Em fingerfingerrr:

CENA – FingerFingerrr, a banda punk mais agilizada do Brasil, está viva. Ouça, pois, com exclusividade, “Tô Vivo”

1 - cenatopo19

Dizendo-se “alive” e pelo visto sempre “kicking”, o FingerFingerrr está de volta, vivão. Na verdade eles nunca “foram embora”, mas vá lá. Primeira formação punk com influência hip hop do Brasil, no caso um duo bem vestido de bateria/baixo que dá bebida para o público, o FFrrr já está com planos razoavelmente bem traçados para 2020.

Começa com este single abaixo, já frequentador do semanal Top 50 da CENA da Popload, que vai ser lançado nesta sexta nas plataformas e quetais, podendo ser ouvido já neste post, aqui embaixo.

“Tô Vivo”, porradeira whitestripiana tipo Slaves tipo FingerFingerrr mesmo, é o primeiro single dos quatro a serem lançados na sequência até o segundo álbum do grupo cheio sair, lá pelo meio do ano.

finger2

E, no meio deste caminho, até o sucessor do ótimo disco de estreia “MAR” (2016) aparecer na nossa orelha, a dupla Flavio Juliano (à esq., na foto acima) e Ricardo Cifas faz a centésima passagem de show pelos EUA, envolvendo dois shows no South by Southwest em março. É a segunda vez deles no importante festival do Texas. É a nona viagem do FingerFingerrr para shows na América. Isso porque, ainda, a gente gosta de repetir, o duo até esse novo rolê americano vai ter apenas um disco no currículo.

“Tô Vivo” foi escolhida como primeiro single, segundo a banda, porque dá o tom de como vai ser o álbum: “barulhento e bizarro”, segundo o baterista Cifas.

O que não deixa de ser engraçado, porque ele diz isso como se o disco anterior e os outros singles do duo já não o fossem.

O fato é que esta “Tô Vivo” (capa abaixo) é realmente barulhenta e bizarra. A letra, boa, explosiva, é cantada com voz distorcida por sintetizador. Vira um instrumento mais do que é uma voz. Muito loka.

figer3

Vou até botar a letra aqui embaixo, para ajudar na “compreensão”.

Quebrando 2020
20 mil na diagonal
Agora tudo muda

Quando penso que
Quebro quando penso que
Cai ou não cai?
Influência de um passado de lá

Quebro ou conecto?
Hum… Eu vou é quebrar

To vivo, to vivo
To vivo mas eu não me sinto

Ha ha ha ha ha
Acho que deu
Furo e estico até quando não dá mais pra esticar

Confira “Tô Vivo”, primeiro single do FingerFingerrr:

***

* As fotos do FingerFingerrr, deste post, da chamada da home da Popload e da capa do single, são de Daniela Ometto.

>>

TOP 50 DA CENA – Febem, Fleezus e CESRV. Sabe quens? O topo é deles. ÀIYÉ também pediu passagem

1 - cenatopo19

* Chega de bloquinho. Agora o ano começou. Voltaram os lançamentos, alguns inclusive fora da já tradicional sexta-feira de novidades musicais, o que ajuda a gente a apurar com mais tranquilidade as músicas boas ao longo da semana.

No pódio da vez temos rap nacional novinho (ALERTA DISCAÇO!!), umas palavras sobre o novo disco da Larissa Conforto e a manutenção do Vovô Bebê, um dos nossos queridinhos até aqui. Além dos destaques, temos boas estreias pela lista, por enquanto lá embaixo e quem sabe logo mais no topo? Vamos ouvir.

Perdemos algo? Lembre-se de avisar a gente nos comentários. Sem se esquecer de que que estamos no Deezer e no Spotify em formato de playlist, com este Top 50. Bonitinho, na ordem. Certo?

larissa2

1 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (Estreia)
A parceria dos rappers Febem e Fleezus em um EP com produção de CESRV deu jogo dos bons. Repleto de músicas que estão prontas para irem bem longe, “Terceiro Mundo” é das que mais brilha ao citar Racionais, Marighella e “deixa os garoto brincar”. Ok, tem uma homenagem ao Corinthians… Mas beleza.
2 – ÀIYÉ – “Terreiro” (35)
Ouvimos o novo disco de Larissa Conforto, agora (há um tempinho) como ÀIYÉ, e gostamos do resultado do álbum, que será lançado só no dia 20 de março. Sai o rock dos tempos de Ventre e entra a experimentação com música eletrônica. As aventuras que ela faz com os ritmos dentro das próprias músicas são uma delícia de ouvir e perceber. Vem discão aí. Se liga.
3 – Vovô Bebê – “Êxodo” (1)
Ainda não deu para cansar deste disco. Alguém viu a manchete do G1: “Vovô Bebê põe Ana Frango Elétrico em ‘Briga de Família’”? Lembrou o saudoso “Notícias Populares”, mas era só uma nota sobre este ótimo som novo da CENA carioca, que tem participação dela, sim, Ana Frango Elétrico. Fique de olho. Projeto de Pedro Carneiro que lembra o antigo grupo Rumo, uma das bandas mais paulistanas que existiram. Olha a ironia geográfica.
4 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (10)
Namorados, Luedji e Zudzilla fizeram um dueto daqueles quentes. Pelo que adianta Alexandre Matias no Trabalho Sujo, a faixa dá a fica do próximo álbum de Luedji, mais hip hop no ótimo som que quem viu ela no Popload Festival já conhece.
5 – Edgar – “Carro de Boy” (2)
Existe uma linha tênue na hora de fazer música de protesto que vira refrão grudento. Pode pegar mal, banalizar, ficar tosco. Não é o que acontece aqui. Edgar acerta no alvo na denúncia e na produção de um som que cabe na pista. Para dançar com profundidade. Com conceito. Esta canção chega com impactante vídeo e participação do Rico Dalasam.
6 – Kiko Dinucci – “Veneno” (3)
O álbum solo novo de Kiko Dinucci é uma peça e tanto. Violão no comando de tudo. E muita informação ainda há ser captada em futuras audições. A música com Rodrigo Ogi é, de cara, um dos achados do disco e pode dar a prévia do novo álbum do rapper, que tem produção do próprio Kiko. Tudo em casa.
7 – Nego Bala – “Cifrão in Pé” (8)
A música é de 2019, mas está batendo geral mesmo neste ano. Primeiro disco do funkeiro paulistano está sendo preparado. Acho que vamos trombar muito com o nome dele em 2020.
8 – Jhony MC – F.A.B (Estreia)
Um dos raps mais certeiros do ano. Que letra que Jhony MC fez. Do futebol aos crimes do Estado. A ligação é bem-feita e o talento do rapper deixa a gente impressionado, como ele avisa na letra. Ouça no YouTube.
9 – FingerFingerrr – “Tô Vivo” (6)
Os caras são uma banda punk com influência de hip-hop (what?) que voltam com essa pedrada que dá o tom do que vem no segundo disco da banda. A música ainda não saiu, mas a dica está dada.
10 – Young Lights – “When You Were Here” (4)
É rock dos EUA, praticamente. Mas é de BH, mesmo. Single novo incrível da banda do multitask Jay Horsth, um dos grandes destaques ao vivo da nova música mineira. E também é um indicativo de disco novo vindo por aí.
11 – Flu & Amigos – “Porco” (5)
Renomado integrante da melhor fase do rock independente gaúcho lááá nos anos 80, começo dos 90, entre outras bastantes coisas participaou da chamada formação clássica do clássico grupo DeFalla, Flu resolveu manter sua música viva em 2020 com uma série séria de singles bons. Esta “Porco” é o primeiro.
12 – MC Loma – “Predadora” (7)
E aí, DG? Quem disse que não entendemos de Carnaval? MC Loma fez mais um hit perfeito para a festa mais tradicional do Brasil. Se prepare para ouvir “Predadora” nas ruas, neste mês. Um brega funk na medida para a internet graças a uma letra sobre pegação baseada em signos.
13 – Carne Doce – “Temporal” (9)
Esta só melhora quanto mais se ouve. Que musiquinha enoooorme soltou o grupo goiano Carne Doce para já anunciar que em 2020 vai ter disco novo, o quarto da banda do casal Macloys/Salma. A gente aqui quer morar nessas guitarrinhas que embalam a música nova, da metade para a frente.
14 – Manaié – “Tira a Mão” (14)
15 – Liniker – “Não Adianta” (11)

Parte do projeto “Acorda Amor”, Liniker faz um bom cover de uma música do Trio Mocotó. O projeto ainda conta com as vozes de Maria Gadu, Xênia França, Letrux e Luedji Luna. A faixa agora é um dos primeiros passeios solos da cantora após o anúncio essa semana da separação com o grupo Caramelows, que acompanhou Liniker nos seus dois primeiro trabalhos.
16 – Marcelo Perdido – “Santa Clara de Tróia” (13)
17 – Amen Jr. – “amoretempo” (16)
18 – Marietta – “Analógica” (17)

19 – Sepultura – “Fear; Pain; Chaos; Suffering” (12)
Em um novo e potente álbum, o Sepultura teve a manha de chamar a incrível Emmily Barreto do Far From Alaska para fazer mais do que uma participação especial. Ela toma conta da última faixa do álbum. Quem quiser ir direto em outra boa do disco: ouça a torta “Ranging Void”.
20 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (18)
A música é de 2017, mas se encaixou muito bem no Brasil de 2020. A voz de Juçara Marçal na segunda metade da música, então, só faz a força da música redobrar. Olho nessa banda, no disco, nos shows que eles vão fazer por aí.
21 – Rohmanelli – “Toneaí” (19)
22 – Céu de Vênus – “O Acaso Não Existe” (20)
23 – Pabllo Vittar – “Amor De Que” (22)
24 – Terno Rei – “São Paulo” (15)

Ingressos esgotados em São Paulo em 20 minutos. Algo sério vem acontecendo com o Terno Rei. A febre em torno da banda só aumenta, shows lotados em outras cidades também. “Violeta”, o disco mais recente da banda, completou um ano, mas parece que está só no começo de uma jornada de conquistas. Esta “São Paulo” tem um sabor da new wave paulistana dos anos 80, revisitada. Coisa fina.
25 – Derek e Lucas Silveira – “Me Sinto Sozinho” (27)
26 – La Leuca – “Morning Gloria (O Medo)” (31)
27 – Suco de Lúcuma – “Nada No Ar” (23)
28 – Valuá – “Veneno” (34)
29 – Triz – “O Som Vem Assim” (38)
30 – Trupe Chá de Boldo – “À Lina” (49)
31 – Ana Preta e Thaíde – “Não Me Leve a Mal” (40)
32 – Olívia de Amores – “La Cancionera” (41)
33 – Letícia Persiles – “Trem Fantasma” (44)
34 – Juliano Guache – “Bombyx Mori No. 1” (42)
35 – Yannick Hara – “Replicantes” (43)
36 – ANNÁ e Ilú Obá de Min – “Sobre Rosa” (45)
37 – Black Mantra – “Funky Drama”
38 – Barro – “Ondas do Desejo”
39 – Bixiga 70 e Luiza Lian – “Alumiô (Cai Na Terra)” (21)

O encontro entre Luiza Lian e Bixiga 70 nasceu com cara de clássico. Fica a deixa para um projeto mais extenso, um álbum, quem sabe? Estamos na espera.
40 – Nill – “Options” (24)
41 – Alice Caymmi e ÀTTØØXXÁ – A Noite Inteira (25)
42 – Rashid – “Eu” (26)

Em seu novo álbum, Rashid deixa para a última faixa talvez um de seus melhores sons, a reveladora “Eu”. Uma daquelas reflexões pessoais de um artista que acaba refletindo no ouvinte.
43 – Saskia – “Tô Duvidando” (32)
Já escutou o disco da Saskia? A gaúcha é uma das revelações do ano passado para você também? E a participação do Edgar nesta faixa, então? Outro nível esses dois.
44 – Julia Melo – “Touch”
45 – Hiran e Nininha Problemática – “Kika (Com Cara de Mau)”
46 – Fióti – “Quando For Falar de Amor” (50)
47 – Karol Conká, Johnny Hooker e Haikaiss – “Pronto pro Rolê”
48 – Linn Da Quebrada – “Oração” (39)
49 – Vivian Kuczynski – “Carne” (28)

O novo single da Vivian ganhou um belo vídeo. Por isso destacamos “Carne” por aqui, outra das boas músicas do álbum de estreia da curitibana de 16 anos, single que tem uma letra que está na parte de críticas sociais do disco, segundo ela, mesmo que um tanto cifrada. Nem tanto assim. É só prestar atenção na menina.
50 – Rincon Sapiência – “Real Oficial” (30)
Uma das muitas boas músicas do mais recente álbum de Rincon Sapiência, um disco lançando no final de 2019 e que passou meio batido, injustamente, pelo menos por aqui. Corrigimos a rota agora.

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, Larissa Conforto em seu projeto ÀIYÉ. O funkeiro paulistano Nego Bala ilustra a foto da chamada do post na home da Popload.

>>

TOP 50 DA CENA – Pouca mexida no pódio. Carnaval? Dá-lhe Vovô Bebê, Edgar e Kiko Dinucci. Who the fuck is FingerFingerrr?

>>

1 - cenatopo19

* Depois de semanas até que bem movimentadas, parece que os lançamentos musicais deram uma minguada por conta do carnaval. Com menos músicas novas circulando por aí, foi inevitável repetir esta semana o pódio da semana passada. Na real, as primeiras colocações nem se mexeram. Primeira vez que isso rola no nosso Top 50. Até porque estamos curtindo bem ainda o carioca Vovô Bebê.

Mas não ficamos parados, não. Temos novidades no resto da lista. Além disso, temos algumas subidas e descidas também. E, bom, se estamos perdendo algo, avisem nos comentários que a gente corre para ir ouvir as novidades.

Seeeeeempre lembrando que estamos no Deezer e no Spotify em formato de playlist, com este Top 50. Bonitinho, na ordem. Certo?

Ficamos assim:

liniker_slider

1 – Vovô Bebê – “Êxodo” (1)
Alguém viu a manchete do G1: “Vovô Bebê põe Ana Frango Elétrico em ‘Briga de Família’”? Lembrou o saudoso “Notícias Populares”, mas era só uma nota sobre este ótimo som novo da CENA carioca, que tem participação dela, sim, Ana Frango Elétrico. Fique de olho. Projeto de Pedro Carneiro que lembra o antigo grupo Rumo, uma das bandas mais paulistanas que existiram. Olha a ironia geográfica.
2 – Edgar – “Carro de Boy” (2)
Existe uma linha tênue na hora de fazer música de protesto que vira refrão grudento. Pode pegar mal, banalizar, ficar tosco. Não é o que acontece aqui. Edgar acerta no alvo na denúncia e na produção de um som que cabe na pista. Para dançar com profundidade. Com conceito. Esta canção chega com impactante vídeo e participação do Rico Dalasam.
3 – Kiko Dinucci – “Veneno” (3)
O álbum solo novo de Kiko Dinucci é uma peça e tanto. Violão no comando de tudo. E muita informação ainda há ser captada em futuras audições. A música com Rodrigo Ogi é, de cara, um dos achados do disco e pode dar a prévia do novo álbum do rapper, que tem produção do próprio Kiko. Tudo em casa.
4 – Young Lights – “When You Were Here” (5)
É rock dos EUA, praticamente. Mas é de BH, mesmo. Single novo incrível da banda do multitask Jay Horsth, um dos grandes destaques ao vivo da nova música mineira. E também é um indicativo de disco novo vindo por aí.
5 – Flu & Amigos – “Porco” (4)
Renomado integrante da melhor fase do rock independente gaúcho lááá nos anos 80, começo dos 90, entre outras bastantes coisas participaou da chamada formação clássica do clássico grupo DeFalla, Flu resolveu manter sua música viva em 2020 com uma série séria de singles bons. Esta “Porco” é o primeiro.
6 – FingerFingerrr – “Tô Vivo” (Estreia)
Os caras são uma banda punk com influência de hip-hop (what?) que voltam com essa pedrada que dá o tom do que vem no segundo disco da banda. A música ainda não saiu, mas a dica está dada.
7 – MC Loma – “Predadora” (6)
E aí, DG? Quem disse que não entendemos de Carnaval? MC Loma fez mais um hit perfeito para a festa mais tradicional do Brasil. Se prepare para ouvir “Predadora” nas ruas, neste mês. Um brega funk na medida para a internet graças a uma letra sobre pegação baseada em signos.
8 – Nego Bala – “Cifrão in Pé” (Estreia)
A música é de 2019, mas está batendo geral mesmo neste ano. Primeiro disco do funkeiro paulistano está sendo preparado. Acho que vamos trombar muito com o nome dele em 2020.
9 – Carne Doce – “Temporal” (7)
Esta só melhora quanto mais se ouve. Que musiquinha enoooorme soltou o grupo goiano Carne Doce para já anunciar que em 2020 vai ter disco novo, o quarto da banda do casal Macloys/Salma. A gente aqui quer morar nessas guitarrinhas que embalam a música nova, da metade para a frente.
10 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (Estreia)
Namorados, Luedji e Zudzilla fizeram um dueto daqueles quentes. Pelo que adianta Alexandre Matias no Trabalho Sujo, a faixa dá a fica do próximo álbum de Luedji, mais hip hop no ótimo som que quem viu ela no Popload Festival já conhece.
11 – Liniker – “Não Adianta” (24)
Parte do projeto “Acorda Amor”, Liniker faz um bom cover de uma música do Trio Mocotó. O projeto ainda conta com as vozes de Maria Gadu, Xênia França, Letrux e Luedji Luna. A faixa agora é um dos primeiros passeios solos da cantora após o anúncio essa semana da separação com o grupo Caramelows, que acompanhou Liniker nos seus dois primeiro trabalhos.
12 – Sepultura – “Fear; Pain; Chaos; Suffering” (10)
Em um novo e potente álbum, o Sepultura teve a manha de chamar a incrível Emmily Barreto do Far From Alaska para fazer mais do que uma participação especial. Ela toma conta da última faixa do álbum. Quem quiser ir direto em outra boa do disco: ouça a torta “Ranging Void”.
13 – Marcelo Perdido – “Santa Clara de Tróia” (12)
14 – Manaié – “Tira a Mão” (14)
15 – Terno Rei – “São Paulo” (8)
Ingressos esgotados em São Paulo em 20 minutos. Algo sério vem acontecendo com o Terno Rei. A febre em torno da banda só aumenta, shows lotados em outras cidades também. “Violeta”, o disco mais recente da banda, completou um ano, mas parece que está só no começo de uma jornada de conquistas. Esta “São Paulo” tem um sabor da new wave paulistana dos anos 80, revisitada. Coisa fina.
16 – Amen Jr. – “amoretempo” (13)
17 – Marietta – “Analógica” (17)
18 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (15)
A música é de 2017, mas se encaixou muito bem no Brasil de 2020. A voz de Juçara Marçal na segunda metade da música, então, só faz a força da música redobrar. Olho nessa banda, no disco, nos shows que eles vão fazer por aí.
19 – Rohmanelli – “Toneaí” (19)
20 – Céu de Vênus – “O Acaso Não Existe” (21)
21 – Bixiga 70 e Luiza Lian – “Alumiô (Cai Na Terra)” (22)

O encontro entre Luiza Lian e Bixiga 70 nasceu com cara de clássico. Fica a deixa para um projeto mais extenso, um álbum, quem sabe? Estamos na espera.
22 – Pabllo Vittar – “Amor De Que” (25)
23 – Suco de Lúcuma – “Nada No Ar” (28)
24 – Nill – “Options” (9)
25 – Alice Caymmi e ÀTTØØXXÁ – A Noite Inteira (23)
26 – Rashid – “Eu” (16)

Em seu novo álbum, Rashid deixa para a última faixa talvez um de seus melhores sons, a reveladora “Eu”. Uma daquelas reflexões pessoais de um artista que acaba refletindo no ouvinte.
27 – Derek e Lucas Silveira – “Me Sinto Sozinho” (Estreia)
28 – Vivian Kuczynski – “Carne” (11)

O novo single da Vivian ganhou um belo vídeo. Por isso destacamos “Carne” por aqui, outra das boas músicas do álbum de estreia da curitibana de 16 anos, single que tem uma letra que está na parte de críticas sociais do disco, segundo ela, mesmo que um tanto cifrada. Nem tanto assim. É só prestar atenção na menina.
29 – Lava Divers – “My Boy” (18)
Banda clássica do indie mineiro, o Lava Divers lançou um vídeo de música de 2017 para dizer que neste 2020 vem novidade por aí. Ótimo indie rock para aquecer os ouvidos _ e esperar ansiosamente por inéditas do Divers.
30 – Rincon Sapiência – “Real Oficial” (20)
Uma das muitas boas músicas do mais recente álbum de Rincon Sapiência, um disco lançando no final de 2019 e que passou meio batido, injustamente, pelo menos por aqui. Corrigimos a rota agora.
31 – La Leuca – “Morning Gloria (O Medo)” (36)
32 – Saskia – “Tô Duvidando” (26)

Já escutou o disco da Saskia? A gaúcha é uma das revelações do ano passado para você também? E a participação do Edgar nesta faixa, então? Outro nível esses dois.
33 – Hot e Oreia – “Estilo” (27)
Da ótima cena mineira de rap, Hot e Oreia conseguem dosar aqui humor e mensagem de uma maneira única. A sacada “Cês são CS, eu RPG” é para poucos. E o “pior” é que o som é bem bom. Olho neles.
34 – Valuá – “Veneno” (41)
35 – AIYÉ – “Terreiro” (30)
36 – Rachel Reis – “Ventilador” (31)
37 – Anderson Primo – Ocê, Oceano” (32)
38 – Triz – “O Som Vem Assim” (35)
39 – Linn Da Quebrada – “Oração” (29)
40 – Ana Preta e Thaíde – “Não Me Leve a Mal” (Estreia)
41 – Olívia de Amores – “La Cancionera” (40)
42 – Juliano Guache – “Bombyx Mori No. 1” (Estreia)
43 – Yannick Hara – “Replicantes” (39)
44 – Letícia Persiles – “Trem Fantasma” (Estreia)
45 – ANNÁ e Ilú Obá de Min – “Sobre Rosa” (Estreia)
46 – Bruno Capinam – “Mais Amor” (37)
47 – Karol de Souza – “Tambor” (43)
48 – Decaer & Vulgar Débil – “Na Taverna, Eu e Você: Aparições” (42)
49 – Trupe Chá de Boldo – “À Lina” (Estreia)
50 – Fióti – “Quando For Falar de Amor” (Estreia)

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, a cantora Liniker. O duo punk paulistano FingerFingerrr ilustra a foto da chamada do post na home da Popload.

>>

CENA – Lá vem o FingerFingerrr de novo. E é o que a CENA estava precisando. Conheça o single “VAI”

>>

1 - cenatopo19

* Num mar de normalidades que é a música independente brasileira, com algumas exceções, o duo paulistano FingerFingerrr, prediletos desta casa, definitivamente não é uma banda normal. E isso é a principal virtude deles, graçasadeus. Formado por Flavio Juliano (guitarra, baixo na guitarra, gritaria, à direita na foto abaixo) e Ricardo Cifas (bateria, botões e gritaria, do da esquerda), o duo faz punk, indie e hip hop misturando tudo sem você perceber. Outra qualidade que não é para muitos.

1 - FingerFingerrr_Fotopromo_3_2019_Fotografo_Marcos Artoni

Os caras hoje, a caminho do segundo disco, soltaram o single “VAI”, um som soturno, metal (ish!), industrial e até punk que eu aconselho você seguir o conselho da música e IR mesmo. A faixa é considerada uma “experimentação”, pelo duo, então OK. Aprovadíssima por estes lados.

O single saiu em lyric vídeo chapante, numa técnica chamada hyperlapse, algo como um time-lapse turbinado, o que combina com a música. A letra é uma delícia para cantar junto, desde que você ande numa onda estranha nestes dias.

“VAI” é o sinal que o FingerFingerrr dá para dizer que vem disco novo por aí. O sucessor do ótimo “MAR’, disco debut lançado em 2016, sai em algum dia deste 2019, promete a dupla.

content_id

“VAI foi a primeiríssima coisa que fizemos depois de encerrar o ciclo do nosso último disco, MAR. Voltamos pro nosso estúdio de origem, armamos todos os equipamentos, começamos a tocar livremente pra aquecer e saiu o instrumental da VAI quase inteiro como tá aí”, comenta a dupla sobre o processo de produção do single. “Saiu o que estava entalado na gente de certa forma. Entramos no estúdio El Rocha com uma diária pra matar a música. Escrevemos tudo lá, no sofá e no microfone gravando e valendo.”

Em show recente no Sesc Pompeia, o FingerFingerrr apresentou a inacabada “Summertime”, que também deve entrar no disco novo. A canção ainda não tem letras e, na apresentação, ganhou um inglês balbuciado como “letra”. Vai que fica isso mesmo, do jeito que os caras são.

A gente traz tudo aqui: “VAI”, acabadíssima, e “Summertime”, inacabada e ao vivo.

***

* O FingerFingerrr toca semana que vem, dia 4, no Estúdio Aurora, em Pinheiros. A banda Miami Tiger abre a noite. Os shows começam 22h e, para entrar, custa R$ 20.

** As fotos usadas neste post e na chamada da home são de Marcos Artoni. A capa de “VAI” tem imagem de Daniela Ometto.

>>

CENA – Astral e sexy, FingerFingerrr lança “Rollz Royce”, a “música do verão”. Verão!

>>

popload_cena_pq

* Lá vem ela. A dupla paulistana indie-punk-hop anarquia FingerFingerrr, baixo-bateria sendo que o baixo pode ser usado como guitarra e outras complexidades, lança hoje um novo single, “Rollz Royce”, pelo selo Rosa Flamingo, de propriedade da cantora Tiê. Outras complexidades.

2 - FingerFingerrr_Fotografo_Jimmy_Lima

É o primeiro material inédito da banda desde o lançamento de “MAR”, o ótimo primeiro disco, em 2016. Acostumados a tocar em terras (festivais) gringas, de South by Southwest ao Northside, Flavio Juliano (à dir. na foto acima) e Ricardo Cifas têm no horizonte de 2018 shows marcados na Australia, um deles no Perth Festival, na terra do Tame Impala.

Mas, antes, lançam neste sábado no clube Breve, aqui na Pompeia, essa “diferente””Rollz Royce”, mais dançante-experimental, digamos. O synth, veja você, entrou para o FingerFingerrr. E tudo faz algum sentido.

O show é dentro da Noite Rosa Flamingo, parte da programação noturna da movimentação da SIM São Paulo.

“Queríamos fazer uma música para o verão, astral e sexy”, explica o baterista Cifas, responsável pelo synth).

É o verão na visão do FingerFingerrr, então beleza. E o resultado, acredite, ficou bom.

3 - FingerFingerrr_Rollz_Royce_Cover_1400x1400

* Foto do FingerFingerrr, deste post e da home da Popload, é de Jimmy Lima.

>>