte. Letra seca, direta ao ponto, sob a égide do metal.
9 – Silva – “Aquele Frevo Axé” (ao vivo) (Estreia)
Em novo disco ao vivo, gravado em show de Portugal, Silva saca uma pequena joia do repertório de Caetano Veloso e Cézar Mendes, que o próprio Caetano nunca registrou em um disco de estúdio, só ao vivo. E bota ela aqui, da mesma forma. E Silva deixa a música como se fosse dele. Mas é do Caetano, imagina a “ousadia”.
10 – Vanguart – “Encontro Adiado” (Estreia)
Uma boa música que estava perdida e que casa com os tempos atuais. O Vanguart sacou essa dos tempos de “Muito Mais Que o Amor”, de 2013. Ficou de fora do disco lá, mas agora é nossa aqui.
11 – ATR – “Qué Tá Mirando?” (Estreia)
12 – Arthur Melo – “Tempo Após um Contratempo” (Estreia)
13 – Abc Love – “Catwalk” (Estreia)
14 – Sessa – “Sereia Sentimental” (3)
15 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (48)
16 – Jup do Bairro – “All You Need Is Love” (5)
17 – Gustavo Bertoni e Vivian Kuczynksi – “Louder Than Words” (6)
18 – Carne Doce – “A Caçada” (7)
19 – Tagua Tagua – “Inteiro Metade” (8)
20 – Meu Nome Não É Portugas e Apeles – “Eterno Azul” (9)
21 – Tatá Aeroplano – “Alucinações” (10)
22 – Tagore feat. Boogarins – Drama (11)
23 – Coruja BC1 – “Baby Girl” (12)
24 – Edgar – “Carro de Boy” (49)
25 – Douglas Germano – “Valhacouto” (14)
26 – Rachel Reis – “Sossego” (15)
27 – Emicida – “Who Has a Friend Has Everthing” (16)
28 – Rincon Sapiência – Quarentena (17)
29 – Ava Rocha e Los Toscos – “Lloraré Llorarás” (18)
30 – Clarice Falcão – “Só + 6” (19)
31 – YMA – “No Aquário” (20)
32 – Database – “Mandrake (Nesta onda)” (21)
33 – Mariana Degani – “Horda Mulheril” (22)
34 – Taco de Golfe – “Nó Sem Ponto II” (23)
35 – Kiko Dinucci – “Veneno” (50)
36 – Gui Hargreaves – “Praia do Futuro” (25)
37 – Clarice Falcão feat. Linn Da Quebrada (26)
38 – Duda Brack – “Pedalada” (27)
39 – Rohmanelli – “Toneaí” (44)
40 – Francisco – “Traumas” (29)
41 – Aldo – “Restless Animal” (30)
42 – Jhony MC – F.A.B. (45)
43 – Cícero – “Às Luzes” (33)
44 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (46)
45 – Djonga – “Procuro Alguém (35)
46 – Letrux – “Déjà-Vu Revival” (36)
47 – Vovô Bebê – “Êxodo” (47)
48 – Tuyo e Terno Rei – “Eu Te Avisei” (38)
49 – Troá! – “Bicho” (39)
50 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (40)

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o roqueiro Thunderbird.
*** Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix, talvez o maior estudioso da nossa CENA. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

TOP 50 DA CENA – Letrux emplaca duas músicas entre as dez primeiras. Djonga entra rasgando. Que semana (mesmo!)

1 - cenatopo19
 
 
 
* Como você está? Tudo bem por aí? Lavando bastante a mão?

De casa (Fique em casa!!!), tocamos o barco aqui no nosso Top 50 em uma semana especial, com pelo menos dois grandes lançamentos nacionais: o novo do Djonga e o segundo álbum solo da Letrux. São tão bons que já estão no topo do nosso ranking. E mais, já piramos em dois sons da Letrux aqui e ela é a primeira artista que emplaca duas músicas entre as 10 primeiras.

A gente sempre lembra que o ranking está no Deezer e no Spotify porque a grande onda de listar as boas músicas da CENA não é ver quem é o melhor, mas render três horas e pouco de novidades que desmentem a tese tosca de que a música brasileira atual não é de nada. Fora que dá uma trilha ótima para algum momento de sua quarentena, parcial ou total.

Toma aí, então!

3 - djonga_feed

1 – Letrux – “Déjà-Vu Revival” (Estreia)
A faixa que abre o disco de Letrux abre nosso ranking da semana com uma espécie de trip-hop atravessado por uma guitarra e com um encerramento apoteótico belíssimo. “Viver é um frenesi”, canta Letrux. Parece daquelas músicas que ganham novos sentidos a cada dia que passa. E que letra que ela tem.
2 – Djonga – “Procuro Alguém (Estreia)
Na capa mais forte do ano até aqui, Djonga estampa a realidade cruel do Brasil. Sua montagem é praticamente a versão ilustrada do verso “Olha quem morre, veja você quem mata” de Edi Rock em “Negro Drama”. Ao cantar sobre todas as quebradas, um dos fios de esperança no futuro onde o amor vence está na geração que chega, representada por este som que celebra a pequena Iolanda, a filha mais nova do Djonga. E que letra que ela tem.
3 – Apeles – “Deságua” (Estreia)
Os belos seis minutos e pouco deste som do Apeles em seu álbum do ano passado vão ganhar um vídeo muito em breve, motivo mais do que suficiente para voltarmos a um dos nossos favoritos do ano passado.
4 – Carne Doce – “Passarin” (Estreia)
Inédita do Carne Doce que ouvimos e já aprovamos por aqui. O lançamento está programado para esta sexta-feira. Essa banda não erra, né?
5 – Terno Rei e Tuyo – “Pivete” (1)
O encontro entre Terno Rei e Tuyo promete novos frutos. Já está anunciado uma música do trio paranaense que terá participação da banda. Enquanto isso, eles estão juntos em um belo single do Terno Rei com letra de Ale Sater e arranjo em conjunto. Será que o single indica novos rumos para a banda? Uma experimentação ocasional com uma pegada mais pop? Bom, “Violeta” já deu algumas dicas. E a banda está quente. Vamos ver.
6 – Letrux – “Fora da Foda” (Estreia)
Outra da boas músicas do novo álbum da Letrux. Aqui caímos de amores pela participação bem-humorada de Lovefoxxx, de quem estávamos com saudade de ouvir em disco há um bom tempo. É isso: Lovefoxxx sendo reentroduzida na “new music” brasileira pela Letrux. Que momento!
7 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (2)
A parceria dos rappers Febem e Fleezus em um EP com produção de CESRV, o Cesinha, deu jogo dos bons. Repleto de músicas que estão prontas para irem bem longe, “Terceiro Mundo” é das que mais brilha ao citar Racionais, Marighella e “deixa os garoto brincar”. Ok, tem uma homenagem ao Corinthians… Mas beleza.
8 – FingerFingerrr – “Tô Vivo” (3)
Os caras são uma banda punk com influência de hip-hop (what?) que voltam com essa pedrada que dá o tom do que vem no segundo disco da banda. A música ainda não saiu, mas a dica está dada.
9 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (4)
Namorados, Luedji e Zudzilla fizeram um dueto daqueles quentes. A faixa entrega o jeitão do próximo álbum de Luedji, mais focado no hip hop, parece.
10 – Bivolt – “110v” e “220v” (5)
No novo disco da rapper Bivolt, na verdade, seu primeiro álbum, chama a atenção a dupla “110v” e “220v”. As duas faixas mostram diferentes lados da rapper e podem ser ouvidas ao mesmo tempo para criar um nova experiência, na real, uma terceira faixa. Testamos e funciona muito bem.
11 – ÀIYÉ – “Terreiro” (6)
12 – Vovô Bebê – “Êxodo” (7)
13 – Jhony MC – F.A.B (8)
14 – Edgar – “Carro de Boy” (9)
15 – Kiko Dinucci – “Veneno” (10)
16 – Luana Flores – “Guerreira de Lança (Furmigadub Remix)” (11)
17 – Mahmundi – “Sem Medo (12)
18 – Nego Bala – “Cifrão in Pé” (13)
19 – Young Lights – “When You Were Here” (14)
20 – Flu & Amigos – “Porco” (15)
21 – MC Loma – “Predadora” (16)
22 – Manaié – “Tira a Mão” (17)
23 – Francisco El Hombre – “Cai” (18)
24 – Sepultura – “Fear; Pain; Chaos; Suffering” (19)
25 – Marcelo Perdido – “Santa Clara de Tróia” (20)
26 – Amen Jr. – “amoretempo” (21)
27 – Marietta – “Analógica” (22)
28 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (23)
29 – Rohmanelli – “Toneaí” (24)
30 – Céu de Vênus – “O Acaso Não Existe” (26)
31 – Liniker – “Não Adianta” (27)
32 – Derek e Lucas Silveira – “Me Sinto Sozinho” (28)
33 – La Leuca – “Morning Gloria (O Medo)” (29)
34 – Pabllo Vittar – “Amor De Que” (31)
35 – Valuá – “Veneno” (32)
36 – Trupe Chá de Boldo – “À Lina” (33)
37 – Ana Preta e Thaíde – “Não Me Leve a Mal” (34)
38 – Olívia de Amores – “La Cancionera” (35)
39 – Letícia Persiles – “Trem Fantasma” (36)
40 – Juliano Guache – “Bombyx Mori No. 1” (37)
41 – Yannick Hara – “Replicantes” (38)
42 – ANNÁ e Ilú Obá de Min – “Sobre Rosa” (39)
43 – Julia Melo – “Touch” (42)
44 – Barro – “Ondas do Desejo” (41)
45 – Black Mantra – “Funky Drama” (40)
46 – Hiran e Nininha Problemática – “Kika (Com Cara de Mau)” (43)
47 – Fióti – “Quando For Falar de Amor” (44)
48 – Karol Conká, Johnny Hooker e Haikaiss – “Pronto pro Rolê” (45)
49 – Triz – “O Som Vem Assim” (46)
50 – Nill – “Options” (48)

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o rapper mineiro Djonga. Na imagem que ilustra a chamada para este post na home da Popload, a cantora carioca Letrux, em ilustração.

>>

TOP 50 DA CENA – Febem, Fleezus e CESRV. Sabe quens? O topo é deles. ÀIYÉ também pediu passagem

1 - cenatopo19

* Chega de bloquinho. Agora o ano começou. Voltaram os lançamentos, alguns inclusive fora da já tradicional sexta-feira de novidades musicais, o que ajuda a gente a apurar com mais tranquilidade as músicas boas ao longo da semana.

No pódio da vez temos rap nacional novinho (ALERTA DISCAÇO!!), umas palavras sobre o novo disco da Larissa Conforto e a manutenção do Vovô Bebê, um dos nossos queridinhos até aqui. Além dos destaques, temos boas estreias pela lista, por enquanto lá embaixo e quem sabe logo mais no topo? Vamos ouvir.

Perdemos algo? Lembre-se de avisar a gente nos comentários. Sem se esquecer de que que estamos no Deezer e no Spotify em formato de playlist, com este Top 50. Bonitinho, na ordem. Certo?

larissa2

1 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (Estreia)
A parceria dos rappers Febem e Fleezus em um EP com produção de CESRV deu jogo dos bons. Repleto de músicas que estão prontas para irem bem longe, “Terceiro Mundo” é das que mais brilha ao citar Racionais, Marighella e “deixa os garoto brincar”. Ok, tem uma homenagem ao Corinthians… Mas beleza.
2 – ÀIYÉ – “Terreiro” (35)
Ouvimos o novo disco de Larissa Conforto, agora (há um tempinho) como ÀIYÉ, e gostamos do resultado do álbum, que será lançado só no dia 20 de março. Sai o rock dos tempos de Ventre e entra a experimentação com música eletrônica. As aventuras que ela faz com os ritmos dentro das próprias músicas são uma delícia de ouvir e perceber. Vem discão aí. Se liga.
3 – Vovô Bebê – “Êxodo” (1)
Ainda não deu para cansar deste disco. Alguém viu a manchete do G1: “Vovô Bebê põe Ana Frango Elétrico em ‘Briga de Família’”? Lembrou o saudoso “Notícias Populares”, mas era só uma nota sobre este ótimo som novo da CENA carioca, que tem participação dela, sim, Ana Frango Elétrico. Fique de olho. Projeto de Pedro Carneiro que lembra o antigo grupo Rumo, uma das bandas mais paulistanas que existiram. Olha a ironia geográfica.
4 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (10)
Namorados, Luedji e Zudzilla fizeram um dueto daqueles quentes. Pelo que adianta Alexandre Matias no Trabalho Sujo, a faixa dá a fica do próximo álbum de Luedji, mais hip hop no ótimo som que quem viu ela no Popload Festival já conhece.
5 – Edgar – “Carro de Boy” (2)
Existe uma linha tênue na hora de fazer música de protesto que vira refrão grudento. Pode pegar mal, banalizar, ficar tosco. Não é o que acontece aqui. Edgar acerta no alvo na denúncia e na produção de um som que cabe na pista. Para dançar com profundidade. Com conceito. Esta canção chega com impactante vídeo e participação do Rico Dalasam.
6 – Kiko Dinucci – “Veneno” (3)
O álbum solo novo de Kiko Dinucci é uma peça e tanto. Violão no comando de tudo. E muita informação ainda há ser captada em futuras audições. A música com Rodrigo Ogi é, de cara, um dos achados do disco e pode dar a prévia do novo álbum do rapper, que tem produção do próprio Kiko. Tudo em casa.
7 – Nego Bala – “Cifrão in Pé” (8)
A música é de 2019, mas está batendo geral mesmo neste ano. Primeiro disco do funkeiro paulistano está sendo preparado. Acho que vamos trombar muito com o nome dele em 2020.
8 – Jhony MC – F.A.B (Estreia)
Um dos raps mais certeiros do ano. Que letra que Jhony MC fez. Do futebol aos crimes do Estado. A ligação é bem-feita e o talento do rapper deixa a gente impressionado, como ele avisa na letra. Ouça no YouTube.
9 – FingerFingerrr – “Tô Vivo” (6)
Os caras são uma banda punk com influência de hip-hop (what?) que voltam com essa pedrada que dá o tom do que vem no segundo disco da banda. A música ainda não saiu, mas a dica está dada.
10 – Young Lights – “When You Were Here” (4)
É rock dos EUA, praticamente. Mas é de BH, mesmo. Single novo incrível da banda do multitask Jay Horsth, um dos grandes destaques ao vivo da nova música mineira. E também é um indicativo de disco novo vindo por aí.
11 – Flu & Amigos – “Porco” (5)
Renomado integrante da melhor fase do rock independente gaúcho lááá nos anos 80, começo dos 90, entre outras bastantes coisas participaou da chamada formação clássica do clássico grupo DeFalla, Flu resolveu manter sua música viva em 2020 com uma série séria de singles bons. Esta “Porco” é o primeiro.
12 – MC Loma – “Predadora” (7)
E aí, DG? Quem disse que não entendemos de Carnaval? MC Loma fez mais um hit perfeito para a festa mais tradicional do Brasil. Se prepare para ouvir “Predadora” nas ruas, neste mês. Um brega funk na medida para a internet graças a uma letra sobre pegação baseada em signos.
13 – Carne Doce – “Temporal” (9)
Esta só melhora quanto mais se ouve. Que musiquinha enoooorme soltou o grupo goiano Carne Doce para já anunciar que em 2020 vai ter disco novo, o quarto da banda do casal Macloys/Salma. A gente aqui quer morar nessas guitarrinhas que embalam a música nova, da metade para a frente.
14 – Manaié – “Tira a Mão” (14)
15 – Liniker – “Não Adianta” (11)

Parte do projeto “Acorda Amor”, Liniker faz um bom cover de uma música do Trio Mocotó. O projeto ainda conta com as vozes de Maria Gadu, Xênia França, Letrux e Luedji Luna. A faixa agora é um dos primeiros passeios solos da cantora após o anúncio essa semana da separação com o grupo Caramelows, que acompanhou Liniker nos seus dois primeiro trabalhos.
16 – Marcelo Perdido – “Santa Clara de Tróia” (13)
17 – Amen Jr. – “amoretempo” (16)
18 – Marietta – “Analógica” (17)

19 – Sepultura – “Fear; Pain; Chaos; Suffering” (12)
Em um novo e potente álbum, o Sepultura teve a manha de chamar a incrível Emmily Barreto do Far From Alaska para fazer mais do que uma participação especial. Ela toma conta da última faixa do álbum. Quem quiser ir direto em outra boa do disco: ouça a torta “Ranging Void”.
20 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (18)
A música é de 2017, mas se encaixou muito bem no Brasil de 2020. A voz de Juçara Marçal na segunda metade da música, então, só faz a força da música redobrar. Olho nessa banda, no disco, nos shows que eles vão fazer por aí.
21 – Rohmanelli – “Toneaí” (19)
22 – Céu de Vênus – “O Acaso Não Existe” (20)
23 – Pabllo Vittar – “Amor De Que” (22)
24 – Terno Rei – “São Paulo” (15)

Ingressos esgotados em São Paulo em 20 minutos. Algo sério vem acontecendo com o Terno Rei. A febre em torno da banda só aumenta, shows lotados em outras cidades também. “Violeta”, o disco mais recente da banda, completou um ano, mas parece que está só no começo de uma jornada de conquistas. Esta “São Paulo” tem um sabor da new wave paulistana dos anos 80, revisitada. Coisa fina.
25 – Derek e Lucas Silveira – “Me Sinto Sozinho” (27)
26 – La Leuca – “Morning Gloria (O Medo)” (31)
27 – Suco de Lúcuma – “Nada No Ar” (23)
28 – Valuá – “Veneno” (34)
29 – Triz – “O Som Vem Assim” (38)
30 – Trupe Chá de Boldo – “À Lina” (49)
31 – Ana Preta e Thaíde – “Não Me Leve a Mal” (40)
32 – Olívia de Amores – “La Cancionera” (41)
33 – Letícia Persiles – “Trem Fantasma” (44)
34 – Juliano Guache – “Bombyx Mori No. 1” (42)
35 – Yannick Hara – “Replicantes” (43)
36 – ANNÁ e Ilú Obá de Min – “Sobre Rosa” (45)
37 – Black Mantra – “Funky Drama”
38 – Barro – “Ondas do Desejo”
39 – Bixiga 70 e Luiza Lian – “Alumiô (Cai Na Terra)” (21)

O encontro entre Luiza Lian e Bixiga 70 nasceu com cara de clássico. Fica a deixa para um projeto mais extenso, um álbum, quem sabe? Estamos na espera.
40 – Nill – “Options” (24)
41 – Alice Caymmi e ÀTTØØXXÁ – A Noite Inteira (25)
42 – Rashid – “Eu” (26)

Em seu novo álbum, Rashid deixa para a última faixa talvez um de seus melhores sons, a reveladora “Eu”. Uma daquelas reflexões pessoais de um artista que acaba refletindo no ouvinte.
43 – Saskia – “Tô Duvidando” (32)
Já escutou o disco da Saskia? A gaúcha é uma das revelações do ano passado para você também? E a participação do Edgar nesta faixa, então? Outro nível esses dois.
44 – Julia Melo – “Touch”
45 – Hiran e Nininha Problemática – “Kika (Com Cara de Mau)”
46 – Fióti – “Quando For Falar de Amor” (50)
47 – Karol Conká, Johnny Hooker e Haikaiss – “Pronto pro Rolê”
48 – Linn Da Quebrada – “Oração” (39)
49 – Vivian Kuczynski – “Carne” (28)

O novo single da Vivian ganhou um belo vídeo. Por isso destacamos “Carne” por aqui, outra das boas músicas do álbum de estreia da curitibana de 16 anos, single que tem uma letra que está na parte de críticas sociais do disco, segundo ela, mesmo que um tanto cifrada. Nem tanto assim. É só prestar atenção na menina.
50 – Rincon Sapiência – “Real Oficial” (30)
Uma das muitas boas músicas do mais recente álbum de Rincon Sapiência, um disco lançando no final de 2019 e que passou meio batido, injustamente, pelo menos por aqui. Corrigimos a rota agora.

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, Larissa Conforto em seu projeto ÀIYÉ. O funkeiro paulistano Nego Bala ilustra a foto da chamada do post na home da Popload.

>>