Em finneas:

Popload Entrevista – Bruno Major, de quem Billie Eilish é fã

>>

bruno_major_0058_edit

* Para um músico de jazz, o guitarrista e compositor inglês Bruno Major até que estava bombando bem no pop quando o mundo era mundo, no periodo pré-histórico conhecido como Antes do Covid-19.

Dentre alguns fatos a serem realçados, ele tinha acompanhado como atração de abertura as turnês lotadas no Reino Unido e nos EUA do megastar Sam Smith. Apareceu atém em programas de TV, como o do famoso James Corden. E virou amigo do casal de irmãos Billie Eilish e Finneas, que têm mandado na música pop mundial, seja cantando, produzindo, fazendo incursões cinematográficas, ganhando prêmios, essas coisas.

No mês passado, Bruno Major lançou seu bonito segundo disco, “To Let a Good Thing Die”, que tem sua verve jazzística intactas, ok, mas abre espaço também suas influências decantadas na linha Kendrick Lamar e Radiohead, fora música em parceria com Finneas, ele mesmo. Estamos praticamente chamando esse álbum novo de “disco quase pop”, tamanha as possibilidades sonoras esticadas aqui e ali para todos os cantos e estilos.

O disco tem menos sua guitarra, mais sua voz delicada e íntima, que chega a ser bem reconfortante mesmo usada para musicar temas espinhudos. Ou nada fáceis.

Direto de Londres, Major conversou com a Popload por Zoom. E disse mais ou menos tudo isto aqui embaixo:

Popload – Você passou sua quarentena toda em Londres? Neste período trancafiado em casa, teve alguma utilidade na finalização de seu novo disco, “To Let a Good Thing Die”?
Bruno Major – Eu passei um bom tempo da pandemia trancado na casa dos meus pais, em Northampton, que fica uma hora de Londres, para o norte. Mas agora já estou em Londres.
O disco já estava praticamente pronto antes do lockdown ser decretado. A única coisa que a quarentena interferiu nele foi eu ficar pensando se deveria lançá-lo sem poder fazer show com as músicas novas. Mas precisamos entender os novos tempos. Tanto em casos particulares como o meu quanto para um senso coletivo bem maior nas transformações que estamos vivendo.

Popload – Já estive em Northampton uma vez, acho que para ver um show do Arctic Monkeys, pelo que me lembro. Como é o ambiente da cidade para um músico crescer nela? Ela é bem pequena, né?
Major –
Nossa, que azar o seu [Pelo Arctic Monkeys ou por ter ido a Northampton, Bruno?] Northampton não tem nada demais. Aprendi a tocar guitarra muito cedo, tipo quando criança mesmo, então a música para mim sempre foi inspiradora mais dentro de casa, mesmo [o irmão de Bruno, Dot Major, é integrante de uma banda indie inglesa até que conhecida, a London Grammar]. No máximo na escola. Então não teve muita influência da cidade na minha carreira.

Popload – Desde o primeiro disco você compõe letras confessionais, sobre corações partidos ou reflexões existenciais. E chegamos “To Let a Good Thing Die”, nome do álbum e da música que fecha ele. Você fala de experiências próprias, introspectivas? De onde vem o nome do disco, em particular?
Major –
“To Let a Good Thing Die”, pode não parecer, eu considero uma música alegre, a que deu nome ao disco. A mensagem é bonita, a de deixar uma coisa boa morrer para virem outras melhores. Eu sempre fui um cara sozinho, introspectivo, e a atmosfera de minhas composições vem de eu explorar sentimentos vividos ou imaginados, contar uma história disso. Gosto do caminho que minhas letras tomam a partir de alguma inspiração especial, seja de uma peça de Shakespeare ou de uma experiência amorosa frustrada.

Popload – A balada “The Most Beautiful Thing” é uma parceria com Finneas, irmão produtor da Billie Eilish. Como eles tiveram contato com sua música? Como foi fazer juntos essa canção?
Major –
Um dia recebi uma mensagem direta do Finneas numa rede social, pedindo para conversarmos. Que ele tinha se entusiasmado com minha música e que queria achar alguma forma para trabalharmos juntos. Queria que eu mandasse umas composições minhas para ele. Parece que foi a Billie que mostrou uma canção minha para ele num primeiro momento.
Ele tem um talento enorme, muito inteligente e com uma visão musical muito clara do que ele pretende. Fizemos duas músicas. “The Most Beautiful Thing” é uma delas e funcionou tão perfeitamente quando entramos em estúdio que já a botei no disco. Espero trabalhar mais vezes com ele.

>>

Finneas, irmão da Billie, lança vídeo para seguir carreira “do lado da frente” da música

>>

Captura de Tela 2020-03-19 às 2.30.10 PM

* O músico e produtor Finneas O’Connell, mais conhecido por formatar para o megaestrelato a irmã Billie Eilish, soltou hoje um video até simpático, música e filme, para a canção “Let’s Fall in Love for the Night”, com coreografia e tudo, gravado numa lage na região de Downtown Los Angeles.

“Let’s Fall in Love for the Night” integra o EP de sete faixas de Finneas, o “Blood Harmony”, estreia do produtor no “lado da frente” da música, uma tentativa de protagonismo e de escapar da sombra de Billie. Mas que, inevitavelmente, acaba surfando a onda.

De todo modo, com cinco Grammy nas costas e abertura em tudo quanto é mídia musical nos EUA, mais os envolvimentos com de James Bond a Johnny Marr, a carreira como cantor está encaminhada no pop. Este vídeo ajuda mais que as outras músicas do EP irregular, mas é um começo.

Segue o vídeo em si e a apresentação de Finneas para a mesma música, ao vivo, no programa do Jimmy Fallon no mês passado.

>>

Além de “Parasita”, Oscar consagra ainda mais a Billie Eilish, que fez cover “só” dos Beatles

>>

100220_billie2

Na noite em que o Oscar consagrou o filme sul-coreano “Parasita”, a menina fenômeno Billie Eilish proporcionou um dos momentos mais tocantes da noite.

Com toda sua originalidade, a cantora e seu brother inseparável Finneas ficaram com a responsabilidade de fazerem uma cover de “Yesterday”, dos Beatles, na seção “In Memoriam”, da premiação.

O seguimento relembrou mortes recentes de Kobe Bryant e Kirk Douglas, além de Agnes Varda, Peter Fonda, Doris Day, entre outras.

Em fase espetacular em sua curta carreira, Eilish recentemente quebrou recordes no Grammy ao ser a artista mais jovem a conquistar os quatro principais prêmios, entre eles o de disco do ano. Ela também, em breve, vai lançar a música que servirá como trilha sonora do novo filme de James Bond, “No Time to Die”.

Como se não bastasse, ela fará sua estreia em palcos brasileiros no final de maio, com shows em São Paulo e Rio.

Tá bom assim?

>>

Sem a irmã Billie Eilish, Finneas brilha em apresentação solo no programa do Jimmy Fallon

>>

040220_finneas2

Espécie de porto seguro da Billie Eilish, maior fenômeno da música pop no mundo hoje, o compositor e músico Finneas, que por acaso é irmão da cantora, também tem seus trabalhos que vão além da parceria fraterna.

Daí que ele resolveu sair um pouco desses bastidores tão importantes envolvendo a irmã para brilhar sozinho no programa do Jimmy Fallon, onde Finneas foi divulgar seu EP “Blood Harmony”.

Em rede nacional, Finneas mostrou sua canção “Let’s Fall in Love for the Night”, guiada especialmente por uma pegada mais acústica, mesclada com sua voz bem potente.

Além da performance, Finneas sentou no sofá para um bate-papo que envolveu especialmente curiosidades dele com a irmã, relacionadas principalmente ao processo de composição e inspiração de alguns sucessos como “bad guy”. No papo, ele também entregou que muito em breve será lançada a faixa tema do próximo filme de James Bond, que ele compôs com a Billie.

>>

Wow! Billie Eilish grava disco acústico, em processo analógico, na casa do Jack White

>>

071119_billie2

Maior fenômeno do pop hoje, Billie Eilish deu uma desacelerada de suas performances intensas e complexas para gravar um disco acústico, ao lado de seu irmão e fiel escudeiro Finneas.

A ocasião fica mais especial ainda ao saber que este álbum especial foi gravado na sede da Third Man Records, em Nashville, a casa do Jack White. A performance de 11 músicas foi capturada diretamente no disco físco.

Eilish foi apresentada pelo próprio Jack, que a definiu como “alguém que a gente realmente ama, e acreditamos que é realmente inovadora e inspiradora”. Billie devolveu o elogio no mesmo tom e agradeceu White por ser “inspirar toda uma geração de pessoas a fazerem o que elas realmente querem”.

Entre as canções cantadas por Billie estão os hits “Bad Guy” e “Bury a Friend”. A data de lançamento ainda não foi anunciada, o que deve acontecer nos próximos dias.

A Third Man liberou algumas fotos da gravação, disponíveis no final do post.

Nunca é demais lembrar que Billie Eilish vem ao Brasil pela primeira vez no ano que vem, para shows em São Paulo e Rio de Janeiro.

Já Jack White estará por aqui bem antes, mais precisamente na semana que vem, para se apresentar no Popload Festival com o Raconteurs, dia 15 de novembro, feriado nacional.

>>